Ah, a poesia! Sentimentos subjetivos, jogos de palavras, com ou sem rimas: é sempre uma delícia de ler! O Brasil tem uma larga tradição de poetas e poetisas para todos os gostos: da existencial, cheia de angústias da vida, passando pela lírica, onde a emoção fala mais alto, até a social, que trata das questões políticas e sociais que cercam a todos nós.

Se você já gosta, ou pelo menos tem interesse, em mergulhar um pouco na diversidade poética brasileira, abaixo estão alguns dos nomes impossíveis de ignorar. São poetas e poetisas que figuram nas listas dos mais conhecidos, mas também outros que, apesar de não tão famosos, contribuíram (ou ainda contribuem) para a multiplicidade poética brasileira. Divirta-se!

1. Cora Coralina

Simples, doce e marcante. Uma poetisa brasileira que só de olhar a foto a gente gosta, não é uma querida? Nascida em Goiás em 1988, Cora publicou seu primeiro livro apenas aos 75 anos de idade, mas ainda bem que deu tempo do Brasil reconhecer o seu talento em vida! Teve cinco livros de poesia publicados, recheados de histórias sobre o seu cotidiano simples em Goiás, sua profissão como doceira e outros temas.

ASSIM EU VEJO A VIDA

A vida tem duas faces:

Positiva e negativa

O passado foi duro

mas deixou o seu legado

Saber viver é a grande sabedoria

Que eu possa dignificar

Minha condição de mulher,

Aceitar suas limitações

E me fazer pedra de segurança

dos valores que vão desmoronando.

Nasci em tempos rudes

Aceitei contradições

lutas e pedras

como lições de vida

e delas me sirvo

Aprendi a viver.

Cora Coralina

grandes poetas brasileiros

Não é o poeta que cria a poesia, e sim a poesia que condiciona o poeta.

Cora Coralina

2. Carlos Drummond de Andrade

Um dos nomes mais célebres da poesia brasileira, o poeta, cronista e contista mineiro nasceu em 1902 e fez parte da segunda geração do modernismo brasileiro. Difícil alguém que nunca tenha se deparado com alguns versos dos mais de trinta livros de poesia publicados pelo autor: eles são preciosas pedras no meio do caminho da literatura brasileira (entende?).
 

QUADRILHA

João amava Teresa que amava Raimundo

que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili

que não amava ninguém.

João foi pra os Estados Unidos, Teresa para o convento,

Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,

Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes

que não tinha entrado na história.

Carlos Drummond de Andrade

grandes poetas brasileiros

Tenho apenas duas mãos

e o sentimento do mundo

Carlos Drummond de Andrade

3. Cecília Meireles

Nasceu um ano antes de Carlos Drummond (1901), também fez parte da segunda fase do modernismo no Brasil, e foi uma das primeiras poetisas realmente reconhecidas da literatura nacional. Sua poesia é delicada, íntima e marcada por caráter mais psicológico. Foram quarenta e cinco anos de poesia e os versos abaixo são apenas um gostinho da encantadora obra da autora:

RETRATO

Eu não tinha este rosto de hoje,

Assim calmo, assim triste, assim magro,

Nem estes olhos tão vazios,

Nem o lábio amargo.

Eu não tinha estas mãos sem força,

Tão paradas e frias e mortas;

Eu não tinha este coração

Que nem se mostra.

Eu não dei por esta mudança,

Tão simples, tão certa, tão fácil:

— Em que espelho ficou perdida

a minha face?

Cecília Meireles

grandes poetas brasileiros

Liberdade é uma palavra que o sonho humano alimenta, não há ninguém que explique e ninguém que não entenda.

Cecília Meireles

4. Machado de Assis

Praticamente dispensa apresentações, não é? Considerado por muitos o maior nome da literatura brasileira, Machado de Assis nasceu em 1839. Ele apenas fundou a Academia Brasileira de Letras, e, apesar de ser conhecido pelos seus romances, publicou nada menos que cinco coletâneas de poemas e sonetos. Um dos gênios da literatura reconhecido no mundo inteiro!

A UMA SENHORA QUE ME PEDIU VERSOS

Pensa em ti mesma, acharás

Melhor poesia,

Viveza, graça, alegria,

Doçura e paz.

Se já dei flores um dia,

Quando rapaz,

As que ora dou têm assaz

Melancolia.

Uma só das horas tuas

Valem um mês

Das almas já ressequidas.

Os sóis e as luas

Creio bem que Deus os fez

Para outras vidas.

Machado de Assis

grandes poetas brasileiros

Antes do poeta mostra-se o homem, antes do talento, o caráter.

Machado de Assis

5. Miriam Alves

Uma das poetas negras brasileiras que fez parte das publicações dos Cadernos Negros (1982-2011). Nasceu em 1952 em São Paulo e tem três livros de poesias publicados. Já foi traduzida para antologias americanas, alemãs e britânicas. E até hoje escreve a todo vapor!

CALAFRIO
O sorriso gela
a porta do paraíso prometido

A tarde cobre-se de frio
grita
esconde-se atrás dos
casacos
faz esculpir aquela saudade
do lugar
jamais percorrido.

Escorrem feito sorvete
as esperanças derretidas
no ardor do querer.

Miriam Alves

grandes poetas brasileiros

Escreverei com um corisco
o fogo das emoções
as verdades de hoje
para não serem
segredos de amanhã.

Miriam Alves

6. Vinícius de Moraes

O poeta dos versos cantados. Muitos poemas de Vinícius transformaram-se em belas músicas eternizadas pela Bossa Nova, estilo musical que ele ajudou a fundar. Nasceu em 1913 no Rio de Janeiro e sua obra tem tudo a ver com a cidade: boemia, amor, e as belezas naturais desse Brasil. Seus sonetos são conhecidos no mundo inteiro e sua forma de falar de amor já fez milhares de corações vibrarem. Quer ver?

SONETO DO AMOR TOTAL

Amo-te tanto, meu amor... não cante

O humano coração com mais verdade...

Amo-te como amigo e como amante

Numa sempre diversa realidade.

Amo-te afim, de um calmo amor prestante

E te amo além, presente na saudade.

Amo-te, enfim, com grande liberdade

Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente

De um amor sem mistério e sem virtude

Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim, muito e amiúde

É que um dia em teu corpo de repente

Hei de morrer de amar mais do que pude.

Vinícius de Moraes

grandes poetas brasileiros[

Com as lágrimas do tempo e a cal do meu dia eu fiz o cimento da minha poesia.

Vinícius de Moraes

7. Hilda Hilst

Enigmática, interessante, uma voz feminina indispensável para a literatura brasileira. Hilda Hilst nasceu no interior de São Paulo em 1930 e trabalhou por mais de cinquenta anos com poeta, dramaturga, ficcionista. Foram mais de vinte livros de poesia publicados com temas acerca da feminilidade, a inquietude do ser, o amor.  Um dos grande nomes da nossa poesia!

DESDE SEMPRE EM MIM

Contente. Contente do instante

Da ressurreição, das insônias heroicas

Contente da assombrada canção

Que no meu peito agora se entrelaça.

Sabes? O fogo iluminou a casa.

E sobre a claridade do capim

Um expandir-se de asa, um trinado

Uma garganta aguda, vitoriosa.

Desde sempre em mim. Desde

Sempre estiveste. Nas arcadas do Tempo

Nas ermas biografias, neste adro solar

No meu mudo momento

Desde sempre, amor, redescoberto em mim.

Hilda Hilst

grandes poetas brasileiros

Você nunca conhece realmente as pessoas. O ser humano é mesmo o mais imprevisível dos animais.

Hilda Hilst

8. Mario Quintana

Irmão de Cora Coralina no que diz respeito a escrever sobre coisas simples, Mario Quintana foi um poeta, tradutor e jornalista sem igual. Nasceu em 1906 no Rio Grande do Sul e passou boa parte da sua vida morando em hotéis. Ele era simples mesmo! Mais de vinte obras poéticas foram lançadas e o amor e natureza são dois dos temas que o autor mais gostava de retratar em seus versos. Era um passarinho desses encantadores que faz grande barulho.

EMERGÊNCIA

Quem faz um poema abre uma janela.

Respira, tu que estás numa cela

abafada,

esse ar que entra por ela.

Por isso é que os poemas têm ritmo —

para que possas profundamente respirar.

Quem faz um poema salva um afogado.

Mario Quintana

grandes poetas brasileiros

Todos esses que aí estão

Atravancando meu caminho,

Eles passarão…

Eu passarinho!

Mario Quintana

9. Clarice Lispector

Falar de Clarice é falar de sentimento, mas muito… Muito sentimento. Com certeza a poeta lírica esteve e continua na prateleiras de qualquer apaixonado por literatura. Nasceu na Ucrânia, em 1920, mas mudou-se para o Brasil aos dois anos de idade e se autodeclarava pernambucana. Além de grande romancista e contista, a autora também sabia muito bem como usar a poesia a favor de seus pensamentos.

Sou composta por urgências

minhas alegrias são intensas

minhas tristezas, absolutas.

Me entupo de ausências,

me esvazio de excessos.

Eu não caibo no estreito,

eu só vivo nos extremos.

Eu caminho, desequilibrada,

em cima de uma linha tênue

entre a lucidez e a loucura.

De ter amigos eu gosto

porque preciso de ajuda pra sentir,

embora quem se relacione comigo

saiba que é por conta-própria e auto-risco.

O que tenho de mais obscuro,

é o que me ilumina.

E a minha lucidez é que é perigosa …

Se eu pudesse me resumir,

diria que sou irremediável!

Clarice Lispector

grandes poetas brasileiros

Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato...

Ou toca, ou não toca.

Clarice Lispector

11. Solano Trindade  

Chamado o poeta do povo Solano Trindade nasceu em Pernambuco em 1908 e possui mais de cinquenta anos de produção poética e dois livros publicados. Falava de amor, das dores do povo e foi uma das principais vozes poéticas da literatura afro-brasileira. Em 1996, foi até tema de desfile de escola de samba. Uma raridade em forma de artista: não tão famoso, mas definitivamente merecedor de celebração.

GRAVATA COLORIDA

Quando eu tiver bastante pão

para meus filhos

para minha amada

pros meus amigos

e pros meus vizinhos

quando eu tiver

livros para ler

então eu comprarei

uma gravata colorida

larga

bonita

e darei um laço perfeito

e ficarei mostrando

a minha gravata colorida

a todos os que gostam

de gente engravatada...

Solano Trindade

grandes poetas brasileiros

Eu ia fazer um poema para você

mas me falaram das crueldades

nas colônias inglesas

e o poema não saiu

Solano Trindade

12. Conceição Evaristo

Um dos nomes mais falados quando se pensa em literatura afro-brasileira. Conceição Evaristo nasceu em 1946, mas foi apenas em 1990 que começou a publicar os seus escritos, através dos Cadernos Negros. A autora já venceu o Prêmio Jabuti de literatura e seus poemas tratam temas como a discriminação racial, de gênero e de classe.

MEIA LÁGRIMA

Não,

a água não me escorre

entre os dedos,

tenho as mãos em concha

e no côncavo de minhas palmas

meia gota me basta.

Das lágrimas em meus olhos secos,

basta o meio tom do soluço

para dizer o pranto inteiro.

Sei ainda ver com um só olho,

enquanto o outro,

o cisco cerceia

e da visão que me resta

vazo o invisível

e vejo as inesquecíveis sombras

dos que já se foram.

Da língua cortada,

digo tudo,

amasso o silencio

e no farfalhar do meio som

solto o grito do grito do grito

e encontro a fala anterior,

aquela que emudecida,

conservou a voz e os sentidos

nos labirintos da lembrança.

Conceição Evaristo

grandes poetas brasileiros

Gosto de dizer ainda que a escrita é para mim o movimento de dança-canto que o meu corpo não executou, é a senha pela qual eu acesso o mundo.

Conceição Evaristo

13. Paulo Leminski

Um poeta fora da caixa. Curitibano nascido em 1994, Leminski é o nome mais lembrado quando se fala em poesia marginal. Suas poesias são criatividade pura, jogos de palavras, recursos visuais de publicidade, trocadilhos, enfim: o autor foi um herdeiro da poesia concretista.

Sua obra poética conta com mais de quinze livros e é uma tarefa difícil selecionar apenas uma de suas poesias mais interessantes. Fizemos a tentativa, mas não deixe de procurar outras!

RAZÃO DE SER

Escrevo. E pronto.

Escrevo porque preciso,

preciso porque estou tonto.

Ninguém tem nada com isso.

Escrevo porque amanhece,

E as estrelas lá no céu

Lembram letras no papel,

Quando o poema me anoitece.

A aranha tece teias.

O peixe beija e morde o que vê.

Eu escrevo apenas.

Tem que ter por quê?

Paulo Leminski

grandes poetas brasileiros

não discuto

com o destino

o que pintar

eu assino

Paulo Leminski

14. Adélia Prado  

A poeta que coloca Deus em tudo. A fé cristã e o tema da mulher foram as principais bases dos versos da mineira Adélia Prado, nascida em 1935 e descoberta por nada menos que Drummond. Tem sete obras de poesia publicadas e outras tantas antologias e participações em obras.

FRATERNIDADE

Um dia

um padre que fazia milagres

deu sua bênção pro povo:

mulheres de cabacinha de ouro na orelha,

homens de camisa cor-de-rosa,

menino de todo jeito e de terninho.

Galho de funcho, arruda, manjericão,

cheiravam junto com o povo apertado no pátio.

Tudo ótico, olfático, escatológico.

A paciência de Deus sentou de pernas cruzadas

na platibanda da igreja. Com uma mão pitava,

com a outra segurava o joelho,

piscando um código pra Murilo Mendes

que rolava de rir.

Adélia Prado

grandes poetas brasileiros

Tudo que a memória amou já ficou eterno.

Adélia Prado

15. Manoel Bandeira  

Figurando na lista dos maiores ícones da literatura brasileira, o pernambucano nasceu em 1886 e publicou sua primeira obra de forma independente aos 31 anos. Seus versos falam de a paixão pela vida, a morte, o amor, a solidão e infância. Lúdicos, seus poemas marcaram a vida estudantil de muitos brasileiros, foram mais de quinze livros de poesia publicados.

O ANEL DE VIDRO

Aquele pequenino anel que tu me deste,

— Ai de mim — era vidro e logo se quebrou

Assim também o eterno amor que prometeste,

— Eterno! era bem pouco e cedo se acabou.

Frágil penhor que foi do amor que me tiveste,

Símbolo da afeição que o tempo aniquilou, —

Aquele pequenino anel que tu me deste,

— Ai de mim — era vidro e logo se quebrou

Não me turbou, porém, o despeito que investe

Gritando maldições contra aquilo que amou.

De ti conservo no peito a saudade celeste

Como também guardei o pó que me ficou

Daquele pequenino anel que tu me deste

Manuel Bandeira

grandes poetas brasileiros

Duas vezes se morre:

Primeiro na carne, depois no nome.

Os nomes, embora mais resistentes do que a carne,
rendem-se ao poder destruidor do tempo, como as lápides.

Manuel Bandeira 

16. Ana Maria Machado  

Mais de cem livros publicados, milhões de livros vendidos e atual ocupante da cadeira número um da Academia Brasileira de Letras. A carioca Ana Maria Machado é uma joia da literatura brasileira ainda em plena atividade. Apesar de ser muito conhecida por sua prosa e literatura infantil, é também uma poetisa incrível. Olha só:

Cabeça de palavras povoadas

Conversas de amplidão imaginada

Mas que leitura tanto poderia?

Cheiro salgado a entrar pelas narinas

E a dança leve de algas submarinas

Sal azul, movimento de água fria

O que se leu mostrava o infinito

Só não se imaginava tão bonito

Tão pleno de surpresas e imprevistos

Mesmo em tantas belezas celebradas

Por todas as palavras encantadas

Por mares nunca dantes entrevistos

Ana Maria Machado

grandes poetas brasileiros

Só se chega por acaso, pois é impossível encontrar o caminho sem se perder.

Ana Maria Machado

17. Ariano Suassuna

Valorizar a cultura nordestina e os movimentos populares foi o lema de Ariano Suassuna. Paraibano nascido em 1927, foi o tipo de escritor que todo mundo gosta e entende. Bem humorado, simples e inteligente, é o autor certo para você que tem interesse na cultura popular brasileira, principalmente do sertão. Entre os seus quase trinta livros publicados, sete são de poesia. Quem não lembra do Auto da Compadecida? Um pedacinho de sua mágica.

O MUNDO DO SERTÃO

Diante de mim, as malhas amarelas

do mundo, Onça castanha e destemida.

No campo rubro, a Asma azul da vida

à cruz do Azul, o Mal se desmantela.

Mas a Prata sem sol destas moedas

perturba a Cruz e as Rosas mal perdidas;

e a Marca negra esquerda inesquecida

corta a Prata das folhas e fivelas.

E enquanto o Fogo clama a Pedra rija,

que até o fim, serei desnorteado,

que até no Pardo o cego desespera,

o Cavalo castanho, na cornija,

tenha alçar-se, nas asas, ao Sagrado,

ladrando entre as Esfinges e a Pantera.

Ariano Suassuna

grandes poetas brasileiros

O otimista é um tolo. O pessimista, um chato. Bom mesmo é ser um realista esperançoso.

Ariano Suassuna

18. Elisa Lucinda  

Mais conhecida por suas novelas da Globo, pode-se dizer que a poesia é uma das maiores paixões de Elisa, nascida em 1958 no Espírito Santo. Começou a escrever poemas aos dez anos de idade e hoje já coleciona quase 20 obras publicadas e trabalhos na arte de narrar histórias. Até o jeito de falar de Lucinda é poético, outra joia da literatura brasileira ainda em plena atividade!

PENETRAÇÃO DO POEMA DAS SETE FACES

A Carlos Drummond de Andrade

Ele entrou em mim sem cerimônias

Meu amigo seu poema em mim se estabeleceu

Na primeira fala eu já falava como se fosse meu

O poema só existe quando pode ser do outro

Quando cabe na vida do outro

Sem serventia não há poesia não há poeta não há nada

Há apenas frases e desabafos pessoais

Me ouça, Carlos, choro toda vez que minha boca diz

A letra que eu sei que você escreveu com lágrimas

Te amo porque nunca nos vimos

E me impressiono com o estupendo conhecimento

Que temos um do outro

Carlos, me escuta

Você que dizem ter morrido

Me ressuscitou ontem à tarde

A mim a quem chamam viva

Meu coração volta a ser uma remington disposta

Aprendi outra vez com você

A ouvir o barulho das montanhas

A perceber o silêncio dos carros

Ontem decorei um poema seu

Em cinco minutos

Agora dorme, Carlos.

Elisa Lucinda

grandes poetas brasileiros

Mas que desagradável mania tem a humanidade de se tornar subitamente parecida com o amor da gente.

Elisa Lucinda

19. Alice Ruiz

Já ouviu falar dos haikais, aquela forma de poesia tipicamente japonesa? Alice é mestre nisso. Foi casada com Paulo Leminski, que a incentivou a mergulhar no mundo da poesia. Nasceu em 1946 em Curitiba, já publicou mais de vinte livros, e ganhou um Prêmio Jabuti. Se o seu estilo é poesia rápida, divertida e inteligente, achou a pessoa certa.

a gaveta da alegria

já está cheia

de ficar vazia

Alice Ruiz

grandes poetas brasileiros

Sou uma mulher polida vivendo uma vida lascada.

Alice Ruiz

20. Ferreira Gullar  

Contemporâneo, divertido, eclético. Gullar é considerado um dos maiores escritores brasileiros do século XX. Nomeado um imortal da Academia Brasileira de Letras, o escritor nascido no Maranhão em 1930 trabalhou de forma inovadora com poesia. São mais de vinte obras dedicadas à arte de versar.

TRADUZIR-SE

Uma parte de mim

é todo mundo:

outra parte é ninguém:

fundo sem fundo.

Uma parte de mim

é multidão:

outra parte estranheza

e solidão.

Uma parte de mim

pesa, pondera:

outra parte

delira.

Uma parte de mim

almoça e janta:

outra parte

se espanta.

Uma parte de mim

é permanente:

outra parte

se sabe de repente.

Uma parte de mim

é só vertigem:

outra parte,

linguagem.

Traduzir uma parte

na outra parte

— que é uma questão

de vida ou morte —

será arte?

Ferreira Gullar

grandes poetas brasileiros

A arte existe porque a vida não basta.

Ferreira Gullar

21. João Cabral de Melo Neto

Pernambucano nascido em 1920, foi o escritor que inaugurou uma nova forma de fazer poesia no Brasil. Considerado um dos mais importantes poetas da língua portuguesa por personalidades literárias de todo o mundo. Muitos dos versos deste autor são feitos para aguçar sensações. Sua capacidade incrível de arquitetar palavras e tornar os versos simétricos é uma das características mais lembradas do autor.

DIFÍCIL SER FUNCIONÁRIO

Difícil ser funcionário

Nesta segunda-feira.

Eu te telefono, Carlos

Pedindo conselho.

Não é lá fora o dia

Que me deixa assim,

Cinemas, avenidas,

E outros não-fazeres.

É a dor das coisas,

O luto desta mesa;

É o regimento proibindo

Assovios, versos, flores.

Eu nunca suspeitara

Tanta roupa preta;

Tão pouco essas palavras —

Funcionárias, sem amor.

Carlos, há uma máquina

Que nunca escreve cartas;

Há uma garrafa de tinta

Que nunca bebeu álcool.

E os arquivos, Carlos,

As caixas de papéis:

Túmulos para todos

Os tamanhos de meu corpo.

Não me sinto correto

De gravata de cor,

E na cabeça uma moça

Em forma de lembrança

Não encontro a palavra

Que diga a esses móveis.

Se os pudesse encarar…

Fazer seu nojo meu…

João Cabral de Melo Neto

grandes poetas brasileiros

Fazer poesia para o povo começaria por usar formas populares.

João Cabral de Melo Neto