Poemas de Terror

Cerca de 413 poemas de Terror

Nos filmes de terror a vitima sempre pergunta:
-Tem alguem ai?
Ate parece que o assassino (ou o ladrão,fantasma,psicopata e etc) vai falar:
-Bem depende se alguem for uma pessoa que quer te matar ou roubar, tem sim,Eu!

ScarlettR2
Inserida por ScarlettR2

O FIM


É O FIM DA HUMANIDADE
É O APOCALIPSE
TERROR E MORTANDADE
A BÍBLIA O PREDISSE

É O FIM DO MUNDO
TRAGÉDIAS NOS JORNAIS
NA TV A CADA SEGUNDO
CENAS FORTES E REAIS

É O FIM DOS DIAS
MUTAÇÕES GENÉTICAS
ENCANTO E MAGIA
CRIATURAS CIBERNÉTICAS...
























©JUNIOR SOUZA DA SILVA – OMNI – 2008




O FIM (PARTE 2)




EU VI AS NUVENS ESCURECEREM
E O MAR EM SANGUE TORNAR-SE
EU VI AS ALMAS DESAPARECEREM
E O CÉU COMO UM PERGAMINHO A ENROLAR-SE




©JUNIOR SOUZA DA SILVA – OMNI – 2008





O FIM (PARTE 3)


O TEMOR
O TREMOR
O PAVOR
O TERROR
O HORROR



“SÃO SINAIS DA VOLTA DE JESUS”


AS DOENÇAS
A VIOLÊNCIA
AS DESCOBERTAS DA CIÊNCIA
A TURBULÊNCIA
A IMPACIÊNCIA



“SÃO SINAIS DA VOLTA DE JESUS”





©JUNIOR SOUZA DA SILVA – OMNI – 2008








O FIM (PARTE 4)


ELE LIA O LIVRO
DO APOCALIPSE
E NELE ESTAVA ESCRITO
SOBRE O GRANDE ECLIPSE


NAS PÁGINAS HAVIA
RUMORES DE GUERRAS
PESTES DESTUIDORAS
E TREMORES DE TERRA


ELE LIA O LIVRO
DO APOCALIPSE
TRAGÉDIAS, DESGRAÇAS
UM MUNDO EM CRISE



©JUNIOR SOUZA DA SILVA – OMNI – 2008






O FIM (PARTE 5)




AGORA AS HORAS AVANÇAM DEPRESSA
AGORA SURGEM OS FALSOS PROFETAS
AGORA OS HOMENS SÃO ALMAS PERDIDAS
AGORA É O FIM DA ESTRADA...

AGORA OS CHIPS ESTÃO SOB A PELE
AGORA SOMOS SÓ MAIS UM PRODUTO
AGORA SOMOS VIGIADOS POR SATÉLITES
AGORA À HORA É CHEGADA...

AGORA AS MANCHETES INFORMAM
AGORA O CAOS É IMINENTE
AGORA O QUE ESTÁ LÁ NA FRENTE?
AGORA A TROMBETA FOI TOCADA...

AGORA O SANGUE ESCORRE
AGORA NAS RUAS OS HOMENS CORREM
AGORA UNS AOS OUTROS SOCORREM
AGORA LÊEM A BÍBLIA SAGRADA...



©JUNIOR SOUZA DA SILVA – OMNI – 2008

JUNIOR SOUZA DA SILVA - OMNI - 2008
Inserida por OMNI
1 compartilhamento

caminhar pela terra diante o terror,
a tempestade consome meus olhos,
enfrente aqueles são os mesmos,
dela para longe olhos simplesmente
enche se dos mais terror teores,
não lhe digo assopre o ar,
que impende de respirar,
no entanto não jugue
por tentar voar no além,
nesse gelo que convêm,
as menores as piores
tudo olhado medido
nas dores reclusa
apenas a distensão,
o frio se expressa num caos...
entretanto os meridianos....
revela se na planícies...
o parador do inexplicável,
tudo desata nas estações
cujo fogo das estrelas corre
em direção nordeste
até que desapareça no horizonte,
figuras sinistras decolam
para apaziguar,
os sinos tocam sobre os flagelos
mansos devoram as almas perdidas
sermão chato o real denota
os vultos que pairam sobre a noite,
comendo traço a traço de cada digito...
mar abrupto som para sempre o vazio,
na escuridão mergulha
quais intensões, para compreender
os mesmo um grito assume um formato...
murmúrios e gemidos...
a luz desaparece diante um zumbindo...
passos lentos defloram a ilusão.

Celso Roberto Nadilo
Inserida por celsonadilo
1 compartilhamento

horizonte negro
simbolismo cruel
terror sem sentido,
dia apos dia
exclamações da tristeza,
forte solitude
branda magia esquecida,
minhas lagrimas
são absorvidas
pelo tempo...

Celso Roberto Nadilo
Inserida por celsonadilo

anjos mortos solidão abandonada,
solidão liberdade do coração,
livre ou morto,
apenas o terror há meio fio
numa estrada longa e sutil.

Celso Roberto Nadilo
Inserida por celsonadilo

frio na alma
pleno terror
sonho perdido
amargo sonho...
expresso olhar
medo frio.

Celso Roberto Nadilo
Inserida por celsonadilo

terror, terror,
frio mais frio...
sem o calor do coração,
titubear sobre as palavras,
gaguejar nos passos dos devaneios.
receio que o encanto abandonou,
a paixão no resquício de um amor.

Celso Roberto Nadilo
Inserida por celsonadilo

Se pudesse bloquearia o patrimônio do governador
Pra dividir com degradados pelo terror
Como não dá, empresto a voz pra garganta silenciada.

Eduardo
Inserida por Faccionario2

horizonte frio terror minha alma,
solidão minha tristeza,
longitude minha alma tão perdida,
minha perdição meu amor,
triste terreno morte serena minha vida,
luar perdido está vida não mais meu amor,
tantas vertigens sussurram apenas lamentações,
gritos sem origens para interior vazio ecoa a morte.

Celso Roberto Nadilo
Inserida por celsonadilo

De longe minha alma faminta
gloriosamente perdida...

como sempre o terror
entre um mundo outro
a luz folgaz entre o ardi o

celebre ar frio
de cada fagulha perdida
em cantos no maior primor...


de uma dança sentida...
selada em pontos de silencio
em vetores estranhos...

purpura como uma canção
que vem com vento
em sonhos terás a alegrias

no manto de muitas luas
entre trevas dos quais sonhos
caminham em todos lugares

nunca se acaba pois
centelha boa como água
que flui do rio

mesmo sujo turvo
um dia foi alegre
cheio de vida

Celso Roberto Nadilo
Inserida por celsonadilo

Nossas vidas perdidas pelo um sentimento.
No terror de nossos corações ...
Em estágios terminal dessa época...
Sempre será valores mortos e tão sentimentais...
Como este ferimentos que nunca se curará.

Celso Roberto Nadilo
Inserida por celsonadilo

Sonho Imortal

Eu vejo o mundo desabar,
E de repente ele se reergue,
E o terror de não poder amar,
Ele me sorri e eu me vejo alegre.
E faço um coração com as mãos,
Apontando o horizonte distante,
Pedindo paz a cabeça e coração,
Pra poder sonhar como sonhava antes.

Alex Sanjeri
Inserida por alexsanjeri

vangloriado extenso até ardi-o
estrondoso como deputas impera o terror,
solitude mero dia escuridão doloroso coração.

Celso Roberto Nadilo
Inserida por celsonadilo

opera
fria
sem sentimento,
horizonte frio,
terror...
esquecimento,
tremor
para gelo da alma
copo d´água fria noite
sede sem fim
as horas são obras
na solidão
dois quais uma sombra
nas sobras do sentimento.

Celso Roberto Nadilo
Inserida por celsonadilo

morte desejo obscuro terror do meu coração
desperdício almejado sobras de um teor
esquecido banhado por mais uma
mansão de espelhos
virtuosa sobre mar de maldades,
saborida por demais assolada
ressentida astros de mármore,
de bem querer o gosto da da noite,
passado pelo qual desdenho
monumentos são irreais as falhas
no por-do-sol entre o brilho olhar
distante nada cálida de um anjo,
respirar pode ser um sonho
daqueles que são humanista,
detêm as dobras ardis,
pois sois mero aprendiz
velado na supremacia...
de um céu feliz...
nas sombras obscuras
zelo matutos sejam ateus,
que maravilhas da alma
de poem se diante o belo e o caos,
não digas que não há amor,
que a tradução se prediz
como uma opera de rios poluídos
por demais mesclados,
na morte existe vida,
que a declare nos mais dias escuros,
chuva acida,
extrema tristeza esquecida em poucas citações,
noite entre a madrugada calmaria,
vulgo meu ser, passivos num olhar.

Celso Roberto Nadilo
Inserida por celsonadilo

Armas que se chocam, fogo que consome, no fragor da batalha o terror e a hecatombe.
O metal corta a carne, lâmina a trespassar o corpo do inimigo que se deixa apanhar.
Coortes que atravessam mais um campo de batalha, e o sangue molha a relva e a morte se espalha.

André Luiz Monteiro do Amaral
Inserida por aamaral

Não tem como ficar estagnado assistindo o filme de terror real passando na tele(visão) dos nossos olhos...
Não tem como encher de cobertores o frio das ruas, se não aquecemos os próprios corações e não mutilamos à frieza de nossa alma.
Não tem como calar, quando o grito é mais forte que o próprio desamparo...
Tem que libertar as obediências, deixá-las obedecer os vácuos estreitos e alargar os instintos!
Tem que deixar, fazendo acontecer melhores oportunidades, pois elas não se fazem sozinhas e não caminham sem estar lado a lado à sensata lucidez, ainda que seja, desconfortavelmente doida e doída!

Simone Resende
Inserida por SiResende

Filme de terror não é perigoso


mas na medida que você não seja medroso.

feio666
Inserida por Feio666

solidão profunda,
tristeza única...
evolução do coração,
terror do passado...
aonde esteve o futuro,
deixado por um vórtice
de angustias supremas
como aspirações destituídas,
em um ponto que mundo,
passa sua luz até a morte
de um sonho, fútil olhar...
entre assim o ali torna se
o fruto solitário de correntes
que fazem flutuar sobre tantas
vindas do frio que abate se
nesse dia em que noite
se estabelece,
no destino do coração.

Celso Roberto Nadilo
Inserida por celsonadilo

Ninguém nunca para pra pensar no se baseiam os romances. Tragédia e terror, modificados pelo tempo. Acrescente-se um pouco de arte à redação e voilá!, um enredo emocionante, capaz de fazer o sangue correr mais rápido nas veias e as mocinhas suspirarem.

A viajante do tempo

Diana Gabaldon
Inserida por iamvivianlira