Coleção pessoal de Arcise

121 - 140 do total de 657 pensamentos na coleção de Arcise

Quero um homem bom e gentil

Frequentando ioga e psicólogo, que leva a vida de uma maneira esportiva, que curta o corpo e goste de se manter saudável, que seja generoso até contra a minha vontade.
Quero um homem que termine comigo na base do diálogo, que pare de se importar com que os outros irão pensar, que se mantenha atraente e que me respeite mesmo que estejamos distante do outro.
Que divida as despesas e as tarefas domésticas, que goste de mim como pessoa real e não de maneira fantasiosa, que ame alguém risonha, piedosa e emotiva, que me puxe quando eu estiver no fundo do poço.
Quero alguém que simplifique a vida, que não ligue para o meu jeito grosseiro de falar, que mude a sua vida a cada dia, que seja prazeroso a sua companhia, só quero conseguir respirar de novo sendo eu mesma.
Quero um homem que se alimente de coisas boas, que não arrume motivos bobos ou elaborados para brigar, que saiba perder ideias sem cara feia e que decida de um jeito que seja bom para ambos.
Quero um homem que trabalhe, faça sacrifícios financeiros em prol dos nossos sonhos, seja honesto e dê importância ao amor, que se comprometa com a gente, que esteja preparado para ouvir verdades.
Sou de rápido desencantamento, fujo de homem com problemas, não suporto viver fora da sociedade presa num mundo a dois, não quero um animal nem um deus. Nada que me leve aos poucos a perder contato comigo mesma.
Uma saída com os amigos vira motivo de briga, quando na realidade o motivo é muito mais profundo, como insegurança e baixa autoestima ou vontade de controlar, de ter domínio, de ser o dono.
Não dá muito certo fazer tantas exigências, mas essas são mínimas, no entanto, faltam relacionamentos não vazios no mundo. Eu acho ridículo casal que fala como neném. Talvez eu seja dura demais para a melodia do amor.

Arcise Câmara
1 compartilhamento

Mãe! A nossa existência
Mãe move todos os dedos para ver um filho feliz.
Mãe sempre deseja a felicidade plena para suas crias.
Mãe chora, mãe fala com a barriga na época da gestação, mãe mesmo exausta sempre se propõe a ajudar.
Mãe não tem sentimento cumulativo de mágoa ou rancor quando o assunto é filhos, são seres de fácil perdão.
Mãe acompanha cada palavra que sai da nossa boca mesmo que para os outros soe indecifráveis.
Mãe deixa a gente maluca com seus desejos de simplicidade, a gente quer ganhar o mundo e ela só quer que sejamos plenamente felizes.
Mãe passa por cima de insatisfações amorosas para que o filho conviva com o pai.
Mãe valida nossas convicções e quando o assunto é educação ela não se dispõe a fazer concessões.
Mãe inventa coisas para divertir os filhos sábado à noite.
Mãe abraça todas as atividades porque nem sempre confia em delegar ao pai.
Dá um alívio enorme na alma saber que sou especial no mundo dela, que tem alguém que me ama incondicionalmente, que mesmo que eu não mereça ela vai sempre me amar e esse amor só cresce.
Mãe é a nossa primeira alma gêmea, se é que existe outra.
Mãe é expressão cordial mesmo que o mundo esteja desabando, nem todo mundo sabe amar de verdade, mas Mãe nasce sabendo.
Adoro senti-la por perto, cuidando de mim, me dando conselhos práticos, fazendo com que eu abra o olho para alguma situação e principalmente preocupada com o meu interior.
Mãe são confiáveis, de carne e osso e eternas na nossa vida e no nosso coração e não há quem apague essa ideia de que não importa qual idade tenha, enquanto vida tivermos, a queremos ao nosso lado.
Mãe te informa que fumar não combina com você, às vezes ela queria acertar uma panela em sua cabeça, mas logo rir porque é só uma fantasia achar que por um milésimo de segundo ela poderia te fazer algum mal.
Mãe Eu Te Amo para sempre e a minha admiração por ti me faz refletir que eu preciso ser cada dia melhor para honrar todo esse Amor.
Feliz Dia da Mães!
Feliz Todo Dia!

Arcise Câmara
1 compartilhamento

Temos anseio não por um homem, mas pelo homem certo

Esperando demais de mim? Querendo que eu seja a Barbie que você deseja? Não sou a sensibilidade em pessoa, mas não compactuo com preconceito e xenofobia, não aceito palpites nas minhas roupas.
Troquei a roupa de cama, senti uma gloriosa sinfonia de felicidade, ele era um amor e eu confiava nele. Vez ou outra frequentávamos eventos como um casal, era simpatizante dessas simplicidades.
Sempre fui o padrão doadora demais, generosa demais, altruísta exagerada, eu me colocava na posição de tratar todo mundo como eu merecia ser tratada, controlava meus desejos para não exagerar.
Quando digo adeus, não volto mais, a solidão também me completa, sinto prazer em estar na minha companhia, sou honesta com o meu coração, sei o que ele deseja e o que ele quer manter distância.
Não aceito práticas de abusos nem por todo charme do mundo, não aceito um precisas mudar se a mudança não vier no coletivo, sei resolver problemas sozinha e sei fazer minhas observações inteligentes. Eu cedo e você cede e tudo vai dar certo.
Compreendo as diversidades de opiniões, tenho uma lista extensa de imperfeições, esteja preparado para o meu melhor e para o meu pior. Curto um bom ambiente, acho que todo mundo sai ganhando.
Estudo e trabalho com afinco, sorrio e aguento o tranco, o mal não se aloja na cabeça das pessoas de um dia pra noite, pequenas atitudes nos faz mudar, deixava de fazer coisas para mim e largava tudo para fazer coisas para os outros sem ao menos um muito obrigada.
Os homens bons ficam em último lugar e são taxados de bobos ou de bestas, as luas cheias exibem seus charmes e influenciam as marés, Tinha consciência de que haveriam consequências se eu não fizesse o que ele pedia, era difícil convencer alguém da realidade do milagre. Amar e ser amado é deixar livres os desejos do outro.

Arcise Câmara
1 compartilhamento
Tags: temos anseio

O afeto e o autocontrole são imprescindíveis para uma relação saudável

Sorriso mais mortal quando aparece uma menina bonita ao lado, quando a pessoa passa sorrindo, quando ninguém diz nada, mas o olhar se cruza, quando o parceiro te tira do sério porque nos irritam por nossos ciúmes que não deixa de ser amor.
A gente pensa que nosso jeito pode mudar o mundo, a gente quer que o outro se adeque a nossa forma de pensar. O passado não existe, o presente vira passado e o futuro não existe é uma matemática bem simples que poucas pessoas compreendem.
Nós poderíamos treinar com disciplina a liberdade, a gente poderia não sentir vergonha de ser trocada por outra mulher, ninguém é de ninguém e precisamos respeitar as escolhas de cada um.
Eu já estava casada havia tempo suficiente para saber que poderia ser trocada por uma menina cuja idade seria metade da minha, sei que a observação é feia e rude, sei também que isso pode nunca acontecer, tendo eu a confiança no meu amado esposo, mas as estatísticas estão aí e não podem ser ignoradas.
Nunca liguei muito para regras, nunca fui de me incomodar com a opinião dos outros, nunca me senti presa ao meu relacionamento e nem jurei eternidade a ninguém, o eterno faz com que as pessoas se acomodem, enquanto tiver bom eu aposto na relação, então se esforce para que fique sempre bom e eu me esforçarei também.
Talvez eu tenha felicidade narcisista, aquela que só me interessa a maneira como os acontecimentos me afetam, talvez eu queira amar da forma que amo com traição zero, talvez eu escolha viver com você todos os dias da nossa vida.
Mulher não tem constrangimento em dizer o que quer e como quer, o que falta e o que não falta, se estar bom ou se estar ruim, se o ciúme ainda não é totalmente controlado.
Ele é o homem com quem você quer passar o resto da vida, uma vida plena, feliz, sem promessas para manter, mas com o compromisso do primeiro olhar, da primeira decisão em namorar...
Estamos unidos em um relacionamento feliz e saudável, não é perfeito nem será, não é sem mágoas e talvez seja impossível administrar, mas é um amor esforçado, conquistado, sereno, leal e maravilhoso. Eu te amo enquanto der e se der pra sempre eu vou adorar.

Arcise Câmara
1 compartilhamento

Ignorando aptidões e inclinações

Tem muita gente que não sabe o que quer da vida, não sabe o que ama fazer, já me senti assim, já me senti defasada e com a idade das revoltas, eu não tinha pensamento formado sobre nada. Eu era insegura.
A maioria das pessoas buscam saídas rápidas e cômodas para seus problemas e outros tantos almejam passar num concurso público visando estabilidade, esquecendo-se que concurso e a atividade que vai exercer deve ser uma vocação.
Nunca aprendi a ser espontânea, nunca fui a fotogênica da foto, estou sempre preocupada com que os outros vão pensar, o que vão dizer, como devo me comportar para que ninguém fale mal de mim.
Erro quando quero seguir o caminho dos meus pais para o qual não fui feita, erro quando coloco na doação aquela camisa preferida só porque minha mãe acredita que aquela roupa não fica bem em mim, mesmo essa roupa sendo a minha favorita.
Tenho um mundo dentro do mundo, fico trancada no quarto por horas, tenho uma relação de afeto contínua, mas sempre me importei demais com a opinião dos outros, o livro da vida ainda não internalizou esse problema.
Tive pais separados e por muito tempo não percebi que eles competiam entre si, por muito tempo estive no processo de cura pois me achava responsável pela separação deles. Até nas brigas por dinheiro eu me encaixava achando que aquele chocolate a mais que eu comi causava o terremoto entre eles.
Hoje meus filhos me respeitam e seguem meus conselhos, também seguem os conselhos de seu pai, a casa não precisa estar cheirosa o tempo todo, o importante é não existir distanciamento afetivo entre nós. Tudo pode esperar.
Aos poucos, minhas memórias vão se apagando, muitas coisas que foram confiadas ao acaso, a vida trouxe duras lições, estou no momento de autoconhecimento e transição, meu coração grita de dor, meu filho entrou para o mundo das drogas.
Eu não percebi seu comportamento, eu não abri os olhos para o mundo de hoje, faltou que eu falasse das regras, faltou o hábito de conversar sobre os perigos da curiosidade, os estudos dele estavam de vento em polpa, então parecia que estava tudo certo.
Perdi o controle sobre meu filho, hoje estou aguardando ele e eu sairmos do fundo do poço.

Arcise Câmara
1 compartilhamento
Tags: ignorando aptidões

O meu nome era um veneno pra ele

A raiva parece que tinha vindo de toda criação, eu não era generosa e isso causava impactos em nós eu me sentia a sobra dos restos. Ao longo dessa fase tumultuada, dormia mal, muito mal,
Resisti a tentação e não corri para os seus braços, eu tive bom senso, nos tornemos amigos, houve um forte impacto sobre os sentimentos, apesar de tentar provar que não tive culpa, a pessoa só acredita no que quer.
Tenho um excelente olho para a nobreza de espírito do homem, mas não era o caso, na minha memória tem cenas tão dolorosas que pretendo esquecer, desejei a morte, a minha morte como arma poderosa para fugir das humilhações.
Mantinha o sorriso esperançoso e falso, sei lá, meu coração achava que isso ia mudar, minha cabeça tinha certeza que não, estava procurando um relacionamento parecido com alguns que eu acompanhava de perto e que pareciam bem felizes.
A Intuição diagnosticadora das coisas ruins sempre funcionou, raramente deixo de perceber o que diz respeito aos relacionamentos humanos, inclusive aos meus, o problema é achar que o outro vai se transformar.
Por mais ridículo que pareça, tem que existir uma inteligência separada e inconsciente, ter certeza que as coisas vão melhorar não é a certeza da vida, vivia agitada e não havia muito o que fazer.
Novas fronteiras foi questão de tempo, comecei a reprovar suas sutis palavras, comecei o odiar sua mudança de humor, nada era sereno em sua companhia, teria que extrair da mente que nada daquilo funcionava.
Fico espantada pela riqueza de detalhes, escrevendo e pensando na vida, raramente me envolvo em conversas prolongadas, acho um saco as besteiras de WhatsApp, seis vezes saí da toca e seis vezes fui traída, a liberdade que eu dou não é bem administrada pelo outro.
Tenho uma tríade de perguntas honestas de como encarar a morte, as escolhas que florescem no clarão da verdade de que foi a melhor coisa a fazer, as coisas a dizer que guardei para a morte.

Arcise Câmara
1 compartilhamento

Não foram registrados vários momentos de minha história

Naquele pequeno mundo da minha infância, onde todos se conheciam e se respeitavam a gente só aparecia nas fotos em datas comemorativas, a memória fotográfica da época era a nossa mente.
Eu queria agradecer a gentileza de não ter nascido na atualidade em que cada passo é registrado por câmeras ultramodernas, com uma supervalorização e exposição do eu.
A gente registra tudo, a fase zangada e a carinhosa, o homem com o qual estamos acompanhadas, a gentileza do convite de aniversário, os incentivos e presentes que ganhamos, o peso que perdemos, o sangue que doamos.
O desequilíbrio da superexposição não nos atinge, não parece grave ou nocivo, nem um tanto egoísta se o interesse for “likes”. A gente posta o álcool e as sobremesas.
Fazemos textão quando rompemos o namoro, apagamos foto quando a dissolução é definitiva (às vezes nem é), brigamos com plateia, pisamos em ovos para sermos felizes o tempo todo.
Compulsivamente postamos comida e aquele restaurante da moda, escrevemos longos e humilhantes e-mails, a vida virtual supera a presencial em trocentos aspectos.
Não sofremos mais tantas críticas ou preconceitos sociais por nosso comportamento livre, pela experiência não mais impactante do nascimento de filho sem pai.
A gente deixou para trás as conversas importantes e delicadas, deixamos para trás a sensibilidade das relações, deixamos para trás o trato importante com as crianças e o pulso firme de seus pais.
Tudo que já foi ensinado está se desmoronando, a gente deixou de impor nossos poderes a quem amamos, a gente deixou as coisas fluírem sem rédeas, a gente só faz questão de sorrisos grudados no rosto e aquela falsa impressão de felicidade plena.

Arcise Câmara
1 compartilhamento

Buscando a si mesma

Sou de sonhos, instituições, de juízo prudente, de ingenuidade contagiante e crendices repetitivas, sou vítima de deboches e perceptiva, tenho uma atmosfera diferente, fundamental para mim é agir com o coração.
Estava bastante desconfortável com as questões internas, o sol estava a pino, mas o que incomodava não era o calor, o que me afligia era ter que frequentar lugares com muita gente e que não me agradava.
A minha paciência foi testada no limite, por anos fiquei na dúvida entre ser e agradar, ao longo dos anos fixei meus objetivos nos outros, admirava algumas pessoas que acreditavam em Deus, mesmo não tendo o hábito de rezar.
Acho necessário que cada um reze por si mesmo, esse negócio de pedir oração era coisa de gente preguiçosa, acomodada. Muitas pessoas não sentem a presença divina e não possuem intimidade com o celeste.
Pensei que estivesse com medo da morte o que seria natural, aliás eu não me cuidava há um tempão, eu sempre soube que fé sozinha não basta, humanamente já fiz tudo que estava ao meu alcance para atingir a serenidade necessária.
Rezava com o coração, com o tempo nada significava, as bênçãos eram gratuitas para todos que o amam, analisando friamente a situação, constata-se um verdadeiro absurdo, algo injusto e fora de propósito.
O problema é compreender a resposta que vem de cima sem misturar com nossos desejos e ambições, tinha urgência em encontrar uma solução para acalentar meu coração.
No mundo em que habitamos, não há coincidências, acasos, esmorecer faz parte, o presente da vida são as coisas simples, que acontecem no dia a dia, o dia bonito, o verão carioca, o mar calminho.
Apesar de ainda ser cedo, o calor estava muito intenso, eu só falo de sol, já notaram? Assim como falo sobre intuição, situações dificílimas que nos causam muita dor e chocalham nossa fé ou coisas que nos fazem fugir da rotina e nos elevam na busca de nós mesmos.

Arcise Câmara
1 compartilhamento

Feliz Dia Internacional da Mulher

Feliz Dia Internacional da Mulher, nada mais justo do que fazer uma bela homenagem a minha mãe nesse lindo dia. Minha mãe é um exemplo de mulher, antenada, feliz, de bem com a vida, minha mãe me diviniza.
Ela tem sempre uma palavra amiga, uma generosidade nata da alma, um afago, um conselho, uma bronca, um amor curioso, que observa, que conduz, que ilumina, palavras certas nas horas necessárias.
Minha mãe é ser supremo, é de uma delicadeza sem igual, uma flor desabrochando, um anjo na minha vida, uma pessoa especial, uma mão amiga, um abraço forte, um acalento, uma pessoa que me conhece pelo olhar, pela voz.
Mãe de amor inigualável, mãe com a força do coração, com a transparência das atitudes, com a beleza interna apaixonante, mãe linda, mãe plena, mãe amorosa, mãe para todas as horas.
Não me canso de te elogiar, não me canso de te tomar como referência, não me canso de apostar para ti como exemplo a ser seguido. Sou tua fã, sou a pessoa que quer seguir teus passos.
Quando olho para tudo que faz e fizeste por mim o meu peito se enche de gratidão, as lágrimas brotam e eu me emociono por receber tanto amor e tanta atenção.
Contigo vou mais longe, contigo me sinto útil, querida, amada, tenho forças para enfrentar as adversidades da vida, contigo luto por um mundo melhor, contigo aprendi o melhor ensinamento da vida.
Sou grata, sou feliz, tenho amor eterno por ti, tenho uma ligação de almas contigo, não sou mãe, mas se fosse queria você como exemplo. Nada mais importante do que ter uma Mulher com M Maiúsculo com referência de vida.
Que nesse Dia Internacional da Mulher nós possamos refletir sobre a violência doméstica, sobre estar ao lado de quem não soma, sobre ser refém de infidelidades.
Que nós possamos nos amar cada dia mais, que sejamos nossa melhor escolha, que nada nos abale, nos diminua, tire o nosso valor, que possamos ser cada dia menos julgada e mais feliz.
Feliz Todo Santo Dia!

Arcise Câmara
27 compartilhamentos

Levada a pensar que tudo flui

Na minha singela opinião, nem tudo flui sem esforço, as dietas que eu saboto, não podem dar resultados, o custo de vida desenfreado não poderão sustentar uma vida por muito tempo, a saúde sem rotina pode levar a óbito.
Você é realmente quem afirma ser e no quesito personalidade, intuição tudo flui sim. Às vezes nem percebemos que estamos deixando de lado nossa verdade, nossas sensações, nossas expectativas.
Sou racional, dou sentido a minha existência de forma covarde e indecisa, dou o melhor do que habita em mim, não me sinto sozinha, nem abro a boca para argumentar minhas desistências.
Sou um problema para mim mesma, me enquadro nos ritmos e vontades do parceiro, tenho receio em desagradar, qualquer um consegue o mínimo de intimidade.
Dou aos outros a liberdade de ser quem são e eu vou me adequando a falsa liberdade, sou convencionista, tenho necessidade emocional, há dias que estou sem entusiasmo.
Meus limites são diferentes, talvez a fluidez de que tanto falo seja o dever ser de uma mulher autossuficiente, seja o deixar para trás os folgados, os sem limites, os queixosos, os baixo astrais, os sem noção, os inquietos.
Os outros esperam que você seja melhor, cada vez melhor e a gente não sabe a que ponto isso é para satisfazer a si mesmo, a gente não sabe ao certo porque a vida propagou que banheiros públicos causam doenças, porque não consigo disfarçar a vida sem você, ou porque penso todas as noite naquele namorado que não prestou.
Eu tenho toda a bagagem de quem já sofreu por amor, de quem errou e acertou, de quem já viveu um grande momento na vida fazendo escolhas saudáveis, mudando de opinião, aliás, não nos banhamos duas vezes no mesmo rio
Paguei muito mico viajando por aí, já me arrisquei à toa, esta pessoa não se dá conta da gravidade de muitos acontecimentos, ela simplesmente acha que a vida flui e o único caminho é adapta-se.

Arcise Câmara
1 compartilhamento

Trata-se de uma promessa vazia

Quantas vezes eu prometi algo que não cumpriria? Quantas vezes lutei por uma aparência mais jovem e 100% natural? Quantas vezes me desequilibrei nos meus limites?
Muitas vezes a gente pensa de uma maneira e age de outra. Eu não conseguia fazer nada sem me organizar minimamente, eu nunca atentei as consequências dos meus atos, nunca fui de agir de forma mais segura e espontânea.
Procurei amor nos lugares errados, procurei dentro do outro, fui desmistificando as fraudes, fui observando quem merecia estar comigo apesar de tudo, fui pensando no “tem que ser assim”, ou “vai ser assim”, ou no “sou dona de mim mesma”.
Muita gente me amou na época errada, na época em que eu não sabia dar valor aos instantes de felicidade. Muita gente eu amei sem filtros, fazendo vista grossa para certas covardias e transgressões.
Às vezes eu entrava na vida da pessoa, virava de cabeça para baixo e não pensava em ninguém, apenas em mim mesma, tínhamos brigas terríveis por motivos triviais, não pensava em casar, só usava o tempo ao meu favor e alguém sempre tinha que se adaptar.
Acho que a minha responsabilidade era garantir a experiência positiva de um relacionamento fugaz, aquele relacionamento que você não quer ter ao lado, um amor sem paciência, sem vontade de construção.
Parecia um estilo de vida ferrar os amores, a felicidade não era vivenciada em conjunto, ninguém tocava no assunto, parecia que estava tudo bem, mas só estava tudo bem para mim.
Depois eu me reinventava e desistia, era muita infelicidade namorar um bicho do mato, alguém sem conhecimento do verdadeiro amor, do equilíbrio, dos exercícios difíceis de manter relacionamentos duradouros.
É assim que a gente conhece as pessoas, a gente sabe até onde pode ir, a gente ignora porque sabe que vai dar certo, a gente não tolera a carência dele por muito tempo.

Arcise Câmara
1 compartilhamento

Dá pra ver quem tem um grande coração

O mar devolve tudo que a gente joga nele, às vezes vivemos de expectativas irrealistas, a gente repete de certa forma o que aprende, o que lê, o que toma como exemplo.
De alguma forma bloqueio preconceitos, traumas, ansiedade, desconfortos. De outra forma sou intensa, apaixonada, chorona. Dou relevância a pessoas que não me valorizam.
De repente, nem julgo nem condeno, tentando entender o mundo. Era bocuda, contava tudo para todo mundo, só me reservava para as coisas mais amplas tipo: o casinho de alguém, a puladinha de cerca da sicrana, o relacionamento fracassado que tentava consertar.
Tornei-me a moça depressiva, a que não liga para os pais, que usa as pessoas que lhe querem bem, que expulsa o bom senso da vida, que atrapalha a própria felicidade.
A gente nunca conhece de fato o mundo, nem as pessoas, nem as coisas. É tudo sob nossa percepção, ligado a tudo que nos azucrina. Quem não conhece o homem que só percebe que ama depois que perde.
Viver é um obstáculo cativante, carismático, articulado, divertido, inteligente e irônico, viver traz a sensação de que falta alguma coisa, que gratidão não é dívida, que nosso patrimônio imensurável é o coração.
Por que estou tão descontente com a minha vida? Com a falta de atenção? Com o me sentir fanfarrona e divertida sem nada para dizer, tentando adaptar-me ao mundo dos desejos.
O verdadeiro amor não busca poder, sabe ser gentil, honesto, fiel, sabe se preparar para o natal todos os dias. Reza a lenda que não existem garantias, a lenda está certa, as origens dos relacionamentos apontam para esse fato e assim do nada, lembrei que somos apenas bons amigos.
Procurei atingir o melhor de mim mesma, dividi a vida em passado, presente e futuro, mantive o amor vivo com grande esforço, com talento singular e uma maneira única de expressá-lo. Eu sei que tenho um coração gigante, mas nem sempre esses detalhes são importantes.

Arcise Câmara
1 compartilhamento

Se você tem paz e é feliz, as pessoas podem sentir inveja...

Ô sentimento chato esse da inveja, parece que você não merece ser feliz, ser do bem, ser você mesma, parece que o mundo melhor só foi feito pros outros e que felicidade não pode bater na sua porta.
Afinal das contas, por que não mereço ser plenamente feliz aos olhos dos outros? Queria conversar um pouco mais sobre isso, o poder do não poder. Não é nada poético ou literário achar que você tem o poder de mandar e julgar a felicidade alheia.
Não dá para compartilhar sonhos, não dá para receber elogios, não dá para sermos bem-tratadas, somos da geração que não merecemos ser felizes, isso é tão visível, os e-mails pipocam quando os que se julgam superiores descobrem.
Toda semana, eu recebo indiretas de que a vida foi boa demais para mim, que meu processo profissional foi rápido e bem sucedido, que eu deveria dar mais exemplo, ser mais agradecida, afinal eu me mantenho em pé nos tempos de crises.
Falam que para mim não existe rotina e que minha vida é cheia de excessos, falam que eu não valorizo o pouco que tenho, que eu sou altamente influenciável, que tive o casamento destruído e que eu vivo no mundo de coisas fáceis.
Passei a me entediar com quem fala demais da vida alheia, a saía cômoda e feliz é fugir da fofoca e evitar a cultura do instantâneo, das amizades velozes, da intimidade em poucos passos. As palavras sempre me afetaram, o subjugar de alguém que me acha irresistível me amedronta.
Não é fácil quebrar a artificialidade, as verdades contraditórias que você não acredita, as pessoas estão acostumadas a falar mal, rotular, criticar e pensar que as demais estão num nível bem inferior a elas, e por conta disso escondemos as nossas feridas e posamos de feliz “all the time”.
Por outro lado, vivemos lutando para salvar as aparências. Quantas vezes engolimos choro, camuflamos o coração ferido, enganamos o ego machucado, acreditamos nos falsos elogios. Acho que no fundo, no fundo ninguém sabe lidar com a inveja. Não sabemos se aparentamos o que somos e deixamos a inveja crescer ou se nos depreciamos e vemos no que dá.

Arcise Câmara
1 compartilhamento

A bolsa senta

Faz tempo que queria falar sobre esse tema, ocupa-se a cadeira com a pessoa e outra cadeira com a bolsa e nunca perceber que tem pessoas em pé necessitando de cadeira, isso serve para sofás, bancos e afins.
Quando a gente vai para o cinema a gente pula uma cadeira depois de duas cadeiras ocupadas e fica de olho se tem cadeira sobrando para eu escorar a bolsa.
Eu não sei se a bolsa é um medo de gente, a bolsa me protege, a bolsa me isola, a bolsa me dá um certo espaço, ou se é falta de altruísmo mesmo, falta pensar no outro, falta gentileza, falta um olhar mais simples.
Guardar lugar também acho uma coisa tão desigual, o outro chega tarde e senta, já eu que cheguei primeiro tenho que ficar em pé porque tem bolsas guardando lugar. Tudo bem, é legal ter companhia ao lado, fazer gentileza para amigos, fazer favor, mas acho injusto.
A vida é injusta mesmo.

Arcise Câmara
1 compartilhamento

Abre mão de toda a gama de possibilidades

Por mais que disséssemos: “gostamos de você”, a depressão não queria ouvir, até o ato de comprar ficou de escanteio, eu estava a par da situação, sabia que a depressão é prima-irmã da ansiedade e do suicídio.
A gente sempre acha que não pode fazer nada além do que já faz, parece incabível ninguém ter fome de viver, parece desnecessário deligar-se emocionalmente e fazer o sopro da vida ficar inexistente.
Briguei, precisava selar as pazes, estava me sentindo com um ar de superioridade, queria dar lições de moral, estava preocupada em processar que não devemos virar as costas e ir embora.
As mulheres valorizam a intimidade emocional, as mulheres tem mais depressão que homens, as mulheres cometem menos suicídios. Homens cometem por desesperos financeiros ou ciúmes, mulheres por doenças ou por qualquer coisa. Ambos doentes na alma.
Não é uma forma de vida ser infeliz, não é uma prática diária da arte de viver saber lidar com as emoções... A vida é sua, mas as consequências são de todos nós. A gente se trai quando afirma isso com todas as letras, fica um pouco insustentável quando percebemos que nenhum relacionamento nos dá o amparo emocional para continuar vivendo.
Não existe compromisso ou o comprometimento, a sensação não é a mesma, ninguém fala que é proibido se matar, ninguém consegue dar ordens ao nosso imaginário, somos individuais nas decisões.
Parecia que eu estava sob escolta policial, uma sensação de alerta intermitente, inquietações que me faziam mudar as táticas, eu deixei de amar, deixei de admirar, te reconheço doente, me importo, mas não posso ser sua muleta.
Quando o compromisso e a intimidade estavam presentes parecia tudo mais fácil de contornar, agora tudo parece pena, compaixão, não pareço superfofa ou mão-aberta, sou dependente, controladora e dominante. Sou a tua salvação e isso mexe demais com a minha cabeça.

Arcise Câmara
1 compartilhamento

Agora estou toda envaidecida

Não era uma crítica injusta, não era desamor, não era uma relação apaixonante, era respeito, era conversar sem ofensas, era destruir o ego das certezas, era imunização do coração.
Acabamos de atravessar a barreira do divórcio, um ponto final tranquilo, um morrer estando vivo, mas com a alegria de uma relação saudável, os laços que criamos não dissolverão.
Ainda prestamos atenção às necessidades dos outros, oferecemos o melhor de nós, fomos aceitos e amados na decisão de não mais querer, desejo-lhe novo amor, emprego e sucesso.
Com o passar do tempo, desejo-lhe segurança, para não deixar escapar aquele lado que ninguém aprecia, desejo também que sempre podemos ficar a vontade um com o outro.
Certa tensão sempre haverá, mas os ajustes devem ser constantes, a parceria deve ser pra toda a vida, relação e crescimento estão interligados no ponto de equilíbrio, é preciso apenas descobrir.
Sempre exerci meu poder sobre ele, mas como insegurança do que amor, eu deixava o outro em permanente dúvida sobre o vínculo assumido ora eu queria, ora não queria dar continuidade ao relacionamento.
Tudo era passagem, se não desse certo estava tudo bem para mim, o passado nunca me incomodou, incitar ciúmes nunca foi minha praia, nossa reação emocional e comportamental até que era razoável.
Quando quero corro atrás, nas relações de trabalho não é muito diferente, minha alma tem desconforto do que sai da linha, meu desempenho é exigente, não prego que não faço, não me comparo aos outros, enfatizo que tenho falhas, o mundo é mais lindo longe de mim.
O coração e suas razões desconhecidas, mas posso me vangloriar que a parte da relação que deu certo foi à maturidade do término. Ninguém querendo estar certo ou com ódio mortal de quem um dia muito se amou.

Arcise Câmara
1 compartilhamento

Acho que quase todo mundo já teve uma amiga traíra, aquela própria onça, também amiga da onça, mas como não sou rancorosa...
A vida não pode ser encarada apenas por esse prisma e que nada de achar que a amiga te traiu merecidamente, mas é que as revelações dos acontecimentos fez você conhecer aquela falsa amiga que você confiava tanto. Então, caracterizo como puro aprendizado. Em todas as situações preferi ficar quieta e me afastar, evitei a discussão, a desarmonia. Me afastei de certo modo de um mundo pleno de futilidades. Liguei meu botãozinho no modus vivendi e continuei minha caminhada sem aquela amizade. Depois de tempos e anos você percebe que aquela amizade jamais se encaixaria porque no mínimo seus valores são diferentes e suas prioridades mais ainda, vocês apenas morgavam uma conversa sem pé nem cabeça, um blá blá blá de qualquer ordem. Uma mulher linda, desejável e inteligente não precisava competir com você. Eu tenho alma romântica e é penoso ter esse tipo de alma porque você idealiza sempre o melhor e o mais lindo, o mais perfeito possível e até em relações de amizade você precisa sentir a intensidade de borboletas no estômago. Depois de tantos tombos fiquei cansada, desiludida, dura e fria, não discuti, não argumentei, não disse nada (fuja dessa característica), apenas me afastei porque a vida é uma troca, você salva meus dias e eu salvo o seu. Hoje fico pensando que foi melhor assim apesar de tudo.

Arcise Câmara
2 compartilhamentos
Tags: amiga traira

Não Maltrate os Animais
Sabe uma coisa que me comove, me tira do sério e me entristece é gente que maltrata os animais. Meu São Lázaro e São Francisco, pelo amor dos céus, o que tá havendo com os seres humanos, o que tá havendo com pessoas que batem nos animais, maltratam, deixam morrer. Animais para muitas pessoas são seres descartáveis, são seres que cuidam do seu lar, te apoiam, te protegem, mas esses animaizinhos não podem adoecer, não podem sentir dores ou passar mal. Seus donos não estão dispostos a gastar 1 real por sua saúde, seus donos às vezes os abandonam assim como quem abandona um brinquedo quebrado. Fico horrorizada com a capacidade do ser humano de jogar fora o que não lhe convém. descartar o que não lhe serve. Amar quando o outro de agrada, te serve, te protege é facílimo! Amar quando o outro tá mal, precisando de você, retribuir o amor da forma mais humana possível é mais difícil para alguns seres humanos. Acredito que essas pessoas são egoístas ao ponto de só pensarem no próprio umbigo, acredito também que quem maltrata animal, maltrata gente, maltrata planta, maltrata o planeta, maltrata a vida, maltrata o mundo. E lamentavelmente é um INFELIZ.

Arcise Câmara
1 compartilhamento

O que mais leio no Whatsapp: demorou para responder. Ah amores, acostumem-se não levo celular para o almoço, nem para dormir, muito menos para o banheiro, ah e não vivo em função dele. Meu celular não é carente!

Arcise Câmara
1 compartilhamento

Enfrentando algumas decepções

A minha história é complexa, quer ouvir? Primeiro tenho que começar falando que mesmo com tudo que aconteceu estou disposta a conhecer homens que valham a pena quando a oportunidade se apresentar.
Sei que é uma meta muito ousada para quem sofreu horrores ou para quem amou sozinha, sei também que não havia nenhuma cura mágica, inteligente ou elegante. Quanto mais gostava dele, mas facilmente me magoava com suas atitudes.
Dei um passo atrás e me tornei observadora da própria vida, caramba que cansativo, que vida chata, como alguém consegue viver tão egoisticamente? O mais engraçado é que parecíamos estar emocionalmente próximos, mas éramos dois infelizes.
Puxa a cadeira que tem uma quantidade excessiva de informações para te contar, eu sei que todo relacionamento representa uma grande oportunidade de aprendizado, que tudo que acontece tem um motivo, mas tudo era tão comum.
Eu não quero mais ouvir que é da natureza dos homens trair, eu não quero ouvir que mulheres refinadas fingem que não sabem do caso amoroso do amado, eu não quero ouvir que bom gosto não se discute e que ele só está se divertindo.
Não vejo você feliz, não acho as conselheiras amorosas felizes no que dizem, muito menos no que vivem. A vida é difícil e nem tudo é como queremos, mas respeito não cabe em qualquer lugar? Ou estou errada?
Meu coração não é de pedra, não tenho habilidade em discutir, mesmo que eu tente explicar ele não quis ouvir, a culpa era minha. Vê se pode? A distancia aumentou e a intimidade chegou no grau zero, fui desapegando desse amor romântico.
O meu ex se chocou ao ver que eu sobrevivi e estou até mais bonita e mais feliz, o casamento simplesmente acabou por falta de manutenção, eu me sentia insegura e rejeitada e esse foi o motivo do fim. Posar de feliz sem ser fere todas as minhas expectativas novelísticas.
Eu aceitei que poderia não amá-lo mais e o meu coração foi generoso em olhar para outros campos emocionais não menos importantes. Em geral o narcisista e egocêntrico do meu ex não se preocupou nem um pouco com a maneira como o comportamento dele me afetava até que um dia deixou de afetar.

Arcise Câmara
1 compartilhamento
Tags: enfrentando algumas