Poemas do Carnaval

Cerca de 527 poemas do Carnaval

O CARNAVAL

Assisto a pobre alma pelo relampejar da fantasia, tentativa frustada de preencher o vácuo individual.

Assisto o pobre habitantante da região em gigantesca agitação, refúgio interior do imenso conflito.

Assisto ainda muitas almas a se consumir pela a acanhada alegria surperficial, mas era de se esperar.

O indivíduo é imensamente simples ao tentar se descobrir em penachos e paetês, intensa demonstração de desgastado coração.

São os momentos temporais que fazem o momento afortunado, ou apenas originam a traiçoeira ilusão de alucinado prazer.

Existem os que se libertam ao amanhacer sem nada temer, mesmo sem esquecer a miséria de sua alma.

Necessito lembrar que existem apenas os que lamentam as suas misérias interiores a cada folia, alfinetando a falsa alegria, que as consomem a cada quarta-feira de cinzas.

Jorge Mello
Inserida por JorgeMello

RESSACA DE CARNAVAL

A ressaca do folião que está curtindo o carnaval vai durar no máximo dois dias, e a ressaca de quem optou pra uma leitura aprofundada ou estudar, dura uma vida toda.

César Ribeiro
Inserida por frankcesar480

O carnaval está chegando,
é tempo de diversão,
pessoas de toda idade,
em uma só curtição,
mas eu vou ficar de fora,
só na observação.
-
aquí eu deixo um recado,
prá toda a rapaziada,
que fiquem longe das drogas,
pois isso não leva a nada,
vão cheirar mulher bonita,
e beber cerveja gelada.
-
que brinquem tranquilamente,
num carnaval animado
respeite o seu semelhante,
prá também ser respeitado,
na quarta feira de cinza,
a festa tem encerrado.

Edivan Souza
Inserida por wanderleibatista

(Um Carnaval Qualquer)

Só sei para, pensar, recordar, e escrever bobagens pra um carnaval qualquer te encontrar por ai. Dançado vibrando sorrindo ou chorando. Vendo-te de longe assim como quem não quer nada ou nunca quis e sem sabe por que quis um dia. Caindo pelas esquinas e dizendo a si mesmo "eu cheguei aqui só e assim irei ficar". Só para te encontrar em um carnaval qualquer.

Thiago Vieira de Siqueira
Inserida por Thiagovds

Tempo de carnaval
Tempo de história e escolha
Onde a vida é uma folha
E você escreve a sua
Você que tem que escolher
O amor ou a pegação
Sentimento ou a diversão
Tudo isso cabe a você
Minha escolha esta feita
Eu ouvi meu coração
Melhor 4 dias preso
Que um ano de Solidão !

Arthur Vilar
Inserida por ArthurVilar

A morte

A morte é o real
Nessa vida distraída
Onde tudo é carnaval
E o real é irreal

Não faz mal a morte
Porque minha cadeira cativa
Está me esperando ativa
Num lugar escolhido com sorte

Só deixo uma saudade
Que sempre me fez feliz
Amante , amiga ,irmã e mulher
Sempre comigo onde eu estiver

Saudades muitas também
De meus filhos , netos e familia
Fizeram eu entender com a idade
Que da vida ....esse é o único bem

Raimundo grossi
Inserida por Rai1945

História de carnaval

Quando os anos passarem e relembrar
Daquela viagem com amigos a beira-mar
Aos seus queridos netinhos iram contar
Suas aventuras e histórias daquele lugar.

Foram dias ensolarados no litoral
Quatro amigos explodiam de emoção
Com muita alegria pediram o aval
Para festejar a amizade com diversão.

Chegando a São Pedro da Aldeia
A grande festa contagiava o lugar
Com discrição pisaram na areia
E se emocionaram ao ver o mar.

Dois casais muito apaixonados
Brindaram o amor no litoral
Estavam felizes e encantados
Ao ver a magia do carnaval.

Valdeny Brito
Inserida por ValdenyBrito

Desastre ambiental,
eu só vejo choro no país do carnaval,
a meio mastro astiada,
a bandeira nacional.

Sergio Moreno
Inserida por SergioMoreno

Carnaval no Guarujá.

O carnaval é uma festa pública originária da Grécia de meados de 600 a 520 a.C.
Por incrível que pareça, passou a ser uma comemoração adotada pela Igreja Católica em 520 d.C. como “adeus à carne” daí o nome “carne vale”.
O carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, é produto da sociedade vitoriana do século XIX.
A cidade de Paris foi o principal modelo exportador da festa carnavalesca para o mundo. Cidades como Nice, Nova Orleans, Toronto e Rio de Janeiro se inspirariam no carnaval parisiense para implantar suas novas festas carnavalescas.
De um tempo para cá, principalmente no Brasil, o carnaval é muito mais lembrado como Sodoma e Gomorra, pelos excessos sexuais e etílicos. E nem se fale de adeus à carne porque o que mais se vê são churrascos antes, durante e depois da festa, o que custa aos cofres públicos um dinheiro que não existe para contratar médicos, aparelhar hospitais e minorar o sofrimento da maioria daqueles foliões que gastam grande parte dos salários de muitos meses para aparecerem como pequenos pontos coloridos nos desfiles das escolas de samba.
O carnaval está mais para circo do que para festa, pelo tamanho da palhaçada que os administradores do dinheiro público fazem.
Há verbas de todos os tipos, com todos os nomes e sempre para os mesmos bolsos. Não se vê gente séria envolvida com essa palhaçada porque se era ou foi sério algum dia deixa de sê-lo quando alguém é homenageado, agraciado, paparicado ou qualquer outro nome que se dê a tamanha insuflação do ego.
Nos próximos dias vamos ler no Diário Oficial do Município o tamanho das verbas destinadas ao carnaval e os gastos com a montagem dos palanques. Os mesmos palanques usados para as campanhas eleitorais, os mesmos cabos eleitorais, os mesmos foliões com o dinheiro público.
E os hospitais? Bem isso é para nós, os palhaços de sempre!
Isso é fantástico!

Marinho Guzman
Inserida por marinhoguzman
1 compartilhamento

Carnaval !...


Ousadia extrema
Tira a roupa e entra em cena
Os lindos sei(os) dessa morena.

Sandro Costa
Inserida por SandroCosta

Domitila e a Ira

Em uma tarde de carnaval. Domitila conheceu Pedro.

Pedro homem serio, digno do amor de Domitila.

Foi amor a primeira vista.

Domitila amou Pedro por infinitas luas.

Até que chegou a tempestade e separou ambos.

Decidiram ser bons amigos. Mas veio a tempestade e levou a amizade.

Domitila foi picada pela mosca da ira.

Brigou com o Pedro.

Zangou-se seriamente com ele.

Passou a tratá-lo como os outros. Ignorava-o

Pedro insistia em reconquistá-la.

Enviava-lhe poemas infantis e bobos.

Pedro oferecia rosas românticas.

Mas, nada adiantava.

Domitila permanecia implacável em seu estado de ira.

A ira com o tempo amadureceu. Se transformou em ódio.

Do ódio veio o asco por Pedro.

Nem suportava mais ouvir falar de seu nome.

E assim o tempo passou.

Pedro morreu de amor, extasiado em meio a um último poema.

E Domitila nem uma lagrima derramou.

Passou os anos. E a mágoa besta permaneceu no seu coração.

Até o seu último dia de vida.

Onde em seu último suspiro envolto ao delírio. Disse:

Pedro meu amor. Ai vou eu...

Poeta Urbano - 150712
Inserida por PoetaUrbano
1 compartilhamento

Se de toda a vida sinto falta
O mundo me preenche e tento me conter diante dos carnavais sonhados
Embora tente não consigo
Pois se vejo em sonhos amor e no mundo dor
O que devo escolher?!
Não sou dotado de existência
Observo os detalhes do momento
Mas tudo que vejo vem dos outros ao meu redor
Nada existe além de mim, nada flui para fora de mim
Tudo por medo dos dias embaraçosos depois do hoje
Como uma ressaca não experimentada
Agora e para sempre desejo existir para fora de mim
Se antes tinha receio de sorrir
Agora vôo alto em cada alegria
Sou filho dos séculos passados
Sou irmão de Raul e nasci para ser mudança
Não desistirei de nada que é meu
No entanto não me considero dono de nada além de meu poema vivido
Posso ser dono de tudo que quiser
Agora lá fora além das palavras existe algo meu
Parte de mim acaba aqui
Porém o belo é saber que alguma parte permanece imortal.

Rafael Andrade Vidal
Inserida por Orafavidal

Você era a mais bonita das colombinas
Menina, que se foi na folia do carnaval
E nesta festa de confetes e serpentinas
Prossegue... O sonho sambando até o final...

Luciano Spagnol

Luciano Spagnol - Poeta mineiro do cerrado
Inserida por LucianoSpagnol

Fevereiro, que venha:
Suave e alegre o carnaval
Que sua folia seja a senha
De comemoração, afinal
Seriedade de março a janeiro
Entre confete e serpentina que tudo seja especial
E neste bonde, não sejamos meros passageiros...
Feliz fevereiro, feliz carnaval!

Luciano Spagnol

Luciano Spagnol - Poeta mineiro do cerrado
Inserida por LucianoSpagnol

Rio cenário

Amanhece os 40 graus
De luz e melodia
É ginga de samba, carnaval
Do Tom ao Vinício ousadia
Garota de Ipanema sensacional
O Rio das esquinas e botequins
Da cultura capital
Arcos da lapa, madame Satã, Maria
Do fim de tarde na lagoa, parque dos patins
Aquarela de nostalgia
Chico, beco das garrafas, Copacabana
Chapéu de palha, Cartola e Noel
A magia do despacho da cigana
Drummond mineiro um carioca fiel
Madureira, cidade maravilha
Burguesia, favela em confraria
Matas, aterros, baia e suas ilhas
Rio de Janeiro canção e poesia

Luciano Spagnol - Poeta mineiro do cerrado
Inserida por LucianoSpagnol

Contos de fadas as Vilã são encontradas,
Mais na vida real,são iguais a bailes de carnaval
Todos usam máscara.

Desconhecido
Inserida por myckaele

E o que vem...
Depois do carnaval?
Onde ficou a alegria.
A folia.
A realidade da fantasia?
O que temos para comer Brasil?

Dayse Sene
Inserida por daysesene

O que é
o carnaval...
senão uma
frustração escondida,
por trás de uma
fantasia da alegria?
Na quarta-feira de cinzas...
todos se
vestem de depressão!
Contas para pagar...
Gasolina no topo...
Cheques sem fundo...
Corrupções.
Gestações.
Medo do real...
Queriam viver
365 dias de folia?
Carnaval.
Fantasia.
Mas a realidade
convida para viver...
Viver o real.
Jornal nacional.
Pena de morte.
Assaltos.
Política.
Política...
Já tiraram a máscara?
Não sei...
Acho que o
carnaval continua...
E o bloco do Fora Dilma...
Dia 15 de Março, sai à rua...
Quem vai brincar
nesse carnaval real?
O povo está dormindo.
Bêbados...
Alguns nas esquinas.
Mas que o bloco sai ...sai!
Vamos ver quem vai!!
Se aqui tiver...
Eu vou!

Dayse Sene
Inserida por daysesene

É noite de carnaval, faz chuva, ouço trovões e pingos d' água que caem no forro de um telhado com goteiras. Não há energia e aqui dentro esta tão escuro.
Ao som dos carros passando em meio as possas que se formam pela rua, sinto levar um pedaço de mim para algum lugar que não sei ao certo onde irá chegar ou mesmo se haverá um final. Pela janela vejo seus faróis de luzes branca, um flash à cada passada, enxergo um fio de esperança e uma luz para me guiar nesta escuridão.
O tic-tac do relógio me avisa que posso explodir a qualquer momento, uma explosão de sentimentos que se colocado em fogo causará grande impacto em vida.
As batidas ficam mais forte, lá fora a chuva aperta, aqui dentro é incerteza.
É noite de carnaval, enquanto muitos transbordam em maresias, me junto aqueles que não tem tantos motivos assim para festejar.

rr
Inserida por 2Rodrigues

HOJE É CARNAVAL

Vem escancarar meu dia
Hoje é festa
Hoje é Carnaval
Faz valer a pena...
Quem sabe né...
Quando o engarrafamento acabar
A cabeça esfriar
A pista fique livre
Ai né...
Você fica e...
Vem...
Escancarar meu mundo

Maria Ivone Dantas
Inserida por ivonedantaspoetisa