Coleção pessoal de Moapoesias

1 - 20 do total de 591 pensamentos na coleção de Moapoesias

Eu sempre desejei viver numa destas casinhas sem número. Endereços que não parecem reais: Rua das Flores S/N.
Isso sim seria morar num poema.

Moacir Luis Araldi

Nestes dias em que a chuva umedece a rua e o céu escurece, observo a vida na minha cidade.
As luzes até ascendem brincando de anoitecer.
Com a chuva intensa sinto medo de temporais, enchentes, tragédias naturais...
Na juventude em dias de chuva a gente se divertia pisando descalços nos atoladores das ruas.
Era lindo acompanhar a emoção das crianças pisando no barro pela primeira vez.
Anoitece.
Agora há o espetáculo das luzes dos veículos refletindo nos pingos d’água.
É agradável adormecer ouvindo o ruído das goteiras, ou acalentando algum sonho no conforto da cama.
É gostosa a sensação de acordar durante a madrugada com frio e reforçamos as cobertas.
A noite passada eu sonhei.
No meu sonho todos compreendiam que os homens sobrevivem a tudo exceto a solidão das noites chuvosas.
A humanidade se abraçava num gesto de ternura jamais visto. A felicidade invadia cada coração e todos riam alegremente.
Ao amanhecer a realidade era outra, mas sonhar, ainda que seja utópico, é um exercício que acalma a alma das suas angústias.

Moacir Luis Araldi
1 compartilhamento

É Natal tomara
Que todos no mundo estejam felizes
Que as crianças curtam a lenda
Que os povos encontrem a paz
Que a família comemore com fé
Que as mesas se cubram de alimentos
Que os abraços sejam apertados
Que cada alma vibre com emoção
Que o Menino Jesus
Esteja presente no seu coração.

Moacir Luis Araldi

Se o poema fosse barco
A caneta seria o remo
A folha seria o mar
E a poesia...
Seria com é
Pois o poeta
Cria o cenário
Metafórico,
Imaginário
Como quiser.

Moacir Luis Araldi

O poeta é meu leal confidente
Por vezes soluçamos abraçados
Sabe o que sinto e se cala sabiamente
Sofremos juntos, vivemos entrelaçados.

Moacir Luis Araldi

Que seja assim: metade dela metade de mim.

Moacir Luis Araldi

É mais feliz quem vive sem máscara.

Moacir Luis Araldi

Formado pela vida
De tudo você sabia
Eu te admirava, mas
Na minha timidez não dizia.
Eu um menino
Tímido, quieto, aflito.
Por hábito deitavas cedo
Rezava alguns segundos
Solitário na viuvez
Nem do escuro tinhas medo
Ao redor do fogo eu via
A noite adormecer.
Eu era feliz meu pai,
Senão na plenitude
Se um vazio havia
Buscava em tuas virtudes
Forças para viver.
Nada é eterno
Vai verão, vem inverno
Coisas que a gente sabe
Mas tristeza às vezes cabe
Nas saudades que te trazem.
Nos vazios das minhas lidas
Nas madrugadas de ausências
E como ver a querência 
Abandonada e sem vida.
Quem dera Deus meu
Te ver abrindo a porteira
Descendo pela estrada
Para matear nas madrugas
Fazendo chiar a chaleira
Na casa outra vez alegre.
Na inocência do menino
Pai e filho sorrindo
Num mundo de felicidades.

Moacir Luis Araldi

Não mandarei no teu endereço
As rosas que trago na mão
sei onde você está
Entrego-as ao meu coração.

Moacir Luis Araldi

Alguém consegue imaginar um mundo sem poesias?

Moacir Luis Araldi

Conheço a tristeza depois que o trem passa
A incerteza e a dor
O choro no embarque entre promessas
E a saudade começando a gritar.

Moacir Luis Araldi

Que o peso nas asas não aborte nem um voo
Que medos nunca chamusquem amores
Que o toque dos lábios façam sorrir
Que o tédio não nos leve à morte
Que o desgaste do rosto não nos torne estranhos
Que nenhuma chegada se transforme em partida.

Moacir Luis Araldi

Há sempre um dia em que a água doce chega ao mar.

Moacir Luis Araldi

Não sei o lado certo
Com a mania que tenho,
De traz pra frente venho
Folhando de lá pra cá.

Moacir Luis Araldi

Tem a ilha querendo sair
O rio que entra no mar
A lua começando a surgir
E um beija-flor no pomar

Moacir Luis Araldi

Sou mais frágil que as demonstrações
Que deixo transparecer
Minha emoção transborda o universo
Em versos não sei dizer.

Moacir Luis Araldi

Faça da vida a sua vitória.
Aos vencedores são concedidas as glórias.

Moacir Luis Araldi

Deus fez a poesia mais nobre, dela faço poemas.

Moacir Luis Araldi

Que o valor que tenho não seja julgado pela aparência.
Que eu possa sempre dar a conhecer minha essência.
Pois meu primeiro verso tem alma de brisa,
E o segundo ainda mais me humaniza.

Moacir Luís Araldi

Dos corações que eu tinha
Quase todos foram embora
Restou-me apenas este
Que bate no peito agora.

Moacir Luis Araldi