As cantigas de roda, ou cirandas, são músicas de origem popular cantadas durante as brincadeiras infantis que também têm um caráter educativo.

De mãos dadas, as crianças repetem as letras antigas, que nasceram do nosso folclore, estimulando a memória e o gosto pelas palavras.

1. Ciranda, cirandinha

Ciranda , cirandinha,
Vamos todos cirandar,
Vamos dar a meia volta,
Volta e meia vamos dar.

O anel que tu me deste,
Era vidro
E se quebrou.
O amor que tu me tinhas
Era pouco e se acabou.

Ciranda , cirandinha,
Vamos todos cirandar,
Vamos dar a meia volta,
Volta e meia vamos dar.

Por isso dona rosa
Entre dentro dessa roda
Diga um verso bem bonito
Diga adeus e vá embora!

Ciranda , cirandinha,
Vamos todos cirandar,
Vamos dar a meia volta,
Volta e meia vamos dar.

2. Marinheiro só

Oi, marinheiro, marinheiro,
Marinheiro só
Quem te ensinou a navegar?
Marinheiro só
Foi o balanço do navio,
Marinheiro só
Foi o balanço do mar
Marinheiro só.

3. O cravo brigou com a rosa

O cravo brigou com a rosa
Debaixo de uma sacada
O cravo saiu ferido
E a rosa, despedaçada

O cravo ficou doente
A rosa foi visitar
O cravo teve um desmaio,
A rosa pôs-se a chorar.

A rosa fez serenata
O cravo foi espiar
E as flores fizeram festa
Porque eles vão se casar

4. A canoa virou

A canoa virou
Por deixá-la virar,
Foi por causa da Maria
Que não soube remar

Siriri pra cá,
Siriri pra lá,
Maria é velha
E quer casar

Se eu fosse um peixinho
E soubesse nadar,
Eu tirava a Maria
Lá do fundo do mar

5. Cai, cai, balão

Cai, cai, balão, cai, cai, balão
Aqui na minha mão
Não vou lá, não vou lá, não vou lá
Tenho medo de apanhar!

6. Marcha, Soldado

Marcha, soldado
Cabeça de papel
Se não marchar direito
Vai preso pro quartel

O quartel pegou fogo
A polícia deu sinal
Acorda, acorda, acorda
A bandeira nacional

7. Boi da cara preta

Boi, boi, boi
Boi da cara preta
Pega esta criança que tem medo de careta

Não, não, não
Não pega ele, não
Ele é bonitinho, ele chora, coitadinho.

8. Meu limão, meu limoeiro

Meu limão, meu limoeiro,
Meu pé de jacarandá,
Uma vez, tindolelê,
Outra vez, tindolalá.

9. Bota aqui o seu pezinho

Ai bota aqui
Ai bota aqui o seu pezinho
Seu pezinho bem juntinho com o meu
E depois não vá dizer
Que você se arrependeu!

10. O sapo não lava o pé

O sapo não lava o pé.
Não lava porque não quer.
Ele mora lá na lagoa,
E não lava o pé
Porque não quer
Mas que chulé!

11. Borboletinha

Borboletinha tá na cozinha
fazendo chocolate
para a madrinha

Poti, poti
perna de pau
olho de vidro
e nariz de pica-pau, pau, pau

12. Atirei o pau no gato

Atirei o pau no gato, tô
Mas o gato, tô, tô
Não morreu, reu, reu
Dona Chica, cá, cá
Admirou-se, se, se
Do berrô, do berrô, que o gato deu,
Miau!

13. A barata diz que tem

A barata diz que tem sete saias de filó
É mentira da barata, ela tem é uma só
Ah ra ra, iá ro ró, ela tem é uma só

A Barata diz que tem um sapato de veludo
É mentira da barata, o pé dela é peludo
Ah ra ra, Iu ru ru, o pé dela é peludo!

A Barata diz que tem uma cama de marfim
É mentira da barata, ela tem é de capim
Ah ra ra, rim rim rim, ela tem é de capim

A Barata diz que tem um anel de formatura
É mentira da barata, ela tem é casca dura
Ah ra ra, iu ru ru, ela tem é casca dura

A barata diz que vai viajar de avião
É mentira da barata ela vai de caminhão
Ah ra ra, iu ru ru, ela vai de caminhão

14. Dez indiozinhos

Um, dois, três indiozinhos
Quatro, cinco, seis indiozinhos
Sete, oito, nove indiozinhos
Dez num pequeno bote

Vinham navegando pelo rio abaixo
Quando o jacaré se aproximou
E o pequeno bote dos indiozinhos

Quase quase virou
Quase quase virou
Quase quase virou

Mas não virou

15. Se esta rua fosse minha

Se esta rua,
Se esta rua fosse minha,
Eu mandava,
Eu mandava ladrilhar,

Com pedrinhas,
Com pedrinhas de diamantes,
Só pra ver, só pra ver
Meu bem passar

16. Eu vi uma barata

Eu vi uma barata na careca do vovô
Assim que ela me viu bateu asas e voou
Seu Joaquim, quirim quim
Da perna torta, ta ra ta
Dançando conga, ra ga
Co’a Maricota, ra ta.

17. Peixe vivo

Como pode o peixe vivo
Viver fora d’água fria?
Como pode o peixe vivo
Viver fora d’água fria?

Como poderei viver,
Como poderei viver,
Sem a tua, sem a tua,
Sem a tua companhia?

18. Roda, pião

O pião entrou na roda, o pião!
O pião entrou na roda, o pião!
Roda pião, bambeia pião!

Sapateia no terreiro, ó pião!
Sapateia no terreiro, ó pião!
Roda pião, bambeia pião!

Mostra a tua figura, ó pião!
Mostra a tua figura, ó pião!
Roda pião, bambeia pião!

Faça uma cortesia, ó pião!
Faça uma cortesia, ó pião!
Roda pião, bambeia pião!

Atira a tua fieira, ó pião!
Atira a tua fieira, ó pião!
Roda pião, bambeia pião!

Entrega o chapéu ao outro, ó pião!
Entrega o chapéu ao outro, ó pião!
Roda pião, bambeia pião!

19. Passa, passa, gavião

Passa, passa, gavião
Todo mundo é bom
Passa, passa, gavião
Todo mundo é bom

As lavadeiras fazem assim
As lavadeiras fazem assim
Assim, assado
Carne seca com ensopado

Passa, passa um avião
Será ele ou não?
Passa, passa um avião
Será ele ou não?

O presidente voa assim
O presidente voa assim
Assim, assado
Sempre apressado

20. Fui no Tororó

Fui no Tororó beber água, não achei
Achei linda Morena
Que no Tororó deixei
Aproveita, minha gente
Que uma noite não é nada
Se não dormir agora
Dormirá de madrugada

Oh! Dona Maria,
Oh! Mariazinha, entra nesta roda
Ou ficarás sozinha!

21. Teresinha de Jesus

Teresinha de Jesus com a queda
Foi ao chão
Acudiram três cavalheiros
Todos os três chapéu na mão

O primeiro foi seu pai
O segundo seu irmão
O terceiro foi aquele
Que a Tereza deu a mão

Quanta laranja madura
Quanto limão pelo chão
Quanto sangue derramado
Dentro do meu coração

22. Passarás, não passarás

Passarás, não passarás
Quem me deixa eu passar?
Tenho um filho pequenino
Que não posso sustentar

Bombardeio, bombardeio
Quem me deixa eu passar?
Se não for o da frente
Há de ser o de trás

23. Sapo Jururu

Sapo Jururu na beira do rio
Quando o sapo grita, ó Maninha, diz que está com frio
A mulher do sapo, é quem está la dentro
Fazendo rendinha, ó Maninha, pro seu casamento.

24. Escravos de Jó

Escravos de Jó jogavam caxangá
Tira, põe, deixa ficar
Guerreiros com guerreiros fazem zigue zigue za

25. Eu entrei na roda

Ai, eu entrei na roda
Eu não sei como se dança
Eu entrei na contradança
Eu não sei dançar

Sete e sete são quatorze,
Três vezes sete, vinte e um
Tenho sete namorados
Só faço caso de um

26. Nesta rua tem um bosque

Nesta rua, nesta rua tem um bosque
Que se chama, que se chama solidão
Dentro dele, dentro dele mora um anjo
Que roubou, que roubou meu coração

27. O meu chapéu

O meu chapéu tem três pontas
Tem três pontas o meu chapéu
Se não tivesse três pontas
Não seria o meu chapéu

28. A cobrinha

A cobrinha, a cobrinha não tem pé
A cobrinha, a cobrinha não tem mão
E como é que ela faz para subir
No pézinho de limão?

Ela se estica, se encolhe, seu corpo é todo mole.
Ela se estica, se encolhe, seu corpo é todo mole.

29. A gatinha parda

A minha gatinha parda, que em Janeiro me fugiu
Onde está minha gatinha,
Você sabe, você sabe, você viu?

Eu não vi sua gatinha, mas ouvi o seu miau
Quem roubou sua gatinha
Foi a bruxa, foi a bruxa pica-páu

30. Capelinha de Melão

Capelinha de Melão é de São João
É de Cravo, é de Rosa, é de Manjericão
São João está dormindo
Não acorda, não!
Acordai, acordai, acordai, João!

31. Cachorrinho

Cachorrinho está latindo lá no fundo do quintal
Cala a boca, cachorrinho, deixa o meu benzinho entrar

Ô esquindô lê, lê ô esquindô lê lê lá lá
Ô esquindô lê, lê não sou eu quem caio lá

32. Pombinha branca

Pombinha branca o que esta fazendo?
Lavando roupa pro casamento
Vou me lavar, vou me secar
Vou pra janela pra namorar

Passou um moço de terno branco,
Chapéu de lado, meu namorado
Mandei entrar, mandei sentar
Cuspiu no chão, limpa aí, seu porcalhão!

33. Caranguejo

Palma, palma, palma
Pé, pé, pé
Roda, roda, roda
Caranguejo peixe é...

Caranguejo não é peixe
Caranguejo peixe é
Caranguejo só é peixe
Na enchente da maré.

34. O jacaré

Eu conheço um jacaré
Que gosta de comer
Escondam seus olhinhos
Senão o jacaré
Come seus olhinhos e o
Dedão do pé

35. Pai Francisco

Pai Francisco entrou na roda
Tocando o seu violão
Bi-rim-bão bão bão, bi-rim-bão bão bão !

Vem de lá Seu Delegado
E Pai Franciso foi pra prisão.
Como ele vem todo requebrado
Parece um boneco desengonçado

36. O meu galinho

Há três noites que eu não durmo, ola lá!
Pois perdi o meu galinho, ola lá!
Coitadinho, ola lá ! Pobrezinho, ola lá!

Eu perdi lá no jardim.
Ele é branco e amarelo, ola lá!
Tem a crista vermelhinha, ola lá!
Bate as asas, ola lá!
Abre o bico, ola lá!
Ele faz qui-ri-qui-qui.

Já rodei em Mato Grosso, ola lá!
Amazonas e Pará, ola lá!
Encontrei, ola lá! Meu galinho, ola lá!
No sertão do Ceará!

37. Valentim

Que é de Valentim? Valentim Trás Trás
Que é de Valentim? É um bom rapaz
Que é de Valentim? Valentim sou eu!
Deixa a moreninha, que esse par é meu!

38. Viuvinha

Viuvinha da mata da lena
Ela quer se casar
Mas não acha com quem
Não é com você
Não é com ninguém
É com uma pessoa que
Eu quero mais bem!

39. Pirulito que bate, bate

Pirulito que bate, bate
Pirulito que já bateu
Quem gosta de mim é ela
Quem gosta dela sou eu

Pirulito que bate, bate
Pirulito que já bateu
A menina que eu gostava
Não gostava como eu

40. Machadinha

Ah! Ah! Ah! Minha Machadinha!
Ah! Ah! Ah! Minha Machadinha!
Quem te pos a mão, sabendo que és minha?
Quem te pos a mão, sabendo que és minha?

Se tu és minha, eu também sou tua.
Se tu és minha, eu também sou tua.
Pula, Machadinha, para o meio da rua.
Pula, Machadinha, para o meio da rua.

No meio da rua, não hei de ficar.
No meio da rua não hei de ficar.
Pula, Machadinha, para o seu lugar.
Pula, machadinha, para o seu lugar.

41. Giroflê

Fui passear no jardim celeste giroflê, giroflá
Fui passear no jardim celeste para te encontrar

O que fostes fazer lá giroflê, giroflá?
O que fostes fazer lá para te encontrar?
Fui colher as violetas giroflê, giroflá
Fui colher as violetas para te encontrar

42. De abóbora faz melão

De abóbora faz melão,
de melão faz melancia.
De abóbora faz melão,
de melão faz melancia.
Faz doce, sinhá!
Faz doce, sinhá!
Faz doce, sinhá Maria!

43. A praia

Ora vamos, maninha, vamos
À praia passear,
Vamos ver a barca nova
Que do céu caiu ao mar.

Nossa Senhora vai dentro,
Os anjinhos a remar,
Remem, remem, remadores,
Que essas águas são de flores.

44. A barraquinha

Vem, vem, vem, Sinhazinha
Vem, vem para provar
Vem, vem, vem, Sinhazinha
Na barraquinha comprar

Pé de moleque queimado
Cana, aipim, batatinha
Ó quanta coisa gostosa
Para você Sinhazinha

45. Pastorzinho

Havia um pastorzinho que andava a pastorear
saiu de sua casa e pôs-se a cantar.
dó, ré, mi, fá fá fá
dó ré do ré re re
do sol fa mi mi mi
do re mi fá fa fa

Chegando ao palácio a princesa lhe falou
dizendo ao pastorzinho que o seu canto lhe agradou
sol lá si do dó dó
sol la sol la, la la
so re do si si si
sol la si do do do

46. Domingo

Hoje é domingo
Pede cachimbo

O cachimbo é de barro
Bate no jarro

O jarro é de ouro
Bate no touro

O touro é valente
Bate na gente

A gente é fraco
Cai no buraco

O buraco é fundo
Acabou-se o mundo

47. Na mão direita

A mão direita tem uma roseira
A mão direita tem uma roseira
Que dá flor na primavera
Que dá flor na primavera

Entrai na roda, ó linda roseira!
Entrai na roda, ó linda roseira!
Abraçai a mais faceira
Abraçai a mais faceira

48. Samba Lelê

Samba Lelê tá doente,
Tá com a cabeça quebrada
Samba Lelê precisava
De umas dezoito lambadas

Samba, samba, samba, ô Lelê
Na barra da saia, ô Lelê

49. De marré, marré, marré

Eu sou pobre, pobre, pobre,
De marré, marré, marré.
Eu sou pobre, pobre, pobre,
De marré deci.
Eu sou rica, rica, rica,
De marré, marré, marré.
Eu sou rica, rica, rica,
De marré deci.

50. A linda rosa juvenil

A linda rosa juvenil, juvenil, juvenil
A linda rosa juvenil, juvenil
Vivia alegre em seu lar, em seu lar, em seu lar
Vivia alegre em seu lar, em seu lar

E um dia veio uma bruxa má, muito má, muito má
Um dia veio uma bruxa má, muito má
Que adormeceu a rosa assim, bem assim, bem assim
Que adormeceu a rosa assim, bem assim

E o tempo passou a correr, a correr, a correr
E o tempo passou a correr, a correr
E o mato cresceu ao redor, ao redor, ao redor
E o mato cresceu ao redor, ao redor
E um dia veio um belo rei, belo rei, belo rei
E um dia veio um belo rei, belo rei

Que despertou a rosa assim, bem assim, bem assim
Que despertou a rosa assim, bem assim
Batemos palmas para o rei, para o rei, para o rei
Batemos palmas para o rei, para o rei