Coleção pessoal de michelfm

121 - 140 do total de 1042 pensamentos na coleção de michelfm

⁠Aquele bairro tinha se tornado uma grande privada satélite, anexada ao centro velho e abandonado da cidade, um território esquecido por seres civilizados, antro supremo das mais relevantes categorias do tráfico, drogas, armas, contrabandos e piratarias de todos os gêneros imagináveis, prostituição. O lar do crime rigorosamente organizado, refúgio de marginais, imigrantes, putas, travecos, ligeiras, minorias, desempregados, miseráveis e mais miseráreis, mas nenhum culpado. 

Michel F.M.

⁠Berto virou um demônio e pediu a Deus que lhe desse discernimento, para não cometer ali uma atrocidade. Aquela saleta fedia uma loção barata e desodorante vencido, misturado com cheiro de banheiro e desinfetante caseiro. Divisórias mofas exerciam sua tarefa mal sucedida de serem repartições, isolando os ambientes, descumprindo a missão de ocultarem as conversas em voz alta e os berros exaltados de chefes e subordinados neuróticos e estressados.   

Michel F.M.

⁠Berto se revoltou completamente ontem, um surto capaz de mudar toda a sua trajetória até então, mas ele não mudou. Era imutável, era fechado, era Berto. Pediu demissão de mais um emprego entre inúmeros no último ano, eremita insaciável, insatisfeito, inconsolado. Mandou seu superior pro inferno, engolia ofensas há meses, Berto não nasceu para se submeter, era insubmetível. Jogou uma caixa de arquivos na cara do canalha, que lhe ordenava ordens insensatas, um cretino munido de idiotices hierárquicas.   

Michel F.M.

⁠Tempestade em Mercúrio 

Transbordo de misantropia, 
Na devastada vizinhança, 
Está batida a freguesia, 
Remanescentes da bonança. 

Onde está a cura ? 
Pro abatimento e pro murmúrio. 
Influencia ou perdura ? 
Uma Tempestade em Mercúrio. 

Existe o que sempre existiu, 
Um parto trágico e impreciso, 
Temporadas no calabouço febril, 
Equilibrando na ala do improviso. 

Onde está a cura ? 
Pro abatimento e pro murmúrio. 
Influencia ou perdura ? 
Uma Tempestade em Mercúrio. 

Saquei meu guarda-raios, 
Prevenindo o perjúrio, 
Na truculência desmaio, 
Despertando em Mercúrio. 

Michel F.M.

⁠Saquei meu guarda-raios, 
Prevenindo o perjúrio, 
Na truculência desmaio, 
Despertando em Mercúrio. 

Michel F.M.

⁠Existe o que sempre existiu, 
Um parto trágico e impreciso, 
Temporadas no calabouço febril, 
Equilibrando na ala do improviso. 

Michel F.M.

⁠Onde está a cura ? 
Pro abatimento e pro murmúrio. 
Influencia ou perdura ? 
Uma Tempestade em Mercúrio. 

Michel F.M.

⁠Transbordo de misantropia, 
Na devastada vizinhança, 
Está batida a freguesia, 
Remanescentes da bonança. 

Michel F.M.

⁠Habilidades Profissionais 

Não cobiço carreira, 
Não cobiço estabilidade, 
Sou a ameaça sociopata, 
O risco perigosamente presente; 

Uma mina terrestre esquecida 
Num campo florido; 

Sou explosivo ! 

Uma bomba relógio 
Dentro de um petroleiro, 
Com prazo vencido 
E contagem agressiva esgotada. 

Sou um incomodado, 
Perito em contradição, 
Especialista em constrangimento. 

Sim, eu sou o Não ! 

Michel F.M.

⁠Sim, 
eu sou o Não ! 

Michel F.M.

⁠Sou um incomodado, 
Perito em contradição, 
Especialista em constrangimento. 

Michel F.M.

⁠Uma bomba relógio 
Dentro de um petroleiro, 
Com prazo vencido 
E contagem agressiva esgotada. 

Michel F.M.

⁠Sou 
explosivo ! 

Michel F.M.

⁠Uma mina terrestre esquecida 
Num campo florido; 

Michel F.M.

⁠Não cobiço carreira, 
Não cobiço estabilidade, 
Sou a ameaça sociopata, 
O risco perigosamente presente; 

Michel F.M.

⁠Vida Reduzida 

Pães de mel com suco de morango. 
Até 8 outonos leite com chocolate, 
Dos 12 em diante café com leite. 
Colchão estendido ao chão, 
Relaxamento na matinê. 

Caixa de areia meio vazia meio cheia. 
Anjos de porcelana ocultos na penteadeira, 
Posicionados cuidadosamente 
Para não serem vistos, como deve ser. 

Ignorada na garagem uma pilha de notícias 
Importantíssimas, (in) formando as traças, 
Sendo afinal consumidas. 

Edições desatualizadas, fora de circulação, 
Acontecimentos; saúde, esportes, educação, 
Mobiliários, obituários, inaugurações, Baladas, high society, economia, dinheiro.     

Vidas reduzidas a centímetro por coluna, 
Servirão, para forrar o lixo do banheiro. 

Uma garrafa de água, seca, alguém tem sede, 
Mas o plástico do recipiente será reciclado, 
Se ninguém jogá-lo no bueiro mais próximo, 
Causando a próxima e (in) evitável inundação. 

Michel F.M.

⁠Uma garrafa de água, seca, alguém tem sede, 
Mas o plástico do recipiente será reciclado, 
Se ninguém jogá-lo no bueiro mais próximo, 
Causando a próxima e (in) evitável inundação. 

Michel F.M.

⁠Vidas reduzidas a centímetro por coluna, 
Servirão, para forrar o lixo do banheiro.

Michel F.M.

⁠Edições desatualizadas, fora de circulação, 
Acontecimentos; saúde, esportes, educação, 
Mobiliários, obituários, inaugurações, Baladas, high society, economia, dinheiro.     

Michel F.M.

⁠Ignorada na garagem uma pilha de notícias 
Importantíssimas, (in) formando as traças, 
Sendo afinal consumidas. 

Michel F.M.