Letícia Del Rio

1 - 25 do total de 405 pensamentos de Letícia Del Rio

"O mundo é um alucinógeno tão eficaz que a maior parte do povo se encontra entorpecido."

Letícia Del Rio

Tão certo como dois mais dois são quatro,
Não existe sapato de um pé só.
Aos distraídos um de cada cor já vestiram,
Cada cor tem seu par,
Cada par tem uma cor.

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987

"Sente-se tão livre,
Fez-se prisioneira de si."

Letícia Del Rio

Minha casa é o mundo,
Me descubro a cada segundo,
Não sei bem quem sou,
Depende de onde estou,
Horas sou leve como o vento,
Disfarço bem meu lamento,
Outras horas pensamento se descontrola,
Falo como uma vitrola,
Inaudível, deixo dito pelo não dito,
Eu não ligo,
Sou enigma de mim.

Letícia Del Rio

Era uma pessoa fora do contexto,
Me via do avesso,
Estranhamente me compreendia,
Ás vezes até descobria,
Que eu era o inverso dos versos que escrevia.

Letícia Del Rio

É talvez meus escritos não façam mesmo sucesso...
Nesse mundo ao inverso,
Onde no verso,
É bonito ser triste,
E nisso se insiste!
Nos meus versos levo amor,
Fujo da dor,
Ao invés de solidão,
Prego solução,
Troco o tropé,
Por fé,
Gritos vazios não aliviam sofrimento
São levados pelo vento,
Por isso escolho a fé,
E isso que me põe de pé!

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987

Retratos de um eu findado.

Vida que se esvaia,
Triste e vazia,
Ligeira escorre pelos dedos,
Faz-se de forte,
Diz ter sorte,
Ao cair da noite,
Distraiu-se,
Descobriu-se,
Derrubou a máscara de porcelana,
Estilhaçou em si.

Letícia Del Rio

Perdi-me dentro do labirinto do meu eu,
De forma tão avassaladora á não ver fim,
Achando-me no domínio,
Vi-me escrava de mim,
Incontrolada, rastejava-me,
De modo tão sútil camuflava-me,
Vestia-me de uma confiança fingida,
Mas, dentro, perdida e aflita,
Álter ego abalado,
Quase findado de tanto chorar,
Novamente vestia-me de sorriso,
Definição do meu eu outros dias...
Cercada de falsas alegrias,
Completa solidão dentro de mim,
Foi assim, sem chão e ferida,
Encontrei guarida,
Nos Teus braços e Tuas mãos.
Como a Terra, antes da criação,
Sem forma e vazia,
Recebi-te com alegria,
E por Tuas palavras, fui novamente moldada,
Grilhões rompidos,
Acabaram-se os olhos aflitos,
Sigo na fé,
Por Aquele que me põe de pé!

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987

!Oco!

Vi-me cercada,
Sitiada e a mercê daquele falso amor.
Aquelas lindas pessoas, que sentavam no meu colo,
E em meus ouvidos pronunciavam palavras de amor,
Com sorriso sem gosto,
Beijavam-me o rosto e falavam de amor,
Como se, fácil fosse amar.
Sentimentalmente,
Deixava me levar,
Ignorando o pensar,
Violentava minha consciência,
Pela ausência,
De um amor esquecido,
Quase que perdido.
Não sabia o que era amor.
Amor se constrói com o tempo,
Forjado em lamúrias e lamentos,
Atitudes e contentamentos,
Alegria,
E média euforia,
Sem agonia...
Sem desespero,
Com tempero,
É estar contigo, mesmo que seja ao relento,
Num dia cinzento,
Ou até mesmo segurando um guarda-chuva em dia de sol,
Sendo a sua sombra em segurança,
Conquistando confiança.
Estão banalizando o amor,
Estão banalizando o beijo,
Estão banalizando tudo!
E aquilo que era bonito e maduro,
Hoje se perde no escuro,
Como casa sobre a areia,
Que quando a maré sobe caí.

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987

Pensamento, porque tomas meu tempo?
Insensatos lamentos,
Coisas abstratas, cheias ou vazias?
Alegrias, euforia, fantasia?
Isso te vicia?
Pensamento, porque tomas meu tempo?
Seria minha distração tua alegria?
Ou meu raciocínio tua garantia?
Pensamento, porque tomas meu tempo?
Arrebata meus segundos, encurta meus minutos e esmaga minhas horas.
Noite a fora não para de me afligir,
Quem és tu pensamento?
Amigo ou inimigo depende de mim mesma,
Dê-me o que tens de bom,
Jogue fora o que tens de ruim,
Pois, no fim,
Quem é a dona do que fazer contigo,
Sou eu.
Entendeu?

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987

"Use a sua inteligência, não a opinião dos outros!"

Letícia Del Rio

Eu não deixei de ser uma pessoa sensível e sonhadora...
Mas, aprendi a não viver por isso,
Eu vejo beleza em tudo,
Eu amo intensamente,
Mas boto tudo num papel,
E vivo pela razão.
Não há razão para sofrer por ilusão,
Por amores inventados,
Com pés cansados de tanto correr atrás de algo,
que vai te fazer vazio,
Achando bonito o sofrimento,
Vivendo de lamento,
Com intensidade, mas não de amor,
Mas de desilusão.
Cansei, então hoje olho pro céu,
De onde vem meu único e verdadeiro amor,
Assim meu sofrimento acabou.

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987

Não busco notoriedade por aparência,
Quero a notoriedade de quem consegue me olhar de dentro,
Aparência um dia acaba, o que importa no final é a essência,
E isso é muito mais profundo que meus olhos castanhos,
Ou qualquer outra coisa de fora que possa parecer interessante,
O que se tem dentro é muito maior,
É o que realmente diz quem tu és,
E o tempo não corroí.

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987

“Pode vir, mas quando chegar, que seja vestido de sorriso”

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987

Embriagava minha Lucidez para anestesiar minha alma,
Tropeçava dentro de mim em passos firmes de tristeza,
Desfilava passos largos de sorriso frouxo atrapalhado,
Enganava não só os outros, mas a mim todos os dias.
Vivia como se fosse fácil viver,
Perdendo tempo de copo em copo,
De vida em vida,
Deixando tudo que eu tinha de bom para traz,
Me tornando alguém cada vez mais vazio do que é bom,
Estragando vidas, empurrando a minha com a barriga,
Sem ambição de progresso,
Implorando por amor.
Vazia e no silêncio seguia,
Até que um dia encontrei a luz do meu Senhor.

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987

Se me é necessário, isso não se sabe,
Só sei que a todo vapor, pensamento não para,
Simplesmente dispara, como um felino para com a caça,
Consome meu tempo e meu estado,
Cresce a semente do pensamento,
Como a fábula do pé-de-feijão,
Dispara a imaginação, como bala de canhão,
Tudo vira música no meu mundo,
Vivendo num mundo interior de poemas,
Seguindo diferente de todos os sistemas,
Sem entender ao certo o porquê de tamanha diferença,
Essa foi minha sentença,
Viver debruçada de papel em caneta,
Descrevendo meu céu em palavras,
Decifrando e resolvendo feridas,
Em palavras expressivas,
Sem coração ou não,
Mas sempre buscando razão,
Insisto, nem sempre consigo,
Mas assim vou mudando meu “eu”,
Não tão meu, de palavra em palavra.

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987

Nada penso, mas, penso.
Que pensar em nada já é pensar,
Por isso, concluo que nada sei,
Apenas penso que sei,
O que minhas palavras não sabem me explicar,
Muito menos te dizer...

Letícia Del Rio

"Eu não vivo pelo que ouço do coração,
O transformo em palavras e vivo do que penso."

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987

Fui escrava de amores que um dia inventei,
Como poderia assim amar alguém?
Então um dia, tão fraca e vazia,
A verdade encontrei,
E o baú de sentimentos inventados,
Teve um infarto do miocárdio,
Morreu, foi enterrado.

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987

Quando me sobram, as palavras me faltam,
Quando me faltam, as palavras me sobram...

Letícia Del Rio

Eu converso com todo mundo,
Sorrio para estranhos,
Vejo beleza nas sutilezas,
No jeito, nas palavras,
Faço vista grossa para a maldade,
Preservo os meus olhos,
Meus ouvidos entopem para aquilo que não me acrescenta,
Procuro me preocupar com as palavras que digo,
Elas podem machucar ou sarar,
Por isso prefiro escrever,
A escrita para mim é como um filtro,
Ajuda-me a pensar melhor,
Se errar apago,
Encho um cesto de papéis rabiscados de caneta.
Na vida cotidiana vejo mais dificuldade,
Tem coisas que não se consegue voltar atrás,
Mas, sigo em frente sempre tentando melhorar,
Sigo em frente, procurando sempre,
A base da palavra que me fez.

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987

Sou melhor com palavras escritas,
Embaralho-me quando tento diz-las
Minhas poesias são meu "eu" criptografado em palavras,
Existe um mundo dentro de mim,
Mundo feito em palavras,
Como sopa de letrinhas, mas, mais organizado,
Às vezes não...
Então não me entenda,
Leia-me,
Decifre-me,
Pois não sou igual, nem diferente,
Apenas feita de palavras, quase nada faladas, muito menos ouvidas,
Ou compreendidas,
Mas, escritas, esperando ser decifradas,
Em outras palavras...

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987

"Eu não sou um corpo. Eu sou um cérebro.
Se o corpo fosse mais importante que o pensamento,
A alma teria formato de gente."

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987

“Se não usarmos de inteligência para vivermos nossos sonhos, eles se tornarão nossos verdadeiros pesadelos.”

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987

Sou feita de palavras, e hoje transbordo...
Sem explicação pensamentos presos se tornam soltos em papel e caneta,
Posso ser quem sou num papel,
Mutável,
Penso que posso pensar melhor,
Pensando assim,
Talvez use um lápis da próxima vez...

Letícia Del Rio
Inserida por LeticiaDelRio1987