Coleção pessoal de JoseRicardo7

1 - 20 do total de 1163 pensamentos na coleção de JoseRicardo7

⁠Dedicado ao falecido escritor.
Lázaro Carneiro.


Essas veias poéticaa surgiram como?

Eu não sei.
Só sei que há.
Uma vida está aqui com as veias ainda em alta veracidade.
E outra se foi para as mãos daquele que a vida nos dá.

Lázaro Carneiro:
Ele aprendeu ouvindo as duplas caipiras,
E parece que o que está aqui escrevendo essas linhas, também é assim.
🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹
Suas rimas pobres de "paixão com macarrão" etc. (risos) e foi terminar o primário em Bauru.
Só que depois virou crítico das duplas, apesar de ainda gostar, de ser romântico.
Esses cantores, como Tonico e Tinoco, Liu e Léo, Tião Carreiro e Pardinho fizeram papel de pelego na sociedade.
Sempre cantaram as histórias do caipira explorado, mas contente com a aquela situação.
Eles não têm uma letra consciente.
E não é ingenuidade, não.
São mal-intencionadas mesmo.
O que tem de preconceito de cor na música sertaneja é brincadeira!
E não estou falando no início do século não, estou falando de agora também, nos anos 90.
💘💘💘💘💘💘💘💘💘💘💘💘💘💘___________________________________
E eu,
Ricardo Melo..
Como Poeta em constante vôo.
Vou delirando nas escritas como ave sem rumo.
Da rima bem rimada dou minhas tacadas como jogador de sinuca antitiprofissional. Trovador das candangas,
Arregaço os panos das mangas e sigo na ilusão navegando em águas turvas e mansas.
Confirmei para mim mesmo,
E já chorei até por um distante coração.
Tempero minha comida com alho ,cebola e pimentão.
Com retoques finais,
O sabor parece ser de açafrão.
Faço do frango de granja ser caipira em minhas mãos.
A viola me implora;
-Não se dê para poesia não.
Até ouço ela me dizer.
-Me relata o que tu queres,
-Que direi o que mim deves fazer....
-Não se deixe levar por tanta emoção.
-Faças suas rimas.
-Que te digo o nome das cordas do teu violão.

Carneiro é o seu sobrenome.
Lázaro é o seu primeiro.
Tu,
Oh ! Poeta, se foi deixando saudades.
A poesia ficou triste e aqui ela continuará.
E o Poeta do cerrado nas notícias,
Eternizou.
Descanse em paz oh! escritor do cerrado.
Que em breve ao lado do criador,
Estaremos louvando de joelhos,
Lado a lado.....



Dedicado ao Escritor;
Lázaro Carneiro.
Com amor.
Ricardo Melo
O Poeta que Voa

Ricardo Melo

⁠Dedico


Dedico um poema...
aos que nunca desistem de em si próprio cativar o Poema;

Dedico uma canção...
aos que nunca desistem de em si próprio,
viver a própria canção;

Dedico um verso feliz...
aos que nunca desistem de ser em si próprio,
ser a própria alegria;

Dedico uma palavra amiga...
aos que nunca desistem de em si próprio,
doar-se ao próximo como a um amigo;

Dedico uma gota d'água...
aos que nunca desistem de ser em si próprio,
A própria chuva...

Dedico uma chuva...
aos que nunca desistem de ser em si próprio ser,
A própria tempestade;

Dedico uma flor...
aos que nunca desistem de em si próprio,
valorizar sua própria essência;

Dedico um jardim...
aos que nunca desistem de em si próprio,
tornar-se o paraíso de outro;

Dedico a você...
Risos, alegrias e esperanças,
E que você...
Seja a semente fértil que brota;
Seja o pássaro que Voa.
E felicidade constante.
Dedico-te tudo o que de melhor possas plantar e colher;
Dedico-te, a vida.
Dedico-te o meu respeito.
E que os seus sonhos...
Não seja apenas,
sonhos....





Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo

⁠Momentos do passado.


Tantas coisas que passamos na vida.
Aquele caderninho borrado da infância.
Aquele momento que a professora puxava a orelha.

Aquelá época de querer somente brincar.
Tudo se vai,
Tudo se foi...
Mais na lembrança fica.
Acho que foi a melhor fase que vivi.

Os versos que fiz,
Os versos que joguei,
Os versos que guardei,
Versos que para ti e nunca os mostrei.

Também são versos de momentos.
São versos escritos nessa exata hora em meu assento.
De um momento vivido.
E a data exata tenho certeza que eu , jamais me lembrarei.

Senti,
Vivi...
Teve toque e não teve retoques...
Que nunca demonstrei.
No diário da alma ,gravado ficou.

Secreto, delicado e debaixo das minhas lembranças vividas que sempre foram segredos...

Por segundos ou minutos,
Te desejei...
Mais o tempo é enigmático.
Onde guardo tudo....
Não sei se posso chamar isso de poema ou conto.

Mais decidi não ilustrar,
E sim relembrar,
Das quatro paredes estreitas do passado.

Fiscalização?
Nossa!
Tinha até de sobra...
Duas mães,dois pais num almoço que fomos convidados...

Trago no peito uma honra ,por não ter sido pego em flagrante e nunca isso com alguém ter desabafado.
Trago no juízo essa alma inspiradora e no corpo uma boca pouco falante.

Perfurei os anos que passaram.
Vivi pontos na vida em aventuras e desventuras.

Mais foi,
Marcada por mim.
E os sonhos foram sepultados..

Miragem ou paisagem.
E isso não é carência fragelada...
E agora vivo a saudade nos descrevendo nesse ilusório teclado.

Nas mãos,
Um dom de escrever...
E tudo que escrevo aqui,
Planteio então o que não tive...

Vangloriar-me daquele momento? Jamais.
Porém, teve o momento.
Olhos azuis.
O mar te inveja com tanta beleza...

Talvez por ser tímido e machucado pelo destino,
Calei....
Mas o destino me trouxe dádivas e tormentos.
Para certos momentos eu agora descrever.....

E na carta poesia, que alimentei aqui em uma fantasia de outrora.
Então,
Que eu beba então nela sozinho, a ilusão que por vontade própria...
De ti,
Me lembrei....



Com amor.
Ricardo Melo.
O Poeta que Voa

Ricardo Melo

⁠Duas grafites

___________________________________________
🌹🔥🌹🔥🌹🔥🌹🔥🌹🔥🌹🔥🌹
Duas grafites,
Dois corações.
Duas almas.
Escrevem frases de amor...
_________*_______*_______*________*______
Duas grafites
Dois pensamentos.
Dois argumentos
Trazem um bom diálogo com amor...
_________*_______*_______*________*______
Duas grafites
No entrelaçar de seus dedos
Fazem a poesia
Ir além da imaginação do amor
_________*_______*_______*________*______
Duas grafites
Dois pares de olhos
Fazem da melodia
A mais linda canção de amor...
_________*_______*_______*________*______
Duas grafites
Um papel em branco
Fazem de seus versos
Belas cartas de amor...
_________*_______*_______*________*______
Duas grafites
Duas almofadas
Fazem do cenário
Momentos de amor...
_________*_______*_______*________*______
Duas grafites
Duas inspirações
Duas certezas
Fazem no poema,
A mágica do amor.
♥💖♥💖♥💖♥💖♥♥💖♥💖


Autor:Ricardo Melo
O Poeta que Voa

Ricardo Melo

⁠Lá na roça

La na roça,
A gente planta ,a natureza rega e colhemos que ela regou.
Hoje vou falar de uma planta.
Cujo vegetal é fenomenal.
Rala-se a espiga e o leite escorre no latão furado com prego e martelo e não há quem resista a cozida massa ralada e laranjada.
La na roça é assim,
A gente tira a palha e os cabelos e as espigas vão chorando o tal caldo na bacia improvisada.
Até o luar do interior chora nessas horas.
A safra do grão amarelo escorre pelas veias da poesia.
Até os animais agracedem.
Milho verde!
Oh! Trem bão.
Gostinho do interior.
Gostinho da roça sinsinhor.
Enquanto o Juninho queima o carvão.
O Lourival fica de boca no chão cozinhando no taxo de latão.
A família toda participa da ornamentação.
Mamãe e minhas irmãs,
Enchem as conchinhas na palha verde retiradas das espigas.
Depois de empalhadas e cozidas.
Se torna o prato do dia,
O angu na frigideira se embola e se mistura com poente do Sol....
Oh! Saudades meu Deus.
É o puro sabor daquele nosso,
Sertão.....

Autor: Ricardo Melo
O Poeta que Voa

Ricardo Melo

⁠COM VOCÊ ALÉM DO POR DO SOL

Cobiço você oh! mulher.
Atravessei o universo,
E fui até o confins da terra.
E minhas asas, fracas ficaram.
Após tantos sofrimentos, ainda atordoado e bastante machucado, lhe digo que esse "Coração" ainda está batendo.
E bate forte por um único motivo:
Você!
O que arde como fogaréu em mim,
Está além do por do Sol que nos candeia.
E é lá que quero,
Degustar dos seus lábios e sentir também nossas almas se tornarem únicas.
Lembre-se,
O que nasceu para ser,
Será.
Seremos felizes para sempre...



Autor: Ricardo Melo
O Poeta que Voa

Ricardo Melo

⁠Eleito


Os fatos desconhecidos não são tão assim imperfeitos.
São pratos bem feitos.
Cujo um deles é de um jeito que deixa o sujeito com água na boca e as babas vão se escorrendo pelo peito.
Torresmo frito perfeito!
Arroz,couve com um feijão tropeiro,
Não há quem não coma com prazer esse tipo de enfeito.
Aos olhos de muitos ele é o tal
Suspeito.....
Nos conceitos de uma ilusão qualquer ,dou rimas e não uso preconceitos.
Oh!Doce sabor que é temperado com sal,nesse poema é eleito.
Alguns agem com ele com muitos desrespeitos.
Quando ele está diante de mim,
eu não me deito.
Gostar de torresmo não é defeito.
Defeito é dizer que nunca comeu e não gosta.
A torto e a direito até os prefeitos comem desse cardápio com respeito.
No auto conceito,
Espero ter causado ao menos algum efeito.
Satisfeito por rimar.
Insatisfeito por não comer.
Mas foi bom aqui essa iguaria declamar.
Agora,
Vou ver se acho pra comprar.
A vontade é tanta.
Que o desejo de ver escrever,
Foi desfeito.....


Autor:Ricardo Melo
O Poeta que Voa

Ricardo Melo

⁠Segredos



Afinal de contas,
Somos segredos.
Ah! Se somos.
Somos isso é muito mais que imaginemos.
Pensei que era a semente,
Mais na verdade eu era a planta.
Pensei que era a flor,
Mais na verdade eu era o fruto.
Pensei que tinha apenas dois pés,
Mais na verdade eu tinha duas asas.
Pensei que era incapaz,
Mais na verdade eu era muito capaz.
Pensei que tinha caído,
Mais na verdade eu ja estava em pé.
Aconteceu!
Nossa como aconteceu.
E tudo foi além do meu imaginário,
Dei rasteira na ilusão e ouvi destroços se juntarem.
Fui infeliz fazendo pessoas felizes.
Derrotado não percebi que isso foi a coluna que me sustentou.
Senti o vento soprar em minha face.
Causei estragos na raiva e no rancor.
Vivenciei o que não imaginei.
Licenciei o RG e CPF,
Rodopiei como pião na fieira e fui me atordoando no solo circulando nas muitas giratórias da vida.
Aproveitei o embalo e caí na folia romântica.
Estendi a mão para damas de azul e vermelho.
Impulsionado pelo poema,
Improvisei versos até fora da arena.
As morena me aplaudiram.
As loiras choraram,
As ruivas deliraram,
E as mulatas sapatiaram.
No solado do meu sapato,
Algumas como chiclete em mim, colaram.
Tive que ser forte,
Tive medo e tive sorte.
Estabilizado no verso...
"Se vira-te"
Amei com carinho e aos poucos decidi decolar.
Fiz delas estrelas e pintei seus corações com cintilante lunar.
Voei,
Voei em busca de abraços e
recebi flechas afiadas.
Perdoei,
E aos demais segredos tive fome e sede.
Bebi água suja e comi pão adormecido...
E vi,
Que fervendo a água é deixar ao ponto para não fazer mal a saúde.
E do pão fiz torradas para não pesar na barriga para hoje eu ser o que sou.
E continuará assim...
Se o ontem foi ilusão e dor.
Hoje será a experiência dançando na chuva e no Sol.
O amanhã,
Será todo fardo que carrego que fiz.
Pesado ou leve será assim...
Mais tudo isso com fortes motivos.
Para eu ser mais que,
Amor......


Autor:Ricardo Melo
O Poeta que Voa


Ricardo Melo

⁠Alma latejante



O alfabeto corre nas veias,
Os versos pegam caminhos desconhecidos.
Deixo minhas escritas voarem pelo espaço A natureza é amiga.
Sou da terra,
Sou do Amor e o meu arco caçador busca o almoço para eu degustar.
No capim rasteiro não ficam minhas pegadas.
De alma gentil,
Vou alcançando a lenha para o fogão.
Como amante dos ventos.
Paro para beber água e espantar os tormentos.
Oh, Terra Santa!
Embora a felicidade as vezes falhe e as lágrimas tomem o lugar dos sorrisos engatados, vou aos poucos esquecendo das palavras que tenho que usar.
Um passarinho qualquer pousa em minha janela e o meu dia vem alegrar.
Vida de compostos incentivos faz minha voz ecoar.
Gentileza!
Na flor da framboesa a ilusão que me faz sofrer é notória e com ela eu vou pelejando.
Na patria amada que vivo,
Revejo portos imaginários e demarcações que fiz no passado.
Dancei com os pássaros e pinguins;
Toquei em veleiros em mares diferente;
Gosto de explorar novas portas abertas,
Nas fechadas, eu bato por educação,
E aquelas abandonadas, dou um ponta pé e as boto no chão.
Como filho valente,
Dou um abraço no povo,
E um cheiro no cangote do meu amor.
Se chorei por amor, vou continuar chorando.
Na idade que tenho, qual é o mal que posso fazer se as lágrimas insistem em derramar?
Se existe de fato a felicidade absurda que ainda não vi, deve ela chegar a qualquer momento diante do meu olhar..
E até hoje, ainda sinto saudade daquilo que não vivi.
É porque Deus também tem um plano para cada um.
Deus é o realizador de sonhos.
E se sonho, é pela permissão dele.
Vou seguindo perambulando e pairando no ar.
Revivo o que não sonhei e vivo aquilo que não conheci.
Vivo na poesia e ela parece que não se aparta de mim.
Quando digo que não quero inspiração.
Lá vem ela com sua intimidação.
Intimado,
Nos versos já me vejo sonhando,
E os sonhos ainda ei de disseminar.
Algumas frases na vida ainda irei eu de apagar
Mistérios!
Náufrago de uma alma latejante que chora constante por um amanhã melhor.
Porém, só tenho o hoje.
O amanhã é uma incógnita,
Pois não sei se amanhã aqui,
estarei ....


Autor:Ricardo Melo
O Poeta que Voa

Ricardo Melo

⁠Fome e sede/Degustação


Mesmo sem bagagens,
Vou vivendo degustando sabores...
Na composição,
Edito sorrindo ou chorando.
Tenho facilidade de sorrir
Tenho facilidade de chorar.
Afinal de contas!
Alguém nunca chorou?
Me chamo/ canção.
Pseudônimo /refrão.
Sobre nome /inspiração.
Na frase\...Onde estão os achados perdidos?
Estou em todas as linhas que ela se expõem..
Pequenos pecadinhos de estimação vou me livrando.
Do sereno orvalho que caí na madrugada,
Bebo dele até do mel que sobra da neve que caí na invernada....
Degustar a vida como ela é,
A nobre atitude pega rumos que ao chegar da noite...
Até o travesseiro companheiro é agradecido pelo dia bem aproveitado..
Se é para ostentar;
Ostento sorrindo mesmo até quando eu me, cansar....
O chocolate para mim é apenas um condimento qualquer...
O sal,
É o sabor dado pelo Criador...
Minha fome e sede tem nome..
Ela está acima do absoluto ou bem além do pintar as nuvens
E as poesias que ainda farei na vida,
Não caberá as palavras desse,
Nome.....



Autor:Ricardo Melo
O Poeta que Voa

Ricardo Melo

⁠Expressos


Meus desejos eu não posso expressar em palavras.
Mais um conselho eu me dou e divido ele com os que querem comigo isso compartilhar
Lá vai..
👇👇👇👇👇👇👇👇👇👇
🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹
Nunca tentem conhecer o limite do amor.
Nunca.
Sabem porquê.
É porquê ele não tem limites.
Não tem e nunca terá.
O amor é nobre...
O amor não tem emoções
Emoções essas que fazem qualquer um perecer.
Mais tem aquelas que faz a gente sorrir e chorar de felicidade.
Incalculavel ele é.
É um processo difícil de te explicar.
Mas ao mesmo tempo é fácil de entender.
Observem ao redor.
Só o fato de estarmos vivos, já é uma Vitória...
Tudo que é oposto da soberba se sobre saem do Oriente e vão voando até o Ocidente não tendo em vista a vastidão do universo.
Expressos nobres,
Nobreza de uma nobre alma.
Nobreza de um nobre coração.
Tentem entender essas palavras que verás o quanto são felizes e ainda não sabem...
Parabéns aos que sabem tudo isso, entender...
Deus lhes abençoem sempre.
Sempre ,eternamente....


Abraços meus...
Ricardo Melo...
Um Poeta que não se contenta com mixaria...
Principalmente,
O Amor....

Ricardo Melo

⁠Pedido de casamento


Nos conhecermos.
Entrelaçamos nossas almas naquele dito momento.
Afinal!
Após aquele dia fomos uma única vez, adversários?
Não!
Pois bem;
Tua alma se ligou com a minha.
E o meu coração com o teu.
Nossa carne ainda não se acoplou.
Pois me guardo para ti para o sonhado momento de núpcias.
Nunca agi assim.
Lua de mel e do amor...
Sem barragens,
E nas estrelas contigo eu vou.
Com sua presença na minha vida, tudo mudou.
Nunca brigamos.
Nunca nos debatemos.
Parece que tudo que sei ,você já sabe.
Tudo que sabes eu também sei.
Por isso peço-te agora para casar comigo.
Unidos chegaremos ao altar.
Lá,
Direi o meu sim tão sonhado.
Beijarei-te pela primeira vez na frente do padre.
Sou da moda antiga.
E o seu presente é esse.
Casa-te comigo,
Aos pés do altar lhe proporcionerei as mais lindas palavras de amor e união.
Sem contar o vestido que está quase pronto.
Saberás o modelo quando eu ouviu de sua boca a reposta que sempre desejei.
Ao vivo narrarei um poema meu para ti.
Ele está escondido e nunca foi publicado.
Ele será a surpresa do momento, fora outras ornamentações.
Fiz sonhando acordado sabendo que esse dia em breve será realizado...
Aceita casar comigo?
Serei o teu único homem.
Um mega Poeta apaixonado,
Por ti....
Aceita?


Autor:Ricardo Melo
O Poeta que Voa

Ricardo Melo

⁠Tem horas que a poesia parece uma criança neh./
Chora atoa ./
Chora até por uma pitadinha e açúcar para dar,
Sabores..../
Versos que são cultivados junto as flores.
Violão e composição de mãos dadas com a canção.../
Poemas para um amor. /
Acordes que reclamam por falta de declamações.../
Versos que brotam em uma alma inspiradora.....>>>>

Autor: Ricardo Melo
O Poeta que Voa

Ricardo Melo

⁠Voando...



Recentemente , sonhei...
Sonhei que estava voando,
Fiz uma decolagem para nunca mais aterrissar....
E voando,
Falei com os pássaros.
Apostei que eu era até melhor que eles para voar...
Sobre o céu azul e os oceanos,passei...
Anjos e arcanjos estiveram comigo em pleno ar.
Como ave sem rumo,
Fiz ninhos nas estrelas e em solo lunar.
Entre os meus sonhos,
Um deles era fazer moradia em qualquer lugar...
Dormindo,
Fui flutuando fora da órbita e ouvi canções para um amor.
Não encontrando poluições...
Só via os planetas cada vez mais de mim se distanciar.
Como voei...
Voei tanto que uma de minhas asas tive que consertar...
Bem sei que esse universo não tem fim...
Como pássaro estou ainda sonhando..
Como sonhador e viajante do espaço...
Não sei se ainda na terra eu irei voltar a, pisar...
Voando........


Inspirado no play back/ voar
Autor:Ricardo Melo
O Poeta que Voa...




🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹
Letra original da musica....

👇👇👇👇👇👇👇👇👇👇👇👇👇👇👇
"Flying"

Voar, pensei que nunca aprenderia a voar
Eu pensei que passaria minha vida inteira tentando
Pois voar é aquela arte milenar de manter um pé no chão ...
Mentindo, eu pensei que nunca iria deixar de mentir
Eu pensei que perderia tudo suspirando
Pois mentir é aquela antiga arte de esconder palavras que nunca serão encontradas
Chorando, pensei que nunca iria parar de chorar
Eu pensei que sempre sonharia em morrer
Pois chorar é aquela antiga arte de lançar rios para o chão
Oh morrendo, pensei que nunca veria essa morte
Eu pensei que passaria minha vida inteira voando
Pois morrer é a antiga arte de manter um mundo girando
Suspirando, pensei que nunca deixaria de suspirar
Eu pensei que sempre estaria lá chorando
Pois suspirar é aquela antiga arte de respirar tristeza ao redor
E tentando, pensei em passar minhas temporadas tentando
Eu pensei que poderia me impedir de mentir
Pois tentar é aquela antiga arte de provar que o mundo é redondo
Oh voando, oh oh
Mentindo oh oh
Chorando, oh oh
Suspirando, oh oh
Tentando, oh oh
E morrendo, oh oh
Pois morrer é a antiga arte de cultivar flores no solo
Sim, ele é...

Ricardo Melo

⁠Reflita


Afinal,
Você ao menos reparou o tempo passar?
Afinal,
Você ao menos se importou em olhar para o relógio?
Afinal,
Você ao menos quis saber quantas horas passei debaixo de sol e chuva te esperando?
Não!
Tudo bem.
Te procurei,
Te esperei tanto.
Todas as vezes que eu ia ao teu encontro ,me destes um chá de espera...
Quando você decidir pensar sobre isso ,reflita..
Mais não precisa lembrar mais de mim...
Me esqueça por favor.
Não remoa o que já está moído....
E se acaso alguém te fizer esperar como eu te esperei,
Não diga nada...
Faça como eu, chore em silêncio.
Não se abale com sua jangada....
Só tome cuidado para ela não se afundar.
Pois foi você quem á,
Construiu.......


Autor:Ricardo Melo
O Poeta que Voa


Ricardo Melo

⁠Ah ! Quem me dera


De preferência sem amarras.
Assim é meu sonho.
Ah! Quem me dera subir...
Desprender-me do que me segura e sumir pelo espaço.
Não quero o futuro
Não quero o passado
Quero momentos
Quero subir com as forças dos ventos
Nascer de novo
Ver tudo novinho
Voar como um passarinho
Ser uma pipa no ar
Ver as estrelas e o luar
Voar,voar e voar para não mais voltar....
Sem linhas para ninguém me governar...
Se eu cair...
Que eu caia sozinho..
Pelo menos não levo o peso da culpa.
E não terei o dever de pedir a ninguém,
Desculpas.....


Autor:Ricardo Melo
O Poeta que Voa

Ricardo Melo


Néctar


O nectar que corre em sua boca, impressiona.
A poesia canção faz mágicas com as rosas.
Sobrepõem letras emocionadas das flores.
Anjos falantes voam e estende sobre si Impressionada,falas no cenário assim;
Deliro-me com pólen em sonhos reais
Sem intervalo me dou ao teu luxo.
Uma viajante e um amor sem fim.
Em tua alegria eu vejo colírios.
Pois delirante é isso para mim.
E inspirado em minha boca
És o beija flor que suga
Tudo que tem, em mim.....
-Ouvindo isso fico eu,
Feliz.......



Autor:Ricardo Melo
O Poeta que Voa

Ricardo Melo

⁠Desparasitando a poesia



Ando colhendo no tempo ,imagens...
Viajo na ilusão.
Não vejo o futuro.
Esqueço do ontem.
O chamado botão play é priorizado.
O agora é agora,
E provérbios e advérbios em minha mente são elaborados.
Palavras analógicas me conduzem.
Metáforas conexas e desconexas me perturbam.
Imaginativa planetária que roda sem cessar em uma só fusão explodindo o meu coração.
O Sol nasceu iluminando o meu dia.
Bem vinda então alegria danada!
E xô pra lá tristeza parasitada!
Maravilhosa é a poesia que escrevo.
Grito bem alto como o rugido da fera indomada.
Agito a garrafa de café, minha companheira das madrugadas
Venha comigo dia arrumado!
Chora comigo a canção, composta em uma noite enluarada.
Somos sofredores e gladiadores, trazendo sorrisos e expulsando as vacilações persistentes.
O orgulho cai no chão e a soberba contaminada, sai de mansinho sem se despedir.
Aqui não há vaga para a arrogância e o desdém.
O mar que nos derruba é o mesmo que nos encanta.
A agulha vai chiando no prato de vinil;
Gira sobre o eixo carente, desistindo da cobiça.
Trata-se de uma composição que me faz velejar.
Entre os gêneros,
Abrigam-se os versos do perdão e do amor.
Quem bateu, nem sempre teve motivos.
Quem apanhou, não se deu o devido valor ou se perdeu no meio do fogo e ressequido ficou.
Desatam os nós dos faraós e a frase perversa não desmorona essa minha inspiração.
De malas e sacolas em mãos, lá vou eu, ouvindo moda de viola, ela sempre me consola.
Esses dedos calejados que dedilham minha viola, são os mesmos que escrevem esses versos conjugados que nesse instante veio em minha. cachola.....



Autor:Ricardo Melo
O Poeta quu Voa

Ricardo Melo

⁠Sem aplausos


Sem palmas por favor!
Aplausos não...
Deixem isso para um momento oportuno.
Quem não está para sorrir ,não sorrirá....
Esse choro, é ético....
Essas lágrimas contém asteriscos...*****
Enquanto esses olhos derramam cachoeiras...
Sinais gráficos estremecem a arquibancada.
E muitas dúvidas abalam minh'alma.
As estrelas defeituosas se perderam pelo espaço sideral.
Até a chamada telefônica emudeceu...
No palco da vida em que participo,
Nunca me deram o que eu mais sonhei.
Antes, assinalei o verbo voar para eu mesmo gargalhar...
E me ofereceram uma cópia falsificada.
Os maestros quebraram seus instrumentos.
E os mestres do vocabulário me apontaram os dedos..
O circo ficou tenebroso...
E o palhaço que quis fazer o planeta sorrir...
Não conseguiu e chorou......


Autor:Ricardo Melo
O Poeta que Voa

Ricardo Melo

⁠Um Eterno Sonhador

Simbólicos dias se foram,
Aprendi com alguém e ensinei.
Escrevendo assim vou eu.
Vou devagarinho me apoiando no raio da vida.
Ele é o Sol..
Amigo meu de todas as horas.
Aqui e acolá vou versejando.
Tem horas que nem sei quem sou...
Mais sei,
Que sou um eterno sonhador....
E o dom que me domina,
Faz de mim,
Uma inacabada poesia...
Até sinto,
Que isso nunca terá fim.....


Autor:Ricardo Melo
O Poeta que Voa

Ricardo Melo