Era uma vez uma pata que estava prestes a se tornar mamãe. Ela botou 5 ovos e esperou ansiosamente pelo dia que os ovos chocassem para finalmente conhecer os seus lindos patinhos.

Quando o grande dia chegou, os ovos da mamãe pata começaram a chocar um por um. A mamãe pata deus as boas vindas aos seus novos patinhos com muita alegria. Mas o último ovo estava demorando mais para chocar e a mamãe começou a ficar preocupada.

Finalmente, a casca do último ovo se abriu e, para surpresa da mamãe pata, de lá saiu um patinho muito diferente de todos os seus outros filhos.

- Este patinho feio não pode ser meu! Exclamou a mamãe pata.
- Alguém deve estar fazendo uma brincadeira com a senhora - disse a pata vizinha.

As semanas foram passando e à medida que os patinhos cresciam, o patinho feio tornava-se cada vez mais diferente dos seus irmãos.

Cansado de ser alvo de comentários maldosos feitos pelos seus irmãos e por todos os outros animais da fazenda, o patinho feio decidiu ir embora.

Mesmo longe da fazenda, o patinho não tinha paz, pois os seus irmãos perseguiam ele por todo o lago gritando:

- Você é o pato mais feio que nós já vimos!

E, para onde quer que ele fosse, todos os animais que encontrava mexiam com ele.

- O que vou fazer? Para onde vou? - exclamou o patinho feio que estava muito triste.

Com a chegada do inverno, o patinho, cansado e com muita fome encontrou uma casa e pensou:

- Talvez aqui eu encontre alguém que goste de mim! E assim foi.

O patinho passou o inverno dentro de uma casa quentinha e na companhia de outros animais que gostavam dele. Tudo teria corrido bem se não tivesse chegado a primavera e com ela, um gato malvado, que enganando os donos da casa, expulsou o patinho para fora dali!

- Mais uma vez estou sozinho e infeliz - Suspirou o patinho feio.

O patinho seguiu o seu caminho e, ao chegar em um grande lago, se refugiou junto ao matagal próximo, ficando ali ficou durante vários dias.

Um dia, muito cedo, o patinho feio foi acordado por vozes de crianças.

- Olha! Um recém-chegado! Gritou uma das crianças. Todas as outras crianças davam gritos de alegria.

- E é tão bonito! Dizia outra.

- Bonito?... De quem estão falando? - Pensou o patinho feio.

De repente, o patinho feio viu que todos olhavam para ele e, ao ver o seu reflexo na água, se deparou com um grande e elegante cisne.

- Oh!... Exclamou o patinho admirado. Crianças e outros cisnes admiravam a sua beleza e o cumprimentava alegremente.

Afinal, ele não era um patinho feio, mas um belo e jovem cisne!

A partir daquele dia, o patinho feio não se sentiu mais triste, pois sabia que era na realidade um elegante cisne.

Moral da história e interpretação

A história fala sobre as diferenças e a necessidade de respeitarmos todo mundo. Assim que nasceu, o bicho começou a ser julgado pela sua aparência, sendo ridicularizado e apontado como esquisito.

Por causa disso, ele é alvo de julgamentos e acaba sendo rejeitado pela própria família. No entanto, depois de partir, ele encontra outros membros da sua espécie; trata-se, na verdade, de um cisne.

Quando os outros cisnes reparam na sua chegada, todos comentam a beleza do desconhecido. O conto carrega uma importante lição de autoestima: aquilo que uns consideram feio, outros acham bonito, mas o mais importante é gostarmos de nós mesmos.

Veja também: