Outono de noite Fria

Cerca de 49 frases e pensamentos: Outono de noite Fria

Manha de outono nublada e fria
Não deixe também nublar o seu dia
Estampe um sorriso no rosto
E deixe chegar a alegria

Faça expandir o amor
Imitando os raios de sol
Que ao nosso coração
Acalenta com calor

Coloque amor e alegria
Em tudo aquilo que faz
A quem precisar dê a mão
Faça brilhar sua luz
E então encontrará a paz

editelima
Inserida por editelima
1 compartilhamento

Você pode até considerar o outono uma estação fria demais... feia demais... por causa do estrago que ela faz... mas você vai perceber lá na frente que as folhas só caíram e o estrago só foi feito porque era preciso renovar para vir a primavera com suas novas folhas e suas novas cores.

Mikaela Silva
Inserida por mika1silva
1 compartilhamento

Nas tardes frias e ensolaradas do outono. Penso na vida, re-penso na vida, VALORIZO a vida. No canto do bem-tivi e na serenidade da minha cidade. O céu escuro vem caindo, vai a luz radiante e vem a luz brilhante. E são milhares de pontos que encantam cada olhar. Que desencantam quem descontente está. No entanto, esse lugar é único, esse lugar é mágico. E reclamação é esquecida, quando o sol derrete o orvalho. Vibe total como disse meu mano. E a cada nascer do sol a vida vai se renovando. Com meus amigos e o meu skate, nunca estarei sozinho. Com minha família e minha companhia, seguirei o meu caminho. E cada pôr do sol, eu vejo o valor da vida. Feita por Deus, presencio mais uma obra prima. Esse é meu lugar, por aqui que vou ficar. Entre ações, re-ações, imaginações e sensações. Nas tardes de outono, continuarei a viajar.

Paulo Matos
Inserida por paulomatos
1 compartilhamento

ela era fria e seca como as folhas que caiam, no outono.. sempre a Julgavam por não sorrir pra todo mundo diziam que ela era antipatica, mas isso era apenas uma alto defesa, depois de tanto se machucar, ela usava a irônia pra esconder a dor , e era do tipo que parece dura com todo mundo, mas era por medo, medo de se decepcionar de novo, de novo e de novo..

Isabela Matarazzo
Inserida por isabelamatarazzo
1 compartilhamento

Exatamente 5 horas de uma fria tarde de outono. Desceu de seu Landau vermelho 1977 cheirado a roupa limpa, o cabelos esvoaçando e se perdendo no vento. Com toda sua sutileza e com a cara mais oposta para a situação impossível caminhava com um ar de quem esperava algo a mais da vida, ou simplesmente daquele momento. Ela estava sentada com as mãos nos joelhos suando frio e quase tendo um colapso nervoso, ou um derrame emocional. Com toda sua tranqüilidade sentou ao lado dela e a beijou na testa. Tenho mera certeza que aquele beijo a levou a 30 lugares diferentes sem se mover. Perfeito era o momento e não a noticia que ele vira trazer. Estava partindo, aquela pequena cidade do lado norte do país era pequena demais para ele, para os sonhos dele, para o sentido que ele queria dar ao seu próprio viver. Ela não sabia se era só a cidade, ou se ela era pequena de mais também para faze-lo ficar ao seu lado até os fins dos seus dias. Lágrimas envolveram seu rosto, e quando iria se pronunciar o dedo indicador dela tocou seus lábios em um gesto que pedia silêncio, e então ela se pronunciou:
- Como, como me manter longe de ti se minha boca procura a tua, meu corpo pede casa ao enrosco desordenado dos teus braços, minha mão sem pensar sempre avança a tua nuca! Como?
Exatamente o que ela descreverá em sua unica fala estava acontecendo, lá estavam eles mais uma vez se perdendo de si e se encontrando um no outro. Mas como as folhas do outono estavam tocando o chão, o amor avesso também estava indo ao chão. O passar do trem e o barulho que as ferragens antigas fazia nos trilhos despertou eles do topor aonde se encontravam. Ele se levantou em um pulo desajeitado e se lembrou que aquilo era só mais uma das várias coisas que ele haveria de esquecer se quisesse ser mesmo livre. Ela ficou no chão, sem entender. Com a fome de um lobo faminto, enterrou sua cabeça entre as folhas e quis por um momento que a terra a engolisse.

Maria Eduarda Baldini Zafonatto
Inserida por dudazafonatto
1 compartilhamento

Era Uma tarde fria de outono Ela sentava no balanço em seu quintal Via o que se passava em volta Pensava: "Será que isso é normal?" E a vida continuava a passar E aquela garotinha sentada em seu balanço Já não se perguntava mais nada Vivia aceitando o que a vida lhe dava Sem pestanejar , ela guardava pra si, as magoas Magoas que sofreu por uma vida que ela deixou passar Enquanto ficava sentada em seu balanço Balançava, pra lá e prá cá Desejando talvez poder voltar ao tempo E rever coisas que passaram despercebidas Coisas que foram deixadas de serem vividas Agora a menina em seu balçano só quer paz Ela senta, deixa a vida passar E descança pensando no que ela poderia ter mudado Tudo o que poderia ter encontrado Se não tivesse apenas se sentado Só lhe resta sentar-se e ser feliz ao seu modo Foi assim que ela escolheu viver, e assim será.. A menina no balanço, por um momento sente a paz... ....Mas será que será feliz assim?

Camilinha
Inserida por sweetcamilinha
1 compartilhamento

"LIVRO FOLHEADO"


Outono quente de livro na mão
Caminho descalça pela areia fria da praia
Oiço o mar a desfalecer
Chorava o mar de amor nas vagas que batiam nas rochas
Naufrago das palavras entre os livros lidos
Livros folheados asfixiados de felicidade
Páginas rasgadas que tu talvez nunca conseguirás ler
Tatuagem esboçada inundada de harmonia
Letras desdobradas, incompreendidas mal amadas
Outono quente onde escondo a minha alma na gaveta da cômoda
E os meus olhos entre os livros no cesto do nosso quarto .!

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
Inserida por IsabelMoraisRibeiro
1 compartilhamento

Em uma bela tarde fria de outono
Seus olhares se cruzaram pela primeira vez
Na estação de trem
E a neve caia nos trilhos

Vagner Xavier
Inserida por VagnerXavier
1 compartilhamento

Lolita Verão
Vem logo, Menina Veneno, Lolita Verão...
Aguardo ansioso e insone,
Na fria noite do outono
Da minha vida.
Vem aquecer este Velho Lobo do Mar,
Alquebrado por tantas tormentas,
Mas ainda louco para amar...
Vem incendiar meus sentidos
Com tua candura, tua malícia explícita,
Tua sensualidade implícita...
Vem realizar meus devaneios,
Saciar meus anseios.
(Juares de Marcos Jardim)

Juares de Marcos Jardim
Inserida por Superjujar
1 compartilhamento