O meu nome era um veneno pra ele A raiva... Arcise Câmara

O meu nome era um veneno pra ele

A raiva parece que tinha vindo de toda criação, eu não era generosa e isso causava impactos em nós eu me sentia a sobra dos restos. Ao longo dessa fase tumultuada, dormia mal, muito mal,
Resisti a tentação e não corri para os seus braços, eu tive bom senso, nos tornemos amigos, houve um forte impacto sobre os sentimentos, apesar de tentar provar que não tive culpa, a pessoa só acredita no que quer.
Tenho um excelente olho para a nobreza de espírito do homem, mas não era o caso, na minha memória tem cenas tão dolorosas que pretendo esquecer, desejei a morte, a minha morte como arma poderosa para fugir das humilhações.
Mantinha o sorriso esperançoso e falso, sei lá, meu coração achava que isso ia mudar, minha cabeça tinha certeza que não, estava procurando um relacionamento parecido com alguns que eu acompanhava de perto e que pareciam bem felizes.
A Intuição diagnosticadora das coisas ruins sempre funcionou, raramente deixo de perceber o que diz respeito aos relacionamentos humanos, inclusive aos meus, o problema é achar que o outro vai se transformar.
Por mais ridículo que pareça, tem que existir uma inteligência separada e inconsciente, ter certeza que as coisas vão melhorar não é a certeza da vida, vivia agitada e não havia muito o que fazer.
Novas fronteiras foi questão de tempo, comecei a reprovar suas sutis palavras, comecei o odiar sua mudança de humor, nada era sereno em sua companhia, teria que extrair da mente que nada daquilo funcionava.
Fico espantada pela riqueza de detalhes, escrevendo e pensando na vida, raramente me envolvo em conversas prolongadas, acho um saco as besteiras de WhatsApp, seis vezes saí da toca e seis vezes fui traída, a liberdade que eu dou não é bem administrada pelo outro.
Tenho uma tríade de perguntas honestas de como encarar a morte, as escolhas que florescem no clarão da verdade de que foi a melhor coisa a fazer, as coisas a dizer que guardei para a morte.

1 compartilhamento
Inserida por Arcise