Poema de Outono

Cerca de 1214 poema de Outono

É suposto você estar triste no outono. Uma parte de você morreu a cada ano quando as folhas caíram das árvores e seus galhos estavam nus contra o vento e a luz fria invernosa. Mas você sabia que haveria sempre a primavera, como você sabia que o rio fluiria novamente depois de ele ser congelado. Quando as chuvas frias continuaram e mataram a primavera, era como se uma pessoa jovem tivesse morrido sem razão alguma.

Que tudo venha assim, no silêncio, devagar, sem fazer alarde. Leve como uma folha que cai no outono e intenso como o calor do verão.

Na meditação o homem progride como as estações do ano. Ao começar sua prática está no outono, onde caem as folhas e desmantela a árvore que plantou pela vida. Então progride para o inverno, onde se depara com o frio de sua sombra interior, mas aprende a hibernar no silêncio da mente. Então segue para a primavera onde surgem as flores do espírito e finamente alcança a luz e o calor do verão e nele permanece.

Há quem goste do inverno e há quem goste do verão, outono ou primavera. Eu gosto mesmo é de ver as estações mudarem. A natureza como a vida, se equilibra na mudança... no transitar. E como é bom saber que as coisas mudam. Que depois de um inverno rigoroso novas flores surgem e a raiz fica mais forte. Há beleza na passagem... no ciclo que se fecha e permite que outro surja. É pela benção da efemeridade que podemos ver a beleza em todas as estações que, ora nos permitem sorrir, ora aprender e eu comprei o bilhete da vida pra experimentar as várias "estações".

A felicidade esta nas folhas das árvores,cabe somente a você decedir se viverá um outono ou uma primavera

O outono escorregadio nos olhos de quem espera flores. Inverno quase quente. As folhas se soltam como numa leve partida. E se desprendem. Feito pensamento. Feito alegria oca. E explodem depois da frieza de Agosto. Na delicadeza chamada primavera

"O outono é uma estação para recriar, ressurgir das cinzas...florescer."

Voam folhas de Outono nas frestas da chuva que lava os rios e deles nos faz ouvir um cântico novo...

Caem folhas no chão regularmente, mas o fato é que é sempre outono no outono, e o inverno vem depois fatalmente, e há só um caminho para a vida, que é a vida...

Nessa noite clara de outono, pouco tempo depois da meia-noite, Noah sentiu por dentro um turbilhão e foi tomado de desejo e saudade.

Nicholas Sparks
SPARKS, N. The Notebook. London: Hachette UK, 2011.

Hoje o dia amanheceu tipico do Outono, chuva fina, um leve frio se aproximando, não tem risos das crianças na rua, os pássaros estão escondidos sem cantar, os animais em geral estão recolhidos, sinto uma tristeza necessária no ar que dá vontade de dormir até a chegada da Primavera e assim não precisar enfrentar nas mudanças internas que somos obrigados, mas viver é estar em constante mutação, o que éramos ontem não somos hoje e amanhã não podemos prever como estaremos e esta incerteza benéfica nos amedronta, algumas pessoas preferem se conformar e fingir que tais mutações não estão ocorrendo, mas eu simplesmente não consigo fechar os olhos e os ouvidos pra a Alma que grita, não posso me esquecer que além do meu abrigo existe uma vida lá fora esperando ser vivida e mesmo que haja chuva, mesmo que as folhas do Outono estejam no chão e em breve o frio do inverno chegue, não posso hibernar esperando a chegada da Primavera, tenho que enfrentar as mudanças das estações da morte para estar viva quando os pássaros voltarem, as flores se abrirem e as crianças finalmente retornem a correr e rir no calor da vida !

Sou uma árvore no outono, me sinto cada vez mais despido de uma imagem que com certeza não era minha, agora me sinto mais limpo e real... na próxima estação continuarei assim...

"Adão sempre aguardava ansiosamente pelo outono, a época em que as folhas caem"

Nada acontece por acaso, tudo tem um porque. Ou você acha que as folhas do outono caem porque querem ?

“Andei a procurar-te nas noites e madrugadas do verão sem fim. Ao luar, e sonhos do outono te encontrei em mim. Logo no inverno, vejo teus olhos, nos meus; revelando-me teu amor...; na primavera que chega. Enfim...”. AJMusskoff .^.

"Eu me propus ser leve, como as folhas do outono sabe, para acompanhar o vento"

Primavera, verão, outono ou inverno, seja qual for a estação, em Paris, eu quero.

O outono desenhado na paisagem não impede que a primavera se instale no meu coração. Lá fora, folhas secas correndo ao vento; aqui dentro, jardins ensolarados anunciando que é tempo de colher as flores.

Folhas de outono não caem; elas voam. Elas tomam seu tempo e vagam nesta que é sua única chance de voar.

O castanho dos meus olhos migra no outono como as andorinhas do mar, levando consigo o carinho que
juravamos ser meu.