Coleção pessoal de Sentimentos-Poeticos

1 - 20 do total de 1598 pensamentos na coleção de Sentimentos-Poeticos

⁠SANTA JOANA

Santa Joana, rogai por nós
Dá-nos o desprendimento
Das coisas inúteis
Livra-nos de todo mal
Concedei-nos a sabedoria
E a humildade de perdoar
Nesta luta contra o pecado
E ensina-nos o poder da oração
Para quando chegar a nossa hora
Neste nosso encontro com Deus
Amém

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

⁠Ó MORTE QUE ME COBIÇAS

Ó morte que me cobiças
Ó corpo, a mente
Que deixas que o meu ser
Seja um ser inútil, uma inutilidade
Rastejante nesta terra de pó
Que um dia me há-de cobrir o corpo
Pois a minha alma já tem amo
Meu senhor, meu Deus
Ó morte não tenhas pressa
Que eu também não tenho
Ó morte que me cobiças o corpo
Que me desejas a carne
Desta terra que me cobre os ossos
Nesta saudade que fica com os vivos
Que tantas vezes fica a nostalgia
Em tantos momentos vividos
Ó morte dá-me mais tempo
Que eu ainda não fiz tudo que mais
Queria ou desejava nesta vida.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

⁠MEU MENINO JESUS NÃO CHORES

Meu querido menino Jesus não chores
Eu sei que te fazemos tanto mal
Tu que sofres por todos nós todos os dias
E nós não merecemos tantas vezes o teu amor meu menino
Somos egoístas, maldosos, invejosos, impiedosos
Imperfeitos no coração, na alma e mesmo assim nos amas
Meu querido Menino Jesus, perdoa todas as vezes que te fiz chorar
Por todo o mal que te tenha causado por iniquidade ou ignorância
Sou um ser de tantas imperfeições que tento corrigir
Mas é difícil amar quem nos faz mal ao coração
Perdoa meu Menino Jesus, não chores mais que me partes o coração
Eu não te quero fazer mais sofrer meu Menino Jesus
O meu desejo é amar-te muito, com o meu coração e a minha alma
Quero pedir-te com amor que deixes de chorar meu menino
Meu amigo, meu protetor, meu salvador, meu doce Menino Jesus.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

⁠Benditos sejam todos aqueles
que levam a beleza nos olhos

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

⁠RENASCER DAS CINZAS

Deixa que a água do chuveiro
Se misture com as tuas lágrimas
Deixa que a tua almofada
Seja testemunha dos teus soluços
Olha que tu és forte e corajosa/o
E Deus é testemunha da tua fraqueza
Da tua coragem, da tua luta
Neste teu novo renascer das cinzas

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

⁠NOSSA SENHORA NÃO CHORES

Nossa Senhora não chores
Minha querida doce mãe
Perdoa todo o mal que te faço
Minha mãe, amiga dos meus sonhos
Dos meus amores, das minhas flores
Protetora dos meus silêncios
Não chores minha querida mãe do céu
Deixa-me secar as tuas lágrimas
Com esta minha oração de gratidão

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

⁠A depressão queima
Todo o sentimento
Na alma
No coração
Na mente
Lutapois
Só os fracos desistem

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

⁠Que a chuva lave
toda a maldade

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

⁠Partimos sozinhos
e nada levamos
Desta vida

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


Um dia vou morrer
para as minhas asas
voltem a crescer

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

⁠NOSSA SENHORA

Nossa senhora livra-me
Das labaredas do inferno
Acalma a minha alma
E aquieta o meu coração
Tu sabes que sou fraca

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

⁠Feliz dia dos Avós 💕

Os avós que tu amas
Cercam-te com carinho
Eles trazem magia à tua vida
Voltando à infância povoando
De esperança, de amor
Flores em cada Primavera

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

⁠O amor de um filho
cura qualquer dor

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


O VELHO CORVO

Anda um velho corvo
Murmúrio do reflexo
De algo que desconheço
Na escuridão, coisa sem nexo
Frutos podres envenenados
Que não sendo parecem
Corpos mal formados
Para repousar no destino
Mas que logo esqueço
No especular anseio ao precipício
Pelo que perplexo a sete palmos
Tudo isso que não reconheço
Como se a vida fosse um anexo
De uma existência que não mereço
Que não conheço, desconheço suplicando
Nas árvores que sangram agonizando
Na mente de cada um
Que avistam o velho corvo.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

⁠MEU SENHOR

Meu Senhor aumenta a minha fé
Aquela que eu perdi há muito tempo
E que não a consigo encontrar
Talvez por preguiça ou esquecimento
Deste caminho que faço nesta vida.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

⁠BENDITA SEJA POESIA

Que ninguém rasgue
Os livros floridos
De poemas, versos, sonetos
Repletos de amor, saudade e dor
Se um dia preguntarem por mim
Falem que vivi para a poesia
Que mais nada ficará para recordar
Para além dos poemas, versos
Que deixei escritos
Antes de partir
Que os poemas sejam flores
Na alma de quem os lê
E que fiquem eternos no coração.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

⁠Que ninguém rasgue
Os livros floridos
De poemas, versos, sonetos
Repletos de amor, saudade e dor

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

⁠Que os poemas sejam flores
Na alma de quem os lê
E que fiquem eternos no coração.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

⁠Se um dia preguntarem por mim
Falem que vivi para a poesia
Que foi feliz á minha maneira
E que nada ficará para recordar
Para além dos poemas, versos
Sonetos, que deixei escritos
Antes de partir

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

AMOR DA MINHA VIDA

⁠Três coisas na vida jamais me tirarão:

O meu amor a Deus
O meu amor aos meus filhos
O meu amor à poesia

O resto
Podem-me despojar de tudo
É-me indiferente...

Isabel Morais Ribeiro Fonseca