Poemas da Seca do Nordeste

Cerca de 196 poemas da Seca do Nordeste

Galho seco.

A coisa está séria
não tem um atalho
sem água a matéria
resseca no galho
tem muita miséria
pra pouco trabalho.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Até na seca Deus sabe desenhar... saudades desse lugar.
Nascido no mato, criado no concreto.... na simplicidade eu me encontro.
Há quem diga que não vive sem o luxo... no final de tudo todos estaremos mortos, cansados por correr atrás de coisas que não eram eternas...

Júnior João

Ir e vir.

O nordestino vai embora
com medo da solidão
da seca que lhe devora
que maltrata a plantação
expulsa... bota pra fora
mas ele não vê a hora
de voltar para o sertão.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

A terra seca
O vento que não sopra
os pássaros que não cantam
o sol que estremece as árvores;
Secas.
Maria na janela.
o sol queimando o vento
o vento que não sopra
o sol queimando Maria na janela
o bem-te-vi que não canta
Soalheira e silencio
Ar morto e viscoso
o céu sem nuvens
janela sem Maria
Um fim de janeiro, nos confins do sertão.

Leônis da Silva
Inserida por onne

Esperança.

É assim a nossa vida
como viver numa balança
num dia a seca é contida
no outro a seca avança
mas o que falta de comida
está sobrando de esperança.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

NORDESTINO

Já fugi da terra batida e seca, como meu parceiro, o alasão;
Fui para outros campos pra buscar melhor condição;
Era triste a miséria naquele tempo de aflição, só pedia a DEUS todo dia " Óh! Senhor tem compaixão".

Hoje aqui não deixo mais, EU voltei ao meu SER-TÃO,

Paulenriq Leitão
Inserida por Paulenriq

"Serra seca,
Serra molhada,
Serra avistada, pelo coração do cangaço.
Serra trabalhada, no suor do mormaço.
Serra inquieta, com suas terras pulsantes.
Aguardando a chegada da água da vida.
Oh serra querida, calmamente espera.
Seu ciclo de vida!" - Adriana Assali

💜💙💜

Adriana Andreza Assali
Inserida por raiodeluzsp

Renascer verde.

Quando o meu Senhor ordena
que a chuva caia em cima
dessa seca que condena
o sertanejo se anima
quando o verde entra em cena
se transforma em obra prima.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Segue a vida!!!

A terra as vezes crua
sem água no vilarejo
a seca ainda continua
sem vencer nosso desejo
e toda origem se perpetua
na vida do sertanejo.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Lamento Sertanejo...


Uma canção
Para se ouvir silente
Sem entender o que sente
Essa gente sofrida e vivente
Sobre o solo rachado... seco
Hora, entre a sede e a fome
Outra, entre a fome e a sede
Sertanejo de bravo coração
Aguerrido na lida do roçado
Que fiel e crente, suplica em cantiga
Que a chuva lave a caatinga

Múcio Bruck
Inserida por mucio_bruck

Caminho.

Água pouca quase nada
chão rachado vida dura
caminho seco pela estrada
segue o sonho que perdura
de ficar na terra amada
e viver da agricultura.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Chão seco!

A você peço licença
para abrir meu coração
te falar da dor imensa
de ver seco meu sertão
mesmo a tanta desavença
a cabeça ainda pensa
em lutar por esse chão.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Minha vida!

O trabalho começa cedo
enxada, semente e chão
calo seco em cada dedo
são as marcas do sertão
todo ano o mesmo enredo
a seca metendo medo
e Jesus dando a proteção.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Porteira!

Por trás dessa porteira
eu só tinha felicidade
mas a seca traiçoeira
me mandou para cidade
do meu gado na cocheira
e da minha gente ordeira
me restou só a saudade.

Guibson Medeiros

Alegria.


Que a seca não estrague
o plantio do meu terreiro
que a luz não se apague
nem no último candeeiro
porque não há o que pague
um sorriso verdadeiro.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Terra forte.

Da terra que me sustenta
da flor da palma a flor de lis
da seca que me arrebenta
da chuva que me faz feliz
da raiz que me alimenta
o meu nordeste representa
a parte forte deste país.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Sua permissão!

A seca maltrata a cria
tange a gente pro sudeste
a chuva é quem alivia
o que o sertanejo investe
só peço a Deus todo dia
que não me tira a alegria
de viver no meu nordeste.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Ser nordestino!

Faz pena a gente sofrer
por aqui a seca existe
sem ver a planta nascer
o sertanejo segue triste
mas não se deixa abater
nordestino é aquele ser
que morre mas não desiste.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Lastro da seca.

Quando a seca ameaça
estragar minha plantação
deixa o gado na carcaça
e o rachado lastra o chão
não é coisa que se faça
rogo a Deus por sua graça
que proteja o meu sertão.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Tinta verde.

Que a seca faminta
não tire o que veste
do couro e da sinta
do pouco que reste
antes que seja extinta
o verde da tinta
que pinta o nordeste.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM