Poemas sobre Negros

Cerca de 359 poemas sobre Negros

INTERTEXTO

Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro

Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário

Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável

Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei

Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.

Bertolt Brecht
6 mil compartilhamentos

Olha de novo: não existem brancos, não existem amarelos, não existem negros: somos todos arco-íris.

Ulisses Tavares
1.4 mil compartilhamentos

Não preciso ter ambições. Só tem uma coisa que eu quero muito: que a humanidade viva unida... negros e brancos todos juntos.

Bob Marley
9.8 mil compartilhamentos

Quando os negros se unirem, os brancos e os chineses também o farão. Mas é preciso que os negros façam isso primeiro.

Bob Marley
1.1 mil compartilhamentos

Acima de sermos negros, brancos, árabes, judeus, americanos, somos uma única espécie. Quem almeja ver dias felizes, precisa aprender a amar a sua espécie (...) Se você amar profundamente a espécie humana, estará contribuindo para provocar a maior revolução social da história.

Augusto Cury
1.9 mil compartilhamentos

Seus Olhos

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
De vivo luzir,
Estrelas incertas, que as águas dormentes
Do mar vão ferir;

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
Têm meiga expressão,
Mais doce que a brisa, — mais doce que o nauta
De noite cantando, — mais doce que a frauta
Quebrando a solidão,

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
De vivo luzir,
São meigos infantes, gentis, engraçados
Brincando a sorrir.

São meigos infantes, brincando, saltando
Em jogo infantil,
Inquietos, travessos; — causando tormento,
Com beijos nos pagam a dor de um momento,
Com modo gentil.

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
Assim é que são;
Às vezes luzindo, serenos, tranquilos,
Às vezes vulcão!

Às vezes, oh! sim, derramam tão fraco,
Tão frouxo brilhar,
Que a mim me parece que o ar lhes falece,
E os olhos tão meigos, que o pranto humedece
Me fazem chorar.

Assim lindo infante, que dorme tranquilo,
Desperta a chorar;
E mudo e sisudo, cismando mil coisas,
Não pensa — a pensar.

Nas almas tão puras da virgem, do infante,
Às vezes do céu
Cai doce harmonia duma Harpa celeste,
Um vago desejo; e a mente se veste
De pranto co'um véu.

Quer sejam saudades, quer sejam desejos
Da pátria melhor;
Eu amo seus olhos que choram em causa
Um pranto sem dor.

Eu amo seus olhos tão negros, tão puros,
De vivo fulgor;
Seus olhos que exprimem tão doce harmonia,
Que falam de amores com tanta poesia,
Com tanto pudor.

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
Assim é que são;
Eu amo esses olhos que falam de amores
Com tanta paixão.

Gonçalves Dias
123 compartilhamentos

(...) cabelos negros e um vestido azul, de frente à penteadeira, bonita apenas pelo fato de ser mulher...

Clarice Lispector
8 compartilhamentos

"Morena que cor é essa?
cabelos negros feito índia
pele mulata feito desejo
não tem quem não olhe
quando ela passa mandando beijo"

Maíra Martim
383 compartilhamentos

Teus lindos olhos negros
Me fazem sonhar
Me fazem esquecer quem sou
Teus lindos olhos negros
Me fazem viver em outra dimensão
Me fazem querer voltar no tempo
Teus lindos olhos negros
Me fazem sorrir chorando
Me fazem chorar sorrindo
Me fazem sentir saudade
Me fazem morrer de amor
Porque não olham pra mim...
Teus lindos olhos negros...
Teus lindos olhos negros...

Nikko Sercunvius
59 compartilhamentos

Alice

Tudo nela me fascinava
Seus cabelos negros , brilhantes
Seus olhos verdes, profundos
Seus lábios carnudos e tão desenhados pareciam pintados
Seu corpo totalmente escultural
Ela era indescritivelmente perfeita.

Aquilo me incomodava , não encontrar nela nenhuma imperfeição
Não importava por onde procurasse
Fosse no aspecto físico , quando mental
Eu já não suportava , tinha que sentir o que ela sentia.

Por isso a matei , abri-a
Internamente ela era tão normal
Não tinha o que me chamasse atenção
A não seu o seu coração
Eu o como , até o ultimo pedaço
E pude senti-la novamente dentro de mim.

Allan Henrique
16 compartilhamentos

CABELOS
Cabelos! Quantas sensações ao vê-los!
Cabelos negros, do esplendor sombrio,
por onde corre o fluido vago e frio
dos brumosos e longos pesadelos...
Sonhos, mistérios, ansiedades, zelos,
tudo que lembra as convulsões de um rio
passa na noite cálida, no estio
da noite tropical dos teus cabelos.
Passa através dos teus cabelos quentes,
pela chama dos beijos inclementes,
das dolências fatais, da nostalgia...
Auréola negra, majestosa, ondeada,
alma de treva, densa e perfumada,
lânguida noite da melancolia!

Cruz e Sousa
40 compartilhamentos

Cabelos Cacheados

Cabelos cacheados
loiros...
negros...
ou avermelhados
escondem segredos
impede-me de toca-los
aos poucos te ganho
nossos corações conversam
passo a passo...
conquisto os teus espaços
teus olhos lindos
feito cristais lapidados
suspeitam do meu olhar
temo fita-los
o tempo passa
a noite vem se aproximando
sinto nos teus toques
sinais de me seduzir
estou hipnotizado por você
não temas
não vou te prender numa jaula
já posso sentir
teu corpo trêmulo e quente
exala um perfume
suave e adocicado
perfume de fera no cio
Ah, teus cabelos...
lindos cabelos cacheados...
Tua boca me chama
me seduz...
meus lábios desejam os teus
bem junto aos meus.
Me entrelaço nos teu cabelos
lindos cabelos cacheados.
(Fouquet, maio 2010)

Marcelo Fouquet Rosembrock
3 compartilhamentos

Um menino negro entra em um mercado.
Um homem branco diz: "não permito pessoas de cor aqui"

O menino negro diz: "eu nasci preto.
Quando eu estou congelando, eu sou negro.
Quando estou doente, eu sou negro.
Quando eu estiver morto, estarei negro.
Quando você nasce, você é rosa.
Quando você está congelando, você é azul.
Quando você se sentir envergonhado, você fica
Vermelho.
Quando você está morto, você fica roxo...
E você está me
Chamando de pessoa de cor?"

"Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos ainda haverá guerra"

Desconhecido
249 compartilhamentos

Marcada, calada, benévola, agrilhoada

Pode ser que eu seja tola
Desajeitada
Eu diria que nunca tentei ser mais
Não que eu não quisesse...Sei lá.

Talvez eu seja pequena
Um ser humano chato, até tacanho
Sem valor, sem importância

Reduzi-me a nada
Calada
Marcada
Nunca fui amada
Minha vida sempre foi um deserto
Seco. Só isso, de certo.

Mas a estrela, enfim, brilhou
Hoje o mundo me notou
Fui arrancada de supetão
Daquela triste solidão
Daquele mundo cruel, então.

O Poeta de Olhos Negros
Inserida por poetadeolhosnegros

Poema

Todo o negro dos teus cabelos
Tudo que cerca o teu olhar
Até as coisas mais simples
São tudo

Cada pedaço do teu rosto
Até aquele seu moletom fosco
Pequenos detalhes
Quase ínfimos
São tudo
(e um pouco mais)

O Poeta de Olhos Negros
Inserida por poetadeolhosnegros

Preto

Sempre que uso preto,
ele vem.
Não sei se é acaso...
Não sei o que é.
Sempre que uso preto,
ele vem.
Talvez o preto pode sim ser a cor de sorte de alguém.

Sempre que uso preto
- igual a cor de seus longos (e lindos) cabelos
Ele aparece.
[E meu amor só cresce...]

Sempre que uso preto,
ele surge.
Radiante.
Igual brilho de raios de sol.
Os olhos brilham. O coração quase para.
A fala some. Não dá pra esconder tudo o que sinto por você.

O Poeta de Olhos Negros
Inserida por poetadeolhosnegros

Punhal

O mesmo punhal que te crava
Te trava
Te entreva
Te enerva
Te prende no precipício
Deixando de lembrança alguns resquícios, vícios

De quebra, te quebra
Dilacera
Não te espera, te desespera
Mata sem dó nem piedade
Lento, torturante
Com requintes de crueldade

Vai rasgando, vai profundo
Pega na alma, vai mais fundo
Perde-se o fogo, perde-se a luz
O fio da meada já não me conduz
Detona, explode, queima, fatal
A parte em mil pedaços num arroubo brutal

O Poeta de Olhos Negros
Inserida por poetadeolhosnegros

Corpus Politicus

Meu corpo
Meu templo sagrado de espiritualidade e ação
O corpo que grita
O corpo que sente
O corpo de razão e emoção
Corpo cravejado de facas
De balas
Apedrejado, às claras

É só um corpo
Não, é mais que isso
Um protesto são
Um brado retumbante que não é em vão
O florescer da mudança em pintura e criação

Todos os meus poros lutam comigo
Minha intuição me orienta, eu só sigo
Eu bato, apanho
Me levanto, me jogo, não me acanho
Minha pele reflete, espelha, expõe pra você saber
Estes malditos, doentes e sedentos por poder

Meu corpo é só meu
Meu corpo carrega marcas
Meu corpo carrega histórias
Derrotas e vitórias
O prometido e não cumprido
O falado e esquecido...

Corpo grita...
Corpo brada...
Ferido...
Esquecido...
Esculpido...

O Poeta de Olhos Negros
Inserida por poetadeolhosnegros

Orlando

Sou homem
Sou mulher
Sou o que eu quiser

Seu ódio não me cala
Seu ódio não me barra
Seu ódio não me atinge
Seu ódio não me amarra

Morro junto com eles
Todos os dias
Morri junto com aqueles cinquenta
Se for pra tacar pedra
Não começa, nem tenta

Se não gosta, cai fora
Nada mais é como foi outrora
Teu discurso tá fora de hora
Siga seu rumo e vá embora

O Poeta de Olhos Negros
Inserida por poetadeolhosnegros

Caligrafia

Queria escrever uma carta anônima
Falando do quanto eu te amo
Mas não seria uma boa ideia
E tudo iria pelo cano

Quem dera ter a tua letra
Toda estranha, cheia de garranchos
Mas mesmo assim, eu não me importo
É por você que eu me desmancho

Minha caligrafia é toda caprichada
E muito bem elaborada
Uma simples carta
De uma pessoa apaixonada

Mas tudo bem, não tem problema
Eu te amo de qualquer jeito
Amo cada pedaço seu
Suas qualidades e defeitos

Minha letra pode até ser linda
Como uma obra de arte
Mas tudo que eu quero
É, da sua vida, fazer parte

O Poeta de Olhos Negros
Inserida por poetadeolhosnegros