Uma porca acabava de parir os seus porquinhos, quando um lobo veio visitá-la.

No fundo, este só pensava em devorar um dos porquinhos, mas não sabia bem o que fazer. Então, perguntou à porca como estava de saúde, dizendo-lhe:

— “Se alguma vez te puder ser prestável, procura-me. Talvez necessites de fazer exercício e apanhar um pouco de ar puro. Se quiseres, tenho muito gosto em tomar conta da tua família.”

Contudo, a porca tinha percebido o plano do lobo.

— “Muito obrigada, Sr. lobo”, disse ela, “percebo-te muito bem, e o maior favor que podes fazer aos meus porquinhos é ficares bem longe!”.

(Adaptação original da fábula de Esopo)

Moral da história:

Não há ardil tão perigoso como o que é tramado por uma pessoa que se faz passar por amiga.

Veja também: