Poesia sobre a Seca no Nordeste

Cerca de 146 poesia sobre a Seca no Nordeste

Destino sertão!

A seca quando arrocha
não nasce nada no chão
o vento parece tocha
devastando a plantação
a terra vira uma rocha
e a tristeza desabrocha
nas entranhas do sertão!

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Minha sorte!

Terra seca e rachada
não tem quase nada
que alimente o sertão
é a sorte que vaga
sem ter quem lhe traga
um pedaço de pão!

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Destino!

A seca é um desatino
que não perdoa ninguém
um chuvisco repentino
por essas bandas não vem
não maltrate o nordestino
os maus-tratos do destino
já faz isso muito bem.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

A sina.

Aqui é de sol a lua
a terra chega evapora
que a seca não destrua
o pouco que se aflora
se estiagem continua
o sertanejo olha pra rua
lamenta mas vai embora.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Feridas da seca!

Essa terra é meu suporte
essa escolha foi Divina
todo nordestino é forte
mas é triste a sua sina
e a seca é o passaporte
que faz a lâmina do corte
ferir a alma nordestina.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Orgulho de ser nordestino!

Esse orgulho que carrego
eu jamais vou dividir
a seca me deixou cego
na maior dor que senti
é duro mas não entrego
e uma coisa que não nego
é a terra onde eu nasci.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Busca!

No sertão a seca avança
expulsando nossa gente
não tem leite pra criança
falta o pão e o café quente
deixa na terra a lembrança
vai pro sul com a esperança
de uma vida mais decente.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Sua permissão!

A seca maltrata a cria
tange a gente pro sudeste
a chuva é quem alivia
o que o sertanejo investe
só peço a Deus todo dia
que não me tira a alegria
de viver no meu nordeste.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Ser nordestino!

Faz pena a gente sofrer
por aqui a seca existe
sem ver a planta nascer
o sertanejo segue triste
mas não se deixa abater
nordestino é aquele ser
que morre mas não desiste.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Alegria.


Que a seca não estrague
o plantio do meu terreiro
que a luz não se apague
nem no último candeeiro
porque não há o que pague
um sorriso verdadeiro.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Dura vida!

Não maltrate o nordestino
que sofre desde menino
sem água para beber
é a seca que castiga
é o oco na barriga
e quase nada pra comer.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Nossa manhã.

Sua visita é bem vinda
aqui na nossa região
a seca maltrata ainda
mas já com moderação
e quando a noite se finda
a manhã nasce mais linda
nas cidades do sertão.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Viver na seca!

O nordestino tem fome
a sede mata também
a chuva aparece e some
vai muito mais do que vem
mas cada gole que tome
e o pouco que ainda come
divide pra mais de cem.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

A última fé!

Pelo sertão brasileiro
é seca a perder de vista
completa mais um janeiro
e nada aqui se conquista
só Deus do amor verdadeiro
é quem dá força ao vaqueiro
pra que ele nunca desista.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Infância seca!

a seca é o pior enredo
pelo destino que lança
a sede, a fome e o medo
segue o fio da esperança
e o menino sem brinquedo
vira homem logo cedo
mesmo sendo uma criança.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

No sertão.

Isso é vida de sertão
aqui a seca é massacrante
onde a dor de cada irmão
mina os traços no semblante
quando hoje tem um pão
amanhã ninguém garante.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Seca medonha!

Essa dor que a seca gera
faz nosso povo sofrer
cada dia mais severa
não permite o grão crescer
ai meu Deus... quem dera
que na próxima primavera
não falte água pra beber.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

Sustentação.

A seca traz sofrimento
acaba com nosso chão
a poeira sobe no vento
não nasce o trigo do pão
o sertanejo sem alimento
sai em busca do sustento
bem distante do sertão.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

A ida.

A seca está possuída
já não me deixa plantar
abre no peito uma ferida
que nem o tempo vai curar.
e a dor que é mais doída
é ter que trocar de vida
pra viver em outro lugar.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM

A volta.

Na seca ninguém investe
sem planta e sem animais
parti de rumo ao sudeste
onde eu trabalhei demais
hoje voltei pro nordeste
e não tem seca da peste
que me tire dos meus pais.

Guibson Medeiros
Inserida por GVM