Coleção pessoal de hellmouse666

1 - 20 do total de 2755 pensamentos na coleção de hellmouse666

Das pedras em chamas que caiem dos céus,
sinto teu perdão, em chamas que transformam...
agonia sonsa em esperança permanentemente...
tantos cortes o sangue corre em mares,
mesmo os céus azuis denotam o amor,
beba a vida sinta a eternidade...
podemos caminhar entre todos e
ninguém vai sentir a diferença,
mesmo com seus olhos negros
somos lobos que estão em meio
ovelhas mortas... não temas
pois a água já é vinho,
tudo o que temos caiu dos céus...
quando nossos corações estavam magoados,
a espera de dias melhores,
e sangue escorreu das nuvens...

celso roberto nadilo

Quantas coisas fora do lugar,
ninguém quer dizer adeus,
em horas que tudo esta fora sincronia,
na desordem paira o ar que desilude,
embora se hora de ir embora,
ninguém quer ir... estamos com frio
quero beber ultimo gole,
mais estou bêbado de sono,
estou sozinho o que importa...
outro gole tudo pode explodir,
e que vai chorar se ainda nem amanheceu,
as visões de aranhas andando pelas paredes,
julga gosto amargo, ate ressaca parece um sonho...
entre as estações... as paredes se mexem,
as luzes ganha formas que se diluem num trago...
tudo revira parece inicio do fim,
o coração doe em tantas ambições...
desejo de um beijo se debate num para-brisa de um carro,
cacos e sangue escorrendo desaparece diante dia que amanhece outra vez as dores não parecem nada...

celso roberto nadilo

Diga tantas coisas para felicidade,
Distante... pois o momento parece morrer,
Quando... espero ter um sentido na alma,
Os disparates do metro mais um atraso...
Alguém desespero pulo na frente da composição,
Extremo processo que se destina ao espaço politico,
Ninguém se interessa, pois vai chegar atrasada.
Trágico momento que nada se compara
As vozes que se perdem no horizonte onde um túnel
Que é representativo... no estante que deixou a vida,
Semelhantes gritos num espaço escuro apaga se em lagrimas...
Experiencias que se projeta se no inconsciente...
Quem compreende a tristeza ou desafios da escuridão...
A solidão faz se debater no estante que chega e acorda,
No meio da noite não a nada além...
Sobre põem um abraço
Uma palavra amiga que ressoa imenso sentimento.

celso roberto nadilo

A cidade de um homem é engolida pela morte...
Calor que tem no ultimo suspiro senti o ador da vida...
sufoca no ápice do desejo... do corpo nu,
perfeito momento, no emblemático sentimento,
escoa pelas escadas ate que descambe
numa cava fria, estando esquecido
apenas a poera que voa nas mais infamas correntes,
choradeiras se debatem num ar escuro.
adeus bem pouco o conhecia,
mais minhas lagrimas morreram com ele.
sobre sórdidos sentimentos que denotam seu olhar
num passado imerso na desilusão... passa se
o ar da sarjeta se afogando na corrente da chuvas,
num passado imerso na desilusão tudo tem forma de saudades,
embora seja o sofrimento e agonia atravesse seu peito
como bala que desferiu o terror inúmeras vezes, respirei fundo,
desejei que fosse parte de uma alucinação
que corriqueiramente deixei passar como o amor.
poema vivido ate tempo o transforme em pó.
by Celso Roberto Nadilo

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

insides
a luz não vive sem escuridão.
o medo é apenas ignorância...
de fatos que oprimem a vida.
o desconhecido pode ser a imensidão,
desconhecer a verdade se calar na escuridão...
mais o silencio seja uma opção
dentro da solidão tem muitas coisas
podem te dar a evolução,
o sonhos vem no escuro do sono.
a visão das dimensões que te abrange.

celso roberto nadilo
2 compartilhamentos

seria caos um opção ou seja uma necessidade...?
tantas discussões e discursos como um curso intestinal,
eles aplaudem pedem bis numa ilha paradisíaca...
em passamos fome, sem recursos médicos,
vamos da segurança e saúde.... sua vida é feita do que?
se a deserto á um paraíso fiscal.
isso mídia mostra e contempla... somos apenas a diferença.?
ninguém sabe o que fazemos para viver, apenas acréscimos no imposto. e ainda não tem recursos...

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

Falaria muito mais não haveria ninguém para ouvir,

seria fácil escrever, mas, tudo seria apenas um escritos

entre tantos momentos passado pela alienações

que abrange o senso comum, a realidade seria opaca

no fundamental da deles a perspectiva do poder,
refecerem sempre disfunção do estado monetário,
as vantagens para seus bens em contas fantasmas,
em paraísos fiscais, e depois denota se o diga serão palavras
que voam ao vento ,
enquanto a esperança torna se um país do futuro,
seria a vida esperar e superar tudo que vivemos,
diante as tantos momentos de desespero e angustias,
pelo âmbito moral que temos atura pois tudo é aceitável,
até a corrupção seja fato tão comum num senso...
de desastres num paí tão imenso cheio de desigualdades,
quando alguém se rebela o ar que é poluído
de recursos frágeis como destaque no ador do dia a dia.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

Em uma escala reluta o resultado de suas emoções,
Mistifica o teu ser mítico...
Sobre os flagelos brumas,
No resquício o esquecimento...

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

probabilidade emocional,
te amo minha tristeza,
não tente tocar imensidão,
com rosas que estão pelo caminho,
e numa cama de desejo e opressão,
num corpo apático,
desventuras que arrebatam,
em idiomas risórios murmura
tantos sonhos e desejos...
aplaudem tocando simplesmente.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

Nessa escuridão deste quarto tenho lembranças...

Tantos anjos mortos, Nas eras despedidas...

Ganham a doutrina num mundo vazio...

Tantas mentiras tem suas contradições...

Nesse mundo de oportunidades sou um espirito.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

A noite aparece se amarga e fria,
nos contrastes o coração para...
sobre detalhes a canção que paira pelo teu corpo,
delicia tanto quanto imagina,
morde seus lábios em chamas,
retem o integro da alma...

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

amor eterno,
soberano no ar atrevido,
surpreende no audaz termo
de um sorriso vagabundo,
ao som sórdido,
carisma que vaga sobre lençóis,
extravagantes sob tempo
o glamour ganha seu encanto.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

fluxo torna se abruto quando é o desejo mais profundo.
encanta de tal forma que se dilui no extenso do universo,
como corpos celestes que viajam sobre a gravidade
que destinam a imortalidade de ciclo sem fim.
hospedando seus satélites como amantes de mundo estranho,
bizarramente os encontros destilam a vida numa síntese profunda.
nada se igual a singularidade do qual de repente se ama para sempre.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

faça por merecer e morra em paz,
o que? esta acontecendo...
querer o que?
fingir e sorrir faz mal...
desespero único
claro que não,
obsessão meu amor.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

dias de fúria...
antro de notações
desfrute do teu amor,
sensações que doem,
tudo tão pesado...
lagrimas de raiva.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

ador do vento...

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

Tem dias que tudo parece ser uma fantasia,
como um figurante sumo entre a multidão,
mesmo com coração despedaçado,
tentam ferir mais e mais,
a base da semântica é um ser em declínio,
sendo elemental, suas palavras some num palco,
senti se superior, tenta profanar meu coração,
deferindo sentimentos amargos,
ferronhos da tua impia volúpia
rasteja até os espaço mais ermos...
os sentimentos, tornam se abrupto,
e restringe sua menção involuntária,
barrando a verdade da escuridão que a cerca.
no refugio da tangente até a escoria,
que reata o julgo limiar, de tua magoas,
o regaço de teu algoz infamo,
paira sorrateiramente, nos estados tuas cavas...
reluzem os traços da esperança.
vulgar tal entanto sob dito da promessa,
escoa por pensamentos ao longe.
toma partido na luz que cega a convivência,
meramente crua sendo singular...
expressa o amor entre a terra o pó,
que vaga entre teus templos de devoção
plagia me ego morto, sentimentalmente
sois o vento que passou em lembranças,
em cascatas de borbulho a o espirro,
de sombras doloridas para vertente,
reage em inúmeras vertigens,
teu sopro perde a intensidade,
nos tais prólogos, vegeta se no supremo ador,
dispensa meu ser nas brumas,
torna se a ressaca, bem na noite
todas paixão perduram na imensidão...
o fel que determina e perdura teu julgamento.
e refaz a origem que amarga
impendiosamente reata a ilusão,
confirma meu sentimento perdido,
da luz replica tuas vontades,
sem saber quem foi e quem será...
nas margens da solidão suplico,
o que tenho dentro dessa devastação,
debatendo se em olhares ao vazio,
igual ao vaco do espaço,
guarda seu brilho até sumir
vitimas do tempo, pensa se no que desejo,
no intimo momento sou lapso da insanidade,
sopra o relampejo de intimo glamour,
sonso encontro na barbaria do sussurro,
desembesta e ignora como se não conhece se,
mas, o preludio se dá quando desbarata,
tua fúria entre amigos que busca um premio de consolação.
todo desaparece para todos os momentos,
tentei superar a angustia que deferi...
declarações sois sordas,
seca como fruto que se jogou num abismo,
palha de algumas ofensas, sobras
que resiste num ar que chama o amor.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

Tempestade que impera sobre o espirito...
transcende sob formas ousadas,
deram a está ostentação,
bem como se separa o ador mero sonho,
que desaparece entre os sentimentos.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

nada é suficiente,
nada basta,
tudo que é feito nada vale,
então o que sentido...
vivo numa fantasia,
bem como qual seja reciproco
num lar de vaidades
sou apse do luar,
na loucura continue assim
seu valor tem tabelamento...
dentro de sonhos
todos quartos estão trancados,
o tempo parece um mar no infinito,
quem te ama quando tudo acabar,
um arrepio irreal parece as estrelas,
num lance posso até chorar,
mas, não tenho tempo...

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

Um beijo e vá para inferno!
esta livre no sábado....?
estarei no inferno...!
seus olhos queimam
sua língua assa no vinagrete....
tudo maldizente,
na fúria de ser o infinito
balbuciando aos cantos
meros, como fruto te teu ventre,
jogado e podre no terreno baldio...
vegeta nas suposições,
deixando decompor cada sonho,
não venha correndo atrás...
nunca foi verdade,
não merece nem um adeus,
mesmo que faça um pacto,
estará perdida em mundo de ilusões.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento