DiCello, o poeta

Encontrados 5 pensamentos de DiCello, o poeta

Ofegante, quase sem ar!

Só tenho vontade de chorar
As lágrimas vem e vão nas margens do olhar
Um desanimo, não sei explicar bem
Me sinto sem rumo, sem vontade de viver
Meu corpo parece não ter vida
Fico aqui agonizante em meu pensamentos
Como se não houvesse saída
Não gosto do que faço, me sinto vazio
Sem nenhum tostão no bolso
E uma pilha de contas vencendo
Ganho insuficiente, o mundo precisona
Diz que sou forte e valente
Não sinto isso, me sinto fraco e doente
Escrevo minha poesia para aliviar
Para motivar a minha libido, minha mente
Não sei que caminho seguir
Nem mesmo para onde devo ir
As vezes dou umas risadas, mas é disfarce
Para os outros não saberem
Não desconfiarem o que acontece comigo
Dói...arde, queima, dilacera, aflige...
Como sairei deste imbate, um ataque ao meu ser
Não sei no que vai dar, só quero paz
Quero mergulhar no meu eu, e alí ficar
Retirado do mundo, sem motivo certo a continuar
Respiro, suspiro forte, me sinto afogado
Me sinto completamente sem ar
Tenho fé... estou precisado ser resgatado
Para poder dessa aflição liberar
(DiCell0, 16/12/2019)

DiCello, o poeta
Inserida por DiCello

Na praia chamada solidão
Eu caminho sem rumo
Ando sozinho
Apenas com Deus
Nas profundezas do coração
Deixo meus passos
Aqueles pretéritos
Logo vem uma onda
Para apagar
Sigo adiante…sigo
Para um destino desconhecido
A vida me leva de lá pra cá
Faz comigo o que bem entende
Traz dor
Mesmo parecendo no paraíso
Caminho…sigo o caminho
(DiCello, 15/12/2019)

DiCello, o poeta
Inserida por DiCello

A_mar

Na praia ainda vazia
lugar de águas claras, frias
areias brancas e finas
Você caminha, livre
Entrega tua mansidão
aos intensos raios de sol
Eles te seduzem
te induzem as incríveis
e delirantes sensações
Tua silhueta, sinuosa
curvilínea obra de arte
aquela que é minha
e de tantos outros poetas
Ela é a inspiração
habita nosso imaginar
e assim, escrevemos
traduzimos a mansidão
poesia tem alma e emoção
tem paixão e frenesi
amor e tesão
(DiCello, 13/12/2019)

DiCello, o poeta
Inserida por DiCello

Um segredo de estado
que eu revelarei agora ao mundo
aos que me leem, eu traduzo
Não vim a este mundo para ser famoso
nem mesmo, para deixar dor
muito menso sofrimento, tenho sido ajudado
muito bem guiado por um espirito
Alguém que se importa comigo
e me acompanha por vidas e vidas
Meu companheiro de luta
um amor dentre tantas existências
Já caminhamos lado a lado
Hoje, busco a lapidação
a reforma íntima tão propagada
Escrevo realmente para livrar meus medos
meus descaminhos de outras existências
Não vim a esta vida para desistir
nem mesmo para coexistir apenas
Deixarei marcar profundas
sem abrir feridas em quer que seja
Vim, deixar a palavra
Escrita em simples e ousados poemas
(25/12/2019)

DiCello, o poeta
Inserida por DiCello

Lavro meus desejos, meus segredos
uma década escrevendo sobre o amor, a dor
os desejos e aflições, não quero eternizar
nem mesmo poetizar a dor... devo sim
anseio em propagar o amor, seja ela qual for
que não importe nem a cor, nem a opção sexual
Meu desejo nesta vida, ficou bem guardado
até hoje, neste dia de Natal, no limiar desta década
Quero continuar escrevendo, deixando marcas
deixando nas almas e corações um pouco de amor
um pouco de tudo para apaziguar a dor
Comecei a escrever, na época para libertar-me
para me permitir sentir as dores do amor
Quero deixar registrado, que não sou o máximo
nem mesmo desejo ser o astro
meu querer é imortal, escrever me deixa feliz
me faz escrever com amor, com o calor do momento
no estado que for... poetas são fingidores
Fogem de si mesmos, até dos secretos amores
aqueles platônicos e apaixonantes
Poetas são inveterados amantes
são autores das suas próprias biografias
sim, assim é a poesia...meus segredos
meus calores matinais...entorpeço-me de palavras
sinto as palavras fluírem sem voltar atrás
(25/12/2019)

DiCello, o poeta
Inserida por DiCello