Coleção pessoal de marialu_t_snishimura

1 - 20 do total de 440 pensamentos na coleção de marialu_t_snishimura

⁠A janela e a tramela 

Milhares de pessoas pelas janelas 
Vão espiando a vida 
Repetidas vezes
A mesma paisagem repetida 

É sempre a mesma janela 
Que no tempo corre
E sendo igual é diferente 
Porque o que muda nela
É a sua própria tramela 

Janelas se abrem e fecham todos os dias
No raiar do dia e no cair da noite 
Azul, outras cores ou escarlate 
Lá às vezes, o cão late
Às vezes, passa o homem 
Vendendo melancia e chocolate 

Dia a dia é a mesma janela 
Já passaram anos
E até gerações 
Mas o que muda nela
É a sua própria tramela 

Maria Lu T. S. Nishimura 

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Meu hino minha oração  

Às vezes, na chuva me perco 
Deixo molhar o meu rosto
Vou caminhando pelo vento
E num abraço me encontro 

Em cada passo que dou
Mais a vida me encanta 
Nos olhos me reflete a esperança 
E com Deus sempre estou

O sol é muito amigo
E a lua um retrospecto 
Onde encontro abrigo 
Onde encontro amor

Sempre hei de ter esperança 
Que dias melhores virão 
Tudo guardarei como lembrança 
E farei como hino...minha oração 

Às vezes, a tristeza me invade
Deixo molhar o meu rosto
As lágrimas vão pelo vento
Mas num abraço me encontro 

Em cada pessoa que vejo
Mais fé encontro em Deus
O vento me sopra um beijo
E nele os carinhos seus

Deus é minha verdade 
E a fé faz-me liberdade 
Cada passo que dou
Com Deus caminhando vou

Sempre hei de ter esperança 
Que dias melhores virão 
Tudo guardarei como lembrança 
E farei como hino...minha oração 

Maria Lu T. S. Nishimura 

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Hei de ver paz no mundo 

Hei de ver a paz no mundo 
Se espalhando como sol
Iluminados, salvos tudo
Nenhum cadáver no farol 

Solidariedade sempre
Como gesto simples e natural 
Repartir o pão, sempre que compre
Fazer o bem muito mais fraternal
  
Hei de ver a paz no mundo 
A igualdade como sol
Iluminados, salvos tudo 
Ninguém se prostituindo no farol

Solidariedade sempre 
Hei de ver a alegria em tudo 
Igual as folhas verdes
A bandeira hastiada no mundo 
Proclamando a paz!

Maria Lu T. S. Nishimura 

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Todos os dias os sons dos cantos dos passarinhos é uma sonora sinfonia à despertar-me para o dia.

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠⁠Ninguém me define! 
Apenas eu me defino, portanto, se quiseres saber de mim, pergunte a mim mesma!

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Quebra-cabeças da ilusão 

Quebra - cabeça de cada um 
É a própria vida
Uns num instante a decifra 
Outros precisam de muitas gerações
Aquela onde dizem que o carma está 

Eu ainda estou decifrando o mundo
E meu quebra cabeça já concluí 
Mas ainda quero descobrir segredos 
Desvendar verdades e tudo
E adentrar nalguma emoção 

Bem sei que todas as peças que tenho
São gesto, são versos que, às vezes, componho
Às vezes, as mínimas palavras me distraem
Outras vezes até as caladas vozes ecoam
E os ouço estrondosamente...
Ou suavemente...

Mas, o que faz a verdade viva é o viver
Cada um de nós somos únicos 
Este é o mistério 
Que eu vivo a descobrir 
Equânime ...

Em cada quadro que montei
O quebra cabeça resolvi 
Por horas minha mãos se cansaram 
Mas, de nenhuma peça me esqueci 

Quando espalho milhares delas pelo chão 
Outro dia recomeço 
E o tempo vai desgastado a tinta
Na medida que pedaços no chão 
Vão se encaixando no meu coração 

Desbotados...mais ainda me lembro...
O vivaz da colorida tinta 
Em alguns pedaços fosse necessário retoque 
Enfim monto e remonto meu quadro
E me divirto 

Afinal de contas todos somos um
E este quebra - cabeça, às vezes, é patético 
Por vezes irônico, injusto e, às vezes, poético...
Mas, sobretudo cômico 
Porque ainda se prega a paz fazendo a guerra!
Contudo...
Cabe a cada um seu próprio quebra-cabeças 
E por aí...
Vão se resolvendo o quebra-cabeça da ilusão! 

Maria Lu T. S. Nishimura 

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Iluminados

Iluminada eu
Iluminado você 
Iluminados nós 
Iluminados o mundo também

O bem maior é o sol, num lindo dia 
Tão lindo em cada amanhecer 
Cada flor em seu florescer 
São como preces no alvorecer

O sol a iluminar o dia 
Tantas coisas belas eu posso ver
Posso também ouvir 
Ouvir os sons
De Deus os dons 
Mil cantos dos passarinhos 
O sopro do vento
De um avião lá céu me vem outro som

Assim de dia e de noite
Vem sempre o céu me iluminar 
E quando passa o dia outra luz me encontra
Às luzes se ascendem
E outra vez...

Iluminada eu
Iluminado você 
Iluminados nós 
Iluminados o mundo também 
O bem maior é o sol, que vem
num lindo dia outra vez!

Maria Lu T. S. Nishimura 

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Pés descalços e mocassim 

Rostinho bonito de nariz arrebitado 
Queixo quadrado 
E boca avermelhada 
Não fala nada, sem pensar direito
Esconde todos os defeitos
Para se dizerem os perfeitos
Para serem os prefeitos 
Presidentes e chefes
Senadores, senhoras e senhores 
Da alta sociedade
 
É a tal elite, 
Que persiste 
Em dominar tudo, 
Dominar todos e o mundo

Tudo não passa de trapaça 
Essa coisa de raça 
Da bela aristocracia 
Da bela democracia 
Do parlamentarismo 
Do comunismo
Do socialismo 
Tanto ísmo por detrás da história 
Gruardados nos livros da memória 
Em uma bela estante 
Exposto
Disposto a verdade camuflar 

É a tal elite, 
Que persiste 
Em dominar tudo, 
Dominar todos e o mundo

Para uns vencer 
Outros tiveram que morrer 
Numa luta de poder
Será que isso sempre será assim 
E a história nunca terá fim
E na hora da morte
Vão todos celebrados pela sorte
Uns irão de camiseta e pés descalços 
E outros de terno e mocassim

E a tal elite, 
Que ainda persiste 
Em dominar tudo, 
Dominar todos e o mundo

Mas aí que tá 
Dizem que não nos cabem ninguém julgar 
Mas, Deus sabe
Que quem deve tem que pagar

Mas essa tal elite, 
Que ainda persiste 
Em dominar tudo, 
Dominar todos 
Porque querem dominar o mundo

Maria Lu T. S. Nishimura 

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Marmelada social 

Marmelada social compactada 
Já vem marcada
Carimbada a nota
Daí desbota a lata
Fica a nata!

Lambuza no doce ó peão 
Lambuza no doce ó João 
Vai José 
Vai Mané 
Vai todo mundo adocicado 
Vai caboclo e magistrado 

Todo mundo tá na marmelada social
Nem parece prejudicial ...ó capital 
Ô capital sensacional 
Sensação de jornal
passa na televisão, a visão:
Igualitária;
Democrática... 
E a tática...
É fantástica!

A e sensação vêm na caixa de bombom
É doce, é doce
Mas, a tolice?
Pergunta a Alice
E o João responde:
- Deixa de burrice!

A sociedade cega e estagnada
Não vê nada;
Não diz nada 
Até parece acorrentada 
Comendo marmelada!

Maria Lu T. S. Nishimura 

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Avesso

Eu te amei, me apaixonei 
Mas, já me virei do avesso 
Fiz mil promessas 
Para ver se te esqueço 

Te dei um flagra
Te joguei praga, confesso 
Mas, me virei do avesso
Pra não chorar 

Peguei ranço de você 
Não quero mais te ver
Agora é pra valer

Você foi meu desejo sincero 
Agora não te quero 
Não posso me enganar 
Vou deixar de te amar

Peguei ranço de você 
Não quero mais te ver
Agora é pra valer

Te dei um flagra
Te joguei praga, confesso 
Me virei do avesso
Pra não chorar 
Mas, agora te esqueço 

Maria Lu T. S. Nishimura 

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠É só uma lembrança 

É...é só uma lembrança 
Que o pensamento me traiu
Te trouxe tão real pra mim...
Tão perto, tão meu 
E tão sua eu

Teu rosto belo e formoso 
Teu beijo macio e gostoso
Já não sei se é lembrança 
Ou apenas fantasia 

Aaah! Memórias de ti
Memórias de mim
Ou apenas minhas ilusões 

É...é só uma lembrança 
Que o pensamento me traiu
Te trouxe tão real pra mim...
Tão perto, tão meu 
E tão sua eu

Ilusões também são lembranças 
São verdades vividas nas solidões 
De alguém que desejos tem
Mesmo que não vivida com ninguém 

Aaah! Memórias de ti
Memórias de mim
Ou apenas minhas ilusões 

É...é só uma lembrança 
Que o pensamento me traiu
Te trouxe tão real pra mim...
Tão perto, tão meu 
E tão sua eu

 Maria Lu T. S. Nishimura

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Morar em condição de rua não 

Morar em condição de rua não!
Isso é desumano para um humano,
mesmo que não tenhas condição!

É preciso fazer algo, urgentemente...
gente não pode ser tratado mal,
até...pior do que um animal!

Há que ter um jeito, 
fico martelando no meu peito
em cada pulsar do meu coração...

Piedade, doação...
onde se guarda o dinheiro 
do imposto da Nação?

Deus ilumina o coração dos homens, 
que comanda este país,
pois não podemos aceitar...
pessoas ao relento, sob o vento,
o frio, a tempestade e o trovão 
quase à riscar o chão ...com o nariz!

Maria Lu T. S. Nishimura 

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Tem horas que só quero ver como fica a imagem do meu pensamento... 

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Reflexão 

Hoje perguntei-me:
- Por que escrevo se talvez somente eu leio e porque canto se somente eu ouço, ou ainda por que falo se quem me ouve são cansados talvez de minhas palavras?
Depois de refletir um pouco ou talvez muito, cheguei a conclusão de que não tenho a resposta, justamente por está razão continue escrevendo, continue cantando e fale, ainda que me torne enfadonha ou cansativa, pois um dia ainda verão as flores de que escrevo, sentirão as paisagens que canto e lembrarão das emoções que falo.

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Então Natal 

Então Natal, 
as luzes estão piscando, 
as pessoas comemorando
e num abraço vem Jesus!

É ele que nos conduz,
a termos a fraternidade 
e abraçarmos como irmãos.

E neste gesto apenas, 
que se renove as esperanças
em cada coração!

A felicidade vem à esta união,
vem também a solidariedade 
e a bondade faz a renovação!

Em meio a linda festa,
os sorrisos se espalham 
e não há presente maior!

A leveza no coração 
nos toca em silêncio a emoção 
e numa prece do Senhor 
a paz se estabelece!

Os sinos vão tocar,
e ainda a ouvir
um coração pulsar, 
então é Jesus!

Maria Lu T S Nishimura 

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Espírito Santo de Deus

Aos seus pés Senhor, estou!
Trago a minha humildade e gratidão!

A minha vida é um palco de alegrias,
tantas batalhas já vencidas,
graças a ti Senhor!

Derrama mais uma vez a sua bênção,
nos conceda a proteção.
Proteja, mais uma vez, ó Pai...
o nosso humilde coração!

A minha casa é sua,
entra nela com sua luz!
Vejo-te no brilhos dos meus olhos
e num aceno
o Espírito Santo de Jesus!

Cobre tudo com seu manto ó senhor,
arranca do meu peito qualquer dor...
e se acaso houver...
um resquício de maldade,
suspende ele, por favor!

Não permita ó Senhor,
que nada de ruim paire sobre mim,
e sobre ninguém também,
porque somos todos os seus filhos,
e à todos queremos bem!

Envia a sua luz sobre nós,
pois a vida é o universo inteiro
e neste celeiro,
que vivamos todos como irmãos,
unindo com amizade as nossas mãos
e que ouçamos sempre a sua voz!

Maria Lu T. S. Nishimura 

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Abusos da fé 

Abusos da fé eu vi...
Ouvi...

Sem manto sagrado 
Há líderes cometendo pecado
Enganando quem tem fé!

Abusos da fé eu vi...
Ouvi...

Construções e monumentos 
Confundindo pensamentos
em nome dos mandamentos...

 Abusos da fé eu vi...
Ouvi...

Há líderes ditos religiosos 
que são na verdade mafiosos;
Ladrões, corruptos,
que enganam seus adeptos ou fiéis!

Abusos da fé eu vi...
Ouvi...

Em vão usando o nome de Deus,
porque na verdade são ateus.
Não passam de mercenários 
levantando nas mãos os rosários! 

Abusos da fé eu vi...
Ouvi...

Maria Lu T. S. Nishimura 

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Uma canção à Itaquaquecetuba 

Itaquaquecetuba sob céu azul anil
És estrela majestosa sobre o céu do meu Brasil!
Traz na sua história muita glória
De pastores e senhores, fortes homens à lutar 
A beleza de suas matas vem a todos encantar!

Itaquá, Itaquá quando assim se faz chamar 
Dos sons das taquaras, ruivantes a soar!
Traz-nos a lembrança da fundação 
Sua história enchendo de orgulho o coração!

Cidade de gente forte 
Que de Sul ao Norte 
Trabalham com louvação 
Para elevar seu nome ao alto conceito da Nação!

Das missões dos jesuítas se ergueu 
A mais forte entre os ecos apareceu
As sesmarias levante te corou
E o céu sua estrela abençoou!

Itaquá, Itaquá quando assim se faz chamar 
Dos sons das taquaras, ruivantes a soar!
Traz-nos a lembrança da fundação 
Sua história enchendo de orgulho o coração!

Maria Lu T. S. Nishimura 

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Enquanto assisto a TV 

Fiquei pensando nessa coisa de TV 
Tantas coisas me mostram lá 
Tudo tem hora pra passar...

Eu me disperso olhando pra janela 
enquanto assisto a TV ...
Talvez ela não tenha muito à me dizer,
mas, quase sem querer estou diante da TV!

TV, TV, TV...
O que tens a me dizer? 

Filme eu assisto;
Novelas acompanho;
Notícias ouço;
Programas diversos vejo,
onde, às vezes, me divirto!

Tantas coisas passam na TV... 
Mas, num instante eu me lembro, 
que a vida é feita pra viver!

TV, TV, TV...
O que tens a me dizer?

Maria Lu T. S. Nishimura 

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura

⁠Ainda acredito que sonhos seja o melhor elixir da vida!

Maria de Lourdes Terumy Suzuki Nishimura