Textos Judáicos

Cerca de 23 textos Judáicos

O AMOR É MAIS FORTE

Um rabino Judeu (1525-1609) costuma dizer
que no mundo foram criadas dez coisas fortes.

A montanha é forte, mais o ferro pode derrubá-la.
O ferro é forte, mas o fogo pode derretê-lo.
O fogo é forte, mas a água pode apagá-lo.
A água é forte, mas a nuvem pode levá-la.
As nuvens são fortes, mas o vento as arrasta.
O vento é forte, mas o corpo humano resiste.
O corpo humano é forte, mas o medo pode fazê-lo tremer.
O medo é forte mas o vinho expulsa-o.
O vinho é forte, mas o sono vence-o.
A morte é mais forte que todas estas coisas.

Mas o AMOR, apenas o AMOR,
vence a morte e nos liberta dela.
Quem ama já passou da morte para a vida,
Vida plena e abundante.

Péricles dos Santos (CHOCOLATE)
71 compartilhamentos

Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu.
Como não sou judeu, não me incomodei.
No dia seguinte, vieram e levaram
meu outro vizinho que era comunista.
Como não sou comunista, não me incomodei.
No terceiro dia vieram
e levaram meu vizinho católico.
Como não sou católico, não me incomodei.
No quarto dia, vieram e me levaram;
já não havia mais ninguém para reclamar...

Martin Niemöller - 1933 - Símbolo da resistência aos nazistas.
3 compartilhamentos

Tem gente que adora julgar e condenar os pecados (erros / defeitos) dos outros, se passando por imaculado e incorruptível. Arrota santidade, finge ser o que não é, prega o que não faz, fala mais do diabo do que de Deus, confunde prosperidade espiritual com prosperidade material (e bençãos com bens), vê a desgraça alheia como castigo ou mover do inimigo e sua própria desgraça como provação, aplica a Lei nos outros e a Graça em si, diz que Jesus é o seu Senhor mas segue a Moisés, se sente "escolhido" porque fala bonito numa igreja mas escolhe lavar as mãos quando o mais próximo (ou alguém fora da igreja) precisa de sua ajuda, determina para si o direito de vitórias e aos outros o dever do lava-pés, faz selfies da caridade feita com o dinheiro dos outros, recorta versículos para se justificar, é gentio mas acredita ser judeu e chama de desviados os que estão fora da sua religião ou de criatura os que não possuem a mesma fé, fala do amor Ágape (mal sente o Filéo) mas é chegado mesmo no amor Eros, exige a terra prometida mas não aceita a travessia do deserto, e por fim, fala "que assim seja" desde que seja do seu jeito e não do jeito de Deus... O nome disso é hipocrisia. E de hipócritas a maioria das igrejas estão cheias, a começar por seus líderes que não vêem (ou fingem não ver) que os fariseus são eles mesmos!
Ir a igreja é fácil... Basta um terninho, um ou dois dias na semana e uma bíblia na mão. Difícil é ser a igreja, quando se está despido da armadura hebraica; quando a necessidade é ouvir e não falar, agir e não orar, prover e não profetizar...

Ket Antonio
14 compartilhamentos

Eu queria você
Nesse momento de solidão
Com uma lata de cana eu choro
E com duas eu peço perdão
Aqui nessa mesa de bar
Tomando uma caninha
E pra completar, meu amor
O tira gosto é charque e farinha
Gritando no seu portão
Já estou bebo cego
Pra falar dessa paixão
A minha vaca foi pro brejo
Quem é você
Que alimenta a minha paixão
E me deixa na ilusão
De ter você aqui comigo.

Judeu Master
Inserida por brenocarvalho

De um antigo conto judaico:

Uma vez um judeu rico e religioso, mas avarento, foi visitado por um rabi. O visitante, com todas as atenções, levou-o à janela. “Olhe lá para fora”, disse ele. O rico olhou para a rua. “Que vê?”, perguntou o rabi. “Vejo homens, mulheres e crianças”, respondeu o rico. De novo e muito atenciosamente, o rabi levou-o até junto dum espelho. “Amigo, o que vê agora?” “Agora vejo-me a mim mesmo”, respondeu o rico. “Tome nota”, disse o rabi, “na janela há vidro e no espelho vidro há também, mas o vidro do espelho é prateado”. Uma lição se aprende: logo que o homem junta prata, ele deixa de ver os outros para só ver a si mesmo.[1]

Uma história judaica muito antiga, mas que pode traduzir a realidade de muitas pessoas cristãs, que se fecham diante das necessidades de seus semelhantes. Esse problema vem de longe; desde o século I, ouvimos a seguinte advertência: “Se alguém possui riquezas neste mundo e vê o irmão passando necessidade, mas fecha o coração diante dele, como pode estar nele o amor de Deus?” (1Jo 3,17). Uma camada de prata pode nos levar ao fechamento, tornando-nos individualistas, distante de Deus, das pessoas e de nós mesmos. O conto judaico é antigo, mas muito atual!

Tradições judaicas
2 compartilhamentos

Escola da vida...

Muita escola não deves de ter para pôr a fotografia de um carpinteiro judeu de olhos verdes, cabelo louro e natural do oriente medio como avatar!!!
Depois queixamo-nos dos politicos e país que temos,enquanto o zé povinho ainda acreditar no pai natal, gambuzinos e bichos papões não vamos lá, só temos o que merecemos...

Curioso...se quisermos ver as atrocidades cometidas contra a lingua de Camões basta ler alguns comentários deixados por tarados religiosos.
A religião é inversamente proporcional á educacão e esse foro é mais uma prova!!!

*

ParmAmyKarmA
Inserida por ParmAmyKarmA

Jesus era judeu, nascido em Belém da Judéia, mas ele não receitou judaísmo a ninguém, porque religião não possui peso algum que possa redimir o homem de seus pecados. A Nicodemos, nobre judeu, doutor da Lei de Moisés, Jesus disse:"É necessário nascer de novo" (João 3; 3). Ou se é uma nova criatura e se é salvo, ou permanece o homem a imagem de Adão e será condenado. "Portanto quem está em Cristo, nova criatura é, as coisas velhas já passaram e eis que tudo fez-se novo". Não importa a religião, o que vale é ser nascido da Palavra de Deus e do Espírito Santo (João 5; 3 e Gálatas 6; 15).

Realmente JESUS nasceu judeus, mas não pregou religião, pregou sim, um novo nascimento, uma mudança no homem interior e exterior, uma nova forma de ver o mundo e viver no mundo. Por fim, a vida não se resume apenas nesta existência, o melhor está por vir...

Pr. Fabiano Malhano
Inserida por prfabianomalhano

Todo mundo é igual
O guri gordo e o magrinho,
A mulher rica e a pobrinha,
O judeu e o árabe,
A linda e a nenos bonitinha,
O inteligente e o mais burrinho,
O malvado e o bonzinho,
O educado e o nem tanto,
O católico e o protestante,
O atleta e o estudioso,
O preto e o branco,
O alto e o baixinho,
Todo mundo é igual
porque todo mundo solta pum, pum alto, pum baixo, pum fedorento, sem cheiro, silêncioso, barulhento, com rítmo musical, tipo metralhadora...
E o mais legal é que gente
é tudo igual!

Andre Saut
Inserida por andresaut

O povo judeu

Como as brincadeiras e piadas tem só repercussão naquele grupo que de fato marca para a evolução mundial tenho a obrigação de apresentar a vcs a filosofia do judaísmo que fez em muito um mundo melhor

Filosofia judaica vale a pena ler !!!

É uma história do pensamento judeu e não significa necessariamente filosofia no sentido grego, na idade antiga. Os filósofos ocidentais aparecem mais tarde, quando os judeus estavam espalhados pela Europa. Envolve desde a consolidação do judaísmo até a idade contemporânea.
Maimônides
Moisés Maimônides (em hebraico Moshe ben Maimon) (Córdoba, 30 de março de 1135 — Egito, 13 de dezembro de 1204) foi um filósofo, religioso, codificador rabínico e médico.Maimônides escreveu dez trabalhos de medicina em árabe e vários trabalhos de teor religioso, onde reflete sua visão filosófica sobre o judaísmo.

Escreveu a obra Guia dos Perplexos de Filosofia Aristotélica fundada na Torá. Este livro concilia Judaísmo com o uso da Razão. Como diversos judeus entusiasmados com a filosofia árabe-aristotélica desprezavam os conhecimentos bíblicos, Maimônides criou esta obra como princípio teológico, metafísico e moral.

Joseph Agassi
Joseph Agassi(Jerusalém, 7 de Maio de 1927) é um académico israelita com contribuições em lógica, método científico e em filosofia em geral. Foi professor de filosofia na London School of Economics, na Universidade de Hong Kong, na Universidade de Illinois e na Universidade de Boston, antes de Toronto e Tel-Aviv. Vive atualmente em Herzlia, em Israel.

Martin Buber
Martin Buber(Viena, 8 de Fevereiro de 1878 - Jerusalém, 13 de Junho de 1965) era filósofo,escritor e pedagogo, judeu de origem austríaca, e de inspiração sionista. Tinha educação poliglota: em casa aprendeu ídiche e alemão, na escola hebraico, francês e polonês. Sua formação universitária se deu em Viena.

Pinchas Lapide
Pinchas Lapide (28 de novembro de 1922 - 23 de outubro de 1997) Foi um teólogo e escritor judeu e historiador. Foi diplomata israelense de 1951 a 1969 e, neste período cônsul em Milão. Teve relevante papel no reconhecimento internacional do Estado de Israel. Publicou perto de 35 obras.

Yeshayahu Leibowitz
Yeshayahu Leibowitz (em hebraico: ישעיהו ליבוביץ‎, Riga, 18 de Agosto de 1903– Jerusalém, 29 de Janeiro de 1994), foi um filósofo e cientista israelita, famoso pelas suas opiniões diretas, e muitas vezes controversas, sobre judaísmo, ética, religião e a política e sociedade de Israel.
E com o tempo o povo judeu vem desenvolvendo ações socais tanto no Brasil quanto no mundo para a melhoria sócio econômica de toda a população mundial

Raimundo grossi
Inserida por Rai1945
1 compartilhamento

29.11.1947

Plano da ONU para a partilha da Palestina (1947)

Pouco depois do fim da Segunda Guerra Mundial, em maio de 1947, a ONU, a pedido do Reino Unido, criou o UNSCOP (Comissão Especial das Nações Unidas sobre a Palestina), para elaborar o plano de partição da área do Mandato Britânico da Palestina. O plano consistia na partição da banda ocidental do território em dois Estados - um judeu e outro árabe -, ficando as áreas de Jerusalém e Belém sob controle internacional. 53% do território seriam atribuídos aos 700 mil judeus, e 47% aos 1 milhão e 400 mil árabes sendo desses 900 mil que imigraram durante o inicio do século 20 e 500 mil viviam no local (antes desse acontecimento, judeus provenientes da Europa ocidental e do norte da África também já haviam imigrado a Palestina se juntando a outros poucos milhares de judeus que viviam historicamente ali , anteriormente a publicação dos Livros Brancos, e comprado 65% das terras daquela região, do antigo mandato Turco-Otomano, por isso essa proporção de terras). Em geral, a criação imediata de um lar nacional judeu, conforme fora prometido pela Declaração de Balfour e pela Liga das Nações, em 1922, era vista como uma forma de reparação pelo Holocausto. Em julho de 1947, forças britânicas interceptaram o navio posteriormente denominado "Êxodos 1947", que levava ilegalmente 4.500 refugiados judeus para a área do Mandato, violando as restrições à imigração judia, estabelecidas pelo chamado Livro Branco de 1939. A viagem fora custeada por um grupo de judeus americanos. O caso obteve grande repercussão na mídia, provocando comoção internacional e fortalecendo a posição das organizações sionistas, que lutavam pela criação de um Estado judeu. Assim, poucos meses depois, na sessão de 29 de Novembro de 1947 - presidida pelo brasileiro Oswaldo Aranha -, quando 56 dos 57 países membros se encontravam representados, 33 deles votaram favor do Plano, 13 votaram contra e 10 se abstiveram. Apenas a Tailândia esteve ausente. Os países da Liga Árabe (Egito, Síria, Líbano e Jordânia) manifestaram-se abertamente contrários à proposta e não reconheceram o novo Estado. A Agência Judaica aceitou a resolução, embora não ficasse satisfeita com solução proposta para várias questões, como as restrições à imigração judia da Europa e os limites territoriais do futuro estado judeus menores que os 65% adquiridos. Já os árabes palestinos, assim como os estados árabes, não aceitaram o Plano, pois consideraram que a proposta contrariava a Carta das Nações Unidas, segundo a qual cada povo tem o direito de decidir seu próprio destino, e declararam sua oposição a qualquer plano que propusesse a separação, segregação ou divisão do seu país ou que atribuísse direitos ou estatuto especiais e preferenciais a uma "minoria". Meses depois, em 14 de maio de 1948, poucas horas antes de se esgotar o mandato britânico e já em meio a uma guerra civil entre árabes e judeus, foi declarada a Independência do Estado de Israel, no dia 14 de maio de 1948. Os Estados árabes reagiram imediatamente, e os seus exércitos entraram na região para "varrer" o recém-estado do mapa. Começava a primeira guerra árabe-israelense.

blog de história
Inserida por OswaldoWendell
1 compartilhamento

29.11.1947 - votação do Plano da ONU para a partilha da
Palestina - início dos conflitos.

..., na sessão de 29 de Novembro de 1947 - presidida pelo brasileiro Oswaldo Aranha -, quando 56 dos 57 países membros se encontravam representados, 33 deles votaram favor do Plano, 13 votaram contra e 10 se abstiveram. Apenas a Tailândia esteve ausente. Os países da Liga Árabe (Egito, Síria, Líbano e Jordânia) manifestaram-se abertamente contrários à proposta e não reconheceram o novo Estado. A Agência Judaica aceitou a resolução, embora não ficasse satisfeita com solução proposta para várias questões, como as restrições à imigração judia da Europa e os limites territoriais do futuro estado judeus menores que os 65% adquiridos.

Oswaldo Wendell
Inserida por OswaldoWendell

Tradução livre das Orações Matutinas da Tradição Judaica:
"Abençoado sede Vós, Senhor nosso Deus, Rei do universo, que formou o homem à Sua semelhança e criou dentro dele orifícios e orifícios e espaços e espaços.
É revelado e conhecido diante de Seu glorioso poder que, se apenas um deles estivesse fechado quando devesse estar aberto, ou apenas um deles estivesse aberto quando devesse estar fechado, seria impossível existir mesmo por um certo período de tempo.
Abençoado sede Vós, Senhor, que curai toda a carne e realizai maravilhas."

oração Deus judaica
Inserida por clovisrosa43

UMA RESPOSTA INTELIGENTE - Professor: Você é Judeu não é filho? Estudante: Sim senhor Professor: Então, vc acredita em Deus? Estudante: Absolutamente senhor Professor: Deus é bom? Estudante: Claro que sim Professor: Deus é o todo poderoso? Estudante: Sim Professor: Meu irmão morreu de câncer mesmo orando a Deus todos os dias para curar ele. A maioria de nós tentaria ajudar os que estão doentes. Más Deus não fez. Como pode Deus ser bom então? Hunn?? (Estudante ficou em silencio) Professor: Vc não pode responder, pode? Vamos começar de novo meu jovem. Deus é bom? Estudante: Sim Professor: Satanás é bom? Estudante: Não Professor: De onde Satanás se originou? Estudante: De... Deus... Professor: Vc está correto. Me diga filho, existe maldade no mundo? Estudante: Sim Professor: Se Deus criou tudo, então quem criou a maldade? (Estudante não respondeu) Professor: Existem doenças? Imoralidade? Ódio? Feiura? Todas essa coisas terríveis existem no mundo, não existem? Estudante: Sim senhor Professor: Então quem as criou? (Estudante não respondeu) Professor: A ciência explica que temos cinco sentidos para identificar e observar o mundo a nossa volta. Me diga filho, alguma vez vc viu Deus? Estudante: Não senhor. Professor: Alguma vez vc sentiu o seu Deus? Sentiu o gosto? Cheirou? Alguma vez vc já teve alguma sensação de Deus nesse sentido? Estudante: não senhor, eu temo que não. Professor: E ainda assim vc continua acreditando nele? Estudante: Sim Professor: De acordo com perícia testável e Protocolo de demonstração, a ciência diz que seu Deus não existe. O que vc diz a respeito rapaz? Estudante: Nada. Só tenho fé. Professor: Claro, a fé. Esse é o problema da ciência tem que enfrentar... Estudante: Professor, existe no mundo o calor? Professor: Sim Estudante: E também existe frio? Professor: Sim Estudante: Não senhor, não existe. (a classe ficou silenciosa com essa mudança dos eventos) Estudante: Senhor, vc pode ter muito calor, até mais calor, super calor, mega calor, calor branco, pouco calor e até calor nenhum. Más não existe nada chamado frio. Podemos alcançar 458 graus abaixo de zero que seria a total ausência de calor, más não podemos ir nada além disso. Não existe o Frio. Frio é apenas uma palavra que usamos para descrever a ausência total de calor. Não se pode medir o frio. Calor é energia. O frio não é o oposto do calor, apenas a ausência dele. (Professor ficou em silêncio) Estudante: E a escuridão professor? Existe a escuridão? Professor: Sim. O que seria a noite se não existisse a escuridão? Estudante: Vc está errado de novo senhor. Escuridão é a ausência de algo. Vc pode ter pouca luz, luz normal, luz brilhante, um flash. Más se vc não tiver luz constantemente vc não tem nada e isso é chamado escuridão, não é? Na verdade escuridão não existe, se existisse vc seria capaz de torna-la ainda mais escura, não poderia? Professor: Más o que vc está tentando provar jovenzinho? Estudante: Senhor, estou provando que sua filosofia é falsa. Professor: Falsa? Pode me explicar como? Estudante: O senhor está usando uma premissa de dualidade. Vc discute que existe vida e existe morte, um bom Deus e um mau Deus. Vc está vendo Deus com o conceito de uma coisa finita, algo que podemos medir. Senhor, a ciência não pode nem explicar o pensamento. Diz que usa eletricidade e eletromagnetismo, más nunca o viu e muito menos totalmente o entende. Para ver a morte como o oposto da vida tem que ser ignorante ao fato que a morte não pode existir como uma coisa substantiva. A morte não é o oposto da vida e sim a ausência dela. Agora me diga professor, vc ensina aos seus alunos que o homem evoluiu do macaco? Professor: Se vc está se referindo a teoria da evolução do homem, sim é claro que ensino. Estudante: Alguma vez vc teve a oportunidade de observar a evolução com seus próprios olhos? (professor balança a cabeça e sorri quando percebe aonde o argumento vai leva-lo) Estudante: Desde que ninguém nunca observou o processo da evolução e não pode nem provar que ela é um processo continuo. Vc não está apenas ensinando a sua opinião senhor? E se ensina sua opinião vc não é mais cientista do que um padre. Certo senhor? Estudante: Existe alguém aqui que tenha alguma vez escutado o cérebro do professor? Sentido? Tocado ou sentido cheiro? Parece que ninguém nunca o fez certo? Então de acordo com as regras lógicas de protocolo de demonstração a ciência diz que o senhor não tem cérebro. Então, com todo o respeito senhor, como podemos confiar em suas palestras? Professor: Imagino que vc terá que aceita-las por fé meu jovem. Estudante: É isso ai senhor!.. Exatamente!!! O link entre o homem e Deus é a mesma fé que mantém todas as coisas vivas e em movimento!!! Compartilhem para aumentar o conhecimento sobre a fé A propósito esse estudante era EINSTEIN. Postado por Jewish College Night Parties Tradução: Fred Litig

Desconhecido
2 compartilhamentos

"...Existe uma teoria entre tantas, na qual eu pessoalmente acredito, do sociólogo judeu, nascido na Hungria, Karl Manhein e que até hoje me inspira reflexões sobre a relação do individuo e a sociedade. Nessa parte minúscula, de um recorte da profunda teoria do Conhecimento, Karl Manhein defende que: "...o ato de conhecimento não resulta apenas da consciência puramente teórica mas também de inúmeros elementos de natureza não teórica, provenientes da vida social e das influências e vontades a que o indivíduo está sujeito." De onde para mim pode se originar a explicação para o comportamento, atitudes de cada pessoa e movimentos sociais..."

Cirlene Ferreira Doretto
Inserida por CirleneDoretto

"Então qual é a vantagem de ser judeu? Será que ser circuncidado tem algum valor? Tem, sim, e de muitas maneiras! E a primeira vantagem é que Deus entregou a sua mensagem aos cuidados dos judeus. Mas, se alguns não foram fiéis, será que por isso Deus vai ser infiel? De modo nenhum! Que Deus continue a ser verdadeiro, mesmo que todas as pessoas sejam mentirosas. Como dizem as Escrituras Sagradas a respeito dele: “Que fique provado que tu tens razão quando falas e que sejas vencedor quando fores julgado.” Mas, se as injustiças que cometemos servem para mostrar que Deus age com justiça, o que é que podemos dizer? Que Deus é injusto quando nos castiga? (Eu falo aqui como as pessoas costumam falar.) É claro que não! Se Deus não fosse justo, como poderia julgar o mundo? Mas digamos que a minha mentira faz com que a verdade de Deus fique mais clara, aumentando assim a glória dele. Nesse caso, por que é que devo ainda ser condenado como pecador? Então por que não dizer: “Façamos o mal para que desse mal venha o bem”? Na verdade alguns têm me caluniado, dizendo que eu afirmo isso. Porém eles serão condenados como merecem. Então será que nós, os judeus, estamos em melhor situação do que os não judeus? De modo nenhum! Já mostrei que todos, judeus e não judeus, estão debaixo do poder do pecado. Como dizem as Escrituras Sagradas: “Não há uma só pessoa que faça o que é certo; não há ninguém que tenha juízo; não há ninguém que adore a Deus. Todos se desviaram do caminho certo, todos se perderam. Não há mais ninguém que faça o bem, não há ninguém mesmo. Todos mentem e enganam sem parar. Da língua deles saem mentiras perversas, e dos seus lábios saem palavras de morte, como se fossem veneno de cobra. A boca deles está cheia de terríveis maldições. Eles se apressam para matar. Por onde passam, deixam a destruição e a desgraça. Não conhecem o caminho da paz e não aprenderam a temer a Deus .” Nós sabemos que tudo o que a lei diz é dito para os que vivem debaixo da lei. Isso a fim de que todos parem de se justificar e a fim de que todas as pessoas do mundo fiquem debaixo do julgamento de Deus. Pois ninguém é aceito por Deus por fazer o que a lei manda, porque a lei faz com que as pessoas saibam que são pecadoras. Mas agora Deus já mostrou que o meio pelo qual ele aceita as pessoas não tem nada a ver com lei . A Lei de Moisés e os Profetas dão testemunho do seguinte: Deus aceita as pessoas por meio da fé que elas têm em Jesus Cristo. É assim que ele trata todos os que creem, pois não existe nenhuma diferença entre as pessoas. Todos pecaram e estão afastados da presença gloriosa de Deus. Mas, pela sua graça e sem exigir nada, Deus aceita todos por meio de Cristo Jesus, que os salva. Deus ofereceu Cristo como sacrifício para que, pela sua morte na cruz, Cristo se tornasse o meio de as pessoas receberem o perdão dos seus pecados, pela fé nele. Deus quis mostrar com isso que ele é justo. No passado ele foi paciente e não castigou as pessoas por causa dos seus pecados; mas agora, pelo sacrifício de Cristo, Deus mostra que é justo. Assim ele é justo e aceita os que creem em Jesus. Será que temos motivo para ficarmos orgulhosos? De modo nenhum! E por que não? Será que é porque obedecemos à lei? Não; não é. É porque cremos em Cristo. Assim percebemos que a pessoa é aceita por Deus pela fé e não por fazer o que a lei manda. Ou será que Deus é somente Deus dos judeus? Será que não é também Deus dos não judeus? Claro que é! Deus é um só e aceitará os judeus na base da sua fé e também aceitará os não judeus por meio da fé que eles têm. Será que isso quer dizer que, por causa da fé, nós tratamos a lei como se ela não valesse nada? Não; de modo nenhum! Pelo contrário, afirmamos que a lei tem valor."

Cristianismo Prático
Inserida por CristianismoPratico
1 compartilhamento

"Eles atravessaram toda a ilha, chegando até a cidade de Pafos. Ali encontraram um judeu que era mágico e falso profeta , chamado Barjesus. Ele era amigo de Sérgio Paulo, o governador da ilha, que era um homem muito inteligente. O Governador mandou chamar Barnabé e Saulo, pois queria ouvir a palavra de Deus. Mas o mágico Elimas (este é o nome dele em grego ) era contra os apóstolos . Ele não queria que o Governador aceitasse a fé cristã. Então Saulo, também conhecido como Paulo , cheio do Espírito Santo, olhou firmemente para Elimas e disse: — Filho do Diabo! Inimigo de tudo o que é bom! Homem mau e mentiroso! Por que é que você não para de torcer o verdadeiro ensinamento do Senhor? Agora escute! O Senhor vai castigá-lo. Você ficará cego e não verá a luz do sol por algum tempo. No mesmo instante Elimas sentiu uma nuvem escura cobrir os seus olhos e ele começou a se virar para todos os lados, procurando alguém que o guiasse pela mão. Quando o Governador viu isso, creu e ficou muito admirado com os ensinamentos a respeito do Senhor Jesus. Paulo e os seus companheiros navegaram da cidade de Pafos até Perge, uma cidade da província da Panfília. Porém João Marcos os deixou e voltou para Jerusalém. Eles continuaram a viagem, indo de Perge até a cidade de Antioquia, no distrito da Pisídia. No sábado entraram na sinagoga e sentaram-se. Depois da leitura da Lei de Moisés e dos livros dos Profetas , os chefes da sinagoga mandaram dizer a eles: — Irmãos, se vocês têm alguma palavra para animar o povo, podem falar agora. Então Paulo se levantou, fez um sinal com a mão, pedindo silêncio, e começou a dizer: — Homens de Israel e todos vocês não judeus que temem a Deus , escutem! O Deus do povo de Israel escolheu os nossos antepassados quando moravam na terra do Egito e fez deles um grande povo. Ele os tirou de lá com grande poder e, no deserto, aguentou aquela gente durante quarenta anos. Ele destruiu sete povos na terra de Canaã, e o povo de Israel se tornou dono das terras deles. Tudo isso levou uns quatrocentos e cinquenta anos. — Depois disso Deus lhes deu juízes, até o tempo de Samuel. Quando o povo pediu um rei, ele lhes deu Saul, filho de Quis, da tribo de Benjamim, para ser rei deles durante quarenta anos. Depois que tirou Saul, Deus pôs Davi como rei e disse isto a respeito dele: “Encontrei em Davi, filho de Jessé, o tipo de pessoa que eu quero e que vai fazer tudo o que eu desejo.” Um dos descendentes de Davi foi Jesus, a quem Deus pôs como Salvador de Israel, como havia prometido. Antes da vinda de Jesus, João Batista anunciou a sua mensagem a todo o povo de Israel, dizendo que eles deviam se arrepender e ser batizados. Mas, quando João estava terminando a sua missão, disse ao povo: “Quem é que vocês pensam que eu sou? Eu não sou aquele que vocês estão esperando. Mas escutem! Ele vem depois de mim, porém eu não mereço a honra de tirar as sandálias dos pés dele.”"

Cristianismo Prático
Inserida por CristianismoPratico
1 compartilhamento

Por anos calado lendo e relendo meus livros judaicos, eu J. R. P. T. notei uma enorme doença entre esses judeus sionistas. O livro Sagrado dos judeus sionistas não é o Tanakh (V.T), como muitos pensam, mas sim, o Talmud. Este livro é o seu código religioso e social, com prescrições rigorosas, o qual confere aos rabinos, seus únicos intérpretes, autoridade superior a Moisés e os profetas. É preciso ler e estudar o Talmud para compreender o Sionismo Internacional, o orgulho com que os judeus sionistas se consideram os donos do mundo e o poder que possuem para controlar as finanças e os meios de comunicação a nível mundial. Reverenciando apenas o bezerro de ouro, conservam através de vários milênios a sua unidade e identidade racial, política, religiosa e nacional, fazendo-os imaginarem-se seres superiores, eleitos de Deus e recusando todo e qualquer tipo de assimilação, personificando com sua maneira de ser, a forma mais odiosa de xenofobia, seria trágico, senão cômico um judeu racista depois de tudo que passamos. Não esqueçamos, portanto, da advertência de Aarão a Moisés: “Não se irrite meu Senhor. Tu mesmo sabes o quanto este povo é inclinado para o mal” (Êx. 32,22). Um judeu sionista não merece ser digno de confiança, não merece crédito nem mesmo glórias e honrarias. Fazem-se de vitimas para tirar proveito, são mentirosos. Em realidade, como um Psicoterapeuta eu afirmo, que todos os judeus sionistas sofrem de Síndrome de Münchhausen, de forma coletiva. Pessoas que sofrem dessa síndrome não suportam a ideia dela ser comum, ou normal. Ela tem que ser super especial, e superior aos outros, tem que ter peculiaridades completamente excepcionais e fantásticas. Essa inclinação impulsiva para a mentira reflete uma grande vontade em ser admirado, de ser digno de amor e consideração pelos demais, conseqüentemente reflete uma grande insatisfação com a real e medíocre condição existencial. Todo judeu sionista carece de estar em uma clínica de doentes mentais. Há uma enorme diferença entre Ser Judeu, e Juda''ísmo''. Há uma enorme diferença entre Semita e sionista.

J. R. P. T
Inserida por Fabi16
1 compartilhamento

Se pelo menos ouvissem as pérolas do ensino, mas não, eles leem o que estão predestinados a fazer, pois seu coração é mal, sim eu leio o Talmud, pois a melhor forma de vencer o inimigo é estudar a mesma tática, o inimigo é como o seu reflexo no espelho, se parece com você, mas não o é, se o vês trate de destruí-lo, mas cuidado, ele se parece muito com você

J. R. P. T
Inserida por Fabi16

Algum dia a história da maior religião do mundo irá ser retocada. A partir de então as civilizações perceberam que Yeshua, era seu nome, que nasceu judeu, viveu dentro da cultura judaica e morreu judeu. E que só há sentido em se falar em cristianismo histórico a partir de 50 anos da era cristã.

RICARDO VIANNA BARRADAS
Inserida por RicardoBarradas

PROVÉRBIOS E DITADOS JUDAICOS

“Não chore sobre o leite derramado.”

“A beleza pode abrir portas, mas somente a virtude entra.”

“Um coração alegre faz uma vida longa.”

“Um cirurgião bom tem o olho de uma águia, o coração de um leão, e a mão de uma senhora.”

“Tome o café da manhã como um rei, almoce como um príncipe, jante como um miserável.”

“Uma maçã por dia mantém o médico distante.”

“As acções falam mais alto que palavras.”

“Um homem bom em uma sociedade má parece o maior vilão de todos.”

“Um começo bom faz um final bom.”

“Não julgue um livro pela capa.”

“Mais vale um pássaro na mão vale mais do que dois a voar.”

“Uma consciência culpada não necessita de nenhum acusador.”

“Um mal trabalhador culpa as ferramentas.”

“Um tolo e seu dinheiro são separados logo.”

“Atravesse o rio onde é mais raso.”

“Um centavo economizado é um centavo ganho.”

“Não me faça nenhuma pergunta, e eu não lhe direi nenhuma mentira.”

“Olho por olho, dente por dente.”

“Uma pessoa é conhecida pelas companhias que ela têm.”

“Todos os gatos adoram peixe, mas odeiam ficar com as patas molhadas.”

“Corte o seu casaco de acordo com seu tecido.”

“Não morda a mão que lhe dá de comer.”

“Não conte seus frangos antes que estejam chocados.”

“A curiosidade matou o gato. A satisfação o trouxe de volta, é por isso que o gato tem sete vidas.”

“A ausência faz o coração crescer mais afeiçoado.”

“A beleza está no olho do observador.”

“Cérebro é melhor do que músculos.”

“Uma panela de leite é arruinada por uma gota de veneno.”

Provérbio judaico
Inserida por EmOutrasPalavras
1 compartilhamento