Poemas da Seca do Nordeste

Cerca de 196 poemas da Seca do Nordeste

O algoz nordestino.

O nordeste tem seu algoz
que faz esse povo sofrer
quem cala a nossa voz
não deixa a planta nascer
e se falta água na foz
a seca cresce feroz
se a chuva não aparecer.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Nordeste Chama.

Sei que você tem fama
de ter um chão sofredor
do sol que arde em chama
apagando o verde da cor
mas teu povo não reclama
meu nordeste quem te ama
reconhece o teu valor.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

O sertão tem algo que me encanta
e não é o sol
e não é a seca...
muito menos as cidades.

O que me encanta de verdade no sertão
são os sertanejos,
é o jeito deles,
aquele jeito simples de levar a vida.

Nilson Rutizat

A seca e o Nordestino

Ah! que saudade eu tenho
Do meu sertão quando chovia
Que enchia nossos rios
De uma noite para o dia
A fartura em nossas casas
Nesse tempo existia

Não faltava em nossos lares
Milho, arroz e feijão
Produzíamos ainda mais
O ouro branco do sertão
Ah!que saudade sentimos
Das safras de algodão

Por falta de sorte
Ou por desgraça talvez
Os nossos rios secaram
Todos de uma só vez
Nunca vi coisa igual
Nem tão grande estupidez

As nossas culturas morreram
Ou já não produzem mais
Já está faltando água
Até para os animais
Crianças choram com fome
A miséria é demais

O sol que nos castiga
Inclemente e brasador
Que queima a nossa pele
Que causa tanto calor
Mas não queima a esperança

Não mata nossa fé
No Cristo, o Salvador
Não queima do Nordestino
Sua honra, seu valor
Não vai destruir
Força, Esperança e Amor.

Ivanaldo Bernardo da Silva

Sertão de Sol
De seca, de melodia
Sertão de Lua
De chuva, de alegria
Sertão de rios correndo para o Mar
Sertão do meu coração:
- Sou Made in Parahyba!

Emiliano Pordeus
Inserida por emilianopordeus

Espera.

A seca é uma grande fera
que ataca e não se cansa
pelo sertão onde impera
exercendo sua liderança
o sertanejo se desespera
mas assim mesmo espera
a chuva como esperança.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Flor do sertão

Na terra seca
pouco profunda
No solo árido
sufocante
Onde tudo parece estar perdido
Acabado, destruído
Ela brota sua exuberância
Em tom de vermelho
Enfeita o chão sem cor
A flor do sertão
Brota pra gritar
com sua beleza singular
Que nós podemos
Assim como ela
Brotar
mesmo quando tudo
estiver morto
Nós podemos ser vida
Linda, ávida, colorida
Desprendida
linda vida.

Thiffany Macedo
Inserida por ThiffanyMacedo

RIO DO DESTINO

Pedaços de árvore seca
Tombada no sertão quente
No período da seca,
Arrastam-se, lentamente,

Nessas águas tão escuras
Do velho e cansado rio,
Que eu, repleto de amarguras,
Da sua margem espio!

Àquela árvore igual
Há muita gente, afinal,
À beira do desatino!

Pois se arrastam tantas vidas
Nessas águas poluídas
De um tal rio do destino!...

R.M. Cardoso
Inserida por RMCardoso

Valores.

Essa é a vida pacata
deste pobre brasileiro
de onde a seca maltrata
assola o sertão inteiro
no nordeste a fome mata
e os políticos na mamata
gastando nosso dinheiro.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Minha fé!

Na terra seca e aflita
que o sertanejo conduz
pelo sertão que habita
carrega um feixe de luz
no coração que palpita
do olhar de quem acredita
na fé que tem em Jesus.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

no sertão da paraíba onde a seca castiga onde o couro e duro e o coração mole onde o pouco que se tem e muito, onde todos tem fé e acredita que a chuva vai chegar trazendo com ela a fartura em abundancia
lá eles nunca perdem a fé acreditam no amanhã melhor que o hoje lá o povo e forte e enfrentam muitas batalhas
a batalha da sede da fome do saneamento básico mais nem uma delas e pior do que eles ver a terra que eles tanto amam arder a espera da chuva que tema em não chegar
Nesta angústia evoca sua fé e clama ao céu por misericórdia e enquanto a chuva não vei deixam suas casas e famílias e sai Brasil a fora em busca do pão retornando a cada estação acreditando que tudo vai mudar
povo forte de pele seca da cabeça com o formato chato dos baldes e moringa de água que tem que carregar
povo alegre que anda legas e legas de a pé pará dança o baião e o cachado, que tem habilidade com a faca que tem um gosto culinária peculiar, buchada leite de cabra carne seca farinha de mandioca e rapadura
povo alegre e triste povo que de tudo rir e de tudo chora artistas natos escritor humorista poeta cantor e prosador minhas homenagem são para vocês
que nosso pais e seus desentendes posa honra-los e admirá-los por tudo isso
povo da pele dura e coração mole.

maria nilce dos santos teixeira
1 compartilhamento

Maldita seca que racha o chão de meu querido sertão
Que afasta seus filhos
Dor tão doida de deixar a terra natal
Terra tão querida
Ao mesmo tempo tão árida
Árida como os rostos que vejo nas janelas
A olhar o céu...

Letícia Pessôa
Inserida por LeticiaPessoa

A seca no sertão.

A vida do sertanejo
É um misto de sonho e desejo em cada coração

Do berço a sepultura a ferida que amargura é a sua vida dura em cada palmilhar do dia no sertão

No nordeste brasileiro a vida do sertanejo é embalado pelo enredo de viver uma vida sem medo pela seca do sertão.

Sua fé em nosso senhor o faz suportar a seca e calor que lha traz morte e dor pela falta de água que lhe angustia a alma numa vida de horror.

Fernando Sylon Roy
Inserida por fernando_sylon_roy

Solidão no sertão!!!

No canto a velha sanfona
as esporas e o gibão
a seca é mesmo a dona
dessas terras do sertão
se o governo me abandona
a esperança diz que não!!!

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Meu sertão em seca

Em meados de outubro rosa
A seca "agunia" o sertão
A paisagem cinzenta domina
Os pássaros cantam, mas é um canto triste
O coaxar dos sapos não existe
Falta água, falta vida, falta alegria

Daniel Ricarte
Inserida por DanielRicarte

MAR!

Trecho da Peça: O Sertão Vai Vira Mar

Com o tempo, a quentura e a seca começaram a fazer parte do dia a dia de todos.
De tão quente e tão sem chuva, pouco a pouco as pessoas daquela cidade foram indo embora, deixando suas casas, suas histórias e seus animais!
Os animais!
Esses sentiram os efeitos da seca.
Poucos restaram naquele sertão.
Sofreram muito com a saída dos homens, mas tiveram que lidar com o que tinham.
Cada um, do seu jeito foi se preparando para o dia que o Sertão virasse Mar.
Isso mesmo, de acordo com as teorias da Senhora Asa Branca, um dia o Sertão viraria Mar e quem não preparasse o seu barquinho, não teria chance de sobreviver.
Ninguém nunca imaginaria que o grande problema de todos, a falta de agua, seria agora, justamente um novo problema, só que ao contrário, a pá virada virou de vez, e ia ser agua demais, agua pra encher as bacias, lagoas e até uma cidade!
Um mar!

Ronaldo Mendes Jr
Inserida por ronaldomendesjr

Sem armas.

Não temos armas pra guerra
a seca domina o sertão
não tem mais verde na serra
não tem mais planta no chão
mais rachado do que a terra
só mesmo o meu coração.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Vou embora para o sertão,
lá lutamos contra a seca e não contra nossos irmãos;
no sertão tem seca, luta e muita tribulação,
mas, sequidão por sequidão, acho que não perco a razão,
porque aqui a seca é no coração.

No sertão enfrentamos fome, desprezo e dificuldade,
aqui encaramos a hipocrisia que é um grande enfermidade,
tem matado a muitos que são amigos pela metade,
e antes que este mal me aflija, já que não quero esta enfermidade,
Vou embora pro sertão enquanto me resta sanidade.

Aqui temos transportes,
água e comida, e vivemos com comodidade,
já o povo sertanejo, sempre contando com a sorte,
nunca nega guarida, a aquele que necessita,
supera suas dificuldades e com muita humildade,
sempre nos felicita.

É comum pelo sertão, os mais velhos nos saudar,
dizendo: Deus te abençoe! para nos encorajar,
Aqui as pessoas vivem sem se importar,
E, se o sucesso você alcança,
vão tentar de derrubar.

A labuta do sertanejo, para trazer para casa o pão,
a espera pela chuva para fazer a plantação,
a resistência na seca sem de sua terra se ausentar,
a fidelidade pela cultura e o amor pelo lugar,
me tocam profundamente ..... e aqui quero esboçar,
que desejo ardentemente par o sertão me mudar.

Pr. Rhêmullo
Inserida por Araujo2013

O sertão nordestino

Povo trabalhador e guerreiro
Homens e mulheres de fibra e hospitaleiros
Lutam contra a seca e seguem seu destino
Assim, é o sertão do povo nordestino

O sol castiga essa terra seca desprovida
O agricultor espera a chuva prometida
O gado, quase sem forças, se mantém inteiro
Água por aqui vale mais que dinheiro

Quando chove no sertão é uma festa
Hora de pegar a enxada e suar a testa
Os olhos voltam a brilhar de emoção
É hora de arar o roçado com todo o coração

O gado volta a ter água para sobreviver
O roçado todo verdinho da gosto de se ver
Agradecem a Deus pela chuva aparecer
Trazendo alento a um povo cansado de sofrer

Ivanildo Sales
Inserida por ivanildo_sales

VIDA!

A vida pode ser injusta
com o povo do sertão
poucos sabem quanto custa
o suor de cada irmão
por aqui a seca assusta
o trabalho ainda não!

Guibson Medeiros
Inserida por GVM