Poesia sobre a Seca no Nordeste

Cerca de 146 poesia sobre a Seca no Nordeste

Espera!

Todo ano a mesma fera
que faz a terra padecer
no lugar que a seca impera
não tem nada pra nascer
já chegou a primavera
e o nordestino ainda espera
o mês da chuva acontecer.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Dura vida do sertanejo.

A seca é um tormento
que assola a região
quem caminha no relento
não merece humilhação
quem não tem conhecimento
não entende o sofrimento
de quem vive no sertão.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Minha volta!

A seca me fez correr
me abrigar pelo sudeste
eu só tenho a agradecer
o trabalho que me deste
se a chuva não aparecer
nem que seja pra morrer
mas eu volto pro nordeste.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Fé.

A seca que arrebenta
não apaga meu desejo
o trabalho me sustenta
sem precisar de sobejo
a esperança nos alimenta
e Jesus é quem orienta
a família do sertanejo.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Fé, esperança e trabalho.

A seca que arrebenta
não resseca meu desejo
o trabalho me sustenta
sem precisar de sobejo
a esperança me alimenta
e Jesus é quem orienta
a família do sertanejo.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Culpada seca!

A seca é um desatino
como foi pra Santo Onofre
tem gente do dedo fino
bulindo no nosso cofre
gastando sem ter destino
enquanto o povo nordestino
entre tantos também sofre.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Fuga da seca!

A seca a tanto tempo me maltrata
a cada dia a esperança morre mais
e a dor que matou meus ancestrais
se eu ficar nessa terra ela me mata
não sei porque a vida é tão ingrata
e amordaça a esperança desse jeito
se procuro outro lugar pra ter direito
sinto no peito o valor do nordestino
é a espada atravessada no destino
e a faca na mão do preconceito.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Chuva na bica!

A seca aqui é traiçoeira
no sertão tem mais calor
falta água na torneira
ligada só sai vapor
a chuva quando ela queira
caia em cima da biqueira
e abasteça meu tambor.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Sou nordestino.

Sou nordestino meu caro
aqui assino meu nome
conheço a seca e a fome
razão do meu desamparo
é fera que tanto encaro
com tantas que não aceito
mas sem mudar o conceito
vou lhe falar a verdade
eu lamento a desigualdade
e ignoro esse preconceito.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Saga.

A seca braba e atrevida
tange o nordestino a sorte
a honra quando é ferida
a alma é quem sente o corte
muitas vezes a dor da vida
fere mais que a dor da morte.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Tempo bom!

O tempo que estava ruim
hoje mudou de posição
a seca chegando ao fim
traz o verde da estação
e que Deus permita enfim
que a chuva prossiga assim
abençoando o meu sertão.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

AVENTURAR.

A seca ainda tortura
essa região carente
quem vive da agricultura
já não planta uma semente
sem dinheiro ou estrutura
o nordestino se aventura
em outra terra diferente.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

A seca aqui consome
o pouco que ainda tem
o pingo de água some
e os recursos nunca vem
não respeitam nosso nome
e o nordeste passa fome
sem ajuda de ninguém.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Cuscuz da Graça!

A seca ainda mete medo
no sertão de pouca luz
esse aqui é nosso enredo
só com a graça de Jesus
mesmo nesse alvoredo
permite de manhã cedo
ter um prato de cuscuz.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Lastro da seca.

Quando a seca ameaça
estragar minha plantação
deixa o gado na carcaça
e o rachado lastra o chão
não é coisa que se faça
rogo a Deus por sua graça
que proteja o meu sertão.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Ida!

A seca fere e maltrata
a vida do sertanejo
em cada rosto que vejo
existe um nó que desata
mas pouco a pouco se mata
a semente pura da flor
na transição do destino
se foi mais um nordestino
na longa estrada da dor.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Terra seca!

A seca é permanente
a chuva não aparece
esse povo não merece
viver assim tão dependente
quanta família carente
esperando um só trovão
como é seco o meu sertão
tão ferido nesta guerra
mas rachado que essa terra
só mesmo meu coração.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Sou daqui!

Aqui é o meu endereço
vou do começo ao fim
viver aqui não tem preço
mesmo na seca tão ruim
se estou aqui eu mereço
sou nordestino e agradeço
por Deus ter me feito assim.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Realidade!

A seca maltrata o chão
nessa dura realidade
peço a Deus em oração
a chuva da fertilidade
porque assim é o peão
quem nasceu para o sertão
não se cria na cidade.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Seca e a esperança!

A seca braba e severa
me tangeu do meu lugar
não tem flor na primavera
nem semente pra plantar
cansado de tanta espera
só digo meu Deus quem dera
que um dia eu possa voltar.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM