Parlendas são versos infantis antigos que nasceram da tradição popular oral e fazem parte do folclore brasileiro. O seu objetivo é exercitar a memória e a criatividade das crianças, cultivando nelas a paixão pelas palavras, encaradas como uma brincadeira.

Confira, abaixo, a nossa seleção dos melhores exemplos de parlendas brasileiras:

1.

Dedo mindinho, Seu vizinho, Pai de todos, Fura bolo, Mata piolho.

Dedo mindinho,
Seu vizinho,
Pai de todos,
Fura bolo,
Mata piolho.

2.

Batatinha quando nasce Espalha a rama pelo chão. Menininha quando dorme Põe a mão no coração.

Batatinha quando nasce
Espalha a rama pelo chão.
Menininha quando dorme
Põe a mão no coração.

3.

Que vai ao ar, perde o lugar.

Quem vai ao ar,
perde o lugar.
Quem vai ao vento,
perde o assento.
Quem vai à ribeira,
perde a cadeira.

4.

O tempo perguntou pro tempo,
quanto tempo o tempo tem.
O tempo respondeu pro tempo,
que o tempo tem o tempo que o tempo tem.

5.

Sou pequenininha do tamanho de um botão, Carrego papai no bolso e mamãe no coração

Sou pequenininha do tamanho de um botão,
Carrego papai no bolso e mamãe no coração
O bolso furou e o papai caiu no chão.
Mamãe que é mais querida ficou no coração.

6.

Um, dois, feijão com arroz
Três, quatro, feijão no prato
Cinco, seis, falar inglês
Sete, oito, comer biscoitos
Nove e dez, comer pastéis

7.

Chuva e sol, casamento
de espanhol.
Sol e chuva, casamento
de viúva.

8.

Lá em cima do piano
tinha um copo de veneno
quem bebeu, morreu
o culpado não fui eu

9.

Quem cochicha,
o rabo espicha.
Come pão
com lagartixa.

10.

Bão, babalão,
Senhor Capitão.
Espada na cinta,
ginete na mão.

11.

Papagaio loiro do bico dourado, Mande essa cartinha para o meu namorado.

Papagaio loiro do bico dourado,
Mande essa cartinha para o meu namorado.
Se estiver dormindo bata na porta,
Se estiver acordado deixa recado.

12.

A sempre-viva quando nasce,
toma conta do jardim.
Eu também quero arranjar
quem tome conta de mim.

13.

Lá vem o pato.
Pata aqui, pata acolá.
Lá vem o pato.
Para ver o que é que há.

14.

Corre cutia, na casa da tia.
Corre cipó, na casa da avó.
Lencinho na mão, caiu no chão.
Moça bonita, do meu coração...
Um, dois, três!

15.

Alô, o tatu tá aí? Não, o tatu não tá!
Alô, o tatu tá aí?
Não, o tatu não tá!

16.

Uma pulga na balança deu um pulo e foi à França

Uma pulga na balança
deu um pulo e foi à França,
Os cavalos a correr,
Os meninos a brincar,
Vamos ver quem vai pegar.

17.

O macaco foi à feira, não teve o que comprar Comprou uma cadeira pra comadre se sentar

O macaco foi à feira, não teve o que comprar
Comprou uma cadeira pra comadre se sentar
A comadre se sentou. A cadeira esborrachou.
Coitada da comadre, foi parar no corredor.

18.

Hoje é domingo
Pede cachimbo
O cachimbo é de barro
Bate no jarro
O jarro é de ouro
Bate no touro
O touro é valente
Machuca a gente
A gente é fraco
Cai no buraco
O buraco é fundo
Acabou-se o mundo

19.

Meio-dia
Macaco assobia
Panela no fogo
Barriga vazia

20.

Olha o sapo dentro do saco O saco com o sapo dentro O sapo batendo papo E o papo do sapo soltando vento

Olha o sapo dentro do saco
O saco com o sapo dentro
O sapo batendo papo
E o papo do sapo soltando vento

21.

Sapo Cururu
Na beira do rio
Quando o sapo canta,
É porque tem frio

22.

Se o papa papasse papa,
Se o papa papasse pão,
Se o papa tudo papasse,
Seria um papa-papão.

23.

Atrás da pia tem um prato, um pinto e um gato.
Pinga a pia, apara o prato, pia o pinto e mia o gato

24.

Janela, janelinha,
Porta, Campainha
Trimmmmmmmmmmmmm!

25.

Meu galinho quando dorme
Fica numa perna só
De manhã sacode as asas
Faz assim coró co có.

26.

A casinha da vovó
cercadinha de cipó
o café está demorando
com certeza não tem pó

27.

Lé com lé Cré com cré Um sapato em cada pé

Lé com lé
Cré com cré
Um sapato em cada pé

28.

Rei, capitão,
soldado, ladrão.
moça bonita
Do meu coração.

29.

Papagaio come milho,
periquito leva a fama.
Cantam uns e choram outros,
triste sina de quem ama.

30.

Lá vem a lua nascendo Redonda que nem caroço Quero que você me diga Se caranguejo tem pescoço

Lá vem a lua nascendo
Redonda que nem caroço
Quero que você me diga
Se caranguejo tem pescoço

31.

Trinta dias tem setembro
Como abril, junho e novembro
De vinte oito só há um.
E os demais são trinta e um.

32.

Seu Chico Bode
É um homem de pagode.
Foi por fogo no cachimbo
Pegou fogo no bigode.

33.

No varal de uma sereia
Que se chama Mariana
Vejo um vestido de seda
Prateado de escama.

34.

Uni duni tê
Salamê min guê
O sorvete colorido
O escolhido foi você!

35.

Com quem você pretende se casar?
Com loiro, moreno, careca, barrigudo
Mocinho, bonito do meu coração
Rei, capitão, soldado, ladrão?