Poemas da Seca do Nordeste

Cerca de 196 poemas da Seca do Nordeste

Minha luta.

Aqui mesmo que eu nasci
onde a seca cobre a serra
dos momentos que sofri
não perdi a fé na terra
e nessa luta eu aprendi
a chorar... depois sorrir
sem ter medo dessa guerra.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Vem chuva.

É sol quente todo dia
a seca está castigando
a planta sem alegria
e a terra se ressecando
a chuva bem que podia
vir aqui de vez em quando.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

A sina.

Aqui é de sol a lua
a terra chega evapora
que a seca não destrua
o pouco que se aflora
se estiagem continua
o sertanejo olha pra rua
lamenta mas vai embora.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Feridas da seca!

Essa terra é meu suporte
essa escolha foi Divina
todo nordestino é forte
mas é triste a sua sina
e a seca é o passaporte
que faz a lâmina do corte
ferir a alma nordestina.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Orgulho de ser nordestino!

Esse orgulho que carrego
eu jamais vou dividir
a seca me deixou cego
na maior dor que senti
é duro mas não entrego
e uma coisa que não nego
é a terra onde eu nasci.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Destino!

A seca é um desatino
que não perdoa ninguém
um chuvisco repentino
por essas bandas não vem
não maltrate o nordestino
os maus-tratos do destino
já faz isso muito bem.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Terra seca.

Que triste ver a manada
se perder na primavera
minha terra tão sagrada
se cansou de tanta espera
a comida é quase nada
mas a fome é uma fera.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

A seca de sempre.

Diz ser contra o sofrimento
dos seres irracionais
mas não faz um movimento
no centro das capitais
e a seca do nordeste
continua feito a peste
maltratando os animais.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Retirantes.

A esperança é o suporte
do sertanejo peregrino
onde à seca, não há sorte
que sustente o nordestino
sem temer o vão da morte
leva a vida a própria sorte
pelas vias do destino.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Retirantes da seca.

Não deve ser nada fácil
O homem chegar pra mulher
E falar arrume as coisas
Tudo que a gente tiver
Pois precisamos partir
Não dá pra ficar aqui
Seja lá o que Deus quiser.

E a pobre mulher chorando
sem saber pra onde vai
Ela não quer ir embora
Mas a chuva que não cai
E o sol tão causticante
Obriga-os a ser retirantes
Com dor no coração sai

É triste pra uma família
Ter que deixar o lugar
Onde está suas raízes
Onde formou o seu lar
Sem ter uma solução
Rasgando seu coração
Sem saber se vai voltar.

Terezinha Costa
Inserida por GVM

As vezes.

É assim a nossa vida
como viver numa balança
um dia a seca é contida
no outro a danada avança
as vezes temos comida
por outras só esperança.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Saudade.

A seca é quem mais devora
a planta que tu me deste
sem a água que se evapora
o nordestino não investe
deixa a terra onde mora
fica triste, sofre e chora
com saudade do nordeste.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Fico!

Eu não quero ir embora
a seca quer me expulsar
não tem vida que vigora
sem ter nada pra plantar
desse jeito a terra chora
e eu procuro uma escora
onde possa me sustentar.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Seca e honra.

A seca traz sofrimento
a chuva nem piedade
o verde se foi no vento
o gado deixou saudade
da vida sobra o lamento
de onde falta alimento
mas sobra dignidade.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Permissão!

Não me canso de esperar
a chuva que tanto chamo
na terra seca de rachar
quase não se vê um ramo
Deus permita ela chegar
que eu não precise deixar
o nordeste que tanto amo.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Ardor.

O sertanejo lamenta
por este chão sofredor
que a seca traz violenta
derrete o pasto em calor
sem ter o grão que alimenta
nenhuma terra sustenta
um talo ardendo de dor.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Abandono.

Já não suporto essa briga
e apareça quem conteste
enquanto a seca castiga
por aqui ninguém investe
não se vê uma mão amiga
e o governo pouco liga
pra quem vive no nordeste.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Dura vida do sertanejo.

A seca é um tormento
que assola a região
quem caminha no relento
não merece humilhação
quem não tem conhecimento
não entende o sofrimento
de quem vive no sertão.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Minha volta!

A seca me fez correr
me abrigar pelo sudeste
eu só tenho a agradecer
o trabalho que me deste
se a chuva não aparecer
nem que seja pra morrer
mas eu volto pro nordeste.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Fé.

A seca que arrebenta
não apaga meu desejo
o trabalho me sustenta
sem precisar de sobejo
a esperança nos alimenta
e Jesus é quem orienta
a família do sertanejo.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM