Coleção pessoal de Moapoesias

181 - 200 do total de 597 pensamentos na coleção de Moapoesias

Quiz
Perfeito
E cheio de sensatez.
Realidade não aceita
Desmente o que fez.

Era perfeito,
Mas não condiz
Pouco eleito
Fora do quiz.

Moacir Luis Araldi

Não tiro o pé da estrada, nada mais monótono do que a paisagem parada.

Moacir Luis Araldi

Em mim
Em mim morrerão os amigos,
Os encantos da juventude
As tardes adultas de matinê
As nadadas nos açudes
As noites de chaminé.

Em mim morrerão os dias
Que antes eu nem percebia
Que poderiam falecer.

Em mim morrerão os que amo
Olhos que brilharam nos meus
A voz feminina da saudade
Os que de mim nasceram
Na plenitude da idade.

Em mim morrerá a lua
O mar azul de encantar
A inspiração não mais brotará.
E a poesia silenciará.

Em mim morrerá a rima
Os versos brancos das composições
De mim morrerá a poesia
E as mais lindas canções.

Em mim morrerá, enfim
O que sempre me cercou
Todos meus versos de amor
De um coração que me matou.

Moacir Luis Araldi

Viver é construir, dia a dia, o própria caminho para a morte.

Moacir Luis Araldi

Ao poeta a poesia,
Aos amantes o amor.

Moacir Luis Araldi

Super real
Não faço da poesia um drama
Nem da vida uma fantasia
Crie-me num ambiente sem fama
Onde herói não existia.

Caio sem receios no lugar comum
Sem criar nem dizer nada original
Não conheci super-herói nenhum
Cresci num mundo “super real”.

Lá o progresso não tinha chegado,
Lá os poderes eram falhos e normais
Tendo eles seus filhos bem criados,
Heróis de verdade eram nossos pais.

Negou-me, a vida, esta parte.
Talvez pondo outra em seu lugar,
Brinquei com minhas próprias artes
Heroísmo era poder se alimentar.

Moacir Luis Araldi

Noite fria
A noite prateada entrou gelada.
Só um zumbido do minuano,
Igualmente gélido se ouvia.

Tímida a lua parecia tremer
Ao ver nos vidros partículas de gelo,
E o fogo na lareira a crescer.

Pensei que tudo congelaria
De dentro vinha o frio que eu sentia,
Mas alma arrepiada me blinda,
Pois a noite, assim mesmo, é linda.

E no amanhecer avistei,
Em meio ao campo de branco lençol,
Um cavalo solitário
Parecendo feito de sol.

Moacir Luis Araldi

Futuro
Como será o amanhã?
Não sei.
Não entendo de futuros,
Observo, apenas.
Sem palavras se diz mais e
O silêncio é futuro que se faz.

Moacir Luis Araldi

“A nossa alma é tão generosa que ignora o que odiamos e vê só o que amamos”

Moacir Luis Araldi

Fico meio receoso quando vejo que algumas pessoas colocam a profissão antes do nome. Nunca sei se é um lapso, uma necessidade de afirmar-se ou exibicionismo simplesmente.

Moacir Luis Araldi

Não costumo abrir mão dos meus princípios, nem dos meios, nem dos fins. Nem sempre se pode transigir.

Moacir Luis Araldi

Escuro
A noite ocultou as ondas,
Sem silenciar meus ouvidos.
Doce embalos de ninar,
Doces ondas de amar.

Desenhei o paraíso
E nele me deitei,
Ouço a canção de sonhar,
Adormeço ouvindo o mar.

Moacir Luis Araldi

Te bendigo

Eu te bendigo
Porque há uma dor tua
Doendo em mim.

Bendigo ainda mais
Porque há uma luz dos teus
Iluminando os olhos meus.

Te bendigo, enfim,
Porque te abrigo
Dentro de mim.

Moacir Luis Araldi

Se tem algo que a vida não tem são portas automáticas.Cabe a nós vencê-las e abri-las.

Moacir Luis Araldi

Em qualquer ruído lírico escuto a voz de uma poesia.

Moacir Luis Araldi

Meu natal eternizado
Um fato, em especial, me faz ver está época do ano de forma muito especial.
Antes preciso dizer que nasci e me criei numa comunidade pobre do interior sem nenhuma infraestrutura, inclusive sem energia elétrica.
Não tínhamos, talvez por isso mesmo, árvores enfeitadas. Não escrevíamos cartas para o bom velhinho pedindo presente e, raramente a gente ganhava algum.
Mas teve um natal; deste que quero falar, em que minha mãe estava muito mal. Eu, na inocência de criança queria fazer alguma coisa por ela. Foi a primeira e única vez que fiz uma cartinha para papai Noel. Era curta e pedia apenas que ele salvasse mamãe, sem nenhuma referência aos anos sem presentes.
Na minha ingenuidade coloquei a escrita entre galhos alto de um pé enorme de pera para que ele a encontrasse facilmente.
Na manhã seguinte, acordei com uma chuva torrencial. Mesmo assim, de imediato fui lá ver e a carta não estava mais.
Nossa! Tive a maior certeza que ele havia vindo buscar a carta.
Fui tomado de cheio por uma enorme e, de certa forma, efêmera felicidade. Era a certeza que mamãe seria curada.
Na família, evidentemente havia uma preocupação grande. Lembro que estávamos em lados opostos do fogão a lenha eu e um dos meus irmãos. Fitei-o. estava triste, pensativo.... Esbocei um sorriso e ele retribuiu de forma muito contida e nada nos falamos.
Tive vontade de dizer para que não se preocupasse pois eu já tinha resolvido o problema da doença da mamãe com a minha cartinha.
Ilusão infantil.
Mas há lendas lindas das quais nunca devemos fugir enquanto a ilusão nos seja possível.

Mamãe faleceu dia 02 de janeiro.
Para a criança que eu era aquilo era um enorme castigo. Por algum tempo me revoltei com o velhinho de vermelho e barbas brancas.
Depois de adulto entendi que realmente fui atendido. Pois foi um presente de papai do céu ou de papai Noel, ter a doce e insubstituível presença de mamãe para nosso último natal juntos fisicamente.

Moacir Luis Araldi
1 compartilhamento

Natal dos imigrantes

É Natal...
O mundo comemora,
Data universal,
Famílias se abraçam
E oram,
Trocam presentes,
Imaginando me emociono...
E choro.

É Natal...
E eu não abraço meus filhos,
Não vejo a Árvore natalina da casa do meu apreço
Nem a enfeito, pois me sinto apenas um andarilho.
O Sino que ouço não é o do meu país.
As Guirlandas estão em portas que não conheço,
Minha Ceia é a solidão que eu nunca quis.

Alguns anjos me acolhem com voluntariedade
Nesta terra em que a estrela vida me largou
São Deuses grandiosos de generosidade,
Mas me faltam as tradições da terra que me gerou.

Natal não tem fronteira,
É o que se diz desde sempre
Mas até a língua é barreira
Com os de sangue todos ausentes.

Menos mal que a fé
Em qualquer lugar se sente
E crendo se tem sempre uma chaminé
E uma árvore de boas sementes,
Ano que vem se Deus quiser
Farei um Feliz Natal com Minha Gente.

Moacir Luis Araldi

Ser gentil
Às vezes é preciso fazer uma prova
Que não seja para nota.
Acender uma vela
Que não seja para agradecer.
Oferecer uma flor
Que não seja póstuma.
Esquecer a hora
Sem menosprezar o relógio.
Ás vezes é preciso usar a vida
Que não seja só para sobreviver.
Crer
Sem que seja só por temer.
Ser gentil
Em doses colossais,
Sem ser por obrigação.
Pois quem pratica a gentileza
Aquece a alma e conquista o coração.

Moacir Luis Araldi

Crescer
Meu ronco abandonou o caminhão
Que estacionou triste ....
Ficaram intactos os montes de areia,
As ervas cobriram as estradas.

Pena que ele não aprendeu crescer e
O tempo me transportou.

Abandonou-me o menino
E ele nunca mais andou.

Pobre caminhãozinho,
Eternizou-se parado
Na inocência de uma criança.

Moacir Luis Araldi
1 compartilhamento
Tags: caminhão crescer

Oração da poesia

Salve a poesia que à vida dá graça,
Conosco estejam seus encantamentos.
Bendita sóis entre todos os gêneros e
Bendito sejam os frutos dos seus versos.

Santa Cecília rogai por nós poetas
Abençoai as nossas inspirações
E protegei a todos os leitores
Amém.
(Respeitosamente construída com base na Oração da Ave Maria)

Moacir Luis Araldi
1 compartilhamento
Tags: oração poesia