Literatura de Cordel

Cerca de 2643 frases e pensamentos: Literatura de Cordel

Ela disse assim (A teus pés)

Ela disse assim
É porque é
É porque é
Não há desespero em vão

Se ela quer voar
É porque tem assas
É porque tem asas
Não não não
Quando a gente voa
Distante e só
Tão distante e só
O sol não vem e a luz que cai
Nunca mais voltou
Nunca mais voltou
Não não não

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida. A música embala, as artes visuais animam, as artes vivas (como a dança e a arte de representar) entretêm. A primeira, porém, afasta-se da vida por fazer dela um sono; as segundas, contudo, não se afastam da vida - umas porque usam de fórmulas visíveis e portanto vitais, outras porque vivem da mesma vida humana.
Não é o caso da literatura. Essa simula a vida. Um romance é uma história do que nunca foi e um drama é um romance dado sem narrativa. Um poema é a expressão de ideias ou de sentimentos em linguagem que ninguém emprega, pois que ninguém fala em verso.

Muitas vezes é a falta de caráter que decide uma partida. Não se faz literatura, política e futebol com bons sentimentos.

A diferença entre a literatura e o jornalismo é que o jornalismo é ilegível e a literatura não é lida.

Em ciência leia sempre os livros mais novos. Em literatura, os mais velhos.

O amor e a literatura coincidem na procura apaixonada, quase sempre desesperada, da comunicação.

A literatura antecipa sempre a vida. Não a copia, molda-a aos seus desígnios.

O declínio da literatura indica o declínio de uma nação.

A literatura é uma defesa contra as ofensas da vida.

Toda a obra de um homem, seja em literatura, música, pintura, arquitetura ou em qualquer outra coisa, é sempre um autorretrato; e quanto mais ele se tentar esconder, mais o seu caráter se revelará, contra a sua vontade.

O preço barato do papel é a razão por que as mulheres começaram por ter êxito na literatura, antes de o alcançarem noutras profissões.

A publicidade é uma das formas mais interessantes e difíceis da literatura moderna.

Em literatura, o meio mais seguro de ter razão é estar morto.

A tarefa da literatura é ajudar o homem a compreender-se a ele mesmo.

Só se pode chamar ciência ao conjunto de receitas que funcionam sempre. Tudo o resto é literatura.

A literatura não permite caminhar, mas permite respirar.

A memória é o essencial, visto que a literatura está feita de sonhos e os sonhos fazem-se combinando recordações.

A maior desgraça que pode acontecer a um artista é começar pela literatura, em vez de começar pela vida.

A grande literatura é apenas uma linguagem carregada de sentido até ao mais elevado grau possível.

Os sonhos são a literatura do sono.