Maria Lu T S Nishimura

1 - 25 do total de 335 pensamentos de Maria Lu T S Nishimura

Entre o céu e o abismo

Às vezes, é preciso fechar os olhos
para se encontrar consigo mesmo,
encontrar caminhos entre atalhos,
equilibar - se entre o céu e o abismo!

De repente enudecer a própria alma,
reconhecer-se frágil, carente de si...
solitário de um quê a quem se ama,
por achar a dúvida de um existir em ti...

Ao carregar indagações do por quê,
encontraria justificativa o seu íntimo
e por ventura, a lágrima de um vil se!

Daí, se encontrar, se perder ou o se ser,
seria o reconhecer perfeito do que se é
e certamente o reconstruir de um viver!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

O sorriso

Salve, salve a alegria sincera
que se manifesta espontâneo,
no sentimento por onde opera
nas cavas de um olhar ingênuo!

Ora que se puser o outro libertar
a igualdade do sorrir no reflexo;
é afeto que ao outro pode doar,
todavia, um sorriso é complexo!

Pois, se não houver ingenuidade,
por conseguinte, é cruel e severa
ao que o rir ao por fé da maldade;

Entre o que não se põe a palavra,
ao suposto, da própria verdade,
do que impiedoso ulcera e lavra!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

Resposta pequena

Veja, o que faço, com seu presente de consolação! Despedaço, amasso e rasgo
Nas palmas da mãos!
Meu riso, num grito esfrego meu não,
Na sua cara de traição!

Quanta ironia, foi o seu gesto de covardia
Pensando que me enganaria,
Comprando pra mim,
Um ramalhete de flor!

Ah! Que pecado malvado
É seu gesto pequeno, neste bilhete de amor!
Meu desgosto e meu nojo
É resposta pequena à um traidor!

Veja, o que faço,
Com seu presente de consolação!
Rasgo, amasso e despedaço também
O seu bilhete de amor
É mais uma resposta pequena à um traidor!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

Se falar de amor

Se falar de amor
Olhe nos olhos,
Sinta pulsar o coração,
Busque aquele encontro na alma.

Se falar de amor
Solte aquele sorriso aberto
Caminhe de mãos dadas
Olhem a mesma flor.

Se falar de amor
Beije com carinho
Evolva - se num abraço
Ame com ternura.

Se falar de amor
Não fale, sinta, viva e ame,
Pois amor não se fala
No silêncio se traduz!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

Banho de luz

Nas águas que correm sou busca,
Sou verdes matas que a flor ofusca,
Sou silêncio, sou brisa, sou vento,
Sou um mistério em pensamento!

Sou em mim meu eterno encontro,
Vibro nas coisas suaves do sopro!
No simples manifesto desta vida
Sou vernissagem de cor resumida!

De certo que tudo ainda palpita
Quão forte feito o meu coração
Ou leve sopro que o sonar apita!

Assim, ainda desperta- me o sol
Banhada de luz sou feita oração
Debruçada no leito feito lençol!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

A causa

Aos montes fez - se a pausa
E da semente se fez a causa
Para abrir sob o alto a alma
A árvore em forma de palma!

Ousada, tanto quanto a ela,
A servir de espelho aos raios
Feito labaredas em desmaios,
A bruma espalhou -se toda bela;

Na nebulosa de mar sem verde
O branco destacou - se como pode
Feito fumaça que não se esconde!

E o céu como alguém que responde
Mirou - se nas águas seu azul celeste
Disposto a perder-se no horizonte!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

Lágrimas em argola

De repente o que se sente?
Se de repente a lágrima rola,
vai jorrando feito corrente...
parecem lágrimas em argola!

De repente é uma emoção
tão íntima e sem palavras,
que sai fundo do coração...
Será que são tristes trevas?

Não! São as sensibilidades,
coisas que não se controla:
- Emoção, comoção, saudades...

De repente nem sei de que...
se saudades ou acordes,
de repente é apenas porque...

Il

Porque? Ora! Pra que saber?
Tenho os meus, você os seus!
Não te mete no meu querer,
deixa - me nos planos meus...

que também é nenhum plano,
então deixa - me sentir apenas,
deixa - me chorar sem engano...

Simplesmente porque sinto,
as coisas grandes e pequenas
que é comovente ou um ponto!

III

Chega, de tantos pontos! Basta!
Coloca - a ermo no verso e finda
logo este poema que se arrasta...
Se você pensou ...osta, tua ...da!

Se entendeu, bem! A onda é minha!
Você sabe quando a lágrima é linda?
Quando vem da alegria e da boa rinha!
A lágrimas de tristeza é sempre doída...

e a do de repente é sem explicação!
deve ser sentimento de rasto divino
que nos toca, por alguma indicação...

Então, com licença! Vou chorar,
depois vou fazer laço de sorriso
e nas argolas de lágrimas pendurar!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

Palma de goela

Está palma dilacerada em sangue
por este país és fato monumento
à injustiça homérica que se segue
neste in movimento do momento!

Formadores de opiniões concretas
nos seus discursos querem reforma
da previdência malfadada de metas,
que ao trabalhador castiga e deforma!

O trabalhador paga a conta no tributo
e o desvio quem é que fez e quem faz?
Epa! Que isso? Esperem um minuto...

vão dizer os responsáveis da União:
- Não fomos nós que roubamos lá atrás!
Ora! Reformem os previlégios então!

II

Faça a causa valer a pena por ser justa!
Por que precisam sacrificar o trabalhador,
sempre assim ao sangue por sua luta,
tem que sempre ser o pato a passar dor?

Que isso? Já basta deste Brasil, injusto!
Chega! O povo não é bobo e nem in ovo!
Já vêm calejada a mão aberta em luto!
Porque é ele que paga o pato de novo!

O buraco negro está aberto por certo,
alguém o abriu, roubou a terra e sumiu.
Não se planta no buraco e nem no deserto!

Então a lógica é tirar do "Centro" a moeda,
e acabar c'o desperdício em obras e regalias.
Reformem direito! Para descer na mi'a goela!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

O último dia

Amanhã talvez seja o último dia de nossa vidas
E depois de nosso desterro vereis esquecidos
Os sonhos, os projetos, os anseios e os vícios;
As horas consumidas nas tristezas ou alegrias...

Que importância tivemos para uns e outros?
O que realizamos de fato e o que fizemos?
Deixamos algo de bom e ensinamos algo?
Herdarão os que ficarem algum legado?

Fomos sábios o suficiente para o mundo?
E se fomos tolos, que diferença fez a ele,
Se no mundo não nos cabe ser o que convém?

Apesar de tudo o quanto se esforce e zele
Somos patéticos seres de querer imundo
Sujeitos do ego, ao bem, nem sempre amém!

Maria Lu T S Nishimura

Meditação

Acorda teu mundo no sol de dentro
Tua fé e tua energia tem um centro:
É o seu coração no emanar da paz;
O aquilo que só no seu sentir se faz!

Nada e nem ninguém é um malfeitor,
Se seu coração é feito de puro amor.
Ao seu redor todo o bem se expande
E todo o bem no mundo se estende!

A paz e a felicidade no mundo pleno
Esta na condição etérea do seu ser,
Aquieta no sentir completo e sereno.

A plenitude de sentir Deus tem poder
Transceda - te deste mundo terreno;
Medite para tu e todos na vida vencer!

Maria Lu T S Nishimura

Marionetes sociais

Ser o que não é a muitos pode convencer
Viver de mentira, sem ter até o que comer
O dinheiro nas parcelas do pobre cartão
Faz crescer a dívida feito mato no chão!

Anda com os trocadinhos para o ônibus
Para o cafezinho uma moedinha suada
O dó guardado, no aluguel a pagar ônus
Caminhas se necessário pela estrada!

Mas, há que se manter tal aparência
Alimentar- se de pura superficialidade
Fingindo ser gente de fina elegância!

Daí, a conta na mesa, corre seu mês,
Porque o dinheiro à alimentar a vaidade
Cumpre a resistência de ser outra vez!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

Botão de ouro

Quando busquei o encanto
Dessa coisa de viver,
Pus os pés na estrada
E comecei a me escrever!

Nas linhas desta história
Lágrimas enxuguei,
Superei meus dramas
Na corrente do saber!

Tudo o quanto eu quis
Ir num rastro do senhor
Nele encontrei meu interior!

Minha vida é Deus é quem sabe
O destino é para mim
Um botão de ouro,
No umbral deste jardim!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

Um coração carregado de você

Quão importante é o amor
aquele em que é simples,
especial sem saber porquê...

Amor assim sem querer,
sem um motivo palpável,
só sabe o que sente...

disso não se podes fugir,
nem negar ao seu coração
porque é inútil fingir!

É...o amor!
Não se assuste em amar,
isso é maravilhoso!

Porque quando se ama
os olhos brilham,
a alma sorri...

e fica aquele querer ficar...
ficar perto, ficar juntos
num abraço, num beijo e...

e de repente correr juntos,
libertos para o mundo,
livres somente para amar!

Nem olharia as estrelas,
muito menos a lua,
nem cantaria uma canção...

simplesmente porque...
não haveria lugar
num coração carregado de você!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

A escola do caiporismo

A escola do caiporismo ouve as algazarras
que se estendem nas salas
arranhando o chão!

'Que criançada em educação'!
Ecoa sob a caliça despejada nos arremendos...

O páteo esburacado todo gretado
Sob a chuva, vira o aguaceiro!

Sob desvios vagarosos, vão os passos
e as rodas dos carros silenciam,
nos motores que desligam...

Ali ficam nos cantos escolhidos,
desviando a lama da desgrama de novo,
e a política da escola encolhidos
que ainda se continua a engano do povo!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

Cifras peregrinadas

A sociedade tem a alma divina
consagrado por Deus universal,
sob Ele, um ser que não combina
por ser um ser de querer material!

Entre eles uma sociedade de cifras
em que a disposição da proclamação
é a disputa a ser quem convence mais,
a arregimentar pessoas à conversão!

- Venha por aqui! Este é o caminho,
não perca o poder de Deus fenomenal,
tu tens alma de Deus, não estás sozinho!

Ore! Reze! Tenhas gratidão por ti e tudo!
...as cifras peregrinadas de pão e vinho
e o universo gira assim cego no mundo!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

O seu passo
é igual ao
ponteiro do
relógio, sempre
em frente, então
siga em frente,
passo a passo
e te faça no
tempo!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

Aproveite logo a emoção

Levante seus braços e se estique
aproveite e respire profundamente,
sinta o ar reconstrruir - te!

Feche os olhos e busque a ternura
e depois abra pra ver de novo,
de repente o mundo é uma aventura!

Que de tal forma o céu é mais anill,
o verde é mais bonito,
as flores com mais encanto varonil!

E se for atentar há pássaros a cantar
borboletas coloridas a voar
e formigas a beijar!

O seu passo não é mais a rotina fria
e sim um universo de descobertas,
sentimentos de amor e de alegria!

Que de repente é a nuvem ao longe
alva feito algodão doce,
se desmancha na feição de um monge...

Às vezes é assim mesmo a rotina!
Mas, às vezes o sol ao descansar na chuva
e o gélido frio no inverno se descortina...

Então...passou o instante e se foi...
Foi- se um pouco de nós...
e de repente...não mais que de repente foi!

Posto que há razão
aproveite o tempo logo,
antes que se extingua sem emoção!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

Construtores da Nação

Pela escola a trabalhar todo dia
os profissionais da educação
são maravilhosos!
Professoras principalmente,
nesta escola em maioria
são todas competentes!
Os problemas existem
mas as guerreiras persistem,
se dedicam com afinco e amor
porque na educação
são sim mestres,
mestres dos milagres em sala!
Mas, tudo o quanto deles falam
é que o salário é uma miséria,
e sabemos que merecem muito mais
pois, um mestre transforma,
educa, se sacrifica por seus alunos,
porque acreditam que cada um é capaz!
Está é a verdadeira motivação de escola,
porque muitos vezes o aluno sem mochila
vem com a barriga vazia,
às vezes, perdido em confusão de família,
e os mestres são os que vêem tudo isso,
mas, têm nas mãos o desafio de ensinar,
ainda que possam querer ajudar!
Por isso, a qualquer tempo os professores
merecem ser respeitados, valorizados,
se não for pelos políticos e pela sociedade,
que saibam ser por sua classe em união,
reciprocidade e compreenção,
afinal são todos construtores da Nação!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

O circo dos sonhos

No circo encontrei o sonho de uma criança
escondida em tantos corações crescidos,
de repente viajavam no sorriso da lembrança
onde das experiências haviam esquecidos!

O encanto ascendeu o deslumbramento
com luzes coloridas tão perto a brilhar,
os sonhos estava ali mostrando talento
fazendo soar os aplausos no alto ecoar!

Essa magia em espetáculo de sonho real,
fez cada criança escondida todos sorrisos
voarem nos trapézios, subirem no pedestal,

Depois ali todos em pé em eco as palmas
eram novamente os adultos e seus filhos,
de volta ao corpo com suas leves almas!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

O espetáculo em cor

A cor é realmente a coisa mais bela!
Não existe nada sem um belo colorido,
desde a miúda flor ao pingo numa tela,
a cor existe para dar a vida um sentido!

Viva a cor que se expande e se levanta!
Viva a cor do arco-íris, dos pássaros!
De tudo o quanto da a cor se encanta,
as variações do simples e dos raros!

O escuro o claro, o frio e a quente cor;
A cor que acorda a vida à um sentido,
é a mesma cor do sentido do amor!

A vida de cor é um lindo espetáculo.
Viva e muitas vivas te daremos ó cor,
Cor és tu o tudo do todo um estímulo!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

Contexto democrático

Ao percorrer a linha do tempo
A vida biologica da existencia
Tem também muita importância
O ser mato que nasce no campo!

Neste contexto democrático
Reparte o solo todo fenômeno:
Do simples ao ser fantástico,
Um grande e um pequeno!

No âmbito deste ponto de vista
Viva como bem lhe convier
Desde que não saia da pista!

Realize aqui tudo o que puder
Faça do sonho, uma conquista
Para depois não se arrepender!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

Uns milhões na minha mão

I

Cansada de ver a rua adormecida
Dos trapos ali, escondendo gente!
Idealizei nas entranhas da razão,
Para este problema uma solução!

Estas cápsulas fez logo inspiração:
Imaginem um grande espaço vazio...
Faça logo este tipo de acomodação
Para que durma longe do triste frio,

Um grande refeitório com comida,
Tipo do Bom Prato é muito bom
Os banheiros com chuveiro coletivo,

A lavanderia também neste conceito!
O refeitório serve para por neles razão:
Palestra, oficina, orientação pra crescer!

II

Isso parece coisa de poetisa que sonha,
Mas, se não houver ampliação do conceito
Este país pode ter milhões de: -Eu quero!
Isso tudo vira nada e o tudo vira passado!

É preciso mudar o conceito, a forma
Porque do jeito que está, tudo deforma
Parem de empurrar com o egoísmo
Alimentando maldito paternalismo!

Coloquem a vergonha pra funcionar
Chegam de patinar na lama de falar
E não fazer nada pra mudar de vez!

Necessitamos de políticas públicas
Eficientes, urgentes e concretas,
Não adianta só mostrar e sonhar!

III

Quando se constrói ou se reforma
Nós sabemos fazer orçamento
Daí, vem os bilhões para as casas
Do projeto: Minha casa minha vida!

Amplia o conceito da egoísta casa,
O individual é só o espaço onde dormir
O restante pode ser coletiva disciplina,
Discipline o povo e não sofrerão!

O Brasil só fica a patinar!
Já tenho mais idade desde o dia que nasci!
E não vi nada mudar!

Põe aí uns milhões na minha mão
Que aquele problema dos desabrigados
Tiro de letra, resolvo ele pra Nação!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

Ampliação do conceito

I

Ao piscar de olhos logo vejo,
No ver, fazer constatação,
Ideio fazer ampliação,
Arrancar meu Brasil do nojo!

Se existo, lógico, que penso;
Manifesto com nó, a hipocrisia,
A politica cheia de burocracia
Enganando todo povo manso!

Trago no sonho o meu tanto
O ideal da ideológica Nação
Ver ampliar limitado conceito!

Quando faço a ampliação
Dentro do meu pensamento
Logo vem -me, incomodação!

II

Por que a mídia tanto fala e fala,
No jornalismo a sociedade divulga.
Há tantas impressionate reportagens,
Outras divulgações das malandragens,

Há programa que se liga, já sai sangue!
A televisão brasileira tá assim!
Daí ao ampliar o conceito, segue...
O pensamento dentro de mim:

Quem mostra é macumunado!
Mostrar não serve pra nada,
Se tudo fica parado no quando!

Claro que tens a mão amarrada,
Nestes tantos 'quando' detalhado!
Por que a polícia não é ajudada?

III

O conceito ideológico é governante,
É isso que faz um país ser grande!
Se nosso país não ampliar a visão
Seremos eternamente país prisão!

Todo o país que, no mundo cresceu,
Na hora que, todo o seu povo acordou,
Percebeu quão importante é enxegar,
Muito mais, é a ação de delegar!

A liderança delega a ideologia,
Então fica fácil fazer a mudança!
Chega de viver de sonho e da utopia!

Amplia tão logo a visão de mundo,
Resgata a moral ética e a liderança
E cessa logo a vergonha deste tudo!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

Ai, de um mim

I

Não sei se triste, carente
Se fez o vácuo, nem claro...
Tampouco tão negro, ecuro,
Claro demais, de repente!

Tivera por um instante
Que se perder, sem sim,
Sem passado, presente,
Ou o futuro! Ai, de um mim!

Na penumbra do incerto
O rumo escolhido do não
Quiseramos o fim por certo!

Perdido em meio a solidão
Em meio ao árido deserto,
Iludir saciar a sede o coração!

II

Ai, de um mim com o lamento,
Á derramar lágrimas ao vento,
Fosse clamar um grito ao mar
Tivesse, somente, que chorar!

Desfiando- te num vale escuro
Sepultasse a lua na cova da mão,
Á apagar a noite apta de devoção,
Sentenciando á dor e ao obscuro!

Na labuta do ora e o infinito agora
Quão efêmero o diáfano precipício,
Estingui-lo-ão todos, sem demora!

Depois cobrir-nos- ão o escuro véu
Nosso fim, traçado desde o início...
Voltaremos a Deus, para alto do céu!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura

O presente

A vida é o maior e melhor presente
Recebemos gratuitamente de Deus
No nascimento, dos pais, de repente,
Nunca deixe de agradecer aos seus!

Os meninos e seu instrutor ensinou,
Quão é importante á vida, o resgate!
Que o mundo inteiro se mobilizou,
Para que salvos fossem do embate!

As mãos de Deus estava com eles
Á dar-lhes a força e a perseverança
Para resistir a fome, as intempéries!

A lição do resgate é a esperança
E Deus vem ensinar seus valores:
-No nada, nele tenhamos confiança!

Maria Lu T S Nishimura
Inserida por marialu_t_snishimura