Coleção pessoal de tuliorios

61 - 80 do total de 122 pensamentos na coleção de tuliorios

⁠O propósito é o guia que levará o navio onde você deseja. Indica a direção e o destino almejado. Quando há clareza de propósito, haverá fé, paciência e coragem para fazer o que deve ser feito. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠Sempre que for empreender, escolha algo que faz seu coração vibrar e que você sente que coloca em ação seus dons e habilidades. Quando talento e esforço se unem, os resultados são extraordinários. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠Em vários momentos da jornada empreendedora haverá vontade de desistir, principalmente quando as maiores dificuldades aparecerem. O que fará você seguir em frente é o fogo interno, movido pela paixão de fazer o que faz. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠Treine a capacidade de dizer não quando você quiser dizer não, sem ter que mentir. Sem dar desculpas. É o maior economizador de tempo da vida. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠O rio contorna obstáculos até atingir seu objetivo ao desaguar em outro rio ou no oceano. É da potência da queda d’água em hidrelétricas que gera energia que abastece mais de 90% do Brasil. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠O trabalho é a base do empreendedorismo. A força do homem que transforma o que foi dado a ele em riqueza genuína para ele, sua família e toda a sociedade. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠Na era digital que vivemos quem se comporta como um robô, mais cedo ou mais tarde será trocado por um robô, porque a máquina não costuma errar. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠Existem 3 tipos de colaboradores em qualquer empresa: A, B e C.
Colaborador C é aquele que vive dando dor de cabeça para empresa: falta e chega atrasado com frequência, todo dia apresenta um problema diferente, um novo atestado médico, atrito com clientes e colegas de trabalho. O custo emocional, de tempo e financeiro para a empresa é significativo. Nós sabemos que o tipo de colaborador C não fica na empresa, mais cedo ou mais tarde ele é mandado embora. Para o bem de todos, que seja mandado embora o mais cedo possível. O dono da empresa paga para se livrar do “problema”.
De outra forma, o Colaborador B é aquele que entra e sai no horário estipulado, faz o que pede, porém, ele é reativo. Reage ao cliente, aos colegas de trabalho e às outras pessoas. Vale o que pagam a ele de salário ou comissão. Fica quite com a empresa. O problema daquele que fica apenas quite com a empresa é que faz apenas a sua obrigação e não coloca a pulga atrás da orelha do dono do negócio ou de seu superior imediato sobre como recompensá-lo mais pelo que faz a mais. Além disso, é um robozinho. Falta interesse, capacidade e criatividade para entregar mais. Nós sabemos que na era digital que vivemos quem se comporta como um robô, mais cedo ou mais tarde será trocado por um robô, porque a máquina não costuma errar.
E, por último, ou melhor, em primeiro lugar, o Colaborador A, o intraempreendedor, empreende dentro da própria empresa. Ele inova, se antecipa aos problemas, se conecta verdadeiramente com o cliente e com as pessoas que trabalham com ele. Vale 5 a 10 vezes mais aquilo que é pago a ele em dinheiro. Ele erra? Claro que erra. Como todos nós. Mas assume a responsabilidade por seus erros ao invés de culpar os outros. As melhores oportunidades na empresa sempre costumam aparece para ele.
O ideal é que sua equipe seja composta apenas por colaboradores tipo A. Porém, sabemos que a realidade da maioria das pequenas empresas não é assim, tem gente de todo tipo. Vamos fazer uma ressalva aqui, a forma como apresentei o colaborador A, B e C, pode ter sido interpretado como algo determinista, imutável. Sabemos que uma das maiores dificuldades em relação ao ser humano é a mudança de comportamento, no entanto os três tipos de colaborador estão dentro de cada pessoa da sua equipe. Cabe a cada um deles, tomar a decisão todos os dias qual dos 3 tipos irá predominar. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠O conhecimento aplicado passa por três fases de evolução até atingir o máximo proveito: simplório, complicado e simples. Primeiro, o conhecimento é simplório, ou seja, pouco desenvolvido, rudimentar. Sabe-se algumas informações. Tudo muito raso e vago. É necessário maior profundidade sobre o conhecimento. Segundo, o conhecimento é complicado, ou seja, há riqueza de informações e perde-se no meio de tanto conteúdo disponível, o que é relevante nem sempre é comunicado. Terceiro, e por último, o conhecimento é simples. O elemento chave é a clareza. A informação é selecionada e apenas o essencial é apresentado e todo o resto é excluído. Cirúrgico. É o estado da arte. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠Quando falamos de inovação não quer dizer inventar a roda ou coisas que revolucionam por completo a forma como as pessoas enxergam o mundo, mas que produz ainda que uma pequena melhoria e que seja relevante para o usuário. As malas de rodinhas são um bom exemplo. Facilitam e muito o transporte de malas pesadas por longos saguões que motivaram milhões de pessoas pelo mundo a adquirirem novas malas para usufruírem do transporte de sua bagagem sobre rodas. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠Para ser inovação, o mercado tem que aceitar. O primeiro passo é de fato as pessoas entenderem que a solução oferecida resolve uma dor do seu potencial cliente de uma forma que vale mais a pena do que o que ele conhece. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠Pendurar um balão inflável gigantesco de porquinho cor-de-rosa, flutuando acima da sua empresa, só será uma inovação se trouxer efetivo retorno financeiro, senão apenas mais uma ideia mirabolante que deu errado. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠Qual é o valor de uma ideia? Pode não valer nada, mas pode fazer toda a diferença no seu negócio. Tornar o trabalho mais fácil, economizar muito dinheiro, fazer com que seus clientes se conectem mais à sua marca, reduzir a necessidade do número de pessoas para realizar uma tarefa. Quem está inserido na realidade da sua empresa são as pessoas mais indicadas para mostrar onde é possível melhorar, seja sua equipe, clientes, fornecedores ou mesmo parceiros de negócio. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠É absurdo o impacto positivo da busca pela melhoria consistente no decorrer do tempo. Surge um abismo entre uma empresa comum que não evolui e aquela que se propõe a fazê-lo. Naturalmente, apenas uma delas irá se manter no mercado. Não temos dúvida de quem ganha essa batalha. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠Imagine um pequeno negócio com dois sócios e oito colaboradores. Se cada pessoa realizar uma pequena melhoria, em 1 dia teremos 10 melhorias. Em 7 dias, 70 melhorias. Em 30 dias, 300 melhorias. Em 1 ano, 3.650 melhorias. Em 10 anos, 36.500 melhorias. Quando falamos em pequena melhoria e passamos a dedicá-la atenção, damos relevância aos pequenos detalhes que influenciam diretamente na experiência do cliente, bem como em evitar o retrabalho pela repetição de erros comuns. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠O foco em melhoria contínua por uma empresa determina a distância entre concorrentes, principalmente no longo prazo. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠É melhor dar horizonte às pessoas da sua equipe. Se não identificarem caminhos dentro da própria organização para o seu crescimento, os não acomodados vão buscar oportunidades que atendam às suas aspirações em outro lugar, tornando-se nova concorrência ou reforçando outras empresas já existentes do seu segmento ou de outro. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠A grande vantagem de estimular e desenvolver pessoas está em tornar possível resultados exponenciais. Cada pessoa que você influencia e engaja à causa, esta tem o poder de impactar tantas outras, bem como reforçar cada vez mais a cultura praticada. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠Um mais um, se torna muito mais do que dois, a partir do momento que várias pessoas passam a ambicionar juntas, não em competição, mas em cooperação. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios

⁠Despertar nas pessoas que trabalham na empresa com você o sentimento de pertencimento à construção do legado, mobiliza forças muito mais poderosas, à medida que aumenta o grau de engajamento e coesão da equipe. (Livro "Mentalidade Empreendedora")

Túlio Rios