Coleção pessoal de Gracaleal

61 - 80 do total de 1262 pensamentos na coleção de Gracaleal

⁠Doe sangue. Ele salva outras vidas. Doe-se conteúdo. Ele salva a sua imagem

Graça Leal

⁠O belo, além de contemplá-lo ser um carinho aconchegante na própria alma através do olhar, é a manifestação mais polida da natureza para se fazer presente nas suas diversas maneiras de nos encantar

Graça Leal

⁠...e enquanto eu acreditar que posso buscar estrelas para reverenciar o seu luzir natural, a plenitude conduzirá a minha alma por todo o finito que permeia o nosso encontro.

Graça Leal

Arme-se. Porque a proposta de "Amar-se" e "Amar" não deu certo. Parece que foi uma equivocada invenção cristã.

É isso merrrrrrrmo?!?!

Graça Leal

⁠Os instantes, dentro do significado que conhecemos, são partículas do verdadeiro e grandioso Tempo. Do imenso percurso que nos aguarda no infinito. Todo o nosso movimento nesta partícula, quanto seres densos, pode não passar de uma reação à provocação cósmica. No fundo, viver talvez seja uma espécie sofisticada de paralisia consentida pelo universo. Uma existência sustentada por uma vertiginosa e necessária viagem pelo planeta azul antes do permanente volitar entre os mundos.
Não somos. Não temos. Não criamos. Apenas reagimos, quimicamente, às investidas do invisível.
É como conseguimos estar, sob a imensidão. É a materialização que fomos capazes, fora do nosso habitat

Graça Leal

⁠Não exija as "vindas" se as "idas" forem a saída e nelas houver, realmente, o encontro. Se neste encontro as partes estiverem, de verdade, no mesmo lugar. Se neste lugar a chegada for um desejo sincronizado. Às vezes, a outra parte pode não ter liberdade para transitar nos desejos de quem lhe deseja encontrar

Graça Leal

⁠Incomodava

Incomodava por ser feliz, como opção, apesar da autoridade do destino.
Incomodava pela autossuficiência diante das suas escolhas.

Incomodava, porque não lamentava a sorte e por não ser entristecida, apesar das investidas das decepções.

Sorria sempre.

Incomodava, porque apiedava-se do outro pela prática do desperdício de energias ineficientes lançadas em sua direção, só porque incomodava.

Incomodava, porque não aceitava as inverdades e lamentava os medos que paralisam os incomodados.

Incomodava por saber observar. Por ter um olhar descortinado.

Incomodava, pois o alcance do seu coração ultrapassa a fronteira da obrigação de sentir com o rótulo do convencional.

Incomodava, porque obrigava, sem obrigar, os incomodados a pensarem sobre o incômodo desnecessário que lhes tomava a alma, e pela certeza que nestes pensamentos vinham à tona os seus ocultos.

Incomodava porque tinha vida, brilho e liberdade.

Incomodava por se dedicar à busca do equilíbrio na razão, sendo pura emoção.
Seus equívocos não a detinham na insegurança.

Seguia em frente.

Incomodava, mas descobriu-se admirada pela ousadia de ser livre ao ponto de incomodar.
Era admirada, porque sabia incomodar.


Incomodava, porque era movida pela intensidade. Era discreta na particularidade e visivelmente objetiva.

Incomodava, porque não tinha a intenção de incomodar, apenas de viver o seu ser, e este não a incomodava.

Graça Leal

⁠Sim. As histórias podem ser de conhecimento público, mas os livros nunca são guardados abertos. Para apreservação do seu conteúdo, eles são mantidos fechados

Graça Leal

⁠Lua Cheia

Esférica e prateada no céu
Faz-se imponente no breu
É sonho de amor ao léu
Contemplá-la é o apogeu
Reflete a tua luz, no caminho
Inspira as mãos do escritor
Seu brilho é forma de carinho
É lar do guerreiro vencedor

Graça Leal

⁠Desde os primórdios, os poderosos perceberam que o maior perigo que havia na terra era a mente liberta de um humano. Muitas mentes abertas e livres juntas poderiam exterminar com o poder e com os interesses arbitrários deles. A união das mentes livres impediria que eles se mantivessem no topo do controle dos humanos, uma vez que o poder, desde sempre, promoveu ações covardes, atrocidades imperdoáveis em todos os segmentos da sociedade, e em todos os níveis a fim de conseguir se sustentar. O jeito, então, foi criar armadilhas morais, espirituais, afetivas e materiais para servirem de doutrina social. Caímos na ratoeira. Somos, por natureza, famintos de ilusões. A armadilha, nos primórdios, não só funcionou como se perpetuou nos quatro cantos do mundo. Até hoje, a mente humana é refém dos poderosos que, no decorrer dos séculos, apesar da rotatividade no cargo por questões de limitação do tempo de vida, foram aprimorando o conteúdo e o formato do domínio intelectual da espécie e, mesmo em tempos modernos, não falta quem facilite a vida dos condutores de mentes tornando as próprias vidas aprisionadas à conceitos equivocados, à verdades vendidas como absolutas, bem como à comportamentos que só servem para delimitar as nossas ações e sentimentos e nos encher de frustrações e culpas sempre que não estamos seguidos à risca as determinações destes líderes maquiavélicos de massa cinzenta. Além de nos enrijecer no conformismo tornado a nossa alma infeliz, porém com uma mente agradecida pela sorte de estarmos vivos ao amanhecer, consequentemente certos de que não temos o direito à liberdade irrestrita, ao prazer individual e íntimo sem que este afronte o sistema hipócrita de convivência coletiva, conforme os padrões determinados desde os primórdios.

Graça Leal

⁠Não morda a isca com o sabor dos padrões de comportamento como uma imposição social. Esta é uma arma manuseada, estrategicamente, por lideranças de alguns segmentos com a finalidade de limitar a nossa liberdade de ser enquanto favorece seus falsos moralistas, detentores do poder de te conduzir psiquicamente enquanto os próprios atuam no campo oposto do que orientam se permitindo serem eles genuinamente quem são, livres para agirem fora dos limites e dos padrões que propagam, e acobertados pelos seus iguais

Graça Leal

⁠Quanto um sistema político, verdadeiramente, eficaz, a democracia é um processo lento. Em geral, quem luta para qualifica este processo não usufruiu do resultado, pois precisa disponibilizar toda a sua vida até que um movimento justo seja observado pela sociedade, bem como para constatar que o sistema está tendo as suas peculiaridades maléficas sendo aniquiladas para que, enfim, todos possam se beneficiar certos de que o regime de exceção não terá espaço. Regime este que têm várias facetas que se confundem com liberdade e direitos
A atitude é a via. A esperança é a perspectiva. A paciência é a sabedoria que irá resultar no objetivo de alcance longínquo.

Graça Leal

⁠Há o amor da terra e há o amor do céu. No amor da terra cabe de tudo. No amor do céu só cabe mesmo o amor

Graça Leal

⁠Criar laços é diferente de criar dependência, uma vez que em um a ausência promove a saudade e no outro a abstinência

Graça Leal

⁠O futuro começa precisamente no segundo seguinte após o presente

Graça Leal

⁠Nem todos nós somos amáveis, sequer amáveis

Graça Leal

⁠Se a sua razão confrontar com algum desejo rotulado como insano e este tomar-lhe a mente instalando uma perturbação mental no palco do seu emocional, compartilhe com o(a) protagonista da história o que te leva à integra-se ao cenário do ato, supostamente, proibido. Se as cortinas se abrirem após a passagem do texto, entregue-se. Em geral, a exceção é que a peça seja uma história de Romeu e Julieta, uma vez que a grande maioria das produções cênicas da vida permitem que os seus personagens possam usufrir intensamente do prazer que elas proporcionam até o final feliz ou, no máximo, até o final convencional quando, então, a equipe envolvida
aguardará até que uma nova e grande produção seja patrocinada pelas inevitaveis emoções humanas.
A coxia pode ser uma eficiente aliada para te impulsionar à atuação no primeiro ato.
Todo prazer intenso é de curta temporada. Adquira o seu ingresso. É aceito o cartão aventura. Engana-se quem acha que a fatura é impagável. Às vezes, as parcelas cabem, folgadamente, no orçamento sem comprometer a manutenção dos compromissos oficiais. Nem todo o investimento de risco gera ônus. O bônus pode ser um lucro surpreendente.

Graça Leal

⁠Músicos são anjos que toparam vir para a terra com a condição de não terem que tocar só harpa e nem de só compor música sacra

Graça Leal

⁠O que têm o poder de transformação é a coragem não é o amor, este têm o poder de incentivar a coragem

Graça Leal

⁠... e eu, solitária nesta noite que antecede um feriado prolongado, no meu quarto a refletir sobre o por que da sua ausência. O som acolhedor da chuva lá fora e um friozinho delicado me estimulam a concentrar-me em tudo que você representa. O cenário é perfeito para uma nova versão romântica. Por que precisa ser assim, sem vc?
Difícil entender a razão pela qual a natureza não permite poder desfrutar da sua silhueta atraente e da sua companhia que é pura magia.
Por que, oh Lua, não te foi concedido o direito de brilhar no céu, nas noites molhadas?

Graça Leal