Poemas de Horacio

Cerca de 347 poemas de Horacio

A adversidade desperta em nós capacidades que, em circunstâncias favoráveis, teriam ficado adormecidas.

Horácio
1026 compartilhamentos

Desconfiai daquele que detrai no amigo ausente, e o não defende quando o deprimem.

Horácio
101 compartilhamentos

"Carpe diem quam minimum credula postero."
Aproveite o dia de hoje e nada espere do dia seguinte.

Horácio
279 compartilhamentos

Não pode um homem ter melhor morte que:
Lutando contra o desconhecido
Pelas cinzas de seus pais e
Pelos templos de seus deuses!

Horácio
145 compartilhamentos

Colha o dia, confia o mínimo no amanhã
Não pergunte, saber é proibido, o fim que os deuses
darão a mim ou a você, Leuconoe, com os adivinhos da Babilônia
não brinque. É melhor apenas lidar com o que cruza o seu caminho
Se muitos invernos Jupiter te dará ou se este é o último,
que agora bate nas rochas da praia com as ondas do mar
Tirreno: seja sábio, beba seu vinho e para o curto prazo
reescale suas esperanças. Mesmo enquanto falamos, o tempo ciúmento
está fugindo de nós. Colha o dia, confia o mínimo no amanhã.

Horácio
90 compartilhamentos

Terminei uma obra mais duradoura do que o bronze / e mais alta do que as pirâmides reais, / que nem a chuva corrosiva nem o vento impetuoso / poderão destruir, nem a inumerável / série dos anos e o passar veloz do tempo. / Não morrerei completamente, e grande parte de mim / escapará ao túmulo.

Horácio
29 compartilhamentos

A força bruta, quando não é governada pela razão, desmorona sob o seu próprio peso.

Horácio
40 compartilhamentos

A adversidade tem o efeito de despertar talentos que em circunstâncias prósperas teriam continuado adormecidos.

Horácio
22 compartilhamentos

Aquele que adia a hora de viver corretamente é como o camponês que espera o rio se esgotar antes que ele atravesse.

Horácio
12 compartilhamentos

Os pintores e os poetas sempre gozaram da mesma forma do poder de ousarem o que quisessem.

Horácio
32 compartilhamentos

As palavras...Muitas que hoje desapareceram, irão renascer, muitas, agora cheias de prestígio, cairão, se assim o quiser o uso.

Horácio
18 compartilhamentos

A pálida morte bate com pé igual nos casebres dos pobres / e nos palácios dos ricos.

Horácio
36 compartilhamentos

Há uma medida nas coisas; existem enfim limites precisos, / além dos quais e antes dos quais o bem não pode subsistir.

Horácio
16 compartilhamentos

Todos nós somos levados ao mesmo lugar; / na urna agita-se a sorte de cada um: / mais cedo ou mais tarde, a sorte terá de ser lançada, / e nos fará entrar no barquinho em direcção ao exílio eterno.

Horácio

Os nossos pais, piores do que os seus, geraram-nos / ainda mais celerados do que eles; nós, por nossa vez, geraremos / filhos ainda mais perversos do que nós.

Horácio

O Destino tem a mesma lei para todos: tira à sorte entre o humilde e o grande; a sua urna é vasta e contém todos os nomes.

Horácio

num futuro bem próximo
poderei te abraçar
eu direi: eu te amo!
e você também dirá.

muitos poderão dizer
ele é um sonhador.
mas em breve eu terei;
a quem chamo de amor.


Não importa o que vão fazer

Não importa o que vão falar

você é a minha amada

por você eu vou lutar



Muitos olhão a sua beleza

eu olho seu interior

Amo seu jeito de ser

Não ao que mais dão valor



por que se eu amar a sua beleza

saiba que um dia ela pode acabar

e não havendo mais beleza

não iria mais te amar


mas o seu jeito de ser
o tempo não pode mudar;
digo isto com certeza
de que sempre vou te amar.

Horácio

Preciso de silêncio...


um cobertor quente ....


e um Nescau Gelado.


Preciso de um canto pra me ausentar...


me tornar invísivel e imune a tudo isso ...


Eu quero ser uma borboleta no seu casulo ....


e ter a mesma sabedoria dos elefantes.


Vou sair pra me esconder....


invadir o escuro e criar o meu mundo perfeito...


com novas cores, formas e sons...


Porque no mundo real as pessoas só enxergam em preto e branco.

Horácio Leal

Ai de mim, Póstumo, Póstumo, fugazes / correm os anos; e as preces / não podem retardar as rugas a velhice / premente e a morte inevitável.

Horácio

Quem ama a áurea moderação, / seguramente não sente falta da desolação do vil abrigo, / nem do esplendor frugal do palácio invejado.

Horácio