Jerônimo Bento de Santana Neto

126 - 150 do total de 493 pensamentos de Jerônimo Bento de Santana Neto

⁠O "gigolô de estado" está presente em todas camadas sociais da sociedade brasileira.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠O que não falta no Brasil são oportunistas usando a "voz do povo" em proveito próprio.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠O Brasil é um país de "faz de contas" aonde quem paga conta é o povo brasileiro.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠Onde está a crise da música brasileira ?

“Há uma crise na produção musical, mas isso não é culpa da gravadora. É uma crise de criatividade.” (Alexandre Schiavo).

Muitos alegam que a falta de criatividade do músico brasileiro, penso que fundo o que falta é oportunidade para música de boa qualidade.

Acredito que a indústria fonográfica ávida por lucros, prefere buscar um produção barata e de rendimento fácil na internet através dos campeões de acessos do canal YouTube.

Porém, passados meses aquele novo hit já não é mais o top1 das paradas musicais dando lugar a outro que ficará alguns meses também.

Nesse círculo vicioso
vence a música que atinge mais visualizações em detrimento daquela de melhor qualidade.

Claro, que não significa que o fato de ter se popularizado por causa da internet faz do artista mais ou menos talentoso. Afinal, apesar de poucas existem bandas nascidas na internet com grande conceito crítico.

Entretanto com a dispersão inerente à internet acaba criando um buraco enorme, onde muita gente boa se perde.

A seleção sendo feita por número de visualizações num país carente de senso crítico vencerá "Quadradinho de oito" e o "funk LecLecLec." por exemplo.

Fico pensando o que seria de Chico Buarque, Raul Seixas, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Renato Russo, Noel Rosa, Djavan, Guilherme Arantes, Milton Nascimento e outros grandes representantes da boa música brasileira e tivesse iniciado suas carreiras nos dias atuais ???

Acho que todos estariam no ostracismo, passando fome, teriam que procurar outra forma de ganhar dinheiro.

Por fim, acredito que, não há crise de criatividade, e sim falta de oportunidade.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠Era dos excessos

Nos tempos ditos pós-modernos presenciamos:

*Narcicismo exacerbado

*Excesso de informações

*Excesso de exibicionismo

*Excesso de vaidade

*Excesso de ostentação;

*Excesso de consumismo

*Excesso de individualismo

*Excesso de materialismo

*Excesso de liberdade

*Excesso de violência

Uma era de extremos

Esse cenário contrubuiu para aumento ansiedade, depressões e transtornos mentais na população e em contrapartida aumentou o consumo de antidepressivos e drogas. Além do crescente número de suicídios.

infelizmente nunca conseguimos um equilíbrio. Houve repressão demais no passado e agora temos liberdade excessiva.

Se no passado tinhamos referências dos pais, dos professores, das autoridades e de Deus.

Hoje não temos ninguém que nos dê um norte e que nos mostre os caminhos. Estamos perdidos num mundo de incertezas.

Os valores sólidos como amor, amizade, empatia, respeito, sinceridade... foram derretidos transformados em líquidos que fogem em nossas mãos.

A educação familiar, escolar e da sociedade organizada são imprescindíveis para construir um mundo melhor.

Apesar do mundo ser diferente comparado as décadas passadas a educação continua sendo a base de tudo.

Apesar de desagradar a educação ainda é o melhor caminho para construir um mundo melhor para todos.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠Vejo na sociedade em geral muitas pessoas com Síndrome de Gabriela:

"Eu nasci assim, eu cresci assim, e sou mesmo assim, vou ser sempre assim... Gabriela..."

Normalmente são pessoas que não fazem autoreflexão.

Pensam que vivem fora da sociedade.

Falamos tanto o mundo dá voltas, que o mundo é redondo ....

Mas, continuamos olhando para o próprio umbigo, achando que nunca vamos precisar dos outros.

Achando que: "O mundo todo está errado e eu estou certo".

Não existe uma manual da vida feliz.

Cada vida é uma vida.

Cada cabeça é um universo.

Cada relacionamento é um relacionamento.

Cada família é um família.

Existem alguns parâmetros que podem ser seguido uma vez que já foram testados por nossos antepassados.

Porém nem sempre vai garantir o resultado desejado.

Algumas pessoas chegam a mencionar se não gostar do meu jeito problema seu.

Outros gostam de proferir "suas verdades" e não aceitam ouvir "as verdades do outro".

Pasmem !

Ouvi numa fila de baco um pessoa afirmar que prefere o debate pela rede social, mesmo compartilhando do mesmo espaço físico, por medo de ficar cara a cara.

Penso que debate pelo face é fundamental para casos de distância geográfica, falta de tempo ... etc.

Agora na mesma casa, no mesmo trabalho, no mesmo bairro... é estranho para mim.

Seria melhor frente a frente, de preferência na mesa de um bar. rsrsrs

Enfim, as relações humanas não mudam.

Jerônimo Bento de Santana Neto

⁠Não lembro de nenhum movimento revolucionário que tenha alterado de forma significativa a situação na parte debaixo da pirâmide social.

Acredito que as revoluções servem muito mais para alternância de poder do que para mudar os rumos das castas pobres brasileiras.

Apesar disso, penso que o desejo revolucionário deve existir sempre, uma vez que ele é fundamental para proteger a democracia dos tiranos de plantão.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠Redução da maioridade penal

Creio que o Código Penal instituiu como idade limite para a responsabilização criminal em 18 anos, levando em consideração a capacidade que o ser humano teria para entender o caráter criminoso de sua ação.

Acontece que tenho visto com certa frequência menores cometendo crimes hediondos com uma frieza assustadora e sem qualquer tipo de arrependimento.

No documentário “PRO DIA NASCER FELIZ “ dirigido por João Jardim tem um depoimento de uma menina de 16 anos que matou a colega de 14 anos a facada.

Quando é indagada se não estava arrependida, ela afirma que três anos passa rápido e que a garota que ela matou a facada iria morrer um dia e o que ela fez foi antecipar a morte da colega.
Fica bem claro que esta menina sabia dos benefícios previstos no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente)

Aqui cabe uma reflexão?

Hoje, a legislação diz que pode votar dezesseis anos de forma facultativa e ao mesmo tempo diz que o menor de 18 anos não tem capacidade de entender o caráter ilícito de um crime, ou seja, eles podem escolher os principais governantes do Estado Brasileiro e não sabem o que é certo ou errado ?

Estes defensores da manutenção da maioridade penal em 18 anos poderiam, quem sabe, conversar e ouvir as vítimas e seus familiares recorrentes de menores infratores.

Tenho certeza que é muito difícil explicar para os pais de uma vítima de latrocínio que o responsável pelo crime permanecerá apenas três anos internado e depois terá uma vida normal, sem nenhuma responsabilização posterior.

Será que se um dia acontecer um crime hediondo praticado por um menor contra a família desses defensores , eles manterão a mesma opinião?.

Quando o crime atinge a família dos outros é fácil manter esta postura “politicamente correta”..

Evidente que o governo brasileiro vem falhando ao longo da história no combate á desigualdade social, precisamos sim de mudanças estruturais que visem reduzir o hiato entre ricos e pobres e consequentemente diminuir a miséria, a fome, o desemprego, a violência e a marginalidade.

Entretanto não podemos justificar a criminalidade com a pobreza e falta de oportunidades, isto é reducionismo.

Em certo grau, é claro que é um fator que contribua e que precisa ser combatido, mas classificar como causa única é simplificar o problema e ignorar que milhares de pessoas lutam com as dificuldades e nunca pensam em entrar para o crime.

Ser pobre não é desculpa geral para cometer crimes.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠Tem gente que quando não tem mais nada para fazer vem apertar a mente da gente.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠Tudo é permitido e perdoado a partir de interesses pessoais, ainda que inflijam as leis.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠Cuidado para não se envenenar com seus próprios prejulgamentos.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠⁠⁠⁠Os filhos dos "batalhadores brasileiros" classe intermediária entre a "ralé" e as classes superiores não estão muito interessados em sacrificar suas vidas seguindo a mesma trilha tortuosa e cheia de pedras que seus pais percorreram carregando uma cruz grande e pesada para ter direito a um lugar ao sol.

Em geral, preferem ficar no conforto do lar até um dia finalmente herdar os bens que seus pais conquistaram.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠Torcer para quem não quer é nadar contra maré.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠Homenagem póstuma para quem nunca teve homenagem em vida é uma tremenda sacanagem.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠"As demandas sociais das minorias sofreram um grande revés quando os donos do mundo sequestraram suas vozes".

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠O fato de ter acesso a uma
série de privilégios não invalida o mérito da conquista.

Prefiro ao invés de arraigar-se em comparações com o outro. Focar nos meus sonhos e continuar lutando por uma sociedade mais justa e menos desigual, aonde o acesso aos privilégios sejam um direito para todos.

Não é justo culpar aqueles que não tiveram oportunidades e por isso fracassaram na vida, assim como também não é justo tirar o mérito daqueles que tiveram oportunidades e aproveitaram para vencer na vida.

Cada caso é um caso.

Procuro evitar os prejulgamentos.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠O fato de alguém superar as desigualdades sociais impostas pela sociedade brasileira não implica que todos poderão conseguir, nem invalida a omissão do estado brasileiro no combate a pobreza.

Jerônimo Bento de Santana Neto

⁠"O dinheiro silencia o espírito revolucionário. "

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

Muito díficil saber separar o joio do trigo nesse mar de lamas chamado Brasil.

Jerônimo Bento de Santana Neto

⁠Uma coisa é a teoria outra é a vida como ela é.

A realidade do mundo é extremamente segregadora machista, racista, preconceituosa...

E aqui no Brasil o cenário é bem pior. Aqui tudo é velado. Sinceramente, não acho que essa realidade de milênios mude um dia.

Assim, acho que as mulheres deveriam ter cuidado redobrado nos dias atuais. A prevenção é o melhor remédio e depois do leite derramado já era. Nenhuma Lei ou autoridade vai trazer sua vida de volta.

Entendo, respeito e concordo que o corpo é da mulher. Isso é um fato real, certo e concreto. Assim, como é uma fato real, certo e concreto que lá fora o mundo estar cheio de estupradores e ladrões que estão pouco se lixando sobre a questão: A quem pertence corpo da mulher?

Para ilustrar melhor meu raciocínio, tomo como exemplo um relogio de ouro, que mesmo sendo meu, não convém sair com ele durante à noite em lugares desertos com alto índice de assaltos Apesar do relógio ser meu, prudência, cautela e prevenção nunca é demais. Uma vez que, a chance de ser vítima de assalto é muito grande.

Acredito, que no caso das mulheres, vale também a prudência, a cautela e a prevenção, mesmo considerando que o corpo é dela, acho importante evitar usar roupas excessivamente decotadas e andar em lugares desertos e horários não recomendados.

Atenção, não estou afirmando com isso que esses fatos sejam levados em julgamento para amenizar um possivel crime. Sou totalmente contra culpabilizar a vítima.

Entendo que se for sem consentimento a punição tem que ser severa. Independentemente da roupa que a vítima estava usando, do local e horário que ocorreu o delito.

Estou chamando atenção para prevenção como uma forma de se proteger da realidade, do dia a dia...

Afinal, teoria é teoria, a vida como ela é...

É bem diferente.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠Será que fomos vencidos pela estratégias dos ricos ?

Na periferia após anos e anos de salário reprimido , educação restrita e oportunidades restringidas . Abraçaram a política do pão e circo como forma de vida.

Sem senso crítico prevaleceu a sabedoria de aproveitar o dia a dia sem ter agonia.

Testemunharam de perto a angústia daqueles que escolheram mudar seu dia percorrendo caminhos feitos de estradas tortuosas e portas estreitas em busca de melhorias.

Por fim entre arriscar buscar um amanhã melhor e ter que carregar uma cruz grande e pesada, escolheram aceitar o jogo de cartas marcadas que os tratam como uma manada. Quem sabe um dia ganham na loteria saiam dessa cilada.

Na burguesia resta lamentar dia a dia por sustentar o rico em sua mordomia e o pobre no bolsa família. Trabalham e estudam sem parar. De tão ocupados não param para pensar, descansar , repousar e até transar.

Nesse cenário de completa histeria são considerados ricos pela periferia e vão parar sala de psiquiatria por falta de alegria e companhia.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠No Brasil amigo do Rei vale mais que a lei.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠Na teoria parece ser fácil, mas na prática temos muita dificuldade em respeitar a diversidade.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠A morte é democratica. Dela ninguém escapa.

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959

⁠Os problemas de corrupção e outras males da sociedade estão perto do fim?

A justiça, o Ministério Público, a Polícia Federal e demais instituições funcionam de verdade?

Estão acima do bem e do mal?

Nossa democracia funciona?

Chegamos so marco zero da nossa história. Daqui pra frente tudo vai ser diferente.

Nossos problemas acabaram seremos definitivamente o país do futuro?

Seremos felizes para sempre?

Será que a justiça, o Ministério Público, a Polícia Federal e demais instituições funcionam de verdade?

Estão acima do bem e do mal?

Jerônimo Bento de Santana Neto
Inserida por I004145959