Poema de Outono

Cerca de 1214 poema de Outono

EU SOU

Eu sou o outono e o inverno,
Eu Sou do Arco-Íris o amarelo,
Eu sou do sonho, a razão,
Eu sou apenas, um coração.

Eu sou do espaço, a dimensão,
Eu sou o novo e o velho,
Eu sou do amor, a busca,
Eu sou da busca, o começo,

Eu sou do começo, o medo
Do medo, o recomeço,
Do recomeço, o fim
Muito além de mim.

CANÇÃO DO OUTONO

Os soluços graves
Dos violinos suaves
Do outono
Ferem a minh'alma
Num langor de calma
E sono.

Sufocado, em ânsia,
Ai! quando à distância
Soa a hora,
Meu peito magoado
Relembra o passado
E chora.

Daqui, dali, pelo
Vento em atropelo
Seguido,
Vou de porta em porta,
Como a folha morta
Batido...

Paul Verlaine

Nota: Tradução: Alphonsus de Guimaraens

É outono.
Venta.
Das árvores folhas caem,
Folhas mortas,
Folhas secas,
Folhas enrugadas,
Sofridas e vividas.

É outono.
O céu nublado,
O sol calorento,
O mar calmo.
Marulhos penetravam
Na areia tenra
e acomodada.

É outono.
O sol já se foi.
A noite chega
Trazendo com ela
A lua e as estrelas
E, as árvores despidas
Sentem frio.

É outono.
Árvores morrem.
As folhas permanecem
Sobre a terra.
O vento chega e
leva consigo a
amargura do sofrimento
E semeia na terra
uma nova semente.
É outono.

Folhas de Outono

Cada folha que cai na minha vida
É como se meu coração murchasse
Vivo cada minuto de forma sentida
Como se a vida jamais acabasse.

Olho à minha volta, e tudo o que vejo
Dá-me vontade de amar mais ainda
A todas as pessoas dar um terno beijo
Fazer do mundo, coisa rara e linda.

Viver o amor tão intensamente
Sentir-me feliz ao dar felicidade
Amar, amar tão perdidamente
Sonhando acordada com esta verdade.

Verdade que eu sonho, viver ao teu lado
Num futuro risonho e primaveril
Apesar do tempo que em mim é passado
Sonho e sonharei, primaveras mil.

Autoria:Arlet

Amor tem as formas de um outono,
tristeza tem aroma de janeiro,
saudade tem as cores de uma praça
e alegria tem gosto de brigadeiro.

A paixão é de todas as cores,
desilusão é preta e branca.
Inverno tem cheiro de abraço
e é docinho o sabor da esperança.

Minha vida é feita de outono
do outono que cai as folhas
do vento que lhes carrega
da garoa que lava a alma

do céu nublado que de teto serve
para as pobres almas, perdidas e sem rumo
o outono nos tras o frio
e as xícaras de bebidas quentes

o outono não deveria
ser lar da tristeza
deveria ser fase de nostalgia
onde lembramos os tempos passados

porque tudo que o tempo leva
o outono trás de volta
de uma forma
ou de outra

seja ela simples
como uma folha caída
ou estravagante
como uma árvore carregada pelo vento

ainda será o outono
espelho das pobres almas,
que por ele vagam?
ainda será o outono amanha?

Sejais

Sejais como o outono
Apesar do amarelar das folhas
E a queda da temperatura
A luz do poente se iguala a sua cor
E o crepúsculo como uma bênção se despede.

Os ipês adormecem sobre as mãos do outono
Entre os pinheiros sobrevive o tronco seco e pálido.
Os galhos que sustentavam as folhas e as flores na primavera,
Hoje descansam solitários e tristes.

Sejais como o inverno
As névoas encortinam os olhos
E os picos nevados acolhem a montanha
Que lamenta a ida da primavera e contempla
a chegada do inverno com alegria.

A anciã cobre seu rosto escondendo
A idade avançada que através das rugas
Mostram a sua longa caminhada
Por entre os vales alvos e distantes
Que o inverno cobriu-o intensamente.

Sejais como a primavera
Em tempo de intempéries
As flores não deixam de florir
E seu bálsamo perfumar e inspirar
Os olhares apreciadores dos enamorados.

Sejais como o verão
Mesmo o sol aparecendo em demasia,
As árvores permanecendo imóveis
Sua sombra abraça o sorriso das crianças
Que se alojam para brindar o frescor do dia.

O mar não dorme enquanto passa as estações
Permanece vigilante enquanto o navio
Cruza as linhas do horizonte
A noite se encolhe de frio
E o vento ruge deixando as águas serenas.

E um vento acariciante resolveu balançar os coqueiros, embaraçar os cabelos...
É o outono começando a se despedir com seu espetáculo itinerante...

mel - ((*_*))

Chuva de Outono...

Nós somos como a vida das árvores, passamos por estações e momentos.
Existe tempo para nos recolhermos, fazermos um balanço e juntando forças para mais adiante para o próximo passo.
É como a chuva, que cai fina, molhando nossos corpos, nos alimentando, lavando nossa alma... e como precisamos de dela nós e as árvores...
As árvores são assim elas perdem as folhas e se acomodam, pois passarão por longos períodos sem movimento externo, porque elas somente crescem no verão. Cada instante é uma espera do momento seguinte, e logo vêm à primavera aonde nós e as árvores florescemos.
Abrimos nossos corações para deixar a vida sair e assim nos despimos de nossas camadas desnecessárias que já cumpriram seu papel no grande esquema da vida. As árvores nessa etapa mudam de casca para sua renovação.
Passamos por várias estações, várias metamorfoses até nos tornarmos inteiros.
Peço sempre à divindade para que meus verões sejam ricos em frutos e que minhas sementes possam germinar sadias no canteiro da existência e que no outono seguinte eu esteja muito mais forte, compreendendo cada ritmo, cada etapa e me sentindo triunfante e grata naquilo que chamo de vida.

Beijinhos nos ...

Neste começo d’hoje
tuas costas negavam
qualquer espécie de outono
Afinal
a ideia de estação
é só um tema ilusional
engendrado por humanos
que nunca puderam desenhar
tua coluna vertebral
a dedo nu

Menina Morena

O outono passou e o inverno chegou
As folhas secaram e o vendo levou
O frio carece a pele serena
Da pequena menina morena

O sol radia em tempo gelado
A menina morena quer ser aquecida pelos teus braços.

O outono passou e o inverno chegou
As folhas secaram e o vento levou
Menina morena quer ser protegida
Protegida por um verdadeiro amor.

O amor não é passageiro
O amor é a esperança
Que brota no rosto de uma criança
Menina morena menina morena.

CORAÇÃO PARTIDO...

***
Numa noite de outono, linda e serena...
O frescor suave do vento acariciava seu rosto pálido sob o luar...
Pássaros da noite, tristes voavam...

Voavam em direção aos seus recantos, seus ninhos...
Em árvores secas e sombrias...
Estavam prestes a pousar...

Continuava ela vagando tristemente...
Eu observava e pensava... "Por que será?"
Sua alma se encontrava angustiada e aflita, eternamente...
Caminhando ia ela... O seu amado encontrar...

Amor misterioso... Lindo... Puro e verdadeiro...

Chegando lá... Ansiosamente...
Seu amor beijou-a docemente...
Lua cheia... Brilhosa... Sobre o mar reluzindo...
Estrelas cadentes no céu... No horizonte caindo...

Tudo seria perfeito quando,
Com lágrimas nos olhos...
Seu amado disse-lhe com tristeza sorrindo:
- “Amor da minha vida... Ao amanhecer estarei partindo!”

Rio, 05/05/06.

Por entre as flores na primavera,
Entre os vales de outono,
As alegrias de verão.

Guia-me há caminhos de honestidade
Longe das dores e amarguras
Livra-me da solidão.

E por todo o percurso que haja em mim esperança!
Permita que não abale em mim a minha perseverança,
Para que meus sonhos tenham o poder de se transformar
E que eu alcance a realidade!

Não esqueças da minha fidelidade,
Minha caminhada para te louvar,
O meus pecados de nada valem
Pois em ti estará a minha fé.

O OUTONO E NÓS, SERES OUTONAIS

Foi-se embora o espalhafatoso verão!

De dentro do eterno ciclo da natureza retornou o outono, sereno e calmo!

“La belle season” é como batizaram os franceses esta estação que nos descortina as renovadas-vestes-da-divindade presentes na natureza.

Outono é uma parábola de nós mesmos, seres outonais! Suas manhãs são mais poéticas e os seus crepúsculos são mais filosóficos. Aquelas são belas em sua melancolia. Estes são melancólicos em sua beleza. Assim, somos todos nós.

Creio que é no outono que entendemos melhor o ensinamento de Oscar Wilde: “ser como crianças, para não esquecermos o valor do vento no rosto e ser como velhos para que nunca tenhamos pressa".

Isso é sabedoria. E se nos tornarmos mais sábios, já não precisaremos mais ter medo de envelhecer. Afinal, a vida também é um eterno renascer.

Coisa que só o outono ensina. O resto são folhas mortas.

Quero num dia de outono,
contar as folhas que caem do ipê,
Quero nas manhãs de inverno,
aconchegar-me ao teu abraço confortante.
Quero numa tarde de primavera,
contemplar o voo da borboleta.
Quero no verão de nossas vidas,
viajar rumo ao brilho do sol,
abrasando nossos corações e inebriando nossas paixões.

Ninho

Dentro do meu coração
existe uma cabana
Tecida com folhas de outono
Cheio de amor e carinho
Ao chegar não traga bagagem alguma
Entre soltando as amarras da prisão
Pousará em terra de sonhos
Em minha alma livre, fará morada
Ali é meu mundo, nele habito
É o além que posso tocar
Porque no mundo onde vivo
Não se dorme para descansar,
Dorme-se para sonhar.

"Inverno, primavera, verão ou outono
Tudo que você tem de fazer é chamar
E eu estarei lá, sim, sim, sim
Você tem um amigo......"

Sou como a folha que se desprende da árvore no outono,
Livre, leve e solta, levada pelo vento que se encarrega do meu destino.
Não seco durante o inverno. Em mim há muita paixão pela vida.
Possuo uma chama inapagável. Mesmo no espaço, eu seguiria acesa e constante.
Floresceria na próxima estação, abrindo os braços para as novas experiências e deixando meus pés trilharem caminhos nunca antes traçados.
Quando o verão chegasse, eu estaria sentada em uma prancha, apenas esperando a próxima onda chegar e me levar para longe novamente.
Pois eu sou do mundo... E pelo mundo é o meu lugar.

Nesta vida tudo passa.
Passam as estações do ano:
Outono, inverno, primavera e verão.
Passam as noites e os dias:
As nuvens no manto azul
E as estrelas no manto escuro.
Tudo passa nesta vida,
Ficam apenas as amizades, as alegrias,
As saudades, as poesias e a paixão.
Para essas coisas não existe despedida.
Passa a beleza da flor,
Mas não passa o amor.

Primavera, Verão,Outono e Inverno.
Cada estação traz uma sensação.
As cores,o calor, a renovação que vem antes de tudo se transformar .Todos esses elementos que se transformam,evoluem é uma referência do que pode acontecer com tudo. Tem momentos que vemos tudo colorido e extremamente encantador, em que o calor de um abraço amigo,nos entorpece e renova nossas energias para continuarmos a arrancar toda as camadas superficiais ,que tenta sufocar o nosso recomeço!