Elis Barroso

1 - 25 do total de 131 pensamentos de Elis Barroso

POSSIBILIDADES

Eu gostaria que me dissesse
Se passo um café
Se faço a cama
Se arrumo a vida.

Eu queria saber
Se sou seu amor
Desejo, paixão
Ou sua querida.

Será que será longo?!
Breve, leve?!
Triste, alegre?!

Ah! Que graça vai ter?!
Melhor não saber
Deixe a vida me surpreender.

Elis Barroso

CARTAS DE AMOR

Ah se eu pudesse ler o que as cartas de amor não dizem
Cada suspiro que vai nas entrelinhas
O silêncio guardado em cada espaço em branco

Ah se eu pudesse ler cada pergunta que não é feita
O que se esconde atrás das vírgulas
A história que continua após o ponto final
Os sentimentos que impregnam o último verso

Quisera eu saber ler cartas de amor
Mas elas não se deixam ler
Ou não seriam cartas de amor.

Elis Barroso

AMOR DE GIZ

Pra falar de nosso amor escrevi no muro com giz
Perguntaram o porquê eu fiz assim se logo iria apagar
Respondi que pra mim amar tem que ser desse jeito

Algo me diz que amor de giz é melhor
Ele pode ser reescrito a cada novo dia.

Elis Barroso

ROTEIROS

Em meus devaneios
Vou rasgar os roteiros da peça escrita pra mim
Mudarei todas as falas
Sentarei em outro banco de praça
Mudarei de calçada
Vestirei outra cor

Hoje vou desligar a TV pra assistir as estrelas
Deitarei do outro lado da cama
Adormecerei com o sol
Vou passear com a lua

Hoje deixarei a rotina
Virarei do avesso
Conhecerei outra de mim.

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

REBELDIA

Num ato de rebeldia
Usei papel e caneta
Escrevi uma carta a alguém
Li um jornal

Numa luta contra o sistema
Troquei likes por abraços
Mensagens por olho no olho
Sentei com um amigo pra um café com bolo

Num ato de revolta
Escancarei a porta
Saí para vida.

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

VIDA DE TRABALHADOR

Mal sente o sabor do café com pão
No meio da multidão
Preocupado com horário
É apenas mais um solitário
Pega trânsito pesado
Chega atrasado
Encontra o chefe estressado

Naquele alvoroço
Mal tem tempo pro almoço
Debaixo de tanta pressão
Seu maior medo é da demissão

De volta para casa continua o tormento
Atura novamente o engarrafamento

Com o salário do mês
Não sabe o que fez
Não tem mais vontade de sair da cama
O dinheiro não durou nem uma semana

Tantos impostos, juros, inflação
Espera pelo dia de votação
Pena que sejam os mesmos da outra eleição
Todos envolvidos em corrupção.

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

FILTROS DE BARRO

Em meu tempo de criança
Bebi água em filtro de barro
Gostava de ouvir seu lento gotejar
Demorava pingar a gotinha
Acho que queria nos dar seu melhor
Por isso demorava a filtrar

Coitado do filtro de barro
Foi descartado
Trocado
Já não cabe nas casas modernas

Pensando bem...
Hoje tudo parece descartável
Nada pode dar trabalho

Prefiro relacionamentos
Que sejam como filtros de barro.

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

GARRAFA VAZIA

Encontrei uma velha garrafa vazia jogada na areia
Trazida pela maré
Aquela garrafa um dia trouxe felicidade a alguém
Talvez tenha participado de uma festa
Comemorado um nascimento
Ou alegrou boas conversas entre amigos

Agora desprezada
Triste
Sem serventia

Em minha utopia resolvi tirá-la daquele triste fim
Escrevi um poema em um papel
Enrolei
Coloquei dentro da infeliz garrafa
Lancei-a ao mar

Quem sabe um dia ela chegue em alguma praia
Presencie novamente o sorriso de alguém.

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

CAOS & CALMA

Quando minha calma vira caos
Minha alma pede poesia
Poesia escondida no abraço apertado
No riso solto
No canto das ondas quando beija a praia
No vento que acaricia a pele
Poesia que se atreve e deixa uma mordida no fim do beijo
No último gole no fundo da taça

Quando minha calma vira caos
Minha alma convida a poesia
Pra brindarem aos recomeços.

Elis Barroso

Sem você sou uma prosa triste
Sem final feliz.

Elis Barroso

Não me jure amor
Me jure poemas.

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

COR & GOSTO

Eu queria que poema tivesse cor
Escreveria um bem vermelho
Que lembrasse gosto de beijo

Se poema tivesse gosto
Escreveria um salgado
Meio molhado
Com gosto de corpo suado

Só pra lembrar de você.

Elis Barroso

A vida machuca
A poesia alivia.

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

Sem você sou inteira
Com você eu transbordo.

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

Quando você me tocou sem usar as mãos
Eu já era sua e nem sabia.

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

Não quero ser regada em vaso
Me deixe brotar do chão.

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

Quis me perder no chão
Ou me achar no céu
Da sua boca.

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

Nessa longa estrada
Sigo assim
Dona de mim.

Elis Barroso

Nos rastros que deixo
Nos caminhos que traço
Sei ser nó
E sei ser laço.

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

MULHER DA VIDA

A menina que queria ser bailarina
Nunca deu um rodopio
Rodou apenas na vida
Na via
Nas avenidas
Entre idas e chegadas
Corpos sujos e suados
Se vendeu
Nunca se deu
Não amou
Nem foi amada
Usada como mercadoria
Objeto que já não se atreve a sonhar

A menina que queria ser bailarina
Agora é chamada de mulher da vida
Mas que vida?
Nome tão bonito
Pra quem carrega o peso de olhares
E trás seus pesares cravados na alma.

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

FOLHAS DE PAPEL

Os meus olhos de menina
Enxergavam arco-íris através de cacos de vidro
Viam gafanhotos vestidos à rigor
Eles estavam sempre prontos pra festa

Em meus sonhos de menina os personagens dos livros ganhavam vida
Era possível sentar para um chá
Dividir uma toalha de piquenique

Em minhas mãos de menina as folhas de papel se transformavam
Em gaivotas que ganhavam os céus
Viravam barquinhos que navegavam em poças d’água deixadas pela chuva

Em minhas mãos de mulher
Basta pena e papel
Pra guardar a vida em poemas.

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

INTEIROS

Só gosto do todo
Sem reservas
Sem pedaços
Já não quero nada partido
Sem meias verdades
Meias palavras
Meias certezas
Meias entregas
Nunca fui metade

Sem você sou inteira
Com você eu transbordo.

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

VAZIO

Das muitas e muitas andanças
Das mais variadas paisagens
Dos desvelos recebidos
De todos os atropelos que se pode dar
A alma quer sempre mais
Nada lhe basta
É fome que não se sacia
Trilha que nunca termina
Gotejar incessante em cavernas vazias
Seu buraco é do tamanho de Deus.

Elis Barroso

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

JÁ NEM SEI

Não sei se sou eu que grito
Ou roubei a voz de alguém
Se a dor que sinto é minha
Ou sofro por outra pessoa

Já nem sei se sou dona dos versos
Ou eles são donos de mim

Como é duro ser poeta
Que se afoga nos próprios versos
Ora chora
Em outra ri

Se esvai em grãos de areia
Renasce da folha morta.

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso

SOU FÃ

Sou fã das pontuações
Elas mudam os versos
As orações
Mudam até minhas preces
Com as vírgulas fico leve
Às vezes sou admiração (!!)
Encantamento
Por um momento sou dúvida (??)
Aliás, na maioria do tempo

Contrariada preciso por ponto final
Só assim vem novos textos
Recomeços

Sou fã das pontuações
Mas vou contar um segredo
Que as outras não saibam

Adoro fazer reticências...

Elis Barroso
Inserida por elis_barroso