Evan do carmo

26 - 50 do total de 461 pensamentos de Evan do carmo

São nos pequenos gestos que se revelam as personalidades, meiguice e ternura não são atributos invisíveis da alma humana

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Temos livre escolha quanto a erros e acertos, contudo, o dom maior é a humildade, tanto para reconhecer nosso limite no êxito alcançado com os acertos e, sobretudo a nobreza moral para pedir desculpas quantos aos erros cometidos.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

As palavras são como pessoas, ambas procuram outras para compor um par ou um poema perfeito.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

The idiosyncrasy of love love

is unexplainable Men and women,
that is what they believe:
That they had not loved nor been loved.
Poets have also fooled themselves into describing loving they did
not meet
They credit their archetype of invisible affection to the Muse, even
their unknowable, obtuse erudition, hoping to describe
An impossible love; however, by her they have not ever been kissed.
love is unsteady, thoughtless It has no past, no present
Love does not reveal or hide itself Love is a myth,
it is nothing and everything It is shadow and clarity,
at times darkness. Every so often it is grief, prison, necessity.
Love might be fate Some might call it choice
Unwritten romances , tombs of silence, deceiving door
Love is discreet, it does not speak up when it is not solicited
Although It might be a secret in its plans of chaining gods and
delivering Titans.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Lake of One Wish

While I was looking at the evening
inside deep darkness
a thought flew away
As a shooting star
and like a burning bolt
lit my whole past –
forgotten and tenebrousI saw myself in another world
in another time
where everything used to look pleasurable
There was a serene lake
and in the riverside
a couple of lovers
was cuddling innocentlyMany people had come to that lake
To see the growing childhood
Then the couples became old
and the joy were lost bit by bitLake of hope, my refuge
and I always come back to see it again
Timeless. This memory
is part of me, of my desire
But not of my existence

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Palavras, muitos têm o dom de dizê-las. No entanto, vivê-las se faz necessário para merecê-las.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Amigos, nunca os tive em abundância, sempre os preferi pela relevância.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Ninguém é feliz estando sóbrio, a felicidade é consequência de um ópio divino, nós, os humanos o conhecemos como o amor, contudo, embora dependentes dele, pouco o usamos.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Não habitamos em casas simples nem em palácios suntuosos, habitamos, portanto, com toda nossa bagagem existencial, em nossa memória, e é para lá que sempre voltamos e encontramos conforto e segurança.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Não digo o que penso sobre o meu semelhante, não por amá-lo, mas por respeitar seu direito à hipocrisia.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Ao menino que me faz voltar no tempo.

Posso sofrer a relembrar o passado
mas não posso evitar esta viagem
uma árvore não pode florescer nem dar fruto
se não tiver consciência física das suas raízes.

Antes da maturidade poucos homens
têm necessidade de voltar às suas origens
talvez por ingratidão gratuita ou receio
de encontrar sua verdadeira essência.

Vejo chegar, quase que diariamente
reminiscencias do que fui, nostalgia cara
que não raro me custam lágrimas
outras vezes parto e poesia.

Assim hoje penso, ninguém pode viver
alheio aos atos e fatos pretéritos
o menino que fui produziu o homem que sou
e este homem não viverá se ignorar suas raízes.

Lá neste passado onde mora o presente
encontro só lembranças luminosas
são referências, seivas que me formaram
proteínas espirituais que ainda me alimentam.

Para Josivaldo Bezerra, o menino que me fez
voltar no tempo.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Queria fazer poesias simples e doces como Cora
mas nos dias amargos em que vivemos
não há mais figo nem amora!!!

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Quem anda sobre a luz radiosa da justiça não procura se esconder da própria sombra.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Só existe uma forma irreversível de miséria humana,
a completa falta de humanidade é a ausência de afeto
seja este amoroso, romântico ou parental.
Apenas destes seres ocos de divindade devemos ter dó,
por estes devemos ter infinita compaixão e lastima.
Miserável, portanto, é todo homem que não conheceu o amor,são de fato necessitados, carentes ao extremo deste bem supremo, destes eu tenho muita pena, e ao mesmo tempo receio mórbido de sua companhia, pois, ao passo que são miseráveis, são também perigosos e extremistas radicias.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Que escada lhe vem à mente, como símbolo de ascensão? A escada de Jacó para o céu? A torre confusa de babel, o cordão de Ariadne e o labirinto, ou a estaca de tortura do cristão?

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Tudo que é belo atrai o poeta, assim todas as mulheres lhe fascinam, contudo, apenas a musa lhe completa, a sua noção errônea de completude.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Delinquência social.

É uma noite de sexta-feira na cidade de Brasília. No meio de uma aula de português, dois amigos, alunos da UNB combinam um racha, que seria realizado em uma ponte modelo, feita com muito esmero e amor à política. A ponte JK, que fora construída pelo Governador Joaquim Roriz, um Governo preocupado com os problemas de locomoção dos pobres moradores do Lago Sul. Para construir a ponte em questão, o Governo gastou a bagatela de 170.000,000, 00 que poderia ter sido usados para educar melhor filhos do pobre, para que os mesmos tivessem a oportunidade de cursar uma faculdade do mesmo nível de uma UNB, ou mesmo na própria, quem sabe com a expansão da faculdade para as cidades satélites, a exemplo de Planaltina, Gama e Cinelândia, que já têm sua unidade em funcionamento.



Dois jovens de classe alta, filhos da elite de Brasília, ambos haviam ganhado dos seus pais o último modelo do carro dos seus sonhos. Empolgados por terem passado no vestibular, coisa que não merecia tanto mérito assim, por terem estudado durante toda vida no colégio mais caro da cidade. Os jovens queriam comemorar em dose dupla a realização da conquista, suas e dos seus pais. Era comum no início do curso saírem em grupo para beber, e na volta para casa faziam desafios para ver quem vencia a distância da ponte em menos tempo.

Várias vezes, durante essas noites de farra, adolescente eram, não raro surpreendidos pela polícia, que não poderia fazer nada além de uma pequena repreensão verbal; no máximo uma ameaça de levá-los para se explicar ao delegado de plantão, que ao saber das suas origens nobres não poderia causar-lhes nenhum constrangimento.

Nessa noite em especial; a farra demorou mais do que o de costume. Foram a boates e, depois de muito regalo resolveram pôr em prática o racha. Ainda a caminho da ponte, do local do delito premeditado, já passaram do limite de velocidade permitida pelos pardais, os eternos servidores públicos do DETRAN. Que importa multa para quem pode pagar? Há exemplos de filhos de papai que usam um carro por um ou dois anos, depois dispensam em qualquer lugar, por não compensar o pagamento das multas; ou ainda outro caso que é mais comum, a corrupção de alguns funcionários que aceitam correr o risco de perder seu bom emprego em troca de algum dinheiro fácil, para livrar a cara de ricaços que pagam alto por uma liberação de multas.

Já são cinco horas da manhã, pela mesma estrada, trilhando outro caminho, a caminho de casa, vai um homem comum, com a consciência limpa, com a alegria de quem cumprira bem o seu papel, e com uma vontade incontrolável de chegar em casa para um descanso merecido. Não tem em mente nenhuma preocupação, além do desejo de em casa chegar para ver os filhos. Não acredita em perigos de natureza trágica à uma hora dessas, quando toda cidade dorme, só ele e alguns servidores da noite estão voltando para suas famílias. Estes são os garçons, músicos, os motoboys entregadores de pizzas como ele. As pessoas “normais” que têm o direito de escolha ou que tiveram outra oportunidade na vida, não trocariam a noite pelo dia para descansar. A não ser uma minoria alienada que mesmo tendo o privilégio da escolha não dá o devido valor à vida que tem, e vai além, usurpa as migalhas que sobram para esses excluídos do sistema capitalista onde cada um vale o que possui.

Os carros acelerados rumam à direção da ponte. São dois carros envenenados com seus motores adulterados, levando seus pilotos que não estão em seu estado normal de consciência. Ambos embriagados; além do cansaço do sono perdido, a adrenalina da competição os cega ainda mais, não percebem o perigo que correm e passam a exigir o máximo que os seus carros podem lhes oferecer, na sua robustez de máquina ilimitada. Não sentem que estão a mais de 200 km por h. Os amigos que lhes acompanham nessa insana diversão, também não percebem nem por um segundo quão fugaz são suas vidas nesse instante. Quando, como que num piscar de olhos se deparam com uma moto voando aos pedaços sobre seus olhos embaçados com o véu da irresponsabilidade e do álcool, um dos carros também capota e se arrasta sobre o parapeito da ponte. Apenas um consegue sobreviver ao desastre incomum.

Voltando depois de uma brusca frenagem, os sobreviventes vislumbram um cenário inimaginável: corpos destroçados pela fúria da velocidade e da embriaguez, e muito sangue inocente sobre o asfalto novo que ainda não conhecia o gosto da desilusão existencial; que não fora feito para este fim, receber em seus braços os filhos da ignorância. Morreram na batida além do motoqueiro anônimo, mais três filhos de pais que não pediram a Deus tal sorte para os seus, nem sequer imaginavam o que eles praticavam às escondidas enquanto deviam dormir. Ninguém vai repor as vidas dos mortos, nem tampouco será indenizada a família do cidadão que voltava do seu trabalho honesto...

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo
1 compartilhamento

Mater

Mãe, eis a causa de tudo
não haveria vida nem mundo
nem filho nem pai
não haveria luz, nem sombra
passado ou futuro
nem semente a nascer
nem um fruto maduro.

Mãe, concepção lírica dos poetas
para pra se criar o universo
poesia e música, fantasia e verso
natureza viva, a expressão discreta
da ilusão homérica de um mundo concreto...

Mãe, quem supor poderia
que se não fosse por ti
nada mais havia
nem amor nem paixão
nem sorte nem destino
nem velho nem morte
nem homem nem menino.

Mãe, amor superlativo, tu
perdoas sempre qualquer tirania,
vences todo ódio com um gesto meigo
teu abraço terno aquece o coração

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Enquanto aqui vivermos, seremos aquilo que os homens pensam sobre nós, não podemos impor uma imagem ideal do que somos de fato. Ninguém sabe verdadeiramente quem somos, apenas nós reconhecemos e sabemos do homem interior que formatamos dia a dia.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

A ordem natural das coisas deve sempre ser: antes da mudança vem o descontentamento, e em seguida a realização, a felicidade.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

A paixão é como as dores, se fosse possível prevê-los, seria fácil suportá-los...
Paráfrase de Virgílio.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Numa manhã fria de maio,
em casa do poeta Evan do Carmo,
nasceu a poesia.

Nasceu à revelia
do poeta e da musa
Ruiva de cor e de olhos negros
deram-lhe o nome de felicidade
contudo, poderia se chamar
Giovanna ou Beatriz
Nasceu com enfado
nasceu com preguiça,
mas nasceu sorrindo
não como outrora
a Ninfa nasceu feliz,
não nasceu chorando
como a poesia de Hamlet,

E por que isto se deu?

É que a loucura humana
em celebre audiência
encontrara-se à noite com a lucidez
firmaram um acordo solene
e tiveram como prova a consciência
doravante viria ao mundo
apenas filhos saudáveis
pois o mundo se rendera tardiamente
à carência da cultura e à indigência.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

O canto da ironia

Onde irei encontrar razão ou motivo,
paixão ou dor para fazer poesia?
Não há mais holocausto nem apartheid...

O romantismo perdeu a sua essência
o amor das mulheres não tem preço
e nas crianças nasce morta a inocência.

Nem a guerra se faz mais por causa justa,
as nações se uniram pela paz
não há grito de socorro nas prisões
inocentes somos todos, isto é verás.

Onde irei em busca de acalanto
se meu canto heroico emudeceu
não há luta nos mares nem fronteiras
a poesia da vida esmoreceu.

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Todo verdadeiro poeta é cético
contudo, levam a vida a falar
de metafisica, de almas
e de coisas semelhantes
são sobremodo adoradores
da beleza e do amor

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo

Se a minha poesia fosse simbolista,
faria versos abstratos com substrato
de cimento e de concreto...
Nestes versos cantaria a canção da despedida,
chegaria enfim o cansaço dos cafés,
das livrarias, das pessoas
das relações mornas, das amizades frias...
Mas na poesia que faço
não há concreto nem cimento,
é tudo sentimento, confissão e fuga. ...

Evan do carmo
Inserida por EvandoCarmo