Coleção pessoal de Jean_Quintino

1 - 20 do total de 113 pensamentos na coleção de Jean_Quintino

Medo de amar.

Amor, se vá embora,
Eu mereço lhe perder.
Amor, e não demora
Eu não mereço mais você.

Amor, eu tenho medo
Medo esse que destrói meu ser.
Amor, não tenho jeito
Você não merece sofrer.

Amor, siga sua sina.
Me deixe... Pode ir.
Amor, e não me liga
Eu nem quero lhe ouvir.

Senão a saudade bate
E me lembra de você.
Amor, você não merece isso
Vá, tente esquecer.

Amor, eu sou tão frágil
Que não suporto o amor.
Amor, eu sou tão fácil
De desistir do nosso amor.

Amor, eu sou tão raso
Que seu amor me assusta.
Amor, você é tão infinita
Que seu amor me ofusca.

Amor, eu não lhe mereço
Por medo de amar.
Amor, talvez eu aprenda...
Aprenda a transbordar, amor.

Por enquanto eu fico aqui
Sozinho e sem você.
Quem sabe eu não aprendo...
Aprendo a amar você.

Jean Quintino

Olhe em meu rosto...
Eu quero chorar!
Estou perdido e definhando,
Mas não consigo lhe mostrar.
Um dia o choro sai...

Jean Quintino

Cheguei ao meu ápice,
No qual me sentir insuficiente é rotina.
Cheguei ao meu ápice,
Onde já não tenho autoestima.
Cheguei no meu ápice,
Onde já não tenho forças pra brigar.
Cheguei ao meu ápice,
Onde meu coração começa a se calar.
Cheguei ao meu ápice,
Onde não estou suportando mais.
Cheguei ao meu ápice,
Onde a cada dia que passa não me conheço mais.
Cheguei ao meu ápice,
Só isso tenho a dizer.
Cheguei ao meu ápice,
Onde já cansei de viver.

Jean Quintino

Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

Fernando Pessoa
15 mil compartilhamentos

Tão bom morrer de amor! E continuar vivendo...

Mario Quintana
4.5 mil compartilhamentos

Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal.

Friedrich Nietzsche
3.8 mil compartilhamentos

Onde o amor impera, não há desejo de poder; e onde o poder predomina, há falta de amor. Um é a sombra do outro.

Carl Jung
521 compartilhamentos

Há sempre alguma loucura no amor. Mas há sempre um pouco de razão na loucura.

Friedrich Nietzsche
2.8 mil compartilhamentos

O tempo é muito lento para os que esperam
Muito rápido para os que têm medo
Muito longo para os que lamentam
Muito curto para os que festejam
Mas, para os que amam, o tempo é eterno.

Henry Van Dyke
7.6 mil compartilhamentos

Há palavra.

Há palavras que digo,
Que mexem em teu ser.
Algumas de forma não tão positivas.
Mas que não deixam de mexer.

Há palavras que lanço,
que posso perfeitamente lhe encantar.
Há palavras que digo,
Que posso facilmente chatear.

Há palavras que distorcem,
Para fins me machucar.
Há palavras heróicas,
Que podem simplesmente lhe salvar.

Há palavras que matam
E que assassinam o meu ser.
Há palavras que salvam,
Talvez eu consiga me manter.

Há palavras com peso enorme,
Jogadas ao vento sem pudor.
Há palavras me matando,
Só eu sinto essa dor.

Jean Quintino

Poeta.

Poeta, você está triste,
Sem nem mais saber sorrir.
Poeta, você está cansado,
Vela a noite sem dormir.

Poeta, você está esgotado,
Em suportar mais está dor.
Poeta, você está morrendo,
Sem poder falar de amor.

Poeta, você está doente,
Você deseja partir.
Poeta, você está sozinho,
Sem ter com quem se unir.

Poeta, você está embreagado,
Bebo, jogado ao relento.
Poeta, você está virado,
Sem carinho e acalento.

Poeta, você está sem inspiração.
Você está sem o fervor,
Sem o fervor da paixão.

Jean Quintino

Ela me declarou;

-Me sinto boba.

Eu perguntei-a;

-Por amar?

Ela me confirmou, eu respondi;

-Bobo é ele que não sabe cuidar.

Jean Quintino

Carta para o amor.

Estou indo p'ra longe.
Bem longe, lá no mar.
E se por um acaso eu demorar
Saiba, amor, nas suas lembranças me encontrar.

Estou bem distante,
Daqui só enxergo o céu.
Daqui só me lembro de sua boca,
Daqui só me lembro de seu mel.

Estou flutuando por aí,
No mar da solidão.
Amor, talvez eu volte.
Amor, talvez que não.

Eu vou seguindo em frente,
Velando pensando em ti.
Amor, sigo doente
sem nem mais saber sorrir.

Amor, sigo sem destino,
Sem saber onde me achar.
Amor, estou sem rumo
Necessito me encontrar.

Estou indo p'ra longe,
Sem saber se vou voltar.
Amor, tô sendo forte.
Não esqueça de me amar.

Estou indo e indo...
Enxergando a imensidão.
Amor, será que volto?
Não sei, acho que não.

Jean Quintino

Sou eu, o meu livro.

Sou como um livro
De capa dura.
Capa essa não tão rica,
Mas bela na escritura.

Sou como um livro,
Do qual algumas páginas foram
comidas por traças.
Algumas amassadas,
Outras sem sequer marcas.

Sou um livro do qual
Ainda tenho muito á escrever.
Sou como um livro,
Não basta ler, deve entender.

Sou como um livro que não tem gênero.
Minhas histórias variam
com o luar.
Varia com minha caminhada,
com minha sina, com meu amar.

Sou como um livro
que tem muito a oferecer.
Se focar apenas na capa...
Desculpe, mas não irá se surpreender.

Jean Quintino

Tudo que foi.

Tudo mudou,
Menos a minha apreciação pelo amor.
Tudo se foi,
Inclusive aquela dor.
Tudo está indo
Para longe do meu ser.
Tudo se vai,
Até a vontade de viver.
Tudo que foi,
Foi e não voltará.
Tudo que você foi
Continua a machucar.
Tudo que ficou,
Foi apreciação pelo sentimento.
Tudo que mudou
Foi o carinho, o acalento.
Tudo se vai,
A vida é assim.
Foi-se tudo,
Menos a minha apreciação pelo amor.

Jean Quintino

Sou um simples poeta, cujo o "dom" é a palavra.
Cujo o amor é a riqueza,
cujo o talento é minha fala.

Sou um simples poeta, cujo o amor é tudo.
O amor é aquilo que me da inspiração.
O amor é alicerce,
é o mais belo da paixão.

O amor é lindo,
e eu continuo a romantizar.
Não culpe o, amor
Se você não sabe amar.

Jean Quintino

Duvide.

Duvide de tudo.
Da luz, das estrelas
e da mais bela flor.
Duvide da vida, do ar,
do pavor.
Duvide da fé, das fadas,
do carinho.
Duvide de voar, duvide da morte,
do caminho.
Duvide da amizade, dos espinhos,
do sabor.
Duvide do universo, do frio,
Do calor.
Duvide da lua,
Do luar,
duvide da música,
do dançar.
Duvide de amar, duvide de sua dor.
Mas amor, por favor...
Confie em meu amor.

Jean Quintino

7 cores.

O Vermelho
de uma paixão.
Cor de fogo que queima
e arde, arde o coração.

O azul,
que está no mar.
Também é a cor do céu,
é a cor do meu amar.

O Amarelo,
que está no sol.
também em sua horta, na Margarida,
no Girassol.

O Verde,
que está no jardim.
Que está na natureza,
como seu amor... está em mim.

O Rosa,
que está na mais bela flor,
que também está vida,
está no meu amor.

O Laranja,
Que está nas labaredas do fogo
também em obras de arte,
Nas mais belas curvas de seu corpo.

O dourado,
que está no ouro,
que também está nas jóias.
Amor, és você
meu tesouro.

Sim, tem 7 cores o meu amor.

Jean Quintino

A flor.

Que bela flor,
que bela rosa.
Me apaixonei de tão linda...
Aquela moça.

A flor mais linda do campo,
que vou plantar em meu jardim.
Moça, não pense que sou erva daninha,
fique, não se vá assim.

Prometo lhe dar sol,
água, amor.
Fique e me ame.
Não se vá, hó bela flor.

Prometo lhe dar atenção.
Não se vá, por favor.
Fique bela rosa.
Eu prometo ser beija-flor.

Eu prometo lhe regar,
eu prometo lhe cuidar,
eu prometo ser teu lar,
eu prometo lhe amar.

Eu prometo nunca nessa
sina lhe esquecer.
Eu prometo não lhe abandonar,
não lhe deixar morrer.

Sei, que apesar de
minhas promesas, amor
você não ficará.
Você não me ama,
se quer sabe amar.

Você vai embora
e só me deixará dor.
Infelizmente, amor
você me enganou,
você é o espinho
e não a flor.

Jean Quintino

O amor é pura e genuína confusão.
Tu se pergunta se a ama,
p'ra não machucar seu coração.

Jean Quintino