Mário Magalhães

1 - 25 do total de 128 pensamentos de Mário Magalhães

O valor da comida,
Pra quem tem sobrando,
Não sabe ainda,
Pra quem tá faltando,

Que custo isso tem?
Pra provar pra alguém.
Que na vida,
Tudo vai e vem.

Da riqueza a miséria,
E da miséria a riqueza,
Uma nobre proeza,
Da vida na matéria.

Conforme a realidade,
Conforto, luxo e ostentação,
Pobreza de verdade,
Que dói o coração,

De um lado a vaidade,
Do outro um covarde,
Ou alguém em aflição,
Muitos nomes se dão,
A vida de necessidade,

Mas só quem vive pra saber,
O que lhe aprisiona,
O desejo de morrer,
Às vezes ocasiona,

Mas fazer o que?
Se vida ainda lhe tem,
Tem mesmo que viver,
E ir bem mais além,

No lado do rico,
Um nobre amigo,
Que demonstra suas posses,
Até no umbigo,
O ouro se retorce,

Anda de carro,
O tempo todo,
Produto de barro,
E coisa de bobo,

Festas e vida diferente,
O pobre é um indigente,
Que lhe oportuna,
Bem na sua frente,
Mora uma viúva,

Que tem seus filhos ainda,
Dinheiro bem pouco,
Sorte que tem comida,
Vive chorando feito louca,
Sempre olhando pra cima.

Mas o mundo lhe absolve,
No novo modo de ser,
Todo mundo resolve,
Então, lhe socorrer.

A diferença vem na morte,
Que qualquer hora pode chegar.
E entrega a própria sorte,
Qualquer um que ela venha buscar,

Não escolhe por diploma,
Nem perdoa vida difícil,
Nesse dilema a vida soma,
Só mais um no precipício.

O ser humano,
Se acha eterno,
Sempre insano.
Dentro de seu terno,

Caminha a pensar,
No seu futuro,
Sem saber que lá está,
Um pobre em apuro,
Indo pro lado de lá,

Dai vem a religião,
Trazer o conforto,
Enfeitar a ocasião,
Do pobre morto,

Que a sorte lhe possa seguir,
Pois se sorte lhe faltar,
Algo vai lhe perseguir,
Não importa onde está,

Terminado o velório,
Todo mundo vai embora,
Volta tudo pro envoltório,
Alguém aínda chora,

Mas logo vai se esquecer,
Por que vivemos assim?
Achando eterno nosso viver?
Se a morte chega jazim.

Pra mim e pra você.

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes
1 compartilhamento

Vivo por viver,
Pensando no que vou fazer,
Sabedoria me anima,
Me faz entreter.

Vivo fazendo rima,
Pra ver onde vai dar,
Saudade tenho ainda,
Do grande e belo mar,

Na vida tive sorte,
Outros acham que não,
Já levei alguns cortes,
Mas olha a questão.

Estava a falar bobagem,
Na dita ocasião,
Parece sacanagem,
Mas é verdade meu irmão.

As vezes sem assunto,
Me vejo em algum lugar,
Muitas vezes lhe pergunto,
O que lhe vem a faltar?

Olho pra árvores,
Vejo o infinito,
Já fui em muitos lugares,
Muito bonitos,

Participei de tanta história,
Que as vezes me pergunto,
Pra onde vai tanta memória?
Que eu tanto junto.

Talvez vá para a glória,
Aonde desejo ir,
Ou fique só na memória,
Parado bem aqui,

Minha mãe brava lutadora,
Se foi embora,
Era minha professora,
E nessa hora,

É que entendo,
O valor de uma família,
As vezes lamento,
A falta da partilha,

Vivo sozinho,
Numa casa grande,
Tentando ser bonzinho,
Sempre constante,

Olhando os passarinhos,
Fico radiante,
Em seus ninhos,
Vivem contagiantes,

O silêncio me acalma,
Me leva a meditar.
As vezes alcanso a alma,
No desejo de me entregar,

No rio que vai pro mar,
Água doce tem demais,
Sinto que o ar,
Nos sopra de frente e de trás,

Gostaria que mudasse,
Que refletisse,
Que perguntasse,
Por que disse?

Que quer mudar?
Se saudade lhe pertence,
Dentro da vida,
Em todo lugar.

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes
1 compartilhamento

Você soube nascer,
Crescer e entender,
E que a vida passa,
Pra valer,

Nessa disputa,
De poder,
Na grande luta,
Do fazer,

Aprendeu a ouvir,
E a falar também,
A sentir,
E a compreender alguém.

Aprendeu a ter amigos,
Em horas tristes chorar,
Contigo sempre sigo,
Não importa onde vá,

Sou seu eterno amigo,
Nem precisa falar,
Sou da luz sou do infinito,
Me encontras no fundo do mar,

Em toda terra,
Em todo ar,
Até na guerra,
Tento estar,

Para alertar,
Que não se machuque,
E para lembrar,
Que alguém te ajude,

A entender,
Que a paz,
É meu fazer,
E tudo mais,

Dentro de você,
Sou eu em plenitude,
O amor que está a ver,
É minha simples atitude,

Em meio a toda união,
Estou presente também,
Quando se dão as mãos,
Ali algo me contém,

Sou invisivel sou sutil,
Chuva de primavera,
O olhar arredio,
Te lembra a fera,

Que te domina as vezes,
Mesmo sabendo da calma,
Parece ter poderes,
Mas algo sempre te atrapalha,

Lembrando que és pequeno,
Algo simples no espaço,
Fique logo sabendo,
De tua bagunça de teu arregaço.

Logo você se arrepende,
De tudo que faz,
E todo mundo sente,
O que viveu lá atrás,

Então amadurece,
Chega o tempo de refletir,
Quando envelhece,
Muda o modo de agir,

A competição,
Fica pra traz,
Na oração,
Que sempre faz,

Pede perdão,
Tentando se redimir,
No seu coração,
Da pra sentir,

Uma vontade de mudar,
O passado refazer,
Mas agora tudo que há,
Você tem que entender,

O tempo passou,
Agora já e tarde,
Veja o que restou,
Pra que fazer alarde,

Alguém sempre lhe falou,
Deixe de ser covarde,
O que você gostou,
Não passava de contraste,

Tinha de tudo,
Dava pra ver,
No grande mundo,
Tudo parecia te entreter,

Se distraia facilmente,
Algo te fazia fascinado,
Me esquecia de repente.
Na sua vida alucinado,

Agora que chega a velhice,
Dá tempo de se lembrar,
Que alguém lá atrás te disse,
Que haveria de me procurar,

E como sempre,
Estou bem aqui,
Pra que sempre se lembre,
Em tudo que vir,

Que sou seu eterno amigo,
Sou bondade sou amor,
Contigo ainda sigo,
Sou sempre seu professor.

Comigo estarás seguro,
Basta me procurar,
Te vejo sempre puro,
Como a água do mar,

Você só não está maduro,
Um dia vai entender,
Que alguém duro,
Sempre vai amolecer,

Na luz do bem,
Da grande harmonia,
Que tu já tens,
Quando está em Alegria,

Tudo conténs,
Minha energia,
Quando não retens,
E aprende a repartir,

Tudo que tens,
Com alguém que precise de ti,
E lá no além,
Talvez possa sentir,

A voz de alguém,
A também te pedir,
Uma paz que vem,
Começando bem ali,

E logo entende,
Que é um presente,
Por tudo que você fez,
E que independe,
Daquela pequenez,

Que você vivera,
Em outrora,
Mas já entendera,
Que agora,

Tem que se despedir,
Da vida e todo mundo,
Tem que se deixar ir,
Para um lugar profundo,

Que se chama morte,
Que te leva embora,
Em sua própria sorte,
Mas ainda implora,

Algo te ampara e acalma,
Você abre os olhos,
E no fundo da alma,
Os grandes fogos,

De felicidade,
Fostes amor,
Fez caridade,
Como professor,
Viveu de verdade,

Sabedoria te acompanha,
E na alegria que estás,
Algo te apanha,
E logo te faz,

Um anjo de amor,
Que se lembra,
De uma flor,
De um poema,
Daquela alma pequena,

Que viu mudar,
Você conseguiu,
Sim, transformar,
E ela ali decidiu,
Te acompanhar,

És gigante,
Muito bondoso,
Sempre constante,
És caridoso,

Fique feliz.
Fique em paz,
O que eu fiz,
Meu grande rapaz,

Foi pra te alegrar,
Te manter e fortalecer,
E agora poderá,
Enfim me entender,

Luz do mundo,
E do viver,
Sou e me assumo,
Seu eterno ser.

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes
1 compartilhamento

Hoje acordei,
Pensando na vida.
Sempre te falei,
Minha irmã querida.

Que valor da vida,
É muito maior,
Uma rua Flórida.
É sempre melhor.

O dia raiou,
Você entendeu.
O que Deus criou.
Ninguém percebeu.

O simples espaço.
Que nos absorve,
Nos tornando escassos.
Sempre nos comove.

Isso tudo é o criador.
Sendo onipresente,
Até na bela flor,
É onisciente.

Pra entender o amor,
Basta estar presente.
Seja como for,
Seja consciente.

Passado e futuro,
Nos tiram do agora,
Parece um muro.
Alguém sempre chora.

Por se lamentar,
Ou sorri para um desejo.
Devo te falar,
O que eu vejo.

Pode sentir o ar?
Ou quer menosprezar?
Dá até arrepio.
Saber que podemos respirar.
E um calafrio,

Saber o valor de AMAR.

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes

Fonte de amor,
De PAZ e de luz.
Olha só a flor,
Que plantou Jesus.

Com todo amor,
Carregou a cruz,
Nunca reclamou.
Sempre nos ensinou,

O valor da vida,
Do grande amor.
Da alma sabida,
E da simples flor

Então posso falar.
Jesus quis ensinar.
Agora vc sabe,
O sentido de amar.

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes

O limite da alma
É o fundo da calma.
Que revela o trauma.

Da pequena vontade.
Da Boa amizade.
Da Prosperidade.

E a Alegria de verdade
Simplesmente invade.
A nossa privacidade.

Enchendo de paz.
Desfazendo as necessidades.
Que víamos atrás.

Pequenas memórias.
Grandes reflexões.
Inigualáveis histórias.
Pedidos de perdões.

Só vendo pra crer.
Gesto tão bonito.
Uma flor a crescer,
Com a luz do infinito.

Tudo isso pra crer,
Diante da tristeza.
Nasce o ser,
Da sultil natureza.

Fonte de vida e saber,
Gentil e inesgotável.
Sempre inigualável,
Pra todo aquele que crê.

Uma só realidade,
E Deus de verdade,
Se esconde,
Mas invade.

A soberania,
De um covarde,
A alegria,
Da simples verdade.

E contagia,
Com a mais pura caridade,

Obrigado por ler.
Obrigado por ser,
Um pedacinho,
Do viver.

E com carinho,
Pra você,
Nunca se esquecer.
Que até o passarinho,
Pode entender.

Aprenda com tudo.
Viva a só,
Parece absurdo,
Mas é bem melhor.

E que o mundo,
Te possa ensinar,
E bem lá no fundo.
Na Alegria que há.

Vc possa sentir.
Também manifestar.
A alegria em ti,
De tudo que há.

E que tudo se transforme.
E mude pra sempre.
Que tudo se conforme,
Num gesto benevolente.

A vontade,
E a realização,
Na realidade.
Da pura criação.

Sem vaidade.
Em nossa oração,
Pra encher o coração.

Do todo infinito.

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes
1 compartilhamento

Boa tarde.

No insolúvel desejo.
No fim ensejo,
O direito de amar.

A alegria é um conto,
Que existe e permeia.
Até o próprio ar,

Até um simples ponto.
Em uma pequena aldeia,
Emite o próprio conto,

E a sabedoria ancestral.
Que dispõe do saber.
Enfim só quer "SER".
E libertar-se de todo mau.

Isso é um conto de vida.
De uma história sabida,
Do pequeno,
E do todo.

E assim vamos sendo,
E o simples saber.
Nós envolvendo.

Mário Magalhães

Um dia, em um jardim.

Era de madrugada.
Mal podíamos ver,
O sol que estava nascendo,
Chegando o amanhecer.
A lua já cansada.

Se esconde na enseada.
De noite voltamos a ver.
Amanhece o dia.
O sol brilha radiante.
Todo cheio de alegria.

Tudo fica vibrante,
Parecendo magia.
As flores tão elegantes.
E as rosas que amam o dia.
Despertam e contagiam.

Tudo se envolvendo.
A chegada da paz.
As plantas crescendo,
Deus quanto isso é demais.

As vezes me pergunto?
Por que temos tanta sorte.
E por falar nesse assunto.
Só pra não perder o norte.

Vou te contar uma história,
De um homem em seu viver.
Se não me falha memória.
Vc deve reconhecer.

Era um homem divino.
Mas com alma de menino.
Alegrava todo lugar.
Enquanto tocava o sino.
Ele vivia a falar.

Coisas que eram bonitas,
Ensinando o seu saber.
Como flores e margaridas.
Seu mundo parecia ser.

Deu sermões.
Em noites enluaradas.
Também nos clarões.
Que tinham na enseada.

A história tem muito tempo.
Mas ainda me lembro.
Que se pode encontrar.
Pois até o vento.
E o próprio mar.

Sabendo desse relento.
Onde vc possa estar.
Lhe ensina que a vida.
É bem melhor com luz.
Seu nome era Jesus.

E o que ele mais quiz falar.
Que vida passa de pressa.
Precisa aproveitar.
Pra aprender o que interessa.
Pq poderá lhe faltar.

A aprendizagem real.
Que vem do céu.
Sem nenhum mau.

Tudo isso em prol.
De nós de nosso sustendo
E lembra do sol?

Chegou vamos agradecer?
Essa imensa fonte de viver.
Que sem dúvidas é gigante.

Bom dia, para você...

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes
1 compartilhamento

Bondade universal

O grande dogman,
Gerado pelo Interesse comum.
Forma a mais bela senda do cooperativismo,
Com visão perseverante, em conduzir primorosas ações,
para a fraternidade
e o bem comum.
O júbilo transborda,
E o interessado.
Que por vez, sabe conduzir-se.
Sem regozijos ou desculpas quaisquer.

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes

A luz do sol,
Sempre nos permite,
Algo que em prol,
Dentro de nós insiste,

No reconhecimento,
Do infinito saber,
Basta um argumento,
Pra nos entreter,

A buscar consciência,
Em nosso interior,
Com paciência,
Vencemos a dor,

Espalhando amor,
Por onde for,
Conseguimos driblar,
Todo o torpor,

Da nossa ruindade,
Que nos cega,
Nos deixa em alarde,
Quando emprega,

O EGO sombrio,
Que nos aprisiona,
Nos da calafrios,
Quando desmorona,

Sentimos a morte,
Dessa ilusão,
Que era mais forte,
Nos causando exaustão,

Nos fazendo Perder o norte,
Ficarmos sem rumo,
Por grande sorte,
Voltamos ao prumo,

E lembramos da fé,
Que nos trás de volta,
Para a paz e calma,
Que se refaz dentro do alma,

E nos permite entender,
A razão da simplicidade,
E talvez perceber,
Toda essa sagacidade,

De uma vida,
Sem disputas,
Pode ser sofrida,
Mas alguém sempre ajuda,

E no além,
Talvez nós espere,
Algo do bem,
Que em nós se supere,

O sorriso,
No simples improviso,
De tudo isso.

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes
1 compartilhamento

Cumplicidade e carinho.
O que vemos a beira de um ninho,
Não vemos uma cidade inteira,
Por que um só passarinho,
Não consegue fazer tanta sujeira,

Muitos humanos poluem,
Se entorpecem,
Muitas vezes se iludem,
Muitas outras se esquecem,

Vivem por covardia,
Fugindo da obrigação,
Com muita melancolia,
Pouca conservação,

Querem tudo do seu jeito,
Reclamam em muitas horas,
Querendo tudo perfeito,
Até as senhoras,

Se entregam nessas atitudes,
Chorando todo dia,
Pedindo que alguém ajude,
Sem muita alegria,

Não há quem as mude,
Podíamos repensar,
O agir e o falar,
As vezes poder seguir,
Em frente pra algum lugar.

Mas devo revelar,
Que já criamos as cidades,
As casas fechadas de muros,
Que se alguém pular,
Vai estar em apuros.

Dentro tem cachorros e armas,
Um egoísmo protegido,
Se tocar na simples sandália,
Tá tudo perdido,

São ferozes no possuir,
E algozes de si mesmos,
Tentando as vezes fugir,
Se encontram largados a esmo.

A esmola do trabalho,
E só um ensaio,
Pra poder passar o tempo,
Na sua humilde batalha,
A ruína são seus pensamentos,

Achando tudo perigoso,
Um mundo de covardia,
Anda sempre medroso,
Seja de noite ou de dia.

Vivem sempre egoístas,
Cercados em suas rotinas,
Lutam sem deixar pistas,
De suas horas cretinas,

A trocar o desapego,
Pelo feroz egocêntrismo.
Na luz do desassossego,
Fazendo malabarismos.

Aí chega a velhice,
E ficam todos perdidos,
Caminharam na mesmice,
Mas querem ser compreendidos.

Nem sei mais o que falar,
Pra mim tudo é absurdo,
Se nós unissemos já.
Poderíamos atravéssar o muro,
E ir pro lado de lá.

Mudar a nossa história,
Recusarmos de ser idólatras,
Deixar políticos na memória,
Deixar de ser alcoólatras,

Começar mudando as cidades,
Limpando tudo em sua volta,
Juntando todas as idades,
Plantando nossas próprias hortas,
Retirando nossas vaidades,

Ajudando os nossos irmãos,
De todas as formas possíveis,
Com dinheiro e instrução,
Para que se tornem incríveis,
Compreendendo que com união
Podemos ser vistos pela luz do invisível.

E com luz no caminho,
Podemos tirar os espinhos,
De um tempo passageiro,

E voltar para o ninho,
De uma vida obreira,
E continuar com carinho,
Uma vida mensageira,

Assim poderemos morrer em paz,
Descansar de verdade,
Sem medo de olhar pra traz,
Sabendo que viveu com bondade,

A vida muda de pressa,
Os anos passam a fio,
Pro tempo tudo que interessa,
É sombra, calor e frio,

A vida no vazio,
Refaz os pensamentos,
Pode dar calafrios,
Mas também tirar os tormentos,

Saber que ninguém morre junto,
No mesmo corpo quero dizer,
E esse imenso conjunto,
É tudo que pude saber.

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes
1 compartilhamento

Boa noite.
Pensando em você,
Resolvi te escrever,
Só pra dizer,
O quanto gosto de vc.

Talvez você saiba.
De minha felicidade,
Ao te encontrar,
No meio da cidade.
Só pra te contar.

Que você é especial.
E quem te conhece,
Realmente nunca esquece.
É muito alto astral.
Alguém muito legal.
E só quem merece.

Tem o privilégio de sua companhia.
Algo relevante.
Parece magia,
De tão contagiante.
Vc nos contagia.
Ficamos empolgantes.

De Ser seu amigo,
E nem sei se consigo.
Te agradecer.
Por ser assim comigo.
Mas ao amanhecer.

Vc vai ler esse verso.
Por isso te peço.
Se lembre de mim.
Agora, sabe sempre penso em você.


Grande presente de vida.

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes

Quem busca, PAZ tem PAZ.
Quem fala em guerra tem guerra.
Que sorri tem felicidade.
Quem é mau humorado, infelicidade.
Quem ora pelos outros alcança o bem para si.
Quem ajuda, recebe ajuda.
Quem se ajoelha, pode se levantar.
Quem se exalta haverá de cair.
Quem agradece, senti gratidão.
Quem não agradece se perde na escuridão.
Quem pensa em coisas boas.
Livra -se das más coisas.
Quem pensa coisas ruins logo as encontra.
Quem olha pro sol sabe o que luz.
Quem reclama do sol, vive na escuridão.

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes

Em um dia tão lindo,
E tão especial,
Simplesmente vou indo,
De forma natural,

Para algum lugar,
No infinito,
Para canto tão bonito,
E ali passar,

Como um mito,
A revezar nessa história,
De algo sofrido,
Em algum lugar alguém aínda chora,

Tudo isto fica na memória,
Gravado para sempre,
Nessa humilde trajetória,

De acordar,
Se levantar,
Comer se satisfazer,
E a tarde poder passar,

Para de noite descansar,
E meio a tudo isso poder aproveitar,
Tudo que existe,
Em todo lado está,

A vontade que insiste,
Na simples razão,
E alguém sempre persiste,
Pedindo e dando as mãos,

Tudo pra você,
Entender que vida Bela,
Foi criada pra saber,
Que és uma sinderela,

Na vida e no viver,
Por tudo que faz,
Gravado estas,
No infinito Ser,
Que sempre pede mais,

Bom dia pra você.

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes

Sou cachorro,
Sou viola do mato,
Quem é que não se apaixona,
Por mulher de retrato,

Sou perdido,
Mas não deixo de me encontrar,
Pros amigos um beijo,
Por onde quer que está,

No imenso desejo,
De poder te falar,
É que enfim eu vejo,
A beleza do mar,

Tudo isso pra que,
Só pra te demonstrar,
Que a alegria em você,
É o melhor que há,

Nesse dia tão lindo,
Nessa história tão bela,
Quem é que já vai indo,
Se esquecendo dela,

Uma flor tão bonita,
Que tinha comigo,
Então pare e reflita,
Por favor meu amigo,

Que a vida é boa,
Tem que aproveitar,
Pois o tempo voa,
Não tem quem faz parar,

E por isso eu te peço,
No meio desse verso,
Olhe a sua volta,
Pense no seu regresso,

Para depois da vida,
Não se lamentar,
Dessa história querida,
Que vc está a criar,

Viva com muito amor,
Seja só luz e paz,
Te peço por favor,
Não se esqueça jamais,

Que caixão não tem fundo,
Só tem alça,
E tem beira,
Onde o próprio defunto,
Não fede nem cheira,

E reconhece de vez,
Que a vida passou,
Lhe fez só um freguês,
Sabe lá quem gostou,

Da sua proza,
E de suas ações,
Por que, quem chora,
Jamais esquece os palavrões,

A falta de perdão,
Que pode te afundar,
Ouça só meu irmão,
O que vou te falar,

A vida é um simples sopro,
Na eternidade sem fim,
E só sendo louco,
Pra não pensar assim,

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes
1 compartilhamento

Ei você,
Que se lembra mim,
Só quero te dizer,
Não deixe para o fim,

Nem entre em contrariedade,
Muito menos se canse,
Ao passar pelas idades,
Até que alcance,

Luz, Paz e amor,
Na eternidade,
Pois até a flor,
Sabe que a verdade,

Que você plantou,
Merece caridade,
Pois quando jurou,
Espalhou por toda parte,

Um sopro do MEU viver,
Em ti contido,
Espero que você,
Não tenha esquecido,

Que antes de nascer,
Se fez comprometido,
Em saber viver,
Como eterno amigo,

Te ouvi relampejar,
Dizendo dou conta,
Como água que vai pro mar,
Não me desaponta.

SOU sua maior torcida,
Reflita nisso sempre,
Pois em toda sua vida,
Espero que se lembre,

De se ajoelhar,
Conversar com o infinito,
Assim vou estar lá,
Quando estiver aflito.

Para te proteger,
E te renovar,
Vai me reconhecer,
Como o vento a soprar,

Acho que não aguento,
Então vou te falar,
Que EU nem esquento,
Com alguém a fofocar,

Falar mau de você,
Pois na sua luta,
Só pra você saber,
Só resistiu por que crê.

Em uma força invisível,
Era em MIM que acreditava,
Por isso te acho incrível,
Enquanto vislumbrava,

E se encontrava perdido,
Sozinho a pensar,
Achei que já tinha entendido,
Que não precisa provar,

A ninguém nada,
Pois acredite em MIM,
Uma alma ajoelhada,
Aguenta até o fim.

Dessa jornada.

Mário Magalhães
1 compartilhamento

Sou o ar que respiras,
Sou tua vida em tudo,
Ouço todas suas mentiras,
E também seus absurdos,

Gosto tanto de você,
Que se soubesse entenderia,
Que a verdade é você.
Na sua maior alegria,

Tudo que faz me encanta,
Aonde estás sou tua manta,
Na natureza te vejo vagar,
Fazendo proezas,
Por todo lugar,

Estou tão perto,
Que as vezes te assusto,
Então fica esperto,
Para ser sempre justo,

Pois na luz da criação,
Você ainda é uma criança,
Tem que viver com atenção,
Sem fazer lambança,
Na sua incrível andança,

Fazendo de tudo,
Um pedaço MEU,
Pois somos todos juntos,
Ou você se esqueceu?

Sou tua mãe e teu pai,
Pedaço grande de sua vida,
Até quando você sai,
Achando que é escondido,

Só eu sei dos teus choros,
De seus amores também,
Me encontra nos morros,
Basta olhar mais além,

Sou o infinito,
O grande espaço,
Sou seu grande amigo,
SOU seu cansaço.

Na luta desenfreada,
Atrás do ouro e do saber,
Olhando a lua enluarada,
Você também pode me ver,

No mar profundo estou,
Te disse que tudo sou,
Só quem mergulha pra saber,
O quanto custa seu viver,

Sou a chuva que cai,
O vento e a brisa suave,
Só não me vê no egoísmo,
Até que você se lave,
E entenda que eu existo,

E persisto nas rosas,
E nas flores do jardim,
Ouço suas prozas,
Vou contigo até o fim,

Não importa o que faça,
Fico te esperando,
Você pensa que disfarça,
Mas estou me disfarçando,

E na hora que se ajoelha,
Ali também estou chorando,
Pra que ninguém te veja,
Verifico se estão te olhando,

E quando está em família,
Me anima com bondade,
Pois só quem compartilha,
Me sente na eternidade,

Sou o grande amor,
E até na morte,
Também estou,
Pra sua sorte,

Estou na terra,
Na natureza,
Só quem não erra,
Vê minha beleza,

Sou até sua comida,
Sou também a sua cama,
Pra você ver como é a vida.
Sabe de mim quem se ama,

Atrás de uma alma perdida,
Espero que você vá,
Acho que já tenha entendido,
O que EU quis te provar,

Sou doação,
Sou paciência,
Na oração,
Sente minha essência,

Sou a água na correnteza,
Peixe que nada também sou,
Pra me entender com clareza,
Precisa saber o que é o amor,

Fique sozinho,
Respire fundo,
Vou estar pertinho.
Contigo sempre junto,

E no universo,
Sou sua esperança,
Em um simples verso,
Te peço perseverança,

Fique tranquilo te peço,
Entenda a dança,
Do universo,

Pra você não desistir,
De sempre lutar,
Pois bem ali,
Quando acabar,

O teu martírio,
A tua ruína,
E o grande alívio,
Que te anima,

Vai te encontrar,
E te revelar,
Que sou seu tudo,
Em tudo que há...

Parece que cansa?
Mais só quem espera,
Sem fazer alarde,
Sempre alcança,
Paz e amor,
Na eternidade...

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes
1 compartilhamento

A morte

E se eu dormisse,
E não voltasse,
Talvez precise,
Alguém preparasse,

O meu funeral,
Minha última despedida,
Fugindo de todo mau,
Em toda minha vida,

Comprometido estou,
Vendo na solidão,
Grande gesto de amor,
Mas falarão,

Ele sempre gostou.
Mas perai,
Quem te falou?
Ele ficava ali,

Sorria discretamente,
Era sempre Gentil,
Amigo de toda gente,
Pra mim sempre viu,

Alguém necessitado,
Grande lutador,
Pra outro um ingrato,
Que em sua dor,

Deixou simples vestes,
Nenhuma herança,
Viveu sempre campestre,
Com ar de mudança,

Sem guerras,
E desafios,
Só quem erra,
Pra sentir o calafrio,

Da insegurança,
Em sua batalha,
Mas a esperança,
Nunca falha,

E lhe alcança,
Com sua medalha,
Com sua lança,
E sua simples sandália.

Toda bonança,
Que experimentara,
Humilde ganância,
Que sempre falhara,

E te fez indigente,
Vazio em todo lugar,
Passando por essa gente,
Que está sempre a vagar,

Sempre invisível,
E reflexivo,
Quase desperceptivel,
Pra uns o alívio,

Por toda terra,
Todo lugar,
Mas algo encerra,
Mais um falar,

Desta vez sou eu,
Desculpas devo pedir,
Jesus sempre prometeu,
Te amparar te acudir,

Que dia engraçado,
Fico sorrindo,
As vezes calado,
E assim vou indo,

Pros últimos minutos,
Tudo ainda normal,
Ainda tenho assuntos,
Parece natural,

Sempre estamos juntos,
Acredite em mim,
Sou absoluto,
Firme até o fim,

Vou virar adubo,
Planta de jardim,
Agora isso tudo,
Faz sentido pra mim,

Só tentando expôr,
Toda minha história,
Vai saber a dor,
E misericórdia,

Que tentamos,
Por toda parte,
Sempre juramos,
Sem expor necessidades,

E lutamos,
Nessa humilde passagem,
Assim conquistamos,
Nossa última homenagem.

Força divina,
que nos ilumina,
Nos faz perceber,

Como é breve,
Nosso viver,
E tão leve,
O nosso merecer,

Nos receba,
Com todo amor,
E nos entenda,
Por favor,

Nos nossos erros,
Na solidão,
Em fim me entrego,
Em tuas mãos.

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes
1 compartilhamento

Ladrilho de Pedra,
Me perco a vagar,
Só quem não erra,
Pode me encontrar,

Me perdi pelo chão,
Procurando você,
Olhe com atenção,
Você vai perceber,

Mesmo que te diga,
Que te faça saber,
Se algo te complica,
Você pode resolver.

Olhe para céu,
Olhe para todo lado,
Quem se atreveu,
Ja está enjoado,

Cantiga de galo,
Me acorda de manhã,
Se eu não te falo,
Você me apanha.

Continuo escondido,
Você sabe por que?
Os melhores amigos,
Sou eu e você.

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes

Manias,
E regalias,
Todos os dias,
Parecem alegrias,
A nos dar consultoria,
Disfarçados de sabedoria,
Que em nós contagia,
Sem válida autoria,
Parece energia,
É só letargia,
Na agonia,
De dia,
Iria.



Mas não vôo...

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes

O porta voz:

No infinito a sós,

Assim somos nós,

De alguma forma atroz,

Juntos com nossos avós,

Parecendo feroz.

Mas só tirando o nó,

Que o nosso algóz

Nos impoz,

Pensando nos prós,

Conversando a sós,

Ali vamos nós,

No gigante guarda pó.

Ouvindo essa voz,

Que se mostra veloz,

Parecendo esquimós,

Enquanto os dominós,

Presos nos cipós,

Dos índios tapajós,

Parentes dos caiapós,

Em meio ao sol.

Virou pó,

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes

Irineu,
Viveu,
Filho de liceu,
É judeu,
Foi no Coliseu,
Se entorpeceu,
Falou do fariseu,
Se comoveu,
Depois escafedeu,
Quando Entendeu,
Aí escreveu,
Esclareceu,
Que Sou seu,
Cresceu,
Leu,
Virou ateu,
Prometeu,
Depois concedeu,
Do que assucedeu,
Mas dependeu,
Do Morfeu,
Foi pro parque Ateneu,
Quando ele bebeu,
Ganhou e perdeu,
O pneu,
Então se converteu,
Tudo esqueceu,
Quando se submeteu,
Algo lhe favoreceu,
Foi pro breu,
Quando ocorreu,
Que se envolveu,
Em algo bateu,
Era o museu,
Que acometeu,
Disse que doeu,
Então adoeceu,
Algo lhe absoveu,
Quando ele creu,
Achou que valeu.
Faleceu...

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes

A noite a lua,
De dia o sol,
Vivo tudo,
O frio,
O calor,
Alegria,
E a dor,
Até amor,
A família,
Amigos,
Mas Sozinho sigo,
Tento achar,
O mar,

Pra poder me encontrar,
Me perco,

Depois te acho,
Olho e vejo,
Daí percebo,
Pequeno riacho,

E uma vizinha,
Sozinha,
Lavando roupa,
Criança no colo,

E bem lá no solo,
A plantação,
Bonitas maçãs,
E hortelãs,

No meio um sorriso,
Por que,
tudo isso?

Nem sei,
Pra que?
Ou mesmo,
Por que?

Que o vento sopra,
O dia raia,
A tropa,
E a traia,
Se arruma,

Se vai perder o rumo,

E tudo vai,

Morrer.

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes

O EGO

Você pode sair da prisão!
Você quer sair da prisão?

Você se acha livre?
Acha que vive?

Então pensa o que quer?
Ou faz o que quer?

Não obedece o tempo?
Você controla o tempo?

Ou te controlam?
As vezes você enrrola?

Vai pra onde quer?
Ou tem o que quer?

Pra que isso?

Por que isso?

Vida, mundo, trabalho, lugares e pessoas,

Um fardo,
Ou uma diversão?
Você tá de que lado?
Se vê libertado?
Ou na prisão?

Tudo pode?
Ou chora também?
Acha isso um trote?
Como eu também?
Ou
Muito surreal,
O bem e o mau.
Até o final.
Tchau...

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes

Desleixado,
Jogado na rua,
Olhar parado,
Contemplando a lua,

Passar da noite,
Ouvindo os açoites,
Querendo viver,
Pensando como fazer,

Tem esperança,
Nessa luta,
Nunca se cansa,
Da labuta,

O sol já vem vindo,
Já estou sentindo,
Luz para nós,
Pra todos vocês,
E os que estão a sós,

Parece que vai chover,
Debaixo da ponte,
Pode se proteger,
Alguém mais se esconde,

Daqui dá pra ver,
Pensei ser sozinho,
Da pra entender?
Vamos ficar juntinhos,

Ali vamos nos esconder,
A chuva passou,
O sol raiou,
Lindo dia começou,

Fico de pé,
Vou logo correndo,
Quem mais quiser,
Vai lendo,

Essa passagem,
Que é homenagem,
A solidão nas ruas,
Das almas nuas,

A vagar,
A vida passa devagar,
Da a impressão,
Talvez não.

Não tem como saber,
O triste viver,
De alguém deste jeito,
Perdido desnorteado,

Meu amigo,
Falar é fácil,
Difícil é poder ajudar,
Feito madre Teresa de Calcutá,

São Francisco de Assis,
Que em algum lugar está,
Mahatma Gandhi,
Só pra agradecer,
Chico Xavier,
Não da pra esquecer,

Buda e Lao Tse,
Bezerra de Menezes,
Quantas vezes,
Jesus,
E tantos outros
Que a eternidade,
Lhes eternize,
E gratifique,

Como merecem...

A vida agradece,

E ninguém esquece,

A bondade,
E a caridade,
De verdade,

Solidariedade,
Por toda parte.

Mário Magalhães
Inserida por Mario-Magalhaes
1 compartilhamento