Poemas sobre Negros

Cerca de 494 poemas sobre Negros

INTERTEXTO

Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro

Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário

Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável

Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei

Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.

Bertolt Brecht
9.8 mil compartilhamentos

Olha de novo: não existem brancos, não existem amarelos, não existem negros: somos todos arco-íris.

Ulisses Tavares
1.7 mil compartilhamentos

Quando os negros se unirem, os brancos e os chineses também o farão. Mas é preciso que os negros façam isso primeiro.

Bob Marley
1.1 mil compartilhamentos

Acima de sermos negros, brancos, árabes, judeus, americanos, somos uma única espécie. Quem almeja ver dias felizes, precisa aprender a amar a sua espécie (...) Se você amar profundamente a espécie humana, estará contribuindo para provocar a maior revolução social da história.

Augusto Cury
2 mil compartilhamentos

Não preciso ter ambições. Só tem uma coisa que eu quero muito: que a humanidade viva unida... negros e brancos todos juntos.

Bob Marley
10 mil compartilhamentos

Seus Olhos

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
De vivo luzir,
Estrelas incertas, que as águas dormentes
Do mar vão ferir;

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
Têm meiga expressão,
Mais doce que a brisa, — mais doce que o nauta
De noite cantando, — mais doce que a frauta
Quebrando a solidão,

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
De vivo luzir,
São meigos infantes, gentis, engraçados
Brincando a sorrir.

São meigos infantes, brincando, saltando
Em jogo infantil,
Inquietos, travessos; — causando tormento,
Com beijos nos pagam a dor de um momento,
Com modo gentil.

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
Assim é que são;
Às vezes luzindo, serenos, tranquilos,
Às vezes vulcão!

Às vezes, oh! sim, derramam tão fraco,
Tão frouxo brilhar,
Que a mim me parece que o ar lhes falece,
E os olhos tão meigos, que o pranto humedece
Me fazem chorar.

Assim lindo infante, que dorme tranquilo,
Desperta a chorar;
E mudo e sisudo, cismando mil coisas,
Não pensa — a pensar.

Nas almas tão puras da virgem, do infante,
Às vezes do céu
Cai doce harmonia duma Harpa celeste,
Um vago desejo; e a mente se veste
De pranto co'um véu.

Quer sejam saudades, quer sejam desejos
Da pátria melhor;
Eu amo seus olhos que choram em causa
Um pranto sem dor.

Eu amo seus olhos tão negros, tão puros,
De vivo fulgor;
Seus olhos que exprimem tão doce harmonia,
Que falam de amores com tanta poesia,
Com tanto pudor.

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
Assim é que são;
Eu amo esses olhos que falam de amores
Com tanta paixão.

Gonçalves Dias
138 compartilhamentos

"Morena que cor é essa?
cabelos negros feito índia
pele mulata feito desejo
não tem quem não olhe
quando ela passa mandando beijo"

Maíra Martim
404 compartilhamentos

Teus lindos olhos negros
Me fazem sonhar
Me fazem esquecer quem sou
Teus lindos olhos negros
Me fazem viver em outra dimensão
Me fazem querer voltar no tempo
Teus lindos olhos negros
Me fazem sorrir chorando
Me fazem chorar sorrindo
Me fazem sentir saudade
Me fazem morrer de amor
Porque não olham pra mim...
Teus lindos olhos negros...
Teus lindos olhos negros...

Nikko Sercunvius
68 compartilhamentos

Caligrafia

Queria escrever uma carta anônima
Falando do quanto eu te amo
Mas não seria uma boa ideia
E tudo iria pelo cano

Quem dera ter a tua letra
Toda estranha, cheia de garranchos
Mas mesmo assim, eu não me importo
É por você que eu me desmancho

Minha caligrafia é toda caprichada
E muito bem elaborada
Uma simples carta
De uma pessoa apaixonada

Mas tudo bem, não tem problema
Eu te amo de qualquer jeito
Amo cada pedaço seu
Suas qualidades e defeitos

Minha letra pode até ser linda
Como uma obra de arte
Mas tudo que eu quero
É, da sua vida, fazer parte

O Poeta de Olhos Negros
18 compartilhamentos

(...) cabelos negros e um vestido azul, de frente à penteadeira, bonita apenas pelo fato de ser mulher...

Clarice Lispector
13 compartilhamentos

Alice

Tudo nela me fascinava
Seus cabelos negros , brilhantes
Seus olhos verdes, profundos
Seus lábios carnudos e tão desenhados pareciam pintados
Seu corpo totalmente escultural
Ela era indescritivelmente perfeita.

Aquilo me incomodava , não encontrar nela nenhuma imperfeição
Não importava por onde procurasse
Fosse no aspecto físico , quando mental
Eu já não suportava , tinha que sentir o que ela sentia.

Por isso a matei , abri-a
Internamente ela era tão normal
Não tinha o que me chamasse atenção
A não seu o seu coração
Eu o como , até o ultimo pedaço
E pude senti-la novamente dentro de mim.

Allan Henrique
16 compartilhamentos

Eu amo seus olhos tão negros, tão puros,
De vivo fulgor;
Seus olhos que exprimem tão doce harmonia,
Que falam de amores com tanta poesia,
Com tanto pudor.

Gonçalves Dias
86 compartilhamentos

"Se os negros parassem de falar sobre racismo ele acabaria"

Então, se os gays parassem de falar de homofobia ela desapareceria?

Assim como se as MULHERES parassem de falar de machismo e violência doméstica eles desapareceriam?

E principalmente... assim como se TODOS parassem de falar de corrupção, o Brasil seria um exemplo?

Eddie Coelho

CABELOS
Cabelos! Quantas sensações ao vê-los!
Cabelos negros, do esplendor sombrio,
por onde corre o fluido vago e frio
dos brumosos e longos pesadelos...
Sonhos, mistérios, ansiedades, zelos,
tudo que lembra as convulsões de um rio
passa na noite cálida, no estio
da noite tropical dos teus cabelos.
Passa através dos teus cabelos quentes,
pela chama dos beijos inclementes,
das dolências fatais, da nostalgia...
Auréola negra, majestosa, ondeada,
alma de treva, densa e perfumada,
lânguida noite da melancolia!

Cruz e Sousa
41 compartilhamentos

Cabelos Cacheados

Cabelos cacheados
loiros...
negros...
ou avermelhados
escondem segredos
impede-me de toca-los
aos poucos te ganho
nossos corações conversam
passo a passo...
conquisto os teus espaços
teus olhos lindos
feito cristais lapidados
suspeitam do meu olhar
temo fita-los
o tempo passa
a noite vem se aproximando
sinto nos teus toques
sinais de me seduzir
estou hipnotizado por você
não temas
não vou te prender numa jaula
já posso sentir
teu corpo trêmulo e quente
exala um perfume
suave e adocicado
perfume de fera no cio
Ah, teus cabelos...
lindos cabelos cacheados...
Tua boca me chama
me seduz...
meus lábios desejam os teus
bem junto aos meus.
Me entrelaço nos teu cabelos
lindos cabelos cacheados.
(Fouquet, maio 2010)

Marcelo Fouquet Rosembrock

Filhos da Morte

"Tristes pés negros,
descalços e sujos,
pisam solitários
caminhos sem fim.
Chão machucado
pela dor das feridas abertas
em tanta pedra pisada.
Não há chegada
sem destino.
Ninguém espera seu regresso.
Nem horizonte...
Crianças tristes,
negras e descalças
em caminhos mortos
da vida.
Olhos cegos,
à procura de um oceano perdido,
Mar que divide fome,
sede e sonhos...
Órfãs de piedade.
Sem bagagem.
Mãos vazias.
Agasalhados nos trapos
do abandono...
Esperanças guardadas
no bolso rasgado
vão caindo pelo chão...
Um rastro de tristeza
que fica.
Nada deixam para trás!
Tristes pés descalços
de crianças negras,
sujas, famintas,
chorosas e mortas,
Vagando nos caminhos da vida..."

Ângella Ventura

Por todos os depressivos do mundo
Por todas as crianças pobres e esfomeadas
Por todos os negros e humilhados
Por todos os animais e crianças abandonadas
Por todo tipo de agressão verbal e física proposital
Por todo sofredor que sofre por si e pela dor alheia
Mas, principalmente, por todos os amores impossíveis.

Sabrina Niehues

Caminhando no Infinito de Universos Mentais entre Abismos Negros e Céus de Estrelas.

Ricardo Dih Ribeiro

A Casa da Psicanálise

O Gondoleiro do Amor

Barcalora

Dama Negra

Teus olhos são negros, negros,
Como as noites sem luar...
São ardentes, são profundos,
Como o negrume do mar;

Sobre o barco dos amores,
Da vida boiando à flor,
Douram teus olhos a fronte
Do Gondoleiro do amor.

Tua voz é cavatina
Dos palácios de Sorrento,
Quando a praia beija a vaga,
Quando a vaga beija o vento.

E como em noites de Itália
Ama um canto o pescador,
Bebe a harmonia em teus cantos
O Gondoleiro do amor.

Teu sorriso é uma aurora
Que o horizonte enrubesceu,
— Rosa aberta com o biquinho
Das aves rubras do céu;

Nas tempestades da vida
Das rajadas no furor,
Foi-se a noite, tem auroras
O Gondoleiro do amor.

Teu seio é vaga dourada
Ao tíbio clarão da lua,
Que, ao murmúrio das volúpias,
Arqueja, palpita nua;

Como é doce, em pensamento,
Do teu colo no langor
Vogar, naufragar, perder-se
O Gondoleiro do amor!?

Teu amor na treva é — um astro,
No silêncio uma canção,
É brisa — nas calmarias,
É abrigo — no tufão;

Por isso eu te amo, querida,
Quer no prazer, quer na dor... Rosa!
Canto! Sombra! Estrela!
Do Gondoleiro do amor.

Castro Alves
41 compartilhamentos

Um menino negro entra em um mercado.
Um homem branco diz: "não permito pessoas de cor aqui"

O menino negro diz: "eu nasci preto.
Quando eu estou congelando, eu sou negro.
Quando estou doente, eu sou negro.
Quando eu estiver morto, estarei negro.
Quando você nasce, você é rosa.
Quando você está congelando, você é azul.
Quando você se sentir envergonhado, você fica
Vermelho.
Quando você está morto, você fica roxo...
E você está me
Chamando de pessoa de cor?"

"Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos ainda haverá guerra"

Desconhecido
271 compartilhamentos