Cidade pequena

Cerca de 96 pequena Cidade

Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
Na cidade as grandes casas fecham a vista à chave,
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que nossos olhos
nos podem dar
E tornam-nos pobres porque a nossa única riqueza é ver

Alberto Caeiro
24 compartilhamentos

Myriel teve que resignar-se à sorte de todas as pessoas que chegam a uma cidade pequena, onde é maior o número de bocas que falam do que cabeças que pensam.

Victor Hugo

O bom de cidade pequena é que,se eu não sei o'que eu estou fazendo, outra pessoa sabe.

Desconhecido

Debaixo do céu há uma coisa que nunca se viu,é uma cidade pequena,sem falatórios,mentiras e bisbilhotice

Do livro Inocência
12 compartilhamentos

Você nunca pensou que talvez não seja tão grande, mas a cidade que é muito pequena pra você?

Tim Burton

UM AMOR PARA RECORDAR
MANDY MOORE & SHANE WEST

Cada primavera, na pequena cidade de Beaufort, Carolina do Norte, quando o vento sopra muito forte, Landon Cartes recorda seu último ano na Escola Beaufort, como também lembra de Jamie Sullivan, a garota que mudou sua vida.

Jamie é a última pessoa por quem ele imaginava se apaixonar. Conservadora e séria, está longe de ser uma menina popular e, além disso, ela nem se interessava por isso. A segurança que tem em si mesma não depende das opiniões dos outros.

Filha do pastor batista do povoado, não tem medo que as pessoas saibam de sua fé – que considera muito importante – mesmo que isso a faça perder alguns amigos.

Landon , um jovem sem metas, temperamental e irresponsável, que conseguiu se formar apenas por ser atlético e muito valente, gosta de andar com as garotas mais populares do colégio. Seus amigos vivem caçoando daqueles que consideravam diferentes, e, em muitas ocasiões, gozam de Jamie, que se veste com simplicidade e tem atitudes solitárias. O grupo de Landon domina a escola. É uma espécie de ordem que, uma vez terminadas as aulas, os estudantes tenham que pensar nos seus futuros, soubessem o que vão fazer, ou não.

Landon não tem plano para seu futuro, nem fé em si mesmo.

Uma noite, ele e sua turma aprontam com um rapaz que tenta entrar para a turma. Depois de se acidentar, o rapaz acaba indo para o hospital. Como castigo, o diretor da escola designa Landon como tutor de um jovem estudante durante os fins de semana, obrigando o rapaz a participar também da montagem de uma peça teatral – atividades que ele acha humilhante. Casualmente ele começa a ter mais contato com Jamie, que atua como tutora voluntária e interprete de um dos papéis principais da peça.

Em pouco tempo, e contra suas próprias expectativas, e muita gozação de seus amigos, Landon está apaixonado por Jamie, algo que ele nunca imaginou que pudesse acontecer. Jamie é agora a paixão de sua vida. Por razões pessoais ela faz de tudo para evitar o romance, mas não consegue negar que também se apaixonou por ele.

A relação põe em prova tudo o que eles acreditam. Acima de tudo prova que os poderes do amor - e a fé - transformam a vida em algo que se valha a pena viver.

DiegoCarvalho Creditos para Thaís
3 compartilhamentos

Cresci numa pequena cidade E quando a chuva caía Eu apenas olhava pela janela Sonhando com o que poderia acontecer E se eu terminaria feliz Eu rezaria Tentando o máximo alcançar Mas quando eu tentei falar Senti como se ninguém pudesse me ouvir Queria ficar aqui Mas algo parecia estar tão errado aqui Então eu rezei para que eu pudesse escapar Eu abrirei minhas asas E aprenderei a voar Eu farei o que for necessário Até tocar o céu E farei um pedido, arriscarei, mudarei e escaparei para fora da escuridão.Mas eu não esquecerei as pessoas que amo Correrei o risco, arriscarei, mudarei e escaparei, Para longe,talvez eu não saiba para onde ir,mas Tenho que continuar, Voar, escapar. Eu abrirei minhas asas e aprenderei a voar. Apesar de não ser fácil de dizer adeus.

José Francisco -J.F.K

LIÇÃO PARA APRENDER A CONVIVER COM O PRÓXIMO



Havia certo homem em uma pequena cidade que ao passar dos anos conseguiu conhecer todas as pessoas que ali moravam. E chegou a seguinte conclusão: todos os moradores da cidade tinham muitos defeitos. Decepcionado, decidiu sair da cidade para viver sozinho em sua fazenda.

Chegando lá, começou a viver solitariamente. Mas, com o tempo, começou a perceber que ele também tinha muitos defeitos. Então ele chorou e disse: “Ah! Meu Deus! Gostaria de fugir de dentro de mim mesmo! Porque da mesma forma que os homens da minha cidade sou um homem cheio de defeitos”.

Ainda pensou: “Vou me matar! Só assim acabo fugindo dos meus defeitos”. Mas pensou outra vez e disse: “Mas se eu me matar eu vou para o inferno! E lá é que tem gente ruim mesmo!”.

Então ele decidiu fazer uma oração a Deus, pedindo perdão pelos seus defeitos, e se lembrou de um texto bíblico que dizia “o amor cobre multidão de pecados”.

Então ele disse consigo mesmo outra vez: “Eu me amo, e tenho que aprender a conviver com os meus erros”. Dias passaram e ele conseguiu viver.

Passando alguns dias em solidão, não agüentou, e decidiu fazer outra oração, dizendo a Deus que não suportava mais estar só. Dessa vez, ao término da oração, lembrou-se das palavras de Jesus “Amarás teu próximo como a ti mesmo”.

Então se lembrou da cidade onde morou, e disse: “Voltarei para a minha cidade, porque assim como aquele povo tem defeitos, eu também sou cheio de defeitos. E quando eu voltar para lá amarei meu próximo como a mim mesmo, ao ponto de reconhecer que passei tanto tempo naquela cidade, com tantos defeitos, sem percebê-los. Agora terei amor aos meus conterrâneos, para que juntos possamos viver”.

Ao voltar para a cidade reencontrou todo tipo de pessoas. E dessa vez sempre que via um de seus amigos cheio de defeitos, procurava entendê-los, e dizia consigo mesmo: “Eu tenho que amá-los como eu me amei e me perdoei. Por isso estou vivo aqui e encontrei a felicidade. Porque só o amor é que não tem defeito e conhece o que é a verdade”.

magnus de souza fernandes
2 compartilhamentos

Alice era linda, tinha os olhos azuis da cor do céu,morava com seus avós numa pequena cidade da Califórnia,chamada Angels City.Sempre sonhara em um dia encontrar seu grande amor, sempre tivera muitos amores, mas sempre por ironia do destino, ela sempre decepcionava, espera demais das pessoas, colocava grandes sonhos em cima de pequenas pessoas, pessoas que usavam uma mascara, pela frente eram lindas, simpáticas, sempre de bem com vida, mais existia o lado da falsidade, no final era ela que sempre saia machucada, chorava por dias, a esperança acabava, não conseguia mais sonhar, o que fazer? Só o tempo poderia ajuda-la, talvez nem isso, seu coração havia sido quebrado muitas vezes, até quando suportaria?
Ela sentia saudade de sua infância aonde tudo era mais simples,honesto e sem tanto sentimentos.Ela era feliz e não sabia.Se pudesse voltar a 10 anos atraz,ainda era pequena mas muito feliz.Apenas por impulso,Alice fez coisas erradas,escolhas que se pudesse voltaria ao passado e mudaria tudo isso,queria corrigir ou mudar o que já foi dito e feito por ela na passagem de criança até agora,mas nada adiantou,ela passou por tudo isso e conserteza não poderá voltar e isso por mais dificil que foi fez-a aprender mais e é assim com todo mundo.
Passou por muito tempo sem saber o que fazer ou pensar,apenas com sentimentos controverssos dentro de sí.Levava dentro dela uma tristeza decorrida de tudo que viveu até hoje,que foram apenas ilusões.Tudo a machucou por dentro,a feriu de uma maneira que a deixou descrente com a vida.Hoje ela sorri para esconder uma lágrima,guarda sentimentos,para não ferir seu orgulho e com isso sofre por dentro,cria uma vida dentro dela,para não se abalar com o mundo,cria uma fantasia da vida,mas nada real,nada concreto,pois amores ela não tem mais,não consegue ser ela mesma,devido acontecimentos e descrever lembranças para ela já não é tão facil.
Alice se encontrava em um estado que apenas a tristeza e a frieza lhe consumia,e a angustia ia lhe acariciando por inteiro.Não sabia ela que isso era apenas começo de uma vida,pois viverá muito mais sentimentos,isso é apenas uma parte de toda sua vida,de todos seus desamores.Ela tinha sonhos alguns grandes outros nem tanto,mas ela os guardava no coração pois sabia que tudos tinham a mesma intensidade.
A vida nós reserva tantas coisas e isso que Alice não sabia,não tinha a menor ideia do que lhe reservava,por toda a vida,vivera tantos amores,sofrera por muitos,uns correspondidos outros passaram despercebidos e quando encontrar o verdadeiro amor poderá já está sem esperanças.
Alice chorava por qualquer motivo,fazia um trama com quase nada,mas na verdade era nada para quem nao estava na sua vida pessoal.Cada coisa absoluta que ela viveu,não acreditava mais em ninguém,perdeu toda sua coragem de tentar acreditar,de tentar dar uma chance a alguém,a um amor talvez,mas ela perdeu.Os pedaços do seu coraçao estão espalhados por todos os lados. São vestígios de todo um sofrimento, de toda uma história interrompida. Não há porque juntá-los, se mesmo unidos nunca formarão um coração. São pedaços de lágrimas, lágrimas que um dia foram sorrisos. Não existe mais esperança ao ver ela se dissolver, não é mais necessário dormir, se não terá mais sonhos. Vive conseqüentemente, somente com restos mortais. Agora que a alma jamais se conserva sem sonhos. Não há mais razão. Muitas vezes passou a subita vontade de sumir,morrer,fugir,porém a esperança de que tudo mudaria corria por suas veias e isso a fazia ter forças para lutar.Não demonstrava suas vontades,mas por dentro escondia angustias com a vida.A sua esperança apenas continuava a mesma por todos esses anos,mas nunca se renovava.Assim sendo, entregou sua alma e se junto aos pedaços.
Alice caminha no escuro, caminha com medo de tropeçar.Tocando o escuro, procurando por algo em que consiga segurar. Olha para traz e não tem a minima ideia de como veio parar aqui.Pergunta a cada segundo pra onde está indo. Vê fantasmas espalhados ao seu redor,mas não consigue se aproximar deles,pois o medo lhe consome. Não tem idéia quem sejam eles, nem oque pretendem ser. Ouve vozes, mas não as entende,Não sabe o que elas pretende fazer, não sabe da onde elas vem,nem o que elas querem lhe dizer. Nesse caminho escuro procura encontrar o seu reflexo, a sua salvação em qualquer coisa que pareça ter vida.Porém Alice continua a não achar,e se for engano, não poderá se desesperar, não pode chorar mais.Apenas continua,tentado encontrar alguma coisa nessa imensa escuridam.Escuridam na qual não tem minima luz,para apoia-la e dar um ar de esperança no fundo da alma e faze-la sentir anseio de seguir em frente e procurar a verdadeira luz e deixar de lado esse buraco escuro que lhe percegue.
No meio de tudo isso,tantos sentimentos, com muito confusão,derepente Alice ouviu outras vozes ,avistou a luz,será que alguém ouviu seu clamor e veio ao seu encontro,tem algo insistindo com todas as forças entrar no seu mundo,ela hesita em deixar,mas a uma hora em que desiste e deixa entrar e com isso ela sai desse labirinto que a encontrava.Era um lindo menino cujo nome edward,olhos cor de mel,seu perfume se impregnava em Alice e ela ficava tonta ao sentir seu cheiro.
Alice encontra será seu verdadeiro amor?Talvez.Ela já sem esperanças ouve os clamores de Edward que a chama de amor,coração,mas será isso tudo verdade?Alice está cansada de acreditar de mais,mas ela então pergunta a ele:
-se eu lhe der uma chance,a chance que não dei nem a mim,promete não me desepcionar,promete cuidar de mim?
Edward diz:
-Prometo ser sua luz na escuridão,seu refugiu de todo esse sofrimento e cuidarei de você,até os ultimos dias de minha vida.
Alice desconfia mas ouve uma voz que fala para dar uma chance a vida,chance a ela,pois se não tentar como saberá que tudo isso é verdade.
Deu seu coração a ele,depositou toda a confiança em alguém que ela acreditou que ia cuidar eternamente.Alice necessitava de alguem que a amasse e estivesse com ela.Necessitava de aconchego,carinho,todo que a conforta-se e a deixa-se segura.Ela encontrou forças para lutar e pode acreditar que era na escuridão que ela sentiu a verdade se aproximar.Alice se deixou ser abalada pelas pessoas,muitas delas não merecedoras do universo,nem do amor e confiança depositada por Alice.Ela não queria essa sensação de ter errado mais uma vez,de que edward não atingeria suas expextativas.Mergulhou e foi fundo acreditar nele,quem sabe ele possa gostar mesmo dela,quem sabe ele mudou.Alice não acreditava na mudança de niguém,nem mesmo na dela,mas deu um voto de confiança a ele.

Com o tempo Alice veria que foi tudo em vão suas apostas.
E num lindo dia debaixo do céu,iluminado pelas estrelas ela descobre que Edward não era tudo que ela acreditou ser,tinha ela criado uma visão errada dele.Diante das estrelas ela um dia fez um pedido e perante as mesmas estrelas ela ve seu amor ir embora.Hoje ela ve que seu pedido foi o maior erro de sua vida.Pois de tantas coisas que ela ve que tem prioridades na vida e esse menino se torna seu vicio,pesadelo que a faz a pior pessoa do mundo.As estrelas perdem seu brilho é tudo sem explicação,sem sentido.
Ficava um vazio,depois do tchau.Permanece o fantasma,quando o amor concreto se foi.Ficou lembranças de tudo que poderia ter sido,pois ela nunca teve Edward,apenas em um instante que se foi tão rapido e nesse instante ela sente sua ausencia,sente seu cheiro.Não tendo mais certeza de nada Alice,tenta olhar para as estrelas e outra ve sonhar.
Ela olha para o céu infinito,tentando encontrar abrigo,ve os passaros voarem,tem a subta imaginação e se ela pudesse voar,voaria pelo infinito onde não tivesse sentimentos,e ela podesse chorar sozinha e logo depois levantar e seguir em frente.Alice por um segundo se sentiu como passáros,porém com asas despedasadas,sem saber pra onde ir,sem uma direção qualquer.
Edward e Alice tiveram uma conversa de despedida naquela mesma noite,aonde Alice descobre que ele não a amou,nem amava apenas a ela,ele tinha muito amores e que poderia faze-la sofrer e outras também,sensação tão ruim sentida por ela,não saberia ela que ele procuraria em todas o amor,que ele só encontrará nela.Passou por ela sentimentos momentaneos,saudade,dor,alterada por paixão,obceção,orgulho,que apenas ela entendia e mais ninguém.
Alice sangre por dentro olha para as estrelas elas brilham lá no céu,tinha tanta intensidade que ela parou naquele instante,coração disparado,a unica coisa a importava era que o desejava,sentiu que todo seu amor não poderia acabar assim,seu coração não queria aceitar.As estrelas ofuscam seu brilho,estava tudo voltando a ficar escuro.
No seu quarto tentar dormir,quem sabe acabe sonhando,mas só a sofrimento ou nem isso só a o vago em sua mente.Cansada de sofrer ela procura aconchego nela mesma,lá no fundo quem talvez tenha algo guardado que a faça reviver,acender uma luz que seja na escuridão que volta a percegui-la.Sentia medo,terror e arrepio,no corpo todo,um sopro de sofrimento ,ela não sabe o que seja isso.Se ao menos pudesse descrever sua aflição,escreveria mais que as aguas do oceano.Porém as palavras eram loucas e como flechas a dor era cravada em Alice,sua vida enchia de angustia,terrores,aflição e infelicidade um veneno de cada um alimentava sua dor.Podia recusar tudo isso mas seu coração tomava de desgosto.
Queria ela ter pelo menos algo que a consola-se e acabasse com o seu tormentol.Esperava tomar suas forças mas não encontrava nenhum socorro.Palavras desesperadas levadas ao vento quem sabe ele traga alguma resposta que Alice não encontrava em lugar nenhum.Sua vida não era mais que um sopro,seus olhos não veem felicidade,a angustica deixava com tristeza seu coração.Quantas lagrimas,guardadas no fundo distante,mas ela não quer solta-las,chorar por alguem desmerecedor.Alice deixa o orgulho lhe possuir aos poucos.
Procurando refugiu para seu sofrimento.
Diante de todo pesadelo que posso ter virado sua vida,Alice já com os braços cansados de lutar,uma luta em vão,que insiste em segui-la.Tantas coisas vivenciadas,não tem mais vontade de reverter para melhor.Seus sonhos se foram,talvez para nunca mais voltar.
Cansada de mudar o que não pode ser mudado,sofrer sem ter respostas,tenta entender por que tudo acontece e se acontece.O que será que ela vivencia agora?
Numa bela manhã Alice deitada em sua cama sem animo de levantas,parecia que algo tinha absorvido suas forças.E era de tanta tristeza que seus olhos se chocarame naquela manhã tudo parecia um espelho quebrado.Não sabia ela como resistir queria que tudo se apagasse,fosse embora,não sentir tudo aquilo.Não havia uma maneira de juntar os vidros,simplesmente ao juntar seus dedos eram cortados.

Dias se passaram.
Alice juntado os cacos pouco a pouco,se recuperando,mas ela percebe que ela pode ser melhor,pode conseguir viver sem ninguém e então ser feliz sozinha.
Numa linda noite Edward vem ao encontro de Alice,fazendo juras de amor e arrependimentos.Alice ouve e fica confusa,mas não deixa se levar pelo que foi dito por ele.Passa a vontade de abraça-lo,sentir seu cheiro,então respira fundo,engole suas lagrimas.E ouve de Edward:
-Alice,me perdoa...Descobri que você foi a unica que eu amei,e irei amor.Você me completa por inteiro,você é meu mundo.
Alice respira fundo e diz:
-Eu amei você um dia,você negou seu amor,hoje aprendi que errei ao te amor de mais,e só amando a mim mesma antes poderei pedir o amor de alguém.Portanto quero ser feliz sozinha.
Edward sente seu coração se despedaçar ao ouvir Alice e pode com certeza sentir o que Alice sentiu todo esse tempo.Percebe a perda,por tentar buscar alice em outras.O orgulho dos aumentava e os afastava cada vez mais.
Adimirando o céu,Edward lembra da noite em que passou com Alice,os calores dos beijos,as caricias.Passou por ele a subta vontade de contar as estrelas,se pude-se conta-las.Em seu coração apenas um suave cheiro,mas nenhum grito de alegria que ele poderia ouvir.O seu vai perdendo suas estrelas,e com isso escuresse,espera a luz e enquanto isso,não quer abrir os olhos,para se poupar ver o mal saindo de suas entranhas.Queria ele se aconchegar em paz,ou não existir,não ver o dia triste sem forças e ficar tranquilo sem essa dor.Sua alma pedia luz,infeliz e desconsolada,esperando a morte sem que ela apareça.
O tempo passa Alice como medo de se iludir outra vez,deixa ser possuida por seu orgulho e promete não mais olhar para Edward.
Edward já não vê mais o claram,está escuro para ele.O amor vai corroendo ele por dentro,suas forças esgotando,se desespera,pois ele necessita do amor dela para sobreviver.Ele se encontra em um espaço que nunca imaginou estar,fazendo as coisas menos provaveis.Estava Edward recebedo o mesmo sofrimento de Alice?
As estrelas ofuscam seu brilho,a lua vai perdendo sua forma.Coração despedaçado,vai perdendo o ar,respirar já não é tão facil.
Alice então encontra Edward mas não percebe a gravidade e seu orgulho outra vez altera,ela é convencida por ele.
Edward então resolve fugir,sumir,seu coração está morrendo,ele não tem muitos dias.Vai Edward para um lugar distante onde encontre paz,para se tornar sinzas,para se tornar pó? Dia nublado,muitas nuvens escurescendo o céu,a chuva querendo cair,no entanto algo proibi elas de cair.A chuva insiste em querer cair.Observando a batida da chuva na jabela de seu quarto,a chuva para alguns segundos,mas retorna a cair.É o reflexo de suas lagrimas que saem sem ele perceber.
Ele então vai á caminho do telefone,chega perto,pensa em ligar para Alice,mas muda de idéia,faz isso varias vezes e depois de minutos telefona.Queria ele apenas ouvir a voz dela.Seu coração derrama em lagrimas ao ouvi-la.Edward respira fundo e diz:
-Ta tão dificil sem você aqui,sem você perto de mim.Eu te amo.Me perdoa?
Ele sem esperança nenhuma de toma-la em seus braços.A dor tomava seu coração,estava ficando serio,sente a morte do coração que não vive mais sem Alice.Os dois ficam em silencio...Edward retorna a dizer:-É tão dificil suportar tudo isso,é tão fragil meu coração,minha mente grita por ti,meu coraçãi esta em prantos querendo você aqui,mas não sei o que aconetece,você não percebe o quanto me faz sofrer o quanto dopi sua falta.Alice ouve calada,do outro lado chora em silencio,mas resolve então mentir.E diz:-Não amo mais você,já a outro em seu lugar,me esqueça.
Edward ve sua vida se desmanchar aos poucos.Ele então não tem tempo de sumir,pois esta quase morrendo.Resolve escrever uma carta para ela antes de sua partida.Pegou um papel,já sem forças,nao sabia ele o que escrever,como escrever,passou pela mente mil coisas,mas no papel nada escrito,apenas gotas das lágrimas que caia dos olhos.Sentou-se perto da janela,olhou para fora o sol iluminava o dia,iluminava o céu.Ele pouco se importava com o dia,para ele tudo estava com uma nuvem preta.Seus olhos só viram a trsiteza.Sentado olahdno o céu,começa suas primeiras palavras,tortas e trancadas.Elas saiam nervosas,procurava achar as melhores para um dia chegar a sua amada.Escreveu tudo que estava trancado em silencio dentro dele,que deria ter sido ditas mas não foram e hoje o machuca.Foram linhas e linhas descrevendo o que estava no seus coração.Derepente faltou palavras para o que sentia,se passava horas e o sofrimento aumentava,as palavras se soltava aos poucos.Ao terminar já em pedaços,suas ultimas lagrimas se foram,não havia mais choro,nem esperança,naquele momento,sentiu aproximar-se da morte,ela vinha em sua direção tão rapido.Logo veio a falecer.
Dias depois Alice recebe a carta,Abre sem saber so que se trata.Quando viu que era de Edward,exitou em ler.Seus olhos logo s encheram de lágrimas,coração disparado.Sentiu algo ruim.
Foi para seu quarto,sentou-se no chão,abriu e leu.
Alice quando receber está carta já não estarei aqui.Minha vida não fez mais sentido sem você.Ainda me lembro da primeiro vez que te vi.Quantas coisas sentidas e não sabia que ali nascia algo dentro de mim.Quanto tempo disperdiçado,por força do destino talvez.Coração disparado,aquele arrepio dentro de mim.Não entendi o que era tudo e lhe fiz sofer,me arrependi.Quando entendi você´passou a ser minha estrela aonde só com você vi o brilho das coisas,você é diferente é minha estrela para a felicidade,sem vocÇe só a escuridão,sóa a solidão.
Apartir daquele momento até hoje você persiste em mim e agora vejo que..Tatas coisas não ditas e ficarão em silencio dentro de mim por orgulho,me machucaram.São nervosas palavras que atormentam minha solidão,que estão aqui ou em um lugar desconhecido.Entendi eu lhe fiz sofrer,aprendi o que é amor.Espero que você seja muito feliz ,sem mim tenha certeza que eu estarei com vocÇe pra sempre,é só pensar em mim que eu estarei lá,para te proteger.Me perdoe por lhe fazer sofre,isso não vai mais acontecer.Ps.te amo pra sempre Edward.
Alice soluça de tanto chorar.Pode perceber que ele não foi tão ruim como pensava,que sim ele amou ela e por ele morreu.Ela sabia que o amava e que o orgulho os separou.

Francyane de Olievria Soares
1 compartilhamento

Alice era linda, tinha os olhos azuis da cor do céu, morava com seus avôs numa pequena cidade da Califórnia, chamada Angel City. Sempre sonhara em um dia encontrar seu grande amor, sempre tivera muitos amores, mas sempre por ironia do destino, ela sempre decepcionava, espera demais das pessoas, colocava grandes sonhos em cima de pequenas pessoas, pessoas que usavam uma mascara, pela frente eram lindas, simpáticas, sempre de bem com vida, mais existia o lado da falsidade, no final era ela que sempre saia machucada, chorava por dias, a esperança acabava, não conseguia mais sonhar, o que fazer? Só o tempo poderia ajudá-la, talvez nem isso, seu coração havia sido quebrado muitas vezes, até quando suportaria?
Ela sentia saudade de sua infância aonde tudo era mais simples, honesto e sem tanto sentimentos. Ela era feliz e não sabia. Se pudesse voltar a 10 anos atrás, ainda era pequena, mas muito feliz. Apenas por impulso, Alice fez coisas erradas, escolhas que se pudesse voltaria ao passado e mudaria tudo isso, queria corrigir ou mudar o que já foi dito e feito por ela na passagem de criança até agora, mas nada adiantou, ela passou por tudo isso e com certeza não poderá voltar e isso por mais difícil que foi fez a aprender mais e é assim com todo mundo.
Passou por muito tempo sem saber o que fazer ou pensar, apenas com sentimentos controversos dentro de si. Levava dentro dela uma tristeza decorrida de tudo que viveu até hoje, que foram apenas ilusões. Tudo a machucou por dentro, a feriu de uma maneira que a deixou descrente com a vida. Hoje ela sorri para esconder uma lágrima, guarda sentimentos, para não ferir seu orgulho e com isso sofre por dentro, cria uma vida dentro dela, para não se abalar com o mundo, cria uma fantasia da vida, mas nada real, nada concreto, pois amores ela não tem mais, não consegue ser ela mesma, devido acontecimentos e descrever lembranças para ela já não é tão fácil.
Alice se encontrava em um estado que apenas a tristeza e a frieza lhe consumia, e a angustia ia lhe acariciando por inteiro. Não sabia ela que isso era apenas começo de uma vida, pois viverá muito mais sentimentos, isso é apenas uma parte de toda sua vida, de todos seus desamores. Ela tinha sonhos alguns grandes outros nem tanto, mas ela os guardava no coração, pois sabia que todos tinham a mesma intensidade.
A vida nós reserva tantas coisas e isso que Alice não sabia, não tinha a menor idéia do que lhe reservava, por toda a vida, vivera tantos amores, sofrera por muitos, uns correspondidos outros passaram despercebidos e quando encontrar o verdadeiro amor poderá já está sem esperanças.
Alice chorava por qualquer motivo, fazia um trama com quase nada, mas na verdade era nada para quem não estava na sua vida pessoal.Cada coisa absoluta que ela viveu,não acreditava mais em ninguém,perdeu toda sua coragem de tentar acreditar,de tentar dar uma chance a alguém,a um amor talvez,mas ela perdeu.Os pedaços do seu coração estão espalhados por todos os lados. É vestígios de todo um sofrimento, de toda uma história interrompida. Não há porque juntá-los, se mesmo unidos nunca formarão um coração. São pedaços de lágrimas, lágrimas que um dia foi sorrisos. Não existe mais esperança ao ver ela se dissolver, não é mais necessário dormir, se não terá mais sonhos. Vive conseqüentemente, somente com restos mortais. Agora que a alma jamais se conserva sem sonhos. Não há mais razão. Muitas vezes passou a súbita vontade de sumir,morrer,fugir,porém a esperança de que tudo mudaria corria por suas veias e isso a fazia ter forças para lutar.Não demonstrava suas vontades,mas por dentro escondia angustias com a vida.A sua esperança apenas continuava a mesma por todos esses anos,mas nunca se renovava.Assim sendo, entregou sua alma e se junto aos pedaços.
Alice caminha no escuro, caminha com medo de tropeçar. Tocando o escuro, procurando por algo em que consiga segurar. Olha para traz e não tem a mínima idéia de como veio parar aqui. Pergunta a cada segundo pra onde está indo. Vê fantasmas espalhados ao seu redor, mas não consegue se aproximar deles, pois o medo lhe consome. Não tem idéia quem sejam eles, nem o que pretendem ser. Ouve vozes, mas não as entende, Não sabe o que elas pretendem fazer, não sabe da onde elas vêm, nem o que elas querem lhe dizer. Nesse caminho escuro procura encontrar o seu reflexo, a sua salvação em qualquer coisa que pareça ter vida. Porém Alice continua a não achar, e se for engano, não poderá se desesperar, não pode chorar mais. Apenas continua, tentado encontrar alguma coisa nessa imensa escuridão. Escuridão na qual não tem mínima luz,para apoia-la e dar um ar de esperança no fundo da alma e fazê-la sentir anseio de seguir em frente e procurar a verdadeira luz e deixar de lado esse buraco escuro que lhe persegue.
No meio de tudo isso, tantos sentimentos, com muita confusão, de repente Alice ouviu outras vozes, avistou a luz, será que alguém ouviu seu clamor e veio ao seu encontro, tem algo insistindo com todas as forças entrar no seu mundo, ela hesita em deixar, mas há uma hora em que desiste e deixa entrar e com isso ela sai desse labirinto que a encontrava. Era um lindo menino cujo nome Edward, olhos cor de mel, seu perfume se impregnava em Alice e ela ficava tonta ao sentir seu cheiro.
Alice encontra será seu verdadeiro amor?Talvez. Ela já sem esperanças ouve os clamores de Edward que a chama de amor, mas será isso tudo verdade?Alice está cansada de acreditar de mais, mas ela então pergunta a ele:
-se eu lhe der uma chance, a chance que não dei nem a mim, promete não me decepcionar, promete cuidar de mim?
Edward diz:
-Prometo ser sua luz na escuridão, seu refúgio de todo esse sofrimento e cuidarei de você, até os últimos dias de minha vida.
Alice desconfia, mas ouve uma voz que fala para dar uma chance à vida, chance a ela, pois se não tentar como saberá que tudo isso é verdade.
Deu seu coração a ele, depositou toda a confiança em alguém que ela acreditou que ia cuidar eternamente. Alice necessitava de alguém que a amasse e estivesse com ela. Necessitava de aconchego, carinho, todo que a conforta-se e a deixa-se segura. Ela encontrou forças para lutar e pode acreditar que era na escuridão que ela sentiu a verdade se aproximar. Alice se deixou serem abaladas pelas pessoas, muitas delas não merecedoras do universo, nem do amor e confiança depositada por Alice. Ela não queria essa sensação de ter errado mais uma vez, de que Edward não atingiria suas expectativas. Mergulhou e foi fundo acreditar nele, quem sabe ele possa gostar mesmo dela, quem sabe ele mudou. Alice não acreditava na mudança de ninguém, nem mesmo na dela, mas deu um voto de confiança a ele.

Com o tempo Alice veria que foram tudo em vão suas apostas.
E num lindo dia debaixo do céu, iluminado pelas estrelas ela descobre que Edward não era tudo que ela acreditou ser, tinha ela criado uma visão errada dele. Diante das estrelas ela um dia fez um pedido e perante as mesmas estrelas ela vê seu amor ir embora. Hoje ela vê que seu pedido foi o maior erro de sua vida. Pois de tantas coisas que ela vê que tem prioridades na vida e esse menino se torna seu vicio, pesadelo que a faz a pior pessoa do mundo. As estrelas perdem seu brilho é tudo sem explicação, sem sentido.
Ficava um vazio, depois do tchau. Permanece o fantasma, quando o amor concreto se foi. Ficaram lembranças de tudo que poderia ter sido, pois ela nunca teve Edward, apenas em um instante que se foi tão rápido e nesse instante ela sente sua ausência, sente seu cheiro. Não tendo mais certeza de nada Alice, tenta olhar para as estrelas e outra vez sonhar.
Ela olha para o céu infinito, tentando encontrar abrigo, vê os pássaros voarem, tem a súbita imaginação e se ela pudesse voar, voaria pelo infinito onde não tivesse sentimentos, e ela pudesse chorar sozinha e logo depois levantar e seguir em frente. Alice por um segundo se sentiu como pássaros, porém com asas despedaçadas, sem saber pra onde ir, sem uma direção qualquer.
Edward e Alice tiveram uma conversa de despedida naquela mesma noite, aonde Alice descobre que ele não a amou, nem amava apenas a ela, ele tinha muito amores e que poderia fazê-la sofrer e outra também, sensação tão ruim sentida por ela, não saberia ela que ele procuraria em todos os amores, que ele só encontrará nela. Passou por ela sentimentos momentâneos,saudade,dor,alterada por paixão,obsessão,orgulho,que apenas ela entendia e mais ninguém.
Alice sangre por dentro olhando para as estrelas elas brilham lá no céu, tinha tanta intensidade que ela parou naquele instante, coração disparado,a única coisa a importava era que o desejava,sentiu que todo seu amor não poderia acabar assim, seu coração não queria aceitar. As estrelas ofuscam seu brilho, estava tudo voltando a ficar escuro.
No seu quarto tentar dormir, quem sabe acabe sonhando, mas só a sofrimento ou nem isso só a o vago em sua mente. Cansada de sofrer ela procura aconchego nela mesma, lá no fundo quem talvez tenha algo guardado que a faça reviver, acender uma luz que seja na escuridão que volta a persegui-la. Sentia medo, terror e arrepio, no corpo todo, um sopro de sofrimento, ela não sabe o que seja isso. Se ao menos pudesse descrever sua aflição, escreveria mais que as águas do oceano. Porém as palavras eram loucas e como flechas a dor era cravada em Alice, sua vida enchiam de angustia, terrores, aflição e infelicidade um veneno de cada um alimentava sua dor. Podia recusar tudo isso, mas seu coração tomava de desgosto.
Queria ela ter pelo menos algo que a consola-se e acabasse com o seu tormento. Esperava tomar suas forças, mas não encontrava nenhum socorro. Palavras desesperadas levadas ao vento quem sabe ele traga alguma resposta que Alice não encontrava em lugar nenhum. Sua vida não era mais que um sopro, seus olhos não vêem felicidade, a angústia deixava com tristeza seu coração. Quanta lagrima, guardadas no fundo distante, mas ela não quer solta-las, chorar por alguém desmerecedor. Alice deixa o orgulho lhe possuir aos poucos.
Procurando refúgio para seu sofrimento.
Diante de todo pesadelo que posso ter virado sua vida, Alice já com os braços cansados de lutar, uma luta em vão, que insiste em segui-la. Tantas coisas vivenciadas não têm mais vontade de reverter para melhor. Seus sonhos se foram, talvez para nunca mais voltar.
Cansada de mudar o que não pode ser mudado, sofrer sem ter respostas, tenta entender por que tudo acontece e se acontece. O que será que ela vivencia agora?
Numa bela manhã Alice deitada em sua cama sem animo de levantas, parecia que algo tinha absorvido suas forças. E era de tanta tristeza que seus olhos se chocaram e naquela manhã tudo parecia um espelho quebrado. Não sabia ela como resistir queria que tudo se apagasse, fosse embora, não sentir tudo aquilo. Não havia uma maneira de juntar os vidros, simplesmente ao juntar seus dedos eram cortados.

Dias se passaram.
Alice juntada os cacos pouco a pouco, se recuperando, mas ela percebe que ela pode ser melhor, pode conseguir viver sem ninguém e então ser feliz sozinha.
Numa linda noite Edward vem ao encontro de Alice, fazendo juras de amor e arrependimentos. Alice ouve e fica confusa, mas não deixa se levar pelo que foi dito por ele. Passa a vontade de abraçá-lo, sentir seu cheiro, então respira fundo, engole suas lagrimas. E ouve de Edward:
-Alice, me perdoa... Descobri que você foi a única que eu amei, e irei amor.Você me completa por inteiro,você é meu mundo.
Alice respira funda e diz:
-Eu amei você um dia, você negou seu amor, hoje aprendi que errei ao te amor de mais, e só amando a mim mesma antes poderei pedir o amor de alguém. Portanto quero ser feliz sozinha.
Edward sente seu coração se despedaçar ao ouvir Alice e pode com certeza sentir o que Alice sentiu todo esse tempo. Percebe a perda, por tentar buscar Alice em outras. O orgulho dos aumentava e os afastava cada vez mais.
Admirando o céu, Edward se lembra da noite em que passou com Alice, os calores dos beijos, as caricias. Passou por ele a súbita vontade de contar as estrelas, se puder contá-las.Em seu coração apenas um suave cheiro,mas nenhum grito de alegria que ele poderia ouvir.O céu vai perdendo suas estrelas,e com isso escureceu,espera a luz e enquanto isso,não quer abrir os olhos,para se poupar ver o mal saindo de suas entranhas.Queria ele se aconchegar em paz,ou não existir,não ver o dia triste sem forças e ficar tranqüilo sem essa dor.Sua alma pedia luz,infeliz e desconsolada,esperando a morte sem que ela apareça.
O tempo passa Alice como medo de se iludir outra vez, deixa ser possuído por seu orgulho e promete não mais olhar para Edward.
Edward já não vê mais o claram, está escuro para ele. O amor vai corroendo ele por dentro, suas forças esgotando, se desespera, pois ele necessita do amor dela para sobreviver. Ele se encontra em um espaço que nunca imaginou estar, fazendo as coisas menos prováveis. Estava Edward recebendo o mesmo sofrimento de Alice?
As estrelas ofuscam seu brilho, a lua vai perdendo sua forma. Coração despedaçado vai perdendo o ar, respirar já não é tão fácil.
Alice então encontra Edward, mas não percebe a gravidade e seu orgulho outra vez altera, ela é convencida por ele.
Edward então resolve fugir, sumir, seu coração está morrendo, ele não tem muitos dias. Vai Edward para um lugar distante onde encontre paz, para se tornar cinza, para se tornar pó? Dia nublado, muitas nuvens escurecendo o céu, a chuva querendo cair, no entanto algo as proibiu de cair. A chuva insiste em querer cair. Observando a batida da chuva na janela de seu quarto, a chuva para alguns segundos, mas retorna a cair. É o reflexo de suas lagrimas que saem sem ele perceber.
Ele então vai á caminho do telefone, chega perto, pensa em ligar para Alice, mas muda de idéia, faz isso varias vezes e depois de minutos telefona. Queria ele apenas ouvir a voz dela. Seu coração derrama em lagrimas ao ouvi-la. Edward respira fundo e diz:
-Ta tão difícil sem você aqui, sem você perto de mim. Eu te amo. Perdoa-me?
Ele sem esperança nenhuma de tomá-la em seus braços. A dor tomava seu coração,estava ficando serio,sente a morte do coração que não vive mais sem Alice. Os dois ficam em silencio... Edward retorna a dizer:- É tão difícil suportar tudo isso, é tão frágil meu coração, minha mente grita por ti,meu coração esta em prantos querendo você aqui,mas não sei o que acontece,você não percebe o quanto me faz sofrer o quanto dói sua falta.Alice ouve calada,do outro lado chora em silencio,mas resolve então mentir.E diz:-Não amo mais você,já a outro em seu lugar,me esqueça.
Edward vê sua vida se desmanchar aos poucos. Ele então não tem tempo de sumir, pois esta quase morrendo. Resolve escrever uma carta para ela antes de sua partida. Pegou um papel, já sem forças, não sabia ele o que escrever como escrever, passou pela mente mil coisas, mas no papel nada escrito, apenas gotas das lágrimas que caia dos olhos. Sentou-se perto da janela,olhou para fora o sol iluminava o dia,iluminava o céu.Ele pouco se importava com o dia,para ele tudo estava com uma nuvem preta.Seus olhos só viram a tristeza.Sentado olhando o céu,começa suas primeiras palavras,tortas e trancadas.Elas saiam nervosas,procurava achar as melhores para um dia chegar a sua amada.Escreveu tudo que estava trancado em silencio dentro dele,que devia ter sido ditas mas não foram e hoje o machuca.Foram linhas e linhas descrevendo o que estava no seus coração.De repente faltou palavras para o que sentia,se passava horas e o sofrimento aumentava,as palavras se soltava aos poucos.Ao terminar já em pedaços,suas ultimas lagrimas se foram,não havia mais choro,nem esperança,naquele momento,sentiu aproximar-se da morte,ela vinha em sua direção tão rápido.Logo veio a falecer.
Dias depois Alice recebe a carta, Abre sem saber só que se trata. Quando viu que era de Edward, hesitou em ler. Seus olhos logo s encheram de lágrimas, coração disparado. Sentiu algo ruim.
Foi para seu quarto, sentou-se no chão, abriu e leu.
Alice quando receber está carta já não estarei aqui. Minha vida não fez mais sentido sem você. Ainda me lembro da primeira vez que te vi. Quantas coisas sentidas e não sabia que ali nascia algo dentro de mim. Quanto tempo desperdiçado, por força do destino talvez. Coração disparado,aquele arrepio dentro de mim.Não entendi o que era tudo e lhe fiz sofrer,me arrependi.Quando entendi você passou a ser minha estrela aonde só com você vi o brilho das coisas,você é diferente é minha estrela para a felicidade,sem você só a escuridão,só a solidão.
A partir daquele momento até hoje você persiste em mim e agora vejo que... Tantas coisas não ditas e ficarão em silencio dentro de mim por orgulho, me machucaram. São nervosas palavras que atormentam minha solidão, que estão aqui ou em um lugar desconhecido. Entendi eu lhe fiz sofrer, aprendi o que é amor. Espero que você seja muito feliz, sem mim tenha certeza que eu estarei com você pra sempre, é só pensar em mim que eu estarei lá,para te proteger.Me perdoe por lhe fazer sofre,isso não vai mais acontecer.Ps.te amo pra sempre Edward.
Alice soluça de tanto chorar. Pode perceber que ele não foi tão ruim como pensava, que sim ele a amou e por ela morreu. Ela sabia que o amava e que o orgulho os separou.

Francyane de Oliveira Soares
2 compartilhamentos

.


Cidades pequenas,
vidas pequenas
- Se você dança com o diabo,
o diabo não muda:
Ele muda você! - De súbito olhamos no
espelho
e nos damos conta
que muito tempo passou enquanto
comentávamos o futebol,
a novela,
os problemas da vizinhança...
E o que realmente importava ficou
esquecido, adormecido.
Mas a vida é assim mesmo:
acabamos por viver no limite
do que nos é possível.
Acredito mesmo que devamos
ser assim para que
possamos conseguir alguma cousa de real
e de concreto nesses
tempos de isopor.


.

Raniere Gonçalves

Cidades pequenas… A internet é lenta, mas as fofocas são rápidas.

Virgin River (série)

Morar em cidade pequena tem muitas vantagens, mas poucas delas superam poder sair a noite despreocupada, sentar com os amigos no banco da praça e conversar por horas e horas sobre tudo e sobre nada.

Josie Conti

⁠Seja Gentil
O mundo é um espelho
O mundo é uma cidade pequena
Somos onda do mesmo mar"

David Ballot

Simplicidade no meio dessa pequena cidade
Já não sei se é normal... ou irracional
Saborear a vida e esquecer da partida
Ser feliz e sempre pedir biz...

Humlidade dentro da simplicidade
E o amor antes mesmo da dor
Se lembrar de tudo o que se pôs a sonhar
Não esquecer e se fazer merecer

Rir da vida, sorrir na vinda
Interpretar a cena com a leveza de uma pena
Desejar a calma para alma
Sempre sonhar, tendo o objetivo de um dia conquistar

Faça do progresso, seu merecer e sucesso
Num dia triste, não se esqueça que você existe
E que ao amanhecer, a dor pode não mais permanecer
Quando o sofrimento sessar, fará a alegria perdurar

Cante e encante
Viva e brinde a vida
Chore mas não se apavore


A poesia prevalece, permanece, engrandece
A música que canta, que o mal espanta, que encanta
A arte de ser, de ver, de se fazer viver...

Mariana Y. Shiraishi
Inserida por marianays

Repimboca da parafuzeta

Era final de tarde, numa pequena cidade chamada Repimboca da Parafuzeta, na qual ninguém fora dela atrevia-se a citar seu nome, por uma espécie de vergonha.
Mas, vergonha por quê? Vou lhe explicar...
Repimboca é uma cidade como qualquer outra, mas com algumas diferenças.
Neste lugar as pessoas são chamadas de Djow, as crianças sabem voar, e os aviões andam de bonde. O macaco joga futebol, computador é sofrimento, caderno é paz, roupa é parede. A grosseria é substituída por carinho, o racismo pelo respeito. Pulseiras são sentimentos, saudade é paciência, amizade é família. Mulheres têm vergonha, os olhos são criativos. A amizade tem amor, e o amor gera o beijo.
Você deve estar se perguntando: ok. Mas porque vergonha?
Vergonha porque vivemos em uma cidade em que as pessoas são chamadas de gente, e essa gente é racista e grosseira. Pensa que nos viemos do macaco, caderno é sofrimento, computador é criatividade, família não sabe o que é carinho. Sentimentos geram vergonha. Quem voa é avião, o bonde trás poluição, saudade vive no fundo dos olhos, o amor só é amor se existir beijo. Mulheres usam pulseiras no lugar de roupas, a “parede” separa a paciência do respeito. Amigos denominam Djow como gíria. Nesta cidade uma das coisas que não existe é paz.
Agora você entendeu o porquê da vergonha?
Ah, esqueci de falar... Repimboca da Parafuzeta é apenas um de vários sonhos, que não passarão de sonhos.

Deborah Oliveira
Inserida por deboraholiveira9
1 compartilhamento

Quem te viu quem te vê.

Cidade pequena tem dessas coisas, morei em Brasília e nunca tive a oportunidade de ver de perto uma carreata presidencial: várias motos da PRF, carros com vários agentes federais, polícia militar especial e aquele soar das sirenes. Hoje tive essa singular oportunidade, presenciei a passagem do excelentíssimo senhor e seu aparato hollywoodiano em frente ao prédio em que moro.
Aqui em Belém não se vai a lugar algum se não passar pela avenida presidente Vargas, o roteiro imposto aos mortais não poupou o digníssimo Presidente. O brilho niquelado das motocicletas, a sobriedade federal em uniformes e capacetes. - Priiiiiiiiii!.....trânsito parado, que venham os engravatados, -Auto lá, todos são suspeitos, a corte sindical irá passar.
Nasci numa capital, sou o que se pode chamar cosmopolita e urbanóide, pouca coisa do mundo dos pirilampos me impressiona, mas admito: fiquei impressionado. Imagino que onde for o senhor presidente, sempre o acompanhará essa produção cinematográfica, mesmo se fosse parecido com o Mário Bross seria difícil convencê-lo de que o mundo não está aos seus pés. Seria admissível presenciar um rompante de inveja do Michael Jackson se vivo o fosse.
Tudo aconteceu em poucos minutos, mas a cena ainda se repete na minha mente. Agora, que o hipnotismo passou resta uma pergunta: se essa viagem tem cunho político, ou seja, Lula veio até a minha porta para fazer campanha para a candidata do PT - Ele pensa que aqui somos provincianos a ponto de darmos crédito a “visita de campanha”- quem paga essa conta? Quero dizer quem está financiando esse filme? Quem é o produtor? Desculpem a falta de tato, não quero parecer insolente, mas queria saber se os eleitores dos outros candidatos também entram na ”vaquinha”.

ZATJ

Zibeon Albuquerque T.Jr
Inserida por zibeon
1 compartilhamento

Alice era linda, tinha os olhos azuis da cor do céu, morava com seus avôs numa pequena cidade da Califórnia, chamada Angel City. Sempre sonhara em um dia encontrar seu grande amor, sempre tivera muitos amores, mas sempre por ironia do destino, ela sempre decepcionava, espera demais das pessoas, colocava grandes sonhos em cima de pequenas pessoas, pessoas que usavam uma mascara, pela frente eram lindas, simpáticas, sempre de bem com vida, mais existia o lado da falsidade, no final era ela que sempre saia machucada, chorava por dias, a esperança acabava, não conseguia mais sonhar, o que fazer? Só o tempo poderia ajudá-la, talvez nem isso, seu coração havia sido quebrado muitas vezes, até quando suportaria?
Ela sentia saudade de sua infância aonde tudo era mais simples, honesto e sem tanto sentimentos. Ela era feliz e não sabia. Se pudesse voltar a 10 anos atrás, ainda era pequena, mas muito feliz. Apenas por impulso, Alice fez coisas erradas, escolhas que se pudesse voltaria ao passado e mudaria tudo isso, queria corrigir ou mudar o que já foi dito e feito por ela na passagem de criança até agora, mas nada adiantou, ela passou por tudo isso e com certeza não poderá voltar e isso por mais difícil que foi fez a aprender mais e é assim com todo mundo.
Passou por muito tempo sem saber o que fazer ou pensar, apenas com sentimentos controversos dentro de si. Levava dentro dela uma tristeza decorrida de tudo que viveu até hoje, que foram apenas ilusões. Tudo a machucou por dentro, a feriu de uma maneira que a deixou descrente com a vida. Hoje ela sorri para esconder uma lágrima, guarda sentimentos, para não ferir seu orgulho e com isso sofre por dentro, cria uma vida dentro dela, para não se abalar com o mundo, cria uma fantasia da vida, mas nada real, nada concreto, pois amores ela não tem mais, não consegue ser ela mesma, devido acontecimentos e descrever lembranças para ela já não é tão fácil.
Alice se encontrava em um estado que apenas a tristeza e a frieza lhe consumia, e a angustia ia lhe acariciando por inteiro. Não sabia ela que isso era apenas começo de uma vida, pois viverá muito mais sentimentos, isso é apenas uma parte de toda sua vida, de todos seus desamores. Ela tinha sonhos alguns grandes outros nem tanto, mas ela os guardava no coração, pois sabia que todos tinham a mesma intensidade.
A vida nós reserva tantas coisas e isso que Alice não sabia, não tinha a menor idéia do que lhe reservava, por toda a vida, vivera tantos amores, sofrera por muitos, uns correspondidos outros passaram despercebidos e quando encontrar o verdadeiro amor poderá já está sem esperanças.
Alice chorava por qualquer motivo, fazia um trama com quase nada, mas na verdade era nada para quem não estava na sua vida pessoal.Cada coisa absoluta que ela viveu,não acreditava mais em ninguém,perdeu toda sua coragem de tentar acreditar,de tentar dar uma chance a alguém,a um amor talvez,mas ela perdeu.Os pedaços do seu coração estão espalhados por todos os lados. É vestígios de todo um sofrimento, de toda uma história interrompida. Não há porque juntá-los, se mesmo unidos nunca formarão um coração. São pedaços de lágrimas, lágrimas que um dia foi sorrisos. Não existe mais esperança ao ver ela se dissolver, não é mais necessário dormir, se não terá mais sonhos. Vive conseqüentemente, somente com restos mortais. Agora que a alma jamais se conserva sem sonhos. Não há mais razão. Muitas vezes passou a súbita vontade de sumir,morrer,fugir,porém a esperança de que tudo mudaria corria por suas veias e isso a fazia ter forças para lutar.Não demonstrava suas vontades,mas por dentro escondia angustias com a vida.A sua esperança apenas continuava a mesma por todos esses anos,mas nunca se renovava.Assim sendo, entregou sua alma e se junto aos pedaços.
Alice caminha no escuro, caminha com medo de tropeçar. Tocando o escuro, procurando por algo em que consiga segurar. Olha para traz e não tem a mínima idéia de como veio parar aqui. Pergunta a cada segundo pra onde está indo. Vê fantasmas espalhados ao seu redor, mas não consegue se aproximar deles, pois o medo lhe consome. Não tem idéia quem sejam eles, nem o que pretendem ser. Ouve vozes, mas não as entende, Não sabe o que elas pretendem fazer, não sabe da onde elas vêm, nem o que elas querem lhe dizer. Nesse caminho escuro procura encontrar o seu reflexo, a sua salvação em qualquer coisa que pareça ter vida. Porém Alice continua a não achar, e se for engano, não poderá se desesperar, não pode chorar mais. Apenas continua, tentado encontrar alguma coisa nessa imensa escuridão. Escuridão na qual não tem mínima luz,para apoia-la e dar um ar de esperança no fundo da alma e fazê-la sentir anseio de seguir em frente e procurar a verdadeira luz e deixar de lado esse buraco escuro que lhe persegue.
No meio de tudo isso, tantos sentimentos, com muita confusão, de repente Alice ouviu outras vozes, avistou a luz, será que alguém ouviu seu clamor e veio ao seu encontro, tem algo insistindo com todas as forças entrar no seu mundo, ela hesita em deixar, mas há uma hora em que desiste e deixa entrar e com isso ela sai desse labirinto que a encontrava. Era um lindo menino cujo nome Edward, olhos cor de mel, seu perfume se impregnava em Alice e ela ficava tonta ao sentir seu cheiro.
Alice encontra será seu verdadeiro amor?Talvez. Ela já sem esperanças ouve os clamores de Edward que a chama de amor, mas será isso tudo verdade?Alice está cansada de acreditar de mais, mas ela então pergunta a ele:
-se eu lhe der uma chance, a chance que não dei nem a mim, promete não me decepcionar, promete cuidar de mim?
Edward diz:
-Prometo ser sua luz na escuridão, seu refúgio de todo esse sofrimento e cuidarei de você, até os últimos dias de minha vida.
Alice desconfia, mas ouve uma voz que fala para dar uma chance à vida, chance a ela, pois se não tentar como saberá que tudo isso é verdade.
Deu seu coração a ele, depositou toda a confiança em alguém que ela acreditou que ia cuidar eternamente. Alice necessitava de alguém que a amasse e estivesse com ela. Necessitava de aconchego, carinho, todo que a conforta-se e a deixa-se segura. Ela encontrou forças para lutar e pode acreditar que era na escuridão que ela sentiu a verdade se aproximar. Alice se deixou serem abaladas pelas pessoas, muitas delas não merecedoras do universo, nem do amor e confiança depositada por Alice. Ela não queria essa sensação de ter errado mais uma vez, de que Edward não atingiria suas expectativas. Mergulhou e foi fundo acreditar nele, quem sabe ele possa gostar mesmo dela, quem sabe ele mudou. Alice não acreditava na mudança de ninguém, nem mesmo na dela, mas deu um voto de confiança a ele.

Com o tempo Alice veria que foram tudo em vão suas apostas.
E num lindo dia debaixo do céu, iluminado pelas estrelas ela descobre que Edward não era tudo que ela acreditou ser, tinha ela criado uma visão errada dele. Diante das estrelas ela um dia fez um pedido e perante as mesmas estrelas ela vê seu amor ir embora. Hoje ela vê que seu pedido foi o maior erro de sua vida. Pois de tantas coisas que ela vê que tem prioridades na vida e esse menino se torna seu vicio, pesadelo que a faz a pior pessoa do mundo. As estrelas perdem seu brilho é tudo sem explicação, sem sentido.
Ficava um vazio, depois do tchau. Permanece o fantasma, quando o amor concreto se foi. Ficaram lembranças de tudo que poderia ter sido, pois ela nunca teve Edward, apenas em um instante que se foi tão rápido e nesse instante ela sente sua ausência, sente seu cheiro. Não tendo mais certeza de nada Alice, tenta olhar para as estrelas e outra vez sonhar.
Ela olha para o céu infinito, tentando encontrar abrigo, vê os pássaros voarem, tem a súbita imaginação e se ela pudesse voar, voaria pelo infinito onde não tivesse sentimentos, e ela pudesse chorar sozinha e logo depois levantar e seguir em frente. Alice por um segundo se sentiu como pássaros, porém com asas despedaçadas, sem saber pra onde ir, sem uma direção qualquer.
Edward e Alice tiveram uma conversa de despedida naquela mesma noite, aonde Alice descobre que ele não a amou, nem amava apenas a ela,ele tinha muito amores e que poderia fazê-la sofrer e outras também,sensação tão ruim sentida por ela,não saberia ela que ele procuraria em todas o amor,que ele só encontrará nela.Passou por ela sentimentos momentâneos,saudade,dor,alterada por paixão,obsessão,orgulho,que apenas ela entendia e mais ninguém.
Alice sangre por dentro olhando para as estrelas elas brilham lá no céu, tinha tanta intensidade que ela parou naquele instante, coração disparado,a única coisa a importava era que o desejava,sentiu que todo seu amor não poderia acabar assim, seu coração não queria aceitar. As estrelas ofuscam seu brilho, estava tudo voltando a ficar escuro.
No seu quarto tentar dormir, quem sabe acabe sonhando, mas só a sofrimento ou nem isso só a o vago em sua mente. Cansada de sofrer ela procura aconchego nela mesma, lá no fundo quem talvez tenha algo guardado que a faça reviver, acender uma luz que seja na escuridão que volta a persegui-la. Sentia medo, terror e arrepio, no corpo todo, um sopro de sofrimento, ela não sabe o que seja isso. Se ao menos pudesse descrever sua aflição, escreveria mais que as águas do oceano. Porém as palavras eram loucas e como flechas a dor era cravada em Alice, sua vida enchiam de angustia, terrores, aflição e infelicidade um veneno de cada um alimentava sua dor. Podia recusar tudo isso, mas seu coração tomava de desgosto.
Queria ela ter pelo menos algo que a consola-se e acabasse com o seu tormento. Esperava tomar suas forças, mas não encontrava nenhum socorro. Palavras desesperadas levadas ao vento quem sabe ele traga alguma resposta que Alice não encontrava em lugar nenhum. Sua vida não era mais que um sopro, seus olhos não vêem felicidade, a angústia deixava com tristeza seu coração. Quanta lagrima, guardadas no fundo distante, mas ela não quer solta-las, chorar por alguém desmerecedor. Alice deixa o orgulho lhe possuir aos poucos.
Procurando refúgio para seu sofrimento.
Diante de todo pesadelo que posso ter virado sua vida, Alice já com os braços cansados de lutar, uma luta em vão, que insiste em segui-la. Tantas coisas vivenciadas não têm mais vontade de reverter para melhor. Seus sonhos se foram, talvez para nunca mais voltar.
Cansada de mudar o que não pode ser mudado, sofrer sem ter respostas, tenta entender por que tudo acontece e se acontece. O que será que ela vivencia agora?
Numa bela manhã Alice deitada em sua cama sem animo de levantas, parecia que algo tinha absorvido suas forças. E era de tanta tristeza que seus olhos se chocaram e naquela manhã tudo parecia um espelho quebrado. Não sabia ela como resistir queria que tudo se apagasse, fosse embora, não sentir tudo aquilo. Não havia uma maneira de juntar os vidros, simplesmente ao juntar seus dedos eram cortados.

Dias se passaram.
Alice juntada os cacos pouco a pouco, se recuperando, mas ela percebe que ela pode ser melhor, pode conseguir viver sem ninguém e então ser feliz sozinha.
Numa linda noite Edward vem ao encontro de Alice, fazendo juras de amor e arrependimentos. Alice ouve e fica confusa, mas não deixa se levar pelo que foi dito por ele. Passa a vontade de abraçá-lo, sentir seu cheiro, então respira fundo, engole suas lagrimas. E ouve de Edward:
-Alice, me perdoa... Descobri que você foi a única que eu amei, e irei amor.Você me completa por inteiro,você é meu mundo.
Alice respira funda e diz:
-Eu amei você um dia, você negou seu amor, hoje aprendi que errei ao te amor de mais, e só amando a mim mesma antes poderei pedir o amor de alguém. Portanto quero ser feliz sozinha.
Edward sente seu coração se despedaçar ao ouvir Alice e pode com certeza sentir o que Alice sentiu todo esse tempo. Percebe a perda, por tentar buscar Alice em outras. O orgulho dos aumentava e os afastava cada vez mais.
Admirando o céu, Edward se lembra da noite em que passou com Alice, os calores dos beijos, as caricias. Passou por ele a súbita vontade de contar as estrelas, se puder contá-las.Em seu coração apenas um suave cheiro,mas nenhum grito de alegria que ele poderia ouvir.O céu vai perdendo suas estrelas,e com isso escureceu,espera a luz e enquanto isso,não quer abrir os olhos,para se poupar ver o mal saindo de suas entranhas.Queria ele se aconchegar em paz,ou não existir,não ver o dia triste sem forças e ficar tranqüilo sem essa dor.Sua alma pedia luz,infeliz e desconsolada,esperando a morte sem que ela apareça.
O tempo passa Alice como medo de se iludir outra vez, deixa ser possuído por seu orgulho e promete não mais olhar para Edward.
Edward já não vê mais o claram, está escuro para ele. O amor vai corroendo ele por dentro, suas forças esgotando, se desespera, pois ele necessita do amor dela para sobreviver. Ele se encontra em um espaço que nunca imaginou estar, fazendo as coisas menos prováveis. Estava Edward recebendo o mesmo sofrimento de Alice?
As estrelas ofuscam seu brilho, a lua vai perdendo sua forma. Coração despedaçado vai perdendo o ar, respirar já não é tão fácil.
Alice então encontra Edward, mas não percebe a gravidade e seu orgulho outra vez altera, ela é convencida por ele.
Edward então resolve fugir, sumir, seu coração está morrendo, ele não tem muitos dias. Vai Edward para um lugar distante onde encontre paz, para se tornar cinza, para se tornar pó? Dia nublado, muitas nuvens escurecendo o céu, a chuva querendo cair, no entanto algo as proibiu de cair. A chuva insiste em querer cair. Observando a batida da chuva na janela de seu quarto, a chuva para alguns segundos, mas retorna a cair. É o reflexo de suas lagrimas que saem sem ele perceber.
Ele então vai á caminho do telefone, chega perto, pensa em ligar para Alice, mas muda de idéia, faz isso varias vezes e depois de minutos telefona. Queria ele apenas ouvir a voz dela. Seu coração derrama em lagrimas ao ouvi-la. Edward respira fundo e diz:
-Ta tão difícil sem você aqui, sem você perto de mim. Eu te amo. Perdoa-me?
Ele sem esperança nenhuma de tomá-la em seus braços. A dor tomava seu coração,estava ficando serio,sente a morte do coração que não vive mais sem Alice. Os dois ficam em silencio... Edward retorna a dizer:- É tão difícil suportar tudo isso, é tão frágil meu coração, minha mente grita por ti,meu coração esta em prantos querendo você aqui,mas não sei o que acontece,você não percebe o quanto me faz sofrer o quanto dói sua falta.Alice ouve calada,do outro lado chora em silencio,mas resolve então mentir.E diz:-Não amo mais você,já a outro em seu lugar,me esqueça.
Edward vê sua vida se desmanchar aos poucos. Ele então não tem tempo de sumir, pois esta quase morrendo. Resolve escrever uma carta para ela antes de sua partida. Pegou um papel, já sem forças, não sabia ele o que escrever como escrever, passou pela mente mil coisas, mas no papel nada escrito, apenas gotas das lágrimas que caia dos olhos. Sentou-se perto da janela,olhou para fora o sol iluminava o dia,iluminava o céu.Ele pouco se importava com o dia,para ele tudo estava com uma nuvem preta.Seus olhos só viram a tristeza.Sentado olhando o céu,começa suas primeiras palavras,tortas e trancadas.Elas saiam nervosas,procurava achar as melhores para um dia chegar a sua amada.Escreveu tudo que estava trancado em silencio dentro dele,que devia ter sido ditas mas não foram e hoje o machuca.Foram linhas e linhas descrevendo o que estava no seus coração.De repente faltou palavras para o que sentia,se passava horas e o sofrimento aumentava,as palavras se soltava aos poucos.Ao terminar já em pedaços,suas ultimas lagrimas se foram,não havia mais choro,nem esperança,naquele momento,sentiu aproximar-se da morte,ela vinha em sua direção tão rápido.Logo veio a falecer.
Dias depois Alice recebe a carta, Abre sem saber só que se trata. Quando viu que era de Edward, hesitou em ler. Seus olhos logo s encheram de lágrimas, coração disparado. Sentiu algo ruim.
Foi para seu quarto, sentou-se no chão, abriu e leu.
Alice quando receber está carta já não estarei aqui. Minha vida não fez mais sentido sem você. Ainda me lembro da primeira vez que te vi. Quantas coisas sentidas e não sabia que ali nascia algo dentro de mim. Quanto tempo desperdiçado, por força do destino talvez. Coração disparado,aquele arrepio dentro de mim.Não entendi o que era tudo e lhe fiz sofrer,me arrependi.Quando entendi você passou a ser minha estrela aonde só com você vi o brilho das coisas,você é diferente é minha estrela para a felicidade,sem você só a escuridão,só a solidão.
A partir daquele momento até hoje você persiste em mim e agora vejo que... Tantas coisas não ditas e ficarão em silencio dentro de mim por orgulho, me machucaram. São nervosas palavras que atormentam minha solidão, que estão aqui ou em um lugar desconhecido. Entendi eu lhe fiz sofrer, aprendi o que é amor. Espero que você seja muito feliz, sem mim tenha certeza que eu estarei com você pra sempre, é só pensar em mim que eu estarei lá,para te proteger.Me perdoe por lhe fazer sofre,isso não vai mais acontecer.Ps.te amo pra sempre Edward.
Alice soluça de tanto chorar. Pode perceber que ele não foi tão ruim como pensava, que sim ele a amou e por ela morreu. Ela sabia que o amava e que o orgulho os separou.

Francyane de Olievria Soares
Inserida por Francyaneoliveira
1 compartilhamento

A LENDA DO MOÇO DA PRAÇA
Numa pequena cidade de interior chamada Ibiranopolis onde a uma lenda daquelas que minha avó escutou da tia dela que diz que sua mãe já viu acontecer a tal lenda de verdade.
Uma vez minha vó me contou, era assim quando a cidade ainda era vila havia dois namorados que se amavam muito, segundo minha avó ele se chamava Alberto e ela Julia, Julia era uma das moças mais bonitas da vila tinha cabelos negros como a noite um olhar radiante como o sol causava inveja nas outras mulheres e despertava o amor nos rapazes. Alberto era um rapaz muito bonito com um sorriso tão belo como o azul do céu.
Eles viviam passeando pela a praça, era um amor eterno todos da cidades diziam com certeza eles se amariam para sempre, toda tarde ele saia do serviço para a esperar ela na praça ansiosamente por sua companhia, e ali ficavam naquela praça enorme cheia de árvores com aroeiras, sapucaias e pitangueira até anoitecer.
Ibiranopolis era uma cidade pacata com taxas de crimes baixíssimos quase zero, minha vó fala que e bem de diferente de hoje.
Num certo dia comum sem muitas diferenças, ela não vai para a praça pois ficou cuidando de sua mãe que passara muito mal naquele dia, ela por não conseguir ir naquela tarde na praça não se preocupou muito pois pensou que quando ele percebe-se iria na sua casa.
Alberto então a espera como de costume, quando vê que já está anoitecendo ele fica preocupado com a ausência de sua namorada, ao perceber que já passava das 21:00 decide ir na sua casa, quando de repente chega uma assaltante ele sem reagir entrega o dinheiro, mas o assaltante sem dó e nem piedade atira contra Alberto , seu corpo fica no chão até duas mulheres voltando da missa encontra seu corpo estirado no chão.
Quando Julia fica sabendo fica desesperada seu pai e a mãe tenta a lhe acalmar mas nada resolve, o enterro é marcado e feito a tarde naquele outro dia, Julia se nega ir ao enterro pois não aceita que terá que se despedir pela última vez de seu amor.
Ela se tranca no quarto, não sai mais de casa para nada, come quase que por imploração de sua mãe depois de três dias sua mãe a encontra em seu quarto deitada quando ela encosta em Julia vê que ela está muito fria, e se desespera e sai correndo para pedir ajuda mas quando chega uma pessoa logo em minutos percebe que já é tarde demais.
Uma morte sem nenhuma explicação a não ser de desgosto e saudade.
Alguns meses depois pessoas relatam ter visto um casal de jovens namorados se beijando na praça nunca ninguém teve coragem de se aproximar, mas vê em que e um rapaz claro e uma moça de cabelos tão negros como a noite.

As vezes nem a morte e capaz de apagar um grande amor

Ray Oliveira
Inserida por RayOliveira
1 compartilhamento

É costume também acreditar que em CIDADES pequenas como a que habitamos (falo isso no plural), as Secretarias Municipais que são mais “importantes” é a de Educação e a de Saúde (sem desmerecer as outras). Não só pelo fato das mesmas receberem as maiores cifras (R$), ou repasses- serem grife/ boutique, sendo assim parece que perto dessas, as outras são “inferiores”. Diante desse pensamento me convenço cada vez mais que a Secretaria que deveria ter mais notoriedade e destaque deveria ser a de Cultura (por englobar todos os elementos citados acima), e por todo um conjunto de aspectos dependerem direta e indiretamente dela. Assim sendo um dos maiores problemas que temos em grave escala, é um atraso educacional interligado a um descaso (ou pouco caso) para com os que promovem as praticas culturais (insisto em CIDADES pequenas). Embora, convenhamos essa tradição se configura nesses últimos anos, como uma tradição instalada, isso é, entra e sai governo, os que promovem os espetáculos, as artes, os festivais quase que por uma totalidade se afogam, caem no esquecimento, não são conhecidos ou reconhecidos, se atestam no anonimato.

Joelson Ramalho Rolim
Inserida por JoelsonRamalhoRolim
1 compartilhamento