Millôr Fernandes

1 - 25 do total de 280 pensamentos de Millôr Fernandes

[Sobre o Xadrez]
Jogo chinês que aumenta a capacidade de jogar xadrez.

A maior vantagem da comida macrobiótica é que, por mais que você coma, por mais que encha o estômago, está sempre perfeitamente subalimentado.

A triste certeza
De que hoje estou de posse
É que a minha calvície
Nem ao menos é precoce.

Acreditar que não acreditamos em nada é crer na crença do descrer.

Anatomia é uma coisa que os homens também têm, mas que, nas mulheres, fica muito melhor.

Millôr Fernandes
O homem do princípio ao fim

As pessoas que falam muito, mentem sempre, porque acabam esgotando seu estoque de verdades.

Millôr Fernandes
Revista Veja 334 (29 de janeiro de 1975)

Chato - Indivíduo que tem mais interesse em nós do que nós temos nele.

Millôr Fernandes
Trinta anos de mim mesmo

Como são admiráveis as pessoas que nós não conhecemos bem.

Millôr Fernandes
Revista Veja 2077 (10 de setembro de 2008)

De todas as taras sexuais, não existe nenhuma mais estranha do que a abstinência.

Millôr Fernandes
Revista Veja 155 (25 de agosto de 1971)

Democracia é quando eu mando em você, ditadura é quando você manda em mim.

Inúmeros artistas contemporâneos não são artistas e, olhando bem, nem são contemporâneos.

Jamais diga uma mentira que não possa provar.

Millôr Fernandes
Jornal Daily Millor 51 (Outubro de 2005)

Machão não come mel - come abelha.

Não devemos resisitir às tentações: elas podem não voltar.

Ninguém sabe o que você ouve, mas todo mundo ouve muito bem o que você fala.

Nós, os humoristas, temos bastante importância para ser presos e nenhuma importância para ser soltos.

Numa vida média de 50 anos, 80 a 100 dias são empregados pelos homens só no ato de fazer a barba. Ignora-se o que as mulheres fazem com esse tempo.

O cara só é sinceramente ateu quando está muito bem de saúde.

Millôr Fernandes
Revista Veja, Volume 27, Edições 36-43

O melhor movimento feminino ainda é o dos quadris.

O pior casamento é o que dá certo.

O poder é o camaleão ao contrário: todos tomam a sua cor.

Ontem hoje / E amanhã / O homem o cabelo parte / Parte o cabelo com arte / Até que o cabelo parte.

Quando um chato diz: "Eu vou embora", que presença de espírito.

Quem mata o tempo não é um assassino. É um suicida.

Millôr Fernandes
Trinta anos de mim mesmo

Roube ainda hoje! Amanhã pode ser ilegal.

Millôr Fernandes
Humor Nos Tempos Do Collor