Coleção pessoal de RicardoBarradas

61 - 80 do total de 913 pensamentos na coleção de RicardoBarradas

O numero 6 é quase um 7 mas é pouco e de menor valor, são taxativos os pessimistas. Outros dizem que o 6 é na verdade um numero 9 para os otimistas e criativos que compartilham da ideia que tudo na vida se movimenta o tempo todo e assim muitas coisas ficam de cabeça para baixo e são na verdade diferentes do que nos parece. E outros vão alem dizem que o numero 6 não é um seis é sim um zero que saiu com defeito, imperfeito, com um meio circulo em baixo que na verdade não existe, nos afirmam os perfeccionistas, e justificam o erro gravíssimo por imperícia humana de quem o retratou.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento

Diante o quadro desolador pela grande perda de um dos acervos de historia natural mais complexos do mundo pelo terrível incêndio catástrofe no Museu Nacional da Quinta da Boa Vista no RJ, ocorrido na noite em 02 - 09 - 2018. Todos nós amantes da historia, das artes, das ciências, da cultura e dos saberes ficamos muito abalados emocionalmente e entristecidos. Durante este quadro de orfandade cultural universal, a noite subsequente de sono tranquilo tem sido interrompido entre o sentimento de saudade do que não existe mais, parte de tudo que vimos e o corte integral para o conhecimento e saberes das próximas gerações. Na noite posterior ao fato ocorrido, sonhei entre pesadelo desconfortável com milhares de borboletas de todas as cores, voando atônitas e gritando baixinho sem saber o que estava acontecendo, se chocando entre elas e pelas paredes esfumaçadas, fundindo se em tristezas e dor novas combinações artificiais de cores. Com isto acordei varias vezes durante o sono, pensando por um instante que era só mais um pesadelo mas constatava que era de forma criativa ruim um espelho perverso da realidade do pouco caso dos governantes de nossa cultura para com elas. Ao acordar bem cedo no dia seguinte, arrastei me no dia fazendo perguntas logicas do por que de tantos erros na imperfeita e brutal irresponsabilidade das politicas publicas erradas e equivocadas perante o magistral laboratório da vida, todo o inestimável acervo e o aniquilamento de muitas únicas espécimes. Um dia muito difícil, entre tristeza e revolta por fazer parte deste tempo e desta sociedade. Ao cair da tarde, comecinho da noite no dia seguinte ainda tinham pequenos focos de fogo que se re-acendiam pela forca do vento. Perpetua tristeza que não quer ir embora...nos momentos seguintes começou a chover. Entre pequenas pancadas de chuva alternando se em intensidade. Com a alma encharcada de lagrimas, gritei e interroguei dentro de mim mesmo.
Meu Deus carioca. Hoje estas águas são nossas acidas lagrimas. Meu Deus, por que não choveu forte, ontem. Meu Deus e de minhas borboletinhas por que não intercedeu por nos mais uma vez perante a pecadora destruição dos insensíveis e limitáveis homens que brincam entre perdas pelo equivocado ter, ser e poder.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento
Tags: museu nacional

O lar é um local que circula amor, relações emocionais, respeito em união, histórico e tradições familiares, sabores e perfumes particulares. Pois se nada disso tiver não passará de uma propriedade ou imóvel.Da mesma forma que um museu é um local que circula saberes, que tem um acervo de uma coleção ou da união curatorial expositiva de varias coleções que seguem uma linha de pensamento e de cultura. O histórico de como se originou este colecionismo também é muito importante. Assim é um local de preservação histórica, artística, politica, religiosa e social que interagem para novos estudos e a formação de profissionais, de pesquisadores e de estudantes de todos os níveis da educação nacional e internacional. No caso dos museus, muitas vezes o próprio local é um próprio imóvel da realeza, da religião, da aristocracia local que guarda em si, uma historia de uma época e uma cultura. Distante deste conteúdo e acervo não é um museu e sim um simples espaço cultural.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento
Tags: museu conteúdo

A arte e a cultura como uma filosofia de alma e de vida. Não como esboço de um projeto inacabado mercantilista.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento
Tags: artes plasticas

Diante ao triste e devastador incêndio do Museu Nacional da Quinta da Boa Vista no Rio de Janeiro, percebe se mais uma vez o descaso do governo perante a educação e a cultura nacional. Em termos gerais para a maioria da população que não fazem a menor ideia e gravidade do ocorrido. Em termos comuns, explico. Lembrem do fato quando o governo federal se apoderou das contas com dinheiro das poupanças anos passados. Agora o governo federal não mais se apoderou mas consentiu e contribui por falta de interesse da destruição total do principal e maior acervo da poupança cultural do povo brasileiro. Fato este que vai prejudicar diretamente as próximas gerações de estudantes, universitários, museólogos, historiadores, artistas, botânicos, arqueólogos, cientistas, pesquisadores, professores, etc. brasileiros e internacionais. Em suma um fato de politicas publicas equivocadas de abandono perante um dos mais importantes patrimônios culturais públicos, que seria de propriedade natural de todo o povo brasileiro, que a partir da perda do Museu Nacional fica imensuravelmente pobre. E indo, alem mais, diante de um dos maiores crimes contra a cultura nacional e universal diante o ocorrido. Qualquer homem publico da cultura e da educação ou politico que falar, hoje, em reconstrução do acervo do Museu Nacional. Reafirma se na triste condição como total imbecil, despreparado, alienado, mentiroso ou analfabeto.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento
Tags: museu nacional

A falência e inoperância de consecutivas politicas publicas erradas e equivocadas por parte do estado brasileiro se dá pela falta de interesse e pertencimento das coisas publicas e da própria exclusão patrimonial cidadã por parte dos políticos e governantes que se tomam como uma classe a parte da sociedade civil e totalmente privilegiada. Enquanto a classe politica brasileira se ver como elite, falsos membros da população só em períodos de eleição, nada que for publico por aqui vai ter qualidade, responsabilidade ou vão funcionar.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento
Tags: politicas publicas

A delicadeza da vida é pelo que ela faz silenciosamente, de sermos todos diferentes.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento
Tags: vida diferentes

Quando eu souber onde fica minha finita possibilidade. A viagem acabou.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento

Eu acredito nas belas artes como plataformas e meio para a nova educação integral do ser cívico, cidadão e social comunitário desempenhando um papel cada vez mais consciente, criativo e emocional perante as competitivas exigências das novas sociedades contemporâneas. Para que isto aconteça as politicas publicas devem ser emergencialmente também modificadas, não mais atendendo assistencialmente de forma atrasada e deficitária a base da piramide social. Devem sim, ser um projeto permanente constitucional de governo com o objetivo de edificar uma população mais participativa e optativa, fortificar e fortalecer a capacidade de escolhas do cidadão. Descaracterizar de uma vez por todas a faculdade de beneficio e migalhas do que se pode oferecer. Legitimar a capacidade plena de direito pátrio adquirido, por que aqui escolheu viver. Afinal de contas é natural o dever de todo estado democrático, enquanto união, proporcionar o bem estar social e a longevidade sadia e pensante de toda população, que tenha nascida no local ou tenha optado por ali viver. As meras antiquadas questões de nacionalidade e de territorialidades não mais existem na universalidade moderna que vive em constante movimentos migratórios de refugiados das guerras, das religiões fundamentalistas, dos terrorismos e da fome.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento
Tags: politicas publicas

Infinito, infindo, misterioso e complexo universo das palavras.Assim como é o da paixão e dos suaves sentimentos em indecisão. Acho que por isto que nem todas ainda foram inventadas, musicadas e ditas. Mas conhecendo as letras, misturando todas elas com amor e incerteza, acrescentando uma colherzinha pequena de açúcar ou mel, uma pitada de sal e pimenta a gosto podemos em pouco tempo recria las a fogo brando em prazerosas e deliciosas poesias.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento

A nacionalidade de uma obra de arte móvel em regra corresponde da nacionalidade de quem a fez mas em alguns casos especificamente pode ser considerado a temática local, social, religiosa, histórica e cultural que a obra focaliza. Está colocação refere se especificamente para obras moveis pois quando se trata de obras imoveis, a exemplo nacional brasileiro temos o Cristo Redentor, no cidade do Rio de Janeiro uma estátua monumento art déco que retrata Jesus Cristo, localizada no topo do morro do Corcovado, a 709 metros acima do nível do mar, no Parque Nacional da Tijuca, que foi concebida pelo engenheiro brasileiro Heitor da Silva Costa e construído em colaboração com o escultor francês Paul Landowski e com o engenheiro compatriota Albert Caquot. No entanto o rosto da estátua foi criado a partir dos desenhos do escultor romeno Gheorghe Leonida e o corpo pelo artista pintor e gravador brasileiro Carlos Oswald. A construção da obra durou nove anos (entre 1922 e 1931), cartão postal oficial internacional da Cidade Maravilhosa do Rio de Janeiro e a sua nacionalidade é brasileira por que aqui está. Por mais que neste caso tenhamos uma multiplicidade de nacionalidades dos artistas envolvidos que participaram e elaboraram a obra, e por conta disto, até hoje, travam uma verdadeira batalha jurídica em vários tribunais, via herdeiros sobre os usos da imagem autoral do monumento.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento

Vivo sob a lei da generosidade em abundancia, cercado de luzes criativas de amor, caridade e bondade vindas do sagrado altar da essência da vida que reverbera em nossa breve existência, advindas de todos os orientes e de todas as dimensões visíveis e invisíveis. A cada passo que dou na Escada de Jacob, a cada lugar que vou, a cada palavra que digo, celebro por sacramento a infinita comunhão pela união fraternal planetária, deixo de ser um só, passo a ser parte indivisível e multidimensional de nos, por que no meio em verdade Ele está. Então rejubilo me em luminosidade, semeio com docilidades um rastro desta inesgotável fonte de luz amorosa,boa e generosa para que cada espirito de luz possa se conectar com o seu mais que sagrado divino interior na realização da graciosa verdade e do amor que tudo ilumina. FIAT LUX.

RICARDO VIANNA BARRADAS
1 compartilhamento

Hoje acordei sozinho e o solzinho não apareceu. O seu lado estava frio e vazio. percebi que mais uma vez de saudade, sonhei, que estava ali a meu lado mas acordando ainda dormindo com o meu braço busquei os abraços, com os meus lábios busquei os beijos e meu corpo quente de amor sentiu a dor de estar distante das delicias amantes de acordar com você.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento
Tags: amantes amanhecer

Existe uma ampla relação histórica entre as politicas publicas e a cultura. A exemplo disto está a obrigatoriedade institucional do fomento a produção artística local, regional e nacional para pavimentação, decoração interna e externa dos locais que são autorizados e licenciados para um serviço. Estes serviços podem ser sociais, culturais, educacionais, de transporte, de saúde, de recreação, de esportes entre tantos outros. O importante me parece ser a institucionalização e obrigatoriedade na lei ao fomento artístico na produção cultural nacional, não contando com a boa vontade das firmas construtoras, empreiteiras e de engenharia neste sentido e nem mesmo da consciência cívica cultural artística de seus arquitetos, como assim já foi no Brasil de Getulo Vargas e de JK e o é em outros diversos países amadurecidos culturalmente pelo mundo. A exemplo disto ilustrativamente, podemos citar a construção do Monumento aos Mortos na Segunda Guerra Mundial, Monumento aos Pracinhas, no Aterro do Flamengo do RJ com obra de Alfredo Ceschiatti. O conhecido prédio Capanema, do MEC no centro do RJ, com Portinari, Burle Marx e Bruno Giorgi. O Cassino Quitandinha de Petrópolis onde todas as suítes eram decoradas com aquarelas de flores da grande artista paulista de Taubaté Georgina de Albuquerque. As gravuras de Portinari decorando o Hotel Copacabana Palace. No Uruguay o Casino Conrad em Punta del Este, com obras do artista plastico uruguayo Carlos Páez Vilaró, entre tantos outros artistas locais internacionais em obras publicas e obras permissionadas e autorizadas pelo poder publico. Não tenho a pretensão de fazer aqui um inventario artístico sobre o fomento a produção artística e cultural nacional pelas obras publicas mas sim evidenciar que seja necessário de forma urgente ratificar na lei de obras e politicas publicas e de interesse publico o fomento a produção artística e cultural nacional. Pode se dizer que é o amadurecimento da politica cultural brasileira para o seculo XXI, o museu indo para as ruas. Uma forma bem mais amadurecida de um dos projetos de arte publica que iniciei pela década de 1970 na Zona Oeste da cidade do RJ, com a RioArt de Gerardo Mello Mourão e a Arquidiocese do RJ com o Cardeal Dom Eugênio Salles. Existem palavras de ordem, o museu indo para as ruas, fomentar obrigatoriamente a produção artística nacional por força de lei, repaginar nossos ambientes e paisagens urbanas nacionais com elementos, alegorias e motivos históricos nacionais próprios de nossa verdadeira historia, tradição e cultura, erudita, popular, identitária, realçando nosso orgulho de viver aqui e ser brasileiro. Por Deus, pelo Brasil, pela Arte e pela nossa publica e rica cultura nacional patrimônio inalienável de todo o povo brasileiro.

RICARDO VIANNA BARRADAS
1 compartilhamento
Tags: politicas publicas

Desde que me foi dado a luz, por um breve sorriso de chegada, eu respiro, inspiro vida e expiro amor.

RICARDO VIANNA BARRADAS
1 compartilhamento

Maternidade exclusiva bem cedo, corpos sarados com silicones espalhados, celulares bem caros e uma volta ao mundo em sessenta dias são fantasias egoístas permissivas que entorpeceram nossa juventude adocicada, equivocada e atormentada diante de um sistema insensível, venal e imoral capitalista.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento
Tags: juventude sugar

Não me diz. Cada qual bem sabe a dor e a delicia que lhe faz feliz.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento

A generosidade é próprio dos grandes iluministas e humanistas.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento
Tags: humanistas iluministas

O verdadeiro amor só existe direcionado em algum direção. Quando se fala em amor próprio, não é amor e sim uma camuflagem poética afirmativa de solidão e auto-piedade.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento
Tags: amor definição

Toda vez que não há uma resposta racional e nem uma justificativa formal ouso dizer que é por que o gato subiu no telhado.

RICARDO V. BARRADAS
1 compartilhamento