Mario Sergio Cortella é um dos pensadores contemporâneos mais celebrados do Brasil. Conhecido por sua capacidade em transformar ideias filosóficas em coisas simples.

Em suas palavras, ideias complexas de personalidades como Sócrates, Descartes ou Nietzsche, por exemplo, são aulas descomplicadas e cativantes acerca de felicidade, trabalho, ética, morte.

Selecionamos 11 pensamentos desse filósofo que tem democratizado o conhecimento para milhões e milhões de brasileiros.

1. A sorte segue a coragem, desde que a coragem seja competente

Título de um dos seus livros (um dos maiores best-seller brasileiros), este pensamento traduz muito bem um pilar sempre abordado por Cortella: a capacidade de construir a nossa própria sorte e fazer da nossa vida um sucesso. Parece mais autoajuda do que filosofia, e no fundo pode ser um pouco dos dois: fato é que para muita gente funciona.

Coragem

Coragem é preparo e não mera disposição eufórica

Mario Sergio Cortella

2. Todo poder que em vez de servir, serve a si mesmo, é um poder que não serve

É um trocadilho, sim. Mas para e pensa um pouco. Não é genial? O filósofo diz que cada um de nós tem um poder, e que a tarefa do poder é servir e não se servir. Servir a uma causa, a uma comunidade, nação, negócio, não importa: a questão aqui é entender que o poder demanda solidariedade.

O conhecimento serve

O conhecimento serve para encantar pessoas, não para humilhá-las.

Mario Sergio Cortella

3. Várias de nossas certezas, como os tapetes, têm que ser sacudidas vez ou outra

Como um bom filósofo, o objetivo do professor com suas palestras pelo Brasil é fazer as pessoas pensarem. E pensarem mais. E mais um pouco. Cortella está sempre dizendo que precisamos ter calma e refletir sobre tudo que vivemos, incluindo os lugares onde nos sentimos seguros.

Vivemos numa época

Vivemos numa época em que há valor volúvel e uma pressa nas comunicações e nas conversas.

Mario Sergio Cortella

4. É preciso evitar ao máximo a ideia de que “a vida é assim”

Quantas vezes a gente se pega dizendo esta frase? Mario Sergio Cortella explica que a origem da palavra idiota é grega e dizia respeito a pessoas que não participavam da sociedade. Não agiam. O contrário disso eram chamados os políticos. O filósofo tem um livro chamado “Política para Não Ser Idiota” onde explica pensamentos anticonformismo e incentiva o exercício diário da cidadania.

O idiota

Idiota é o que fica fechado em si. O político é o que se abre para o conjunto.

Mario Sergio Cortella

5. Todo preconceituoso é covarde. O ofendido precisa compreender isso.

Cortella fala muito em suas palestras sobre assuntos que envolvem a nossa realidade atual. Incluindo o preconceito. Ele diz que “o preconceito tem duas fontes: a covardia e a tolice.” e que pessoas preconceituosas precisam rebaixar outras para se elevarem. Compreender isso pode ser a chave para a reação do oprimido.

É um fraco aquele que

É um fraco que teme aquele que não é igual e se sente ameaçado por ele.

Mario Sergio Cortella

6. O amor jamais deve aceitar tudo

O filósofo defende que é preciso alimentar um cuidado para quem a gente ama e aprender a dizer “não” quando percebemos que há algo errado em jogo. Em vez de dizer “é porque eu te amo que eu aceito” começarmos a dizer “é porque eu te amo que eu não quero isso ou aquilo”.

Uma pessoa que seja

Uma pessoa que seja capaz de amar é aquela que recusa aquilo que faz mal.

Mario Sergio Cortella

7. A justiça precisa ser inteligente, não vingativa

Quantas vezes em um momento de raiva por ter sofrido injustiça a gente pensa em “dar o troco”? É preciso que a justiça seja inteligente, afinal ela serve para curar males e não vingá-los.

Futuro pacífico

Criar um futuro pacífico não significa ser complacente, mas a justiça também não pode ser rancorosa.

Mario Sergio Cortella


8. Passado é um segundo coração que bate em nós

Esta frase não é do Cortella, e sim de dramaturgo francês , mas ele cita com gosto. Tendemos a ignorar o passado e sermos estimulados a olhar só para frente. O filósofo brasileiro defende que olhemos para o passado resgatar momentos que nos tragam mais vontade de viver.

Memórias

Precisamos de memórias que sejam forças auxiliares, como um gerador de vida.

Mario Sergio Cortella

9. Uma das grandezas da oração é ela não ser respondida

Um dos temas frequentes do filósofo é a espiritualidade, religiosidade. O que ele quer dizer com essa frase um tanto polêmica (adaptada de um livro de Antoine de Saint-Exupéry) é que é importante que a prece não ganhe uma lógica de comércio, ou seja: eu peço, você dá. Uma simples troca. Faz a gente refletir sobre gratidão também, não é?

Religiosidade

Há muita gente com intensa religiosidade que não tem religião. Religiosidade se manifesta como convivência, fraternidade, partilha, agradecimento.

Mario Sergio Cortella

10. A monotonia é a morte da motivação

Esta é uma das máximas de um dos livros mais famosos do Cortella, “Por que fazemos o que fazemos?”. A questão aqui é que, mesmo que tenhamos uma rotina, o que não é ruim, é importante prestar atenção nas coisas que fazemos. Ou seja: encontrar dentro de si a tal “motivação” que faz cada ação sua ter um significado, valer a pena.

Motivação

A motivação é uma porta que se abre por dentro.

Mario Sergio Cortella

11. É a insatisfação que nos move

Nascemos para caminhar e nunca para ficarmos plenamente satisfeito com as coisas como estão. É importante resistir à tentação de manter-se no mesmo lugar e mover-se sempre em direção a coisas novas!

É preciso estar insatisfeito

Estar satisfeito consigo mesmo é considerar-se terminado e constrangido ao possível da condição do momento.

Mario Sergio Cortella