Josie Conti

1 - 25 do total de 135 pensamentos de Josie Conti

Vivemos em uma cultura em que a arte ainda é privilégio de poucos. Mas o maior problema é que poucos admiram porque poucos são expostos ao que é bom. Se você coloca qualquer pessoa em contato com material de qualidade, ela reage imediatamente! Ser artista ainda é para poucos, mas a capacidade de criar é de todos nós!

Josie Conti
Inserida por josieconti

Pouco me importa a inclusão, o que não admito é que alguém seja excluído!

Josie Conti
Inserida por josieconti

Precisamos sentir mais, mesmo que o sentimento seja ruim. Precisamos questionar mais, mesmo que o rosto do colega não seja o mais satisfeito.

Josie Conti
Inserida por josieconti

É necessário que o homem saiba o real motivo de suas escolhas para não retroalimentar ciclos e mais ciclos de auto-sabotagem emocional.

Josie Conti
Inserida por josieconti

Toda vez que você diz um sim querendo dizer não, acumula "nãos" para si mesmo.

Josie Conti

Amigos de verdade sabem dizer não. Saber dizer não é sinal de autorespeito e só quem se respeita pode se doar na medida certa.

Josie Conti
Inserida por josieconti

Quando os olhos pesarem, que os sonhos sejam leves.

Josie Conti

Aceito afeto, roupas de segunda mão e convites para andar de bicicleta.

Josie Conti

O humor e a ironia, na dose certa, são excelentes válvulas de escape para lidar com dificuldades.

Josie Conti
Inserida por josieconti

Transparência ofende
Nos últimos dias estive refletindo sobre qual é a diferença entre ser uma pessoa transparente, que não tem grandes coisas a esconder simplesmente porque não tem vergonha de ser quem é (com todo o pacote de defeitos e qualidades que traz consigo) e, por outro lado, ser alguém que se expõe demais.
Cheguei a conclusão que tudo depende das “lentes” de quem observa, do meio em que a pessoa está inserida e do grau de compreensão e censura que o observadores, de maneira geral, dedicam a quem tem coragem de dizer ao mundo quem é ou quem acha que o outro é, como no caso das polêmicas das biografias não autorizadas que vem sendo tão discutidas nos últimos dias.
Pensem comigo, na natureza observamos que diversas espécies de animais ao longo da evolução adquiriram características semelhantes ao seu habitat para que passassem despercebidas frente aos seus predadores. Nesse caso, discrição igual à vida.
Nas guerras, por exemplo, os soldados que partiam para o ataque no front eram os primeiros a morrer. Ou seja, quanto maior a coragem, maior a chance de morrer.
Culturalmente também somos alicerçados em moldes de subserviência hierárquica onde o lema ainda é “manda quem pode, obedece quem tem juízo”. Sendo assim, muitas vezes calar-se num ambiente social ou laboral significa autopreservação.
Por outro lado, também existem em nós verdades internas, valores de vida que são formados ao longo de nossa existência e que, quando confrontados, também nos adoecem. Entenda por valores tudo o que nos é precioso como seres humanos no mundo: a maneira como queremos ser tratados, como tratamos os outros, os limites sociais. Bem, basicamente creio que são os limites de respeito e reconhecimento que precisamos ter para conviver em sociedade de maneira civilizada. Ou, em outras palavras, as ações que teremos e com as quais poderemos deitar e dormir em paz durante a noite.
Vocês já se perguntaram por que admiramos tanto a arte? Vocês conhecem artistas que sentem de menos?
Quem sente extrapola, derrama, transborda, choca, incomoda e, principalmente, não cala.
A fala dos sentimentos aparecerá. No artista, em sua arte (seja pintando, escrevendo, esculpindo). Em nós, seres humanos normais, os sentimentos também falarão e, se sua voz não vier à tona em palavras devido aos limites sociais que geram pactos de silêncio coletivo frente às injustiças do dia-a-dia (inclusive as que acontecem conosco e com nossos amigos), falarão por doenças pois nossa mente não suporta a dor de não ser quem é.
A sociedade atual é uma bomba-relógio de transtornos mentais. Depressões e quadros ansiosos são os mais comuns. Os números da Previdência Social, mesmo que subnotificados, indicam claramente o crescimento dessas doenças, desses doentes, de nossa perda da razão.
Sucumbir ao que nos agride pode sim parecer o mais adequado socialmente num primeiro momento, porém, estamos criando uma sociedade de doentes mentais, de pessoas que não aguentam mais viver com tanta dor e com o aniquilamento constante das próprias vontades e sentimentos.
Se a transparência ofende, que ofenda.

Josie Conti
1 compartilhamento

Penso que os grandes céticos de hoje foram os maiores românticos do passado. Descrença é fruto de desilusão.

Josie Conti
Inserida por josieconti

Quer uma dica de sucesso nos relacionamentos? Ouça. Ninguém mais ouve e isso será um grande diferencial.

Josie Conti

Meu pai não foi um homem afetivo. Entretanto, sempre me apontou passarinhos.

Josie Conti
Inserida por josieconti

Sempre acreditei que a esperança combina com o pôr do sol…o término de um dia é o prenúncio do repouso e de um novo amanhã.

Josie Conti
Inserida por josieconti

As pessoas de pior caráter são as que enganam nas primeiras impressões.

Josie Conti
Inserida por josieconti

Nem todos os mentirosos desviam o olhar, justamente por saber desse fato, muitos mantém o olhar firme e quase nem piscam.

Josie Conti
Inserida por josieconti

Não tem outro caminho, a maturidade exige muita dor.

Josie Conti
Inserida por josieconti

Nunca compare irmãos achando que eles têm que ter personalidade e caráter semelhantes. Na maioria das vezes, é tudo diferente.

Josie Conti
Inserida por josieconti

Hoje a limitação humana quis ser lembrada. Esbofeteou-me com uma doença na família.

Josie Conti
Inserida por josieconti

A dor que dói escrita é dor menos doída?

Josie Conti
Inserida por josieconti

Ah, e como eu amo o silêncio de uma casa vazia e a infinidade de opções da minha própria companhia.

Josie Conti
Inserida por josieconti

Dormimos tarde, acordamos atrasados, perdemos tempo em locais que não nos agradam e sentimo-nos eternamente em débito com a família...

Josie Conti

O que tenho visto é uma sociedade de bens de consumo descartáveis tratando seus trabalhadores como seres também dispensáveis.

Josie Conti

Muitas vezes, o preconceito é um mecanismo de defesa que as pessoas usam para mascarar suas próprias inseguranças frente ao novo.

Josie Conti
Inserida por josieconti

Hoje a leitura invadiu o meu dia, enraizou-se em meus instantes e nutriu pensamentos...

Josie Conti
Inserida por josieconti