Coleção pessoal de gnpoesia

21 - 40 do total de 362 pensamentos na coleção de gnpoesia

Uma estrela cintilava o mistério da fé,
Na estala nascia Jesus de Nazaré.

O natal faz renascer o sentido encantador,
de viver a vida na complacência do amor.

Os pequeninos e esquecidos se revestirão de beleza,
Em um denso e azulado véu de estrelas.

Feliz Natal

Geraldo Neto

E agora Campina que eu me dobre,
para pedir com meu verso pobre,
um pouco de clemência e de paixão.

Não destruas a minha mocidade,
matando meu ideal de liberdade,
e ceifando esta grande ilusão.

Sou candidato e é um grande sonho,
matá-lo é triste teto que medonho,
e um pesar mais triste e mais profundo,

Derrotado sairia em desatino,
criatura vagando sem destino,
uma alma perdida pelo mundo.

Dá-me Campina esta oportunidade,
de te servir com minha mocidade,
e de lutar com a minha rebeldia.

Eu te peço do amor sentindo açoite,
mais um pouco de luz para minha noite,
mais um pouco de sol para meu dia.

Ronaldo Cunha Lima

Ao seu lado conheci o sabor das coisas jamais experimentadas, coisas que só se degustava aos sábados a tarde, uma tarde sem fim, conversando sobre tudo e sobre todos, e, no silêncio de uma dose e de um olhar, estavas te admirando, desejando cada canto de seu corpo sem poder abraçar, somente estacionário ao seu lado já era o bastante para todas as carências de afetividade, e, no final de tudo, todos iam embora, só sobrava nós, eu e você, eu com meus desejos e minha ternura, e você, assim, tão sozinho, tão esquecido, bem assim, esse jeito de ser você...

Geraldo Neto

As estrelas piscam e brilham,
pequenas luzes distantes,
ilumina os meus instantes,
nos instantes que neblinam.

Essas luzes delirantes,
que no brilho da lua se homizia,
onde está os amores apaixonantes,
que desejei e que amei algum dia?

Perambulando no horizonte,
de leste a oeste,
a procura do acalanto,
onde o sol escurece e traz um novo dia.

Geraldo Neto

O sol desvairado ao meio dia,
iluminando o céu nebulento,
e a prece que no meu peito irradia,
é adoçar o meu lamento.

O fulgor que pulsa o coração,
enamora com o acaso em terno ardor,
e o que resta dessa ilusão,
é você, meu amor.

Geraldo Neto

Lampião em Uiraúna:


Uiraúna demonstrou sua força indiferente a sorte, a espingarda rezou na terra dos sacerdotes.

Geraldo Neto
Tags: poesia uiraúna

Quantas poesias lhe dediquei, quantas saudades encravadas no peito de onde se ver o sangue jorrar lentamente, quase imperceptível, que teu silêncio seja a minha oração e a minha absolvição em uma confissão sem fim.

Geraldo Neto

Que nos corações conservadores possa existir o humanismo para poder chamá-los de homens.

Que o ódio seja ponderado no calvário do bem.

Que não sejamos indiferentes ao aracati tardio de um crepúsculo sem estrelas.

Somos o "eu te amo" no leito das amantes. Um apátrida cantando hinos nacionais.

Declame o horizonte do Brasil sem ser poeta.

Geraldo Neto

As flores sem você outra vez, apequena a imensidão de um jardim na escuridão de uma madrugada, essa noite fria e calada estende manso itinerante de um amor sem dimensão e mais nada.

Geraldo Neto

Meu amor se foi, estava aprisionado nos calabouços de minhas ilusões, à deriva,abandonado, pois nas ruas e em cada esquina está meu coração pra quem quiser roubá-lo.

Geraldo Neto
Tags: coração poesia

que as flores não desabrochem em meu caixão, as flores que tanto desejei nas procelas, evitem as flores e o queixume sepulcral das velas...

Geraldo Neto

quando senti uma dor no peito, não pensei mais em mim, pensei em minha mãe, me senti perto do fim e ser mais um que passa, sem ainda poder fazer feliz quem realmente na vida devemos amar...

Geraldo Neto

recomeçar, dá um novo passo, ousado e sonhador, um coração saudável, pulsando apenas o bom do amor...

Geraldo Neto

E. de repente fiquei só, sem amigos, a culpa foi minha? sim, imaginei que não poderia ter mais do que aqueles amigos e de repente fiquei só, um estudante com seus sonhos, um pensador com suas ideias, um coração pensando em Deus.

Geraldo Neto

não merece compaixão as lágrimas que não rasgam o rosto e as que acalmam; as lágrimas do louvor da paixão são as que dilaceram a alma, rasgam nosso rosto e se acalmam...

Geraldo Neto
Tags: lágrimas poesias

asperamente terei, um apenas, enfim, talvez...

Geraldo Neto

... ah meu amor! deleito-me em sua voz poética e na palidez de sua vivência, hoje é mais só um dia que loucamente vou viver, no prazer incontido de sua entorpecente existência...

Geraldo Neto

... e pelos caminhos iluminados de sol, vê-se a noite de uma lua rodeada de estrelas e de amores disfarçados de aurora que adornam o amanhecer de um dia ensolarado que não anoitece... nesse amor adormecido cortejei meu único farol... lacrimejado das desoras que amei.

Geraldo Neto

O fim é o sereno de uma noite calada e abandonada; É o ontem que se torna o presente em um imaginário saudosista;

O fim são enamorados que perde o seu amor e que guarda na profundeza de seus corações.

O fim é também o amanhecer, onde as flores desabrocham e exalam um velho perfume conhecido;

São aves douradas que ganham o céu ensolarado sem saber onde chegar mas que voam, voam e voam.

Geraldo Neto

Amar é de uma magnitude inimaginável e de uma incumbência heroica.

O prazer e a felicidade são viés imponentes e o sofrimento inevitavelmente nos mostra que estamos amando.

Pois amar também implica em chorar.

Geraldo Neto