Coleção pessoal de celsonadilo

1 - 20 do total de 2944 pensamentos na coleção de celsonadilo

O que somos é o que devemos ser,
na mais do que somos além do que temos que ser,
ser por ser a existência na pratica tudo é funcional.

Celso Roberto Nadilo

veneno do ventre
sentimento que desdenho,
dublagem de vida.
descoberta que restringe,
devido a musica da alma,
pedida no coração
interpretada na nudez,
a luz que se espalha
na imensidão o proposito,
tudo no desejo que brilha
na noite mais escura,
sua silhueta fica evidente,
no brutal esplendor das brumas,
esgueiram se por suas curvas
torna se sinuosas entre a noite
rapidamente o espaço tem tramite,
deliciosamente vários lugares,
a inspiração se transpõem
na tangente da insanidade
gritos e sorrisos num instante
borbulha na margens do lago,
a desculpas torna se reféns,
do mais primitivo sentimento.
tudo parece ser o prologo num tom esquecido.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

_Astro da submissão_
mundo abstrato...
mudo...
seus gemido contidos,
olhos vendados...
para simulação...
espaço sem traços.
transição em local desconhecido,
por instantes foi bom até redirecionar.
a ligação passou para nova ligação.
programação... de uma musica online,
estado de zona de conforto,
estado inerte no primeiro momento
começou musica de fundo,
alguns sons

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

_Ela_
Sobre pretexto o contexto
Nudez talvez.
Sensato desejo.
Algoz bem com amor, propósito,
Se foi uma mensagem até mais,
Desatino, serio marcante, duas vezes,
E depois, dialogo se tornou o silencio,
temperamento a sós, sentimental,
tanto tempo passado na contemplação.
sempre momentos presados atenuantes
ressalvas num mundo perdido.

Celso Roberto Nadilo

Celso Roberto Nadilo
1 compartilhamento

tu é bonita demais
poxa pensei escrever uma musica
tu é tão bonita e eu sou fuleiro,
toco musica debaixo do chuveiro
te vejo dançando na chuva
beirada da praia te vejo cantar na madruga inteira,
e passo todo momento espero parecer
na noite que esqueço quem sou fuleiro...
meus amigos chamam para sair de novo...
ninguém sabe que quero beber até morrer,
de noite busquei te encontrar até manhã...

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

_Exílio_
Dos sentimentos,
Abrasivos em tons negros,
balbucia em tramites virtuosos
sussurros em vertigens sinuosas
cálida propicia de temores alienares
julgo bem querer sob suspiro
nutri estado infindável do amor.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

Sou poeta que resumi a resenha do coração
expressa o sentimento da vida...

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

O poder autoritário te faz bem?
Ninguém foi feito para apanhar!
Cair e levantar estando na atividade...
Se sentir bem é puramente o fruto da Opressão,
Sempre olham desconfiança,
Perseguição,
Para meias verdade não existe o caos.
Ordem deve ser mantida...
Virtude que te mantem cativo...
Sua opinião não existe num mundo de liberdade...

Celso Roberto Nadilo
1 compartilhamento

morrer de overdose é para poucos,
ideologia, se passou ninguém quis ver,
morrer bêbado jogado na sarjeta esquecido pelo mundo,
trevor por ser humano, doente se morre numa fila,
morrer na folia é para poucos loucos,
insanos são jogado em depósitos,
se dá um criminoso o direito da duvida,
com a chave jogada fora, a mente está viva,
durante um instante pessoa pensa se joga nas linhas do trem,
mais um atraso desconto na carga horaria mais dia de bebedeira se morre atropelado por estar de bem com a vida.
ironias no esquecimento do momento que se passou.
numa festa tudo esta feliz até sentir nada esteve realmente bem.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

Atitudes que te levam para obscuro da alma...
a revolução começa na tua mente...
entenda que nada é de graça,
cada coisa que pensar já foi pensado,
alienação de tudo para mundo ausente,
clarividência um termo da comunidade,
abuso da esperança te faz chorar,
ninguém vai ligar se morrer num tiroteio,
mais uma matéria sem interesse popular,
foi preso por expor suas ideias...

Celso Roberto Nadilo
1 compartilhamento

_Eu sou um momento torturado...
_Acorrentado uma cadeira elétrica,
_Cortado em meio ajuntas,
_Sem unhas agulhas fazem a dor parecer um alivio,
_Mais banho gelado depois outro banho de sal grosso,
_Confessa pode disser_
_Mais ainda a vida num corpo desfigurado,
_O afogamento parece um sonho bom_
_Gritos não são mais uma agonia dos cortes,
_Mais um choque para se lembrar,
_Reflita logo terá uma visita da sua esposa_
_ Cortando um dedo para saber que não estamos para brincar_
_O enforcamento será só mais um momento enquanto assiste um estrupo_
_Confesse e diga quem são seus companheiros_
_Sua boca está suja devemos tirar seus dentes_
_ Assine sua confissão e terá a clemencia estará livre_
_Seus crimes serão arquivados numa cova_
_Um tiro e será cobrado a bala de seus familiares_
_Se não aceitar terá a faca como companheira...
_Sua esposa já esta morta, nem aguentou o sargento_
_Parece um alivio mais vamos continuar pois ainda não confessou...

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

_Pungente_
andróginos sentimentos grifados ....
no entanto reflete no pensamento perdido,
na fogueira de vaidade, sendo o soprando
do querer celebre instante ofuscado por mais uma noite,
as correntes do teu amor serão rompidas,
no desejo tenro ador que esparece num tom qualquer.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

a dor te traz prazer quando
a dor termina sentirá paz,
no inicio era entorpecentes
e hoje em dia drogas algum medico lhe deu,
pura sorte receitar ainda tenho um dia para desfrutar,
pena que um quarto só tenha o tempo mais nada.
na monotonia se da a ironia do tédio para o amanhecer...

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

algoz,
da terra para a mídia,
sombras e assombrações
no desatino o realce publico
denomina o que curtiu e comentou,
passou desapercebido,
quando tempo passava a vulgaridade...
sensato momento que se passou numa miragem
a pareidolia parece nesse sonho.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

_Solitária...
Alma que se perde na imensidão...
transpõem se o desejo da morte
a um sonho esquecido na imensidão...
o vasto momento que coração sangra
em palavras que segui no silencio,
para um desvio do que acha que estou alegre,
no momento o sopro da vida doma se num abraço,
o delicado momento da se em desespero...
ilusões que se definem num suposto estado de dor.
dando a esperança com perdida num pedido de casamento...
fraudes de corrupção meros estreias sem divulgação...
disse que seria bom mas passou deu dia qualquer.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

Cine especial,
nas cavas do seu corpo,
o mel desgarrado num fonema,
entrando e saindo de tantas formas,
desejos navegantes na alma pungente
deforma a ausência da sintonia o rebolado,
numa parceria difusa de tantas vezes se suga,
o tremor dito a dor do silencio algoz,
ferronho destino de mais um pouco...
arreganhando todos adores ate o amanhecer,
obscuro intervalo julgo em murmúrios...
dançando na vibração,
grita e geme o sons que se diluem na escuridão...
parador suspenso no ar que há delicia...
um suspiro mais fundo o cansaço é claro,
dentro da satisfação a plena sintonia de um beijo.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

Observando seu perfil,
tenho misericórdia pois sei o que sou,
penso cada instante passado,
esperando sonhando com que farei,
tantos possibilidades,
todo gesto e expressões são arquivadas,
cada acontecimento passado a limpo,
esperando momento certo....
sem falhas apenas desejos fortes,
cativado dos dias...
sorrisos fotos e sentimentos....

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

_ Poema abstrato_
Semântica sem vogais..
Sensações espalhadas por denominações,
Perjurais em indagações,
De privilégios em ações paralelas,
Interruptas invocações.
Sendo passado pelo sujeito no adjetivo,
Emblemático para que deduz o letrado,
No embuste da cronica desdem o fato,
Sempre mantendo observação do sujeito oculto.
Detalhando perfeição da qual o terror seja mero,
No sentimento o passado torna se objetivo,
Dando ação o argumentação do tempo...
Nesse dialogo a difusão da interpretação,
O julgamento da estrofe perdida no eu poético,
Transcendendo o formado o som grave para o agudo.
Sendo base do sentimento o ar do futuro,
Tão bem como o presente ao medo sentido,
Deferindo as margens correspondentes a voz do eu poético,
Dando base e a plataforma do esquecimento.

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

O dia passou em momentos escritos em murmúrios...

celso roberto nadilo
1 compartilhamento

_Meros rabiscos
desenhos são letras,
sentimentos são o vento.
erros são palavras que não tem sentido,
escrevo para que tenha uma compreensão,
ou não importa esse sentido, apenas sejam rabiscos...
o que importa?
o que faça não mudará nada!
grifar alguns sentimentos e expressar... o foi isso...
poluição visual, erros na gramatica,
morte do português, desespero só um gesto verbal,
esquecendo a semântica e o que é mesmo...?
não sei apenas achei bonito escrever...
sensato são os grafites são imagens que falam,
mas, o que expressar só daqui milhares de anos irão compreender...
os rabiscos perdem o sentido nada é mesmo
por muito tempo.
as ideias ganham formato e visualizam em desenhos...
o idioma foi um dia algo bom perdido nessas palavras.
o sentido abstrato ganha fonte e roda- pé...
claro um sentido figurado,
para mais o entender ganha atributos de escolha múltiplas,
clareza do conhecimento lhe dará a liberdade de viver melhor.
e esse melhor será seu destino esquecidos uma parede de uma caverna e se tornará um achado de um passado...
que se foi um brilho nas palavras de um artista que morreu anonimamente...

celso roberto nadilo
1 compartilhamento