Poemas da Seca do Nordeste

Cerca de 196 poemas da Seca do Nordeste

Oração de fé

.Fiz aqui minha oração
pra Jesus Nosso Senhor
pra que a seca no sertão
não tire o verde da cor
e que a planta deste chão
brote a flor em cada grão
para o bem do produtor.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Fonte.

Que a seca não amedronte
os viventes do sertão
que a chuva não aponte
para outra direção
a esperança é a ponte
que abastece toda fonte
que alimenta o coração.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Destino sertão!

A seca quando arrocha
não nasce nada no chão
o vento parece tocha
devastando a plantação
a terra vira uma rocha
e a tristeza desabrocha
nas entranhas do sertão!

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Busca!

No sertão a seca avança
expulsando nossa gente
não tem leite pra criança
falta o pão e o café quente
deixa na terra a lembrança
vai pro sul com a esperança
de uma vida mais decente.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Minha sorte!

Terra seca e rachada
não tem quase nada
que alimente o sertão
é a sorte que vaga
sem ter quem lhe traga
um pedaço de pão!

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Chão rachado.

Não tenho armas pra guerra
a seca domina o sertão
a semente que se enterra
não germina neste chão
foi-se o verde lá da serra
e mais rachado que a terra
só mesmo meu coração

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

A dor da seca.

Sinto a seca do sertão
em cada palmo deste leito
que não brota nesse chão
a semente do respeito
sinto a fome e a solidão
sinto a dor de cada irmão
queimar dentro do meu peito.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Não dá mais.

Vou embora do sertão
a sorte não quer mudar
a seca maltrata o chão
não deixa a planta brotar
peço a Deus em oração
que proteja cada irmão
que sofre nesse lugar.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Chuva na bica!

A seca aqui é traiçoeira
no sertão tem mais calor
falta água na torneira
ligada só sai vapor
a chuva quando ela queira
caia em cima da biqueira
e abasteça meu tambor.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

A última fé!

Pelo sertão brasileiro
é seca a perder de vista
completa mais um janeiro
e nada aqui se conquista
só Deus do amor verdadeiro
é quem dá força ao vaqueiro
pra que ele nunca desista.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

No sertão.

Isso é vida de sertão
aqui a seca é massacrante
onde a dor de cada irmão
mina os traços no semblante
quando hoje tem um pão
amanhã ninguém garante.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

VIDA DE SERTÃO!

Não tem seca braba que me espante
não tem nada que me tire do sertão
sou a raiz mais profunda desse chão
sou a voz do vaqueiro e do berrante
não nasci pra ser mais um retirante
nem fingir uma dor que não se sente
nordestino tem o dom de ser valente
e de lutar pela vida em seu direito
não se rende ao mal do preconceito
e só se curva ao plantar uma semente.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Cuscuz da Graça!

A seca ainda mete medo
no sertão de pouca luz
esse aqui é nosso enredo
só com a graça de Jesus
mesmo nesse alvoredo
permite de manhã cedo
ter um prato de cuscuz.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

FIBRA!

No sertão a terra racha
o grau aqui passa de cem
e a seca ainda despacha
os nordestinos de bem
passa fome se esculacha
mas não tira uma bolacha
do balaio de ninguém.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

IDA DE LÁ.

A seca assola o sertão
a tempo a chuva não cai
sem verde na plantação
o nordestino se vai
leva na mala o gibão
mas dentro do coração
a esperança é quem vai.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

“Os problemas do sertão todos nós já estamos acostumados a enfrentar, já não nos assustam mais. O que mais dói é perceber que esses problemas ainda persistem, se renovam e se fortalecem, mesmo com a modernidade de nossos tempos atuais...”

Leandro Flores

Recompensa Divina

Da pior seca dos últimos tempos
Ao período que mais choveu...
Com Deus não há tempo ruim
Não desampara quem Dele careceu

O pasto está crescendo
O gado engordando
A barragem sangrando
E o povo agradecendo

Graças a Deus,
É a chuva que chega ao sertão
Para fazer de 2013
Um ano de muita recordação

Leandro Flores

Guerreiros

A poeira que levanta da terra amarga,
tão seca quanto as árvores retorcidas que alí vivem.
As nuvens vazias que atraem a esperança.
As lágrimas que inundam os olhos tristes,
daqueles que na terra esperam ver a vida renascer.
A caminhada exaustiva na busca pela vida,
onde o sol não perdoa, castiga.
A fé que os rege e que os guia.
A força e a coragem que os faz seguir em frente.
O sorriso alegre que esconde as marcas da vida,
as marcas de quem lutou, de quem acreditou.
São marcas de guerreiros,
guerreiros nordestinos.

Jonald Nascimento
Inserida por Jonald

Sertanejo Guerreiro

Imensidão de terra, um punhado de coragem,
Terra seca, muito sol,
Terra árida regada pelo suor do trabalhador,
Calor que seca a esperança,
E faz brotar água nos olhos daqueles que vivem no Sertão,
Não falta coragem,
Porém sobra tristeza para aqueles que ali nasceram.
Vivem buscando maneiras de encontrar razões para ali ficar
Coração cheio de incertezas do futuro, mas que não deixa de sonhar
Maneira guerreira de levar a vida
Sertanejo, deixa no chão passos pesados, cansados
Marcados pela rotina de sofrer
Povo esquecido, sem direito, sem chão.
Maneira guerreira de lutar pela vida
Carrega calos nas mãos, buscando na terra seca um punhado de ilusão.
Calor que seca a esperança
Que endurece o coração de quem ama o sertão!

Tatiane Elis
Inserida por tatianeelis

A verdade é que somos retirantes em pleno século XXI. Fugindo dos mesmos problemas, convivendo com as mesmas situações, alimentando os mesmos ideais de sempre, sem nunca resolver o que realmente precisa no sertão: a fome educacional.

Leandro Flores