Coleção pessoal de EvandoCarmo

1 - 20 do total de 770 pensamentos na coleção de EvandoCarmo

DOS ELOQUENTES SUPERFICIAIS

É fácil repetir ideias e até discursos alheios, fingir que sabe pode ser proveitoso para enganar gente tola, confundir os incautos.

Todavia, o falso conhecimento é uma água turva que em pouco tempo se acalma, revelando o que há de fato na sua superfície agitada: um nada escondido, que nunca será coisa alguma.

Evan do Carmo

EVAN DO CARMO

Uma prova de que até poeta bom pode ser estúpido,
é o fato de Vinicius ter tido sete mulheres..
e nenhum verdadeiro amor!

Evan do Carmo

QUEM É SÁBIO NESSE SISTEMA DE COISAS?

Não há um homem realmente sensato na terra, pois sensato é aquele que evita afirmações tais como: nunca mais faço isso ou aquilo, especialmente se houver algum prazer em praticar ou permitir tal ação.

Contudo, há ainda aqueles que não conseguem alcançar tal prodígio, o de permitir ser rebaixado, por não poder evitar repetir erros, mesmo quando esses erros são dolorosos e causa de desonra.

Penso de modo muito particular sobre isso. Uma vez que um sábio deve saber evitar problemas e sofrimentos. Então ser realmente sábio nesse sistema de coisas deve ser sempre dizer sim para toda estupidez humana.

Evan do Carmo

A beleza pode abrir portas,
mas é o bom caráter
que as mantém abertas

Evan do Carmo

CRÔNICA PARA BRASÍLIA


Brasília, cidade das belas formas, de sons e encantos diversos.
Não és a mais bonita, nem a mais importante por conta do congresso.
És bela sim, de forma arquiteta, como ninfa de apolo, de flores de concreto.
Teu lago doce e puro, sob um céu azul discreto. Tens a Água Mineral e um parque a céu aberto.

Brasília das cantigas, de bois de Teodoro, de tantos sons herméticos, do reggae de Renato Matos, ao jazz de Renato Vasconcelos.

Do samba ainda menino, do Rock do Porão aos blocos do asfalto. Brasília da política, dos donos do planalto, das CPIS, das pizzas, dos sábios Collors e tolos Jéfersons. É tua vocação, vencer as turbulências, cortar na própria carne os males-desafetos.

Assim serás madura, à custa dos teus braços. Quem vem da ditadura, por certo sabe bem, que a um povo pacífico a liberdade sempre vem. Diretas de Tancredo, o povo no poder, o teu dever de casa honraste ao fazer.

Contudo não é cedo pra quem sabe sonhar, quem sabe um filho teu irá governar.
Será de sobradinho, Ceilândia ou do Guará? Por certo um candango, virá da tua madre, dará exemplo ao mundo e ao resto da cidade, que espera do teu cerne um bem pra ser feliz.

Brasília da savana, do fogo no verão, Brasília dos pedestres que acenam com a mão, ao bom desconhecido que pára em prontidão.

Brasília mar sem praia, das noites no pontão. Um caminhar no parque, à torre, a diversão; lazer do homem simples, espaço aberto à mão.

Ao jovem vista plana, um salto à direção. Brasília mulher jovem, senhora da razão. Aqui tudo é perfeito aos olhos do cristão. Falar de ti enfuna qualquer poeta vão.

Evan do Carmo

EVAN DO CARMO

Poeta não se limita,
e quem tenta limitar o poeta
é um antissemita...

Evan do Carmo

Nem a morte valeria

Hoje eu poderia morrer, morrer pra te punir
outrora já pensei que minha morte
seria também morte para ti.

contudo, agora não é bem assim,
creio que nunca fui tão importante
como erroneamente imaginei
não vejo mais paixão nos teus gestos
nem desespero em tuas reações
quando sofro a angústia mortal do abandono.

há um egoísmo cruel em tua liberdade recente
quando por amor te dei alforria
não tenho mais parte contigo em teu paraíso
nem no teu inferno.

e aquele encanto do amor da juventude
inexoravelmente se pagou
como estrelas na eternidade cósmica
no apogeu vigoroso do meu querer, da minha empatia
hoje não somos nem metade do que fomos um dia
mesmo se poeta eu fosse, como Dante, jamais saberia
descrever a tua atroz indiferença em poesia.

Evan do Carmo

"A modéstia atrapalha o talento"

Evan do Carmo

Não temos muitas escolhas, apenas duas. Entre elas a mais sensata é tocar o barco, que mesmo furado pode chegar à marge desejada, em terra firme... Pular do barco seria suicídio consciente.

Evan do Carmo

“Sou crítico da incoerência textual e discursiva dos homens, mas nunca da inspiração divina dada aos verdadeiros santos entre nós: os poetas ”

Evan do Carmo

"Forjei o poeta que sou, num crisol de muitas dores. Entre elas a mais cruciante foi a ignorância do meu semelhante."

Evan do Carmo

O esforço exaustivo do pianista surdo
ao compor a Nona Sinfonia
o sopro de Deus sobre os mares
na criação do mundo em seis dias
as lembranças dos amores não vividos
tudo isso tem a mesma força artística
das valquírias de Wagner
e do Messias de Handel
para um poeta em desespero criativo.

Evan do Carmo

EVAN HENRIQUE


Tenho filho mais que especial, não mais especial que os outros, mas especial por ser único, singular em seu modo de viver. Este filho que ainda me chama de paizinho apesar de ser um homem vigoroso e forte, com fibras morais que não herdou apenas de mim, foi a junção de duas almas ternamente apaixonadas que o formaram.

Ele é a materialização do amor em nossas vidas,
a certeza de que sonhos se realizam.

Sua mãe e eu ainda o tratamos como uma criança, e a ideia de que ele precisa enfrentar este mundo cruel e injusto
provavelmente em pouco tempo sem a nossa dedicação diária me assusta. Tenho medo de que alguém lhe faça algum mal, que não lhe trate com o respeito que dispensa a todas as pessoas com que tem relação.

Ele desperta sentimento paternal mesmo em pessoas que ainda não tiveram seus próprios filhos, ouvimos diariamente amigos dizerem que só teriam um filho se
pudessem saber de antemão que lhe seria igual.

Este filho que agora fará vinte anos, com sonhos e conquistas em curso, me faz enxergar o mundo com alguma expectativa boa. Vale a pena viver, constituir e preservar uma família, mesmo num mundo onde o imprevisto pode nos tirar a paz e a alegria.

A soma de todas as experiências pode ser a conclusão de que o mundo pode até não ter o objetivo, mas o amor sempre terá. Vejo-o crescendo, tomando posição no mundo e construindo seu próprio universo, uma alma de altíssima sensibilidade e inteligência.

Aos vinte anos geralmente, para quem não se adiantou ao tempo e à natureza, é a idade ideal para se apaixonar e para se descobrir prazeres especiais que só o amor recíproco pode oferecer.

Me lembro com forte emoção a canção de Fagner, onde ele canta "um rapaz novo e encantado com vinte anos de amor," construindo castelos e oferecendo estrelas para sua amada.

Evan Henrique, quanta honra me foi concedia em ser teu Pai

Evan do Carmo

UNIVERSO CAOS


Imagine um turbilhão de partículas flutuando no abismo. É a isto que cognominamos de universo. Partículas de todos os tamanhos e formas, fruto de um caos, desgoverno sem propósito.

E o homem, apenas mais uma partícula atômica empurrada pelas leis naturais, física e gravitacional.
A inteligência lutando em vão contra a perversidade do caos, com o fim de organizar, elaborar sistemas, classificar espécies e formas que garantam a sua existência duvidosa. Qual a condição e a possibilidade do homem reverter este fato que é o caos universal?

Mesmo que todos os homens, como partículas integrantes deste sistema sem objetivo se tornassem inteligentes, a ponto de desenvolver instrumentos para se isolar dos demais sistemas caóticos, não seria possível contornar nosso destino abismal, pois as inteligências difeririam e, logo estaria formado outro
caos dentro do caos, as ideologias, cada grupo "inteligente" apontado apenas para seu umbigo, e a desunião causaria a destruição da espécie. Eis o mundo atual.

Evan do Carmo
Tags: filosofia poesia

VOZ DOCE DA POESIA.

Amputaram-me os pés,
amputaram-me as mãos
depois furaram-me os olhos
em seguida amputaram-me a língua
perguntaram-me se ainda sentia dor.

Eu não podia andar, era fato,
nem podia ver, nem apalpar
contudo, meu melhor sentido
ainda permanecia, não se alterara
ainda podia ouvir o som do vento,
e a voz doce da poesia.

Evan do Carmo

HÁ POESIA EM QUASE TUDO.

Há poesia em quase tudo,
só não há poesia no beijo
nem no corpo da mulher mal-amada
nem no choro da criança
faminta, abandonada.

Há poesia em quase tudo
só não há poesia na falta de carinho
da mãe pelo filho inesperado.
Há poesia em quase tudo
no encontro dos amantes
proibidos, no afago da língua
sobre a rosa, no breve adeus
do poeta desta vida.

Há poesia em quase tudo
menos na falta de amor
do homem pelo homem
e na falta de fé no amanhã.

Há poesia nos lírios dos campos
quando catam, no pôr do sol
amarelado, há poesia na chuva
de outono, mas falta poesia
na primavera do oriente.

Há poesia em quase tudo
menos na falta de amor
do homem pelo homem
e na falta de fé no amanhã.

Evan do Carmo

SEM FALAR EM SAUDADE


Foi sem falar em saudade
que lembrei de você
dos seus olhos pequenos
a me enlouquecer
do seu corpo moreno
do seu beijo veneno
a me adormecer.

Foi sem querer que a tristeza
chegou com a canção
que eu fiz pra você
naquele verão
onde fiz dos teus olhos
minha única razão
de viver, de sorrir, de sonhar
de paixão.

Foi sem falar de saudade
que me veio a lembrança
que perdi a esperança
de voltar a te ver.

EVAN DO CARMO

Para ti, enquanto fores

Sempre será eterna a minha decisão
fiz uma escolha consciente
de nunca te esquecer,
de nunca te trair ou te enganar.

Se é amor, talvez nem eu saiba dizer
o amor não se explica, é um milagre
feito de mel, azeite e trigo
tu és a dona do meu atual viver
a casa para onde volto e encontro abrigo.

Festejamos todo dia a melhor porção da vida
com música suave, com o vinho-amigo.

Traçamos uma rota segura
com o mapa do amor
com a bússola da verdade
chegaremos ao destino,
onde espera-nos sorrindo
a flor da eternidade!

Evan do Carmo

Evan do Carmo

"As almas pequenas, assim como os espíritos rasteiros, são ideológicas; sempre acreditam que descobriram a verdade absoluta. A inteligência humana almeja o tempo em que as ideologias serão crenças tribais."

EVAN DO CARMO

O espírito livre passeia em segurança
sobre o abismo...os fracos vivem sonhando
com um paraíso perdido...

Evan do Carmo