Maestro

Cerca de 162 frases e pensamentos: Maestro

Doze anos em flor!
A linda menina ainda
não pensa no amor.

Humberto del Maestro
128 compartilhamentos

A noite flutua
e as rosas dormem mimosas
aos beijos da lua.

Humberto del Maestro
114 compartilhamentos

Sentei-me na praia
e quando dou pela coisa
o mar me beijava.

Humberto del Maestro
104 compartilhamentos

A chuva tardia
deixou perfumes de terra
nas ruas molhadas.

Humberto del Maestro
275 compartilhamentos

Os beijos da tarde
são feitos de mil fragrâncias
de velhas saudades.

Humberto del Maestro
73 compartilhamentos

O céu, que é perfeito,
andou jogando em seus olhos
o dom do infinito.

Humberto del Maestro
25 compartilhamentos

Seus cachos de seda
são borboletas douradas
brincando na brisa.

Humberto del Maestro
27 compartilhamentos

Começo de chuva...
A tempestade faz festa,
no meio da rua.

Humberto del Maestro
21 compartilhamentos

A lua, cansada,
adormeceu por instantes
no leito do rio.

Humberto del Maestro
12 compartilhamentos

Na velha roseira,
entre as folhas e os espinhos,
uma aranha tece.

Humberto del Maestro

Muita brisa à noite.
Dos jasmineiros da rua,
perfumes e flores.

Humberto del Maestro

Natal em festejo!
Os filhos não me visitam...
Papai sem presentes.

Humberto del Maestro

Tirar a batuta de um maestro é tão fácil quanto difícil é reger com ela a quinta sinfonia de Beethoven.

Antonio Machado y Ruiz

Longa chuvarada...
Nos matos e nas lagoas,
um canto de vida.

Humberto del Maestro

Não tenho certeza,
mas acho que os grilos gostam
da minha janela.

Humberto del Maestro

Ao primeiro susto,
os pombais, cheios de arrulhos,
ficaram vazios.

Humberto del Maestro

A tarde é bem quente.
Cansada, boneca ao lado,
menina dormindo.

Humberto del Maestro

Não é meia-noite
e as mariposas cansadas
já dormem nas praças.

Humberto del Maestro

Fechando os olhos eu vejo, me corpo então relaxar
Acordes são imperfeitos, a letra vai te buscar

Maestro Eduardo Roz

Primavera (Walmir Rocha Palma)

Um rouxinol acorda os outros passarinhos
Como um maestro, ele conduz o seu coral
Pintor de todas as manhãs, o sol morninho
Seduz as flores com seu beijo matinal

Olho que vê tamanho encanto da janela
Não sei se meu ou se o de Deus está em mim
Estou setembro, vinte e um, é primavera!
Meu coração amanheceu feito jardim

Num alegreto inusitado, as borboletas
Vão espalhando grãos de pólen a granel
A terra fértil, mãe feliz, e tudo aceita
Há comunhão nesta estação, entre ela e o céu

Fascínio assim, de flores, já não há quem pinte
Só mesmo o traço inconfundível de Monet
Ou o delírio extasiado de Stravinsky
Para com sons a primavera conceber

Mas que mulher exuberante, a primavera
Ela é a prima mais querida do verão
E embora o outono morra de paixões por ela
É o inverno que ela traz no coração

Obs.: Este poema foi musicado por Rosa Passos.

Walmir Palma
92 compartilhamentos