O Poeta é um Fingidor

Cerca de 20 frases e pensamentos: O Poeta é um Fingidor

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

Fernando Pessoa
12 mil compartilhamentos

AUTOPSICOGRAFIA

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas da roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama o coração.

Fernando Pessoa
5 mil compartilhamentos

Poeta 

Há que se ter cuidado com o poeta
Dizem ser um "fingidor" de excelência
"fingem" paixão, amor
Saudade que não sente
Sabe lá o que se passa na cabeça dessa gente?
Mas de uma coisa estou certa
São pessoas diferentes
E quando amam, amam intensamente!

Ivone Sales Danin

Poeta fingidor

O amor pra mim
Sempre fora uma coisa dolorosa
Complicada e incompleta
Nunca coube em uma prosa
Faz de mim um poeta

Um poeta fingidor
Chega fingir tão bem
Que esconde qualquer dor
Por isso que vai vagando
Sempre em busca do amor

Quando um dia, meu povo
Ele no ar, foi pairando
Encontrou ele, uma flor
E quando encontrou
Não teve pra onde fugir
Findou toda essa dor

leandro santos

Um poeta fingidor que sem saudade...
escreve de amor não sabe nada de dor...

Cortina de sal amargo que gosta de brincar
com as letras escritas de um poema

Exprimir com o grito da alma
convencida arrogante de palavras soltas

Onde a rosa desabrocha com a chuva
explode de alegria harmonia enfeitiçada

Pelo dia em que o poeta fingidor sente
a felicidade das flores do jardim da sua vida!

IsabelMoraisRibeiro

O Poeta

O Pessoa disse que o poeta
é um fingidor, e sim, eu sou!
Eu finjo meu amor, finjo histórias
e escondo a minha dor.

O poeta reclama, grita, briga
nunca chora!
O poeta mente, é irônico
e sempre se isola.

Dizem que o poeta é
desumano.
Outra característica que
que apenas lhe torna
mais humano.

Hugo Baviera

FINGIDOR

Poeta é tão sentimental
Finge o "que deveras sente"
E às vezes é providencial
Para não parecer incoerente

Na verdade, é sua armadura
Uma maneira de se defender
Às vezes a vida é tão dura
Que só lhe resta escrever

É sua forma de se expressar
Vivendo o que é inacessível
E nele podem ou não acreditar

Mas fingir amor? Impossível!
Ele é denunciado pelo olhar
Numa alma que é tão sensível...

Elciana Goedert (ciça)
Inserida por elcianag

Talvez o poeta seja "um fingidor"
Talvez ele não sinta tudo que escreve
Mas, talvez é talvez.

kaline trigueiro
Inserida por kalinetrigueiro

O poeta é um fingidor.
Mas não há mau em fingir.
Se não tiver liberdade poética,
Pra sobressair a ética,
Das condições do existir.
Me atire a pedra, bem mirada,
O primeiro camarada
Que nunca precisou fingir.
Alguns fingem por ambição,
Outros por educação
Pra driblar situação.
Até dor, faz-se existir.
Meu fingimento é poesia,
Finjo a dor e a alegria,
Finjo enredo, alegoria
Finjo até que outro dia,
A gente possa enfim fingir.

Aldo Teixeira
Inserida por AldoTeixeira

O poeta é sim um bom fingidor,
Porém reconhece seu amor.
Diferencia o luxo com simplicidade,
Para viver em tranquilidade.
Esquece o tempo do tempo,
E vive sem perceber o passar do tempo.

Deullofeu
Inserida por Deullofeu14

O poeta não é um fingidor.
Ele é um ator que transforma o seu labor em flor.
Simplesmente para desfrutar as delícias do amor.

Tony michael
Inserida por tony_michael_michael

O POETA

O poeta não é um fingidor.
Ele é sim, um ser humano composto de amor.
Que se veste de poesias
Para curar suas dores, mágoas, rancores e desilusões.
Ele traça versos
Na intenção de bordar sonhos, amores e fantasias.
E no fim acaba
Se prendendo em seus próprios escritos.
Deixando de ser coadjuvante
Para ser protagonista do seu enredo, na esperança, talvez
De encontrar um coração que seja poesia
Em forma de gente, e una sua poesia na dele
Para, juntos, dedilharem versos sagrados em ambos os corações.
Ele sim ama, chora, grita, silencia...
Morre e renasce no alvorecer, porque, sem a poesia,
Ele morreria de vez!
Pois sua poesia
É alimento par'alma, conforto para o coração
E alegria para o seu viver...
Sem ela, ele pereceria um pouco a cada dia
Sem a esperança de voltar a nascer...

Lourdes Sousa
Inserida por Lourdesousa2016

Tenho dúvidas das sentenças poéticas, do poeta como fingidor,
sofro dessa descrença da fé nessas simbioses poéticas...
Poesia sem ética, sem o sopro da verdade da alma experienciada,
uma construção caiada...

lilian reinhardt
Inserida por lilianreinhardt

O poeta sempre será um fingidor, viverá intensamente e sentirá a dor, a dor deveras que o mesmo sempre pressente.

Tatyane Nicklas
Inserida por tatyanenicklas

Sou poeta e, como Pessoa já disse, sou um fingidor, entretanto, queria eu fingir essa dor.

Gilberto Neto
Inserida por neto_gilberto

O poeta é um ator

“O poeta é um fingidor”
Finge estar contente quando tem dor
Esconde amor quando é saudade
Mas alguém sabe o que é um poeta de verdade?

O poeta é um ser fingido
Finge ver a morte
Sem nunca ter morrido
Um verdadeiro poeta
Disfarçado tem de ser
De lápis ou caneta
Sem uma palavra escrever

O poeta?
É um fingidor de verdade,
Finge ser livre
Sem nunca obter a liberdade

Daniel Vieira
Inserida por DanielSantosVieira

Se todo poeta é um fingidor, como disse Pessoa, eis que todos somos poetas.

John Myke
Inserida por KRONI

Oh! Que grande sacana! Mas... que grande fingidor. Ah... finge ódio, finge dor. Ou finge paixão ou finge que ama! E o marionete é um louco. Ora amargurado, ora feliz. Não mais, dono do próprio nariz. Tudo pro insensato é pouco! Oh! Pobre marionete! Prisioneiro das suas ilusões. Perturbado com seus amores e suas paixões... E o insensato... Apenas promete. Promete felicidade e prazer sem fim. E promete também, ele: O Marionete. Não por ser mau, mas inocente! E sofrem também as borboletas que pousam em seu jardim

Cleo Marx
Inserida por CleoMedeiros

Essa poesia não é minha
A poesia nunca é do poeta
O mesmo só é canal que aponta
A porta do desejo.

Das desapontadas dores de sua alma
Em fina figura que se vai na tinta
É a imagem do que lhe fura a alma
Um fingidor e suas mentiras.

A poesia nunca morre,
O poeta sim,
Ele morre de amor
Ele vive um poema que não é dele.

Muitas vezes a dona ou o dono está longe
Mas bem perto de seu coração.
E nesse coração ele se contenta
Com a mentira de uma esperança vazia
Sobre o peso da saudade na rejeição
E do desejo que lhe afagar a alma,
Assim ele se despede em seu coração.

Cicero Laurindo

Eu não sou poeta e simplesmente nada sinto. Pois todo poeta é um mentiroso e eu apenas minto.

John Myke
Inserida por KRONI