A relação de títulos que gostaríamos de ler ao longo da vida vai aumentando a cada dia. Por isso, essa é uma daquelas listas intermináveis e praticamente impossíveis de conquistar a aprovação de todo mundo. 

Mas, com algum esforço, reunimos algumas das obras mais enigmáticas da literatura mundial, obrigatórias para quem tem os livros como seus melhores amigos.

Se ainda não estão, esses livros deveriam entrar imediatamente para a sua TBR (To Be Read, ou Livros Por Ler, em português): 

1. 1984, de George Orwell

1984 - capa

Considerado um dos títulos mais importantes do gênero distópico, 1984 foi publicado no fim da década de 40, mas continua tão atual como nunca.

A trama apresenta uma sociedade rígida e extremamente controladora, governada pela figura do Grande Irmão e pelas regras do Partido. 

O livro constrói cenários muito perturbadores de como seria viver nesse regime totalitário, além de mostrar conceitos como a "novilíngua" e o "crime de pensamento", que nos fazem refletir sobre muitas coisas vistas na sociedade contemporânea. 

Guerra é paz,
Liberdade é escravidão,
Ignorância é força.

George Orwell (1984)

2. O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry

o pequeno principe - capa

Um livro infantil, mas que é recomendado para pessoas de todas as idades. O Pequeno Príncipe está recheado de lindas metáforas filosóficas e poéticas sobre a amizade, o amor e a perda da inocência. 

Não importa se você tem 7, 20 ou 40 anos, sempre é um bom momento para ler este clássico de Saint-Exupéry.

O essencial é invisível aos olhos, e só se pode ver com o coração.

Antoine de Saint-Exupéry (O Pequeno Príncipe)

3. Orgulho e Preconceito, de Jane Austen

Orgulho e preconceito - capa

Conhecida como uma das romancistas mais cultuadas de todos os tempos, Jane Austen se imortalizou através de várias obras, mas Orgulho e Preconceito é, sem dúvida, uma das mais icônicas.

A história fala sobre a vida e relacionamentos de Elizabeth Bennet (principalmente com o Mr. Darcy). Essa personagem feminina é dona de uma personalidade forte e à frente de seu tempo, características que a transformaram em uma das protagonistas mais populares da literatura mundial.

Em vão tenho lutado comigo mesmo; nada consegui. Meus sentimentos não podem ser reprimidos e preciso que me permita dizer-lhe que eu a admiro e amo ardentemente.

Jane Austen (Orgulho e Preconceito)

4. Os Miseráveis, de Victor Hugo

os miseraveis

Esta é considerada uma das obras mais importantes de Victor Hugo. A obra retrata uma série de temas político-filosóficos, como a desigualdade social e miséria, o desejo por justiça, e a arbitrariedade do Estado. 

Les Misérables (título original) já foi adaptado diversas vezes para o cinema, televisão e teatro, principalmente como forma de musical.

Ninguém guarda melhor um segredo que uma criança.

Victor Hugo (Os Miseráveis)

5. Dom Casmurro, de Machado de Assis

dom casmurro livro

Considerada a obra-prima de Machado de Assis, o escritor brasileiro mais respeitado da literatura mundial, este livro narra a vida de Bento Escobar e até hoje é motivo para uma das perguntas mais polêmicas da literatura brasileiro: terá Capitu traído Bentinho? 

O romance entre Capitu e Bentinho e a sombra de seu melhor amigo, Escobar, que está no rosto de seu único filho deixa qualquer um vidrado. O livro já foi traduzido para várias línguas e é até hoje um dos romances mais estudados do mundo. 

É preciso crer em si mesmo, ter autoconfiança e, por mais absurdo que pareça, buscar sempre impor-se limites.

Machado de Assis (Dom Casmurro)

6. As Aventuras de Sherlock Holmes, de Sir Arthur Conan Doyle

as aventuras de sherlock holmes

Os fãs de romance policial encontram nesse clássico da literatura porções generosas de pura genialidade. Um dos detetives mais famosos da história fictícia é Sherlock Holmes, o detetive britânico excêntrico com uma mente brilhante. 

Os mistérios resolvidos a partir da lógica dedutiva do detetive fizeram dele um dos personagens mais representados da cultura, entrando inclusive para o Livro dos Recordes por isso. Além dos doze primeiros contos que foram publicados pela Strand Magazine entre 1891 e 1892, que são os mais famosos, há também romances baseados no mesmo personagem. 

Para uma mente ampla nada é pequeno.

Sir Arthur Conan Doyle (As Aventuras de Sherlock Holmes)

7. Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley

admiravel mundo novo

Junto de 1984, de George Orwell, esse livro sempre figura entre os melhores romances distópicos da literatura. Os temas de um estado autoritário, a evolução científica “perfeita” e uma sociedade plenamente civilizada aparecem na história que gira em torno de Bernard Marx, um “selvagem” insatisfeito com o mundo em que vive, Linda e John, dois exemplares do que seria uma civilização perfeita. 

É livro que vai agradar a qualquer fã de ficção científica que ainda dar aulas de sociologia a cada página. Onde o industrial e a tecnologia estão acima das emoções das pessoas, o potencial dramático de um “mundo novo” é assustador. 

Se uma pessoa procedeu mal, arrependa-se, faça as reparações que puder e trate de comportar-se melhor da próxima vez. Não deve pôr-se a remover suas más ações.

Aldous Huxley (Admirável Mundo Novo)

8. Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Márquez

100 anos de solidao

Foi com este livro que Gabo trouxe para a América Latina um dos poucos Nobel de Literatura, em 1982. Considerada a magnum opus de García Márquez, neste livro conhecemos a fabulosa trama da família Buéndia, que atravessa quatro gerações.

A matriarca Úrsula carrega o leitor pelos anos, personagens (muitos!), intrigas, casos fantásticos e, principalmente, sentimentos da família, que funciona quase como um personagem único. Quarenta traduções, mais de cinquenta milhões de exemplares vendidos afirmam a genialidade dessa obra. 

A gente não é de um lugar enquanto não tem um morto enterrado nele.

Gabriel García Márquez (Cem Anos de Solidão)

9. Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa

grande sertão veredas

Um romance de guerra e amor que acompanha Riobaldo, um jagunço que filosofa na obra sobre a sua vida, desde o comecinho, sobre o sertão, as guerras e um amor perdido: Diadorim. Questões como o acaso, o destino, e o controle de nós mesmos sobre a história estão presentes na narrativa. 

Bastante psicológico, e ao mesmo tempo poético, é um livro para quem ama palavras, o vocabulário do sertão, e uma narrativa imperdível que, no final, é de arrancar o coração de qualquer leitor! 

O mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas – mas que elas vão sempre mudando.

Guimarães Rosa (Grande Sertão: Veredas)

10. A Sangue Frio, de Truman Capote

a sangue frio capote

Considerada a primeira obra de jornalismo literário, neste livro conhecemos os detalhes da investigação sobre um assassinato que se tornou um dos maiores sucessos de venda de todos os tempos. 

Em 1959 a família  Clutter foi brutalmente assassinada em uma pequena cidade do Kansas. Capote, o jornalista, chegou à cidade um mês após o ocorrido e coletou informações, testemunhos, cartas, diários, e a sua própria observação e capacidade incrível de memorização para contar a história do crime de forma contagiante, hoje, um clássico mundial. 

É fácil ignorar a chuva quando estamos de capa.

Truman Capote (A Sangue Frio)

11. Dom Quixote, de Miguel de Cervantes

dom quixote

O fidalgo castelhano Dom Quixote está alguns séculos atrasado em suas fantasias e, na companhia de Sancho Pança, sai em aventuras por terras espanhola. Louco e hilário, o personagem principal é o tempo todo confrontado com uma realidade que ele não está preparado para lidar, e um amigo que é o seu oposto. 

Uma das obras em língua espanhola mais aclamadas de todos os tempos, parodiando romances de cavalaria que começavam a perder visibilidade no século XVII. É para rir, rir muito, e se deliciar com a escrita genial de Miguel de Cervantes. 

Cada um é filho das suas obras.

Miguel de Cervantes (Dom Quixote)

12. O Apanhador no Campo de Centeio, de J. D. Salinger

o apanhador no campo de centeio

Apenas um final de semana de dezembro de 1949 é o suficiente para ambientar o livro que tornou-se quase uma bíblia para jovens americanos. 

Holden Caulfield tem dezessete anos e acaba de ser expulso da escola depois de ter recebido notas ruins em quase todas as matérias. No caminho para casa, ele decide desviar um pouco o caminho e entra numa espiral filosófica e aventureira que envolve álcool, sexo e prostituição, e outros temas. É quase como se o leitor fosse confidente das paranoias do adolescente. Imperdível.

Há coisas que deviam ficar do jeito que estão. A gente devia poder enfiá-las num daqueles mostruários enormes de vidro e deixá-las em paz.

J. D. Salinger (O Apanhador no Campo de Centeio)

13. A Insustentável Leveza do Ser, de Milan Kundera

a insustentavel leveza do ser - milan kundera

Tomás, Teresa, Sabina e Franz são os quatro personagens dessa história que se passa em um tempo histórico onde reina a opressão (Primavera de Praga). Cada um deles vive de uma maneira, resistindo, escolhendo, experimentando. 

O amor aparece no livro junto com filosofia, em uma narrativa não linear, onde acasos criam o ritmo da história. Esse livro já foi traduzido para mais de trinta línguas e adaptado para o cinema, em um filme dirigido por Philip Kaufman, que fez bastante sucesso.

Quando não cuidamos do corpo, tornamo-nos mais fácil vítima dele.

Milan Kundera (A Insustentável Leveza do Ser)

14. Em Busca de Sentido, de Viktor E. Frankl

em busca de sentido

O fundador da Logoterapia, psicoterapia que se fundamenta na busca por sentido, tornou-se um mestre depois do lançamento deste livro que conta a sua experiência como prisioneiro por dois anos em um campo de concentração. 

Se você é o tipo de pessoa que na vida tudo tem um sentido, um objetivo, vai adorar essa obra psicológica que desvendou uma nova forma de lidar com a psique humana.

Tudo pode ser tirado de uma pessoa, exceto uma coisa: a liberdade de escolher sua atitude em qualquer circunstância da vida.

Viktor Frankl (Em Busca de Sentido)

15. O Grande Gatsby, de F. Scott Fitzgerald

o grande gatsby

Um clássico da década de 1920 que é, basicamente, uma crítica ao “Sonho Americano”. Se passa na região metropolitana de Manhattan, época de ouro de Wall Street. O narrador é Nick, que vivia ao lado de um multimilionário, Jay Gastby. 

A sociedade da extravagância, da prosperidade, que envolve um romance obsessivo e tenso do começo ao fim. Um dos maiores romances da literatura americana!

Sempre que tiver vontade de criticar alguém, lembre-se de que nem todo mundo teve as oportunidades que você teve.

F. Scott Fitzgerald (O Grande Gatsby)

16. O Senhor dos Anéis, de J. R. R. Tolkien

o senhor dos aneis

A fantasia não seria a mesma se não fosse essa obra-prima criada por Tolkien e uma referência do gênero. A Terra Média é habitada por humanos e outras criaturas fictícias, como elfos, hobbits, bruxos e etc. É uma trilogia que gira em torno do anel do poder, um objeto mágico que atrai todas as raças. 

A aventura de Frodo, um hobbit singelo, para destruir o anel que causa discórdia e desequilíbrio do mundo dá acesso a um universo enorme e incrível que fascina qualquer leitor com afinidade ao fantástico: é o tal do épico levado muito a sério. 

Tudo o que temos de decidir é o que fazer com o tempo que nos é dado.

J. R. R. Tolkien (O Senhor dos Anéis)

17. O Iluminado, de Stephen King

o iluminado

Um clássico do rei da literatura de terror. Jack, um professor desempregado, consegue um emprego temporário em um hotel isolado, onde ele, sua mulher Wendy e seu filho, Danny, vão passar uma temporada. O problema é que lá já morreram muitas pessoas e Danny começa a enxergar coisas terríveis. 

A evolução de Jack como personagem, e o sexto sentido de Danny criam um tema sinistro que só Stephen King é capaz de narrar com maestria. Os arrepios valem MUITO a pena!

Muito trabalho e pouca diversão faz de Jack um garoto entediado

Stephen King (O Iluminado)

18. O Sol é para Todos, de Harper Lee

o sol é para todos

O romance que deu à escritora o Pulitzer de Ficção em 1961 e tornou-se um sucesso instantâneo, um clássico da literatura moderna. A adaptação para o cinema também foi bem recebida, vencendo o Oscar de melhor roteiro adaptado em 1962.

Mesmo narrado por uma criança, o filme trata de assuntos como estupro e desigualdade racial. Scout vive com o pai e o irmão no sul segregacionista dos EUA na década de 1960. O pai, advogado, resolve defender um homem negro acusado de estupro. Tudo é contado de forma muita delicada, sensível e, ao mesmo tempo, impactante. 

Só existe um tipo de gente: gente.

Harper Lee (O Sol é para Todos)

19. Uma Breve História do Tempo, de Stephen Hawking

uma breve história do tempo

O que faz um livro de física que explica temas complexos como o Big Bang, os buracos negros, a Teoria das Supercordas e etc. tornar-se um best-seller e ficar mais de 200 semanas na lista dos mais vendidos do jornal The Sunday Times? A linguagem simples e simpática de Hawking. 

Uma leitura fascinante que explica as revoluções causadas por Einstein, e outros marcos da ciência ocidental, através de exemplos facilitadores que qualquer pessoa interessada pode entender. Um prato cheio para quem ama ciência (e quem quer se iniciar nela também).

Um universo em expansão não impede que haja um criador, mas impõe limites sobre quando esse trabalho pode ter sido executado.

Stephen Hawking (Uma Breve História do Tempo)

20. O Processo, de Franz Kafka

o processo kafka

Josef K. é um bancário que acorda com uma intimação em que está sendo processado que ele não entende qual é, nem porque está acontecendo. Ele tenta entender o que fez de errado, e com a ajuda de um advogado, descobre que outras pessoas também estão sendo processadas sem entender o motivo. 

Processos jurídicos, advogados, poder, política, júri estão espalhados em dez capítulos nessa busca de K. por respostas. O absurdo, irreal e imaginário clássicos do autor aparecem de forma genial nas páginas deste que é um romance inacabado de Kafka.

Alguém certamente havia caluniado Josef K. pois uma manhã ele foi detido sem ter feito mal algum.

Franz Kafka (O Processo)