Ricardo Melo .

1 - 25 do total de 1138 pensamentos de Ricardo Melo .

⁠Oh Paz.


Deixando o rastros apagados...
Lutando com a vida...
Junto do nascer e ao por do Sol...
Com jeitinho...
Pedindo aos céus a proteção...
Onde está você oh Luz...?
Onde está você oh paz...?
Ao mesmo tempo...
Vejo no horizonte...
A Cruz que me clareia...
A Cruz que me reluz...
A Cruz que me pede...
A Cruz que me rejuvenesce....
A Cruz que um dia no passado...
Alí...
Foi humilhado....
Alí foi nos dado...
Ao ponto da dor...
Ao ponto do clamor...
Ao ponto do amor...
Uma vez foi cravada...
Levantada e manchada...
Com o sangue de um Santo...
Manto sagrado em um Reinado...
Todo ego...
Todo pecado...
Todo sujeira....
Toda poeira...
Ficou comprovado..
Colocaram no livro sagrado...
Espírito Santo...
Em teu afago eu me rendo...
E de joelhos eu calo...
De joelhos eu grito...
Compadecido e sofrido...
Oh Paz....
Busco-te em meu silêncio....
Sinto até a voz do vento...
As lagrimas que enchugo...
Nesse meu cantinho...
E com esse meu lenço...


Autor Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .

⁠Peão de Boiadeiro

Como vaqueiro...
Tocando o rebanho..
Ahoooo chão batido...
Peão de Boiadeiro....
É de poeira...
É de raça...
Sou sulista...
Sou brasileiro...
Laço na anca do potro...
Espora de prata de enfeite...
Chapéu de Panamá...
Me cobrindo do Sol...
Na sombra da poesia...
Cafézinho quente na lata...
Fogueira no roçado...
O gado descansa e alimenta no banhado...
Sertanejo puro...
Nascido no campo....
Berrante sedento....
Cavalo selado com alimentos....
Astuto e matuto...
Profissão de coração...
Atravessando fronteiras....
Ferradura no casco...
Bate no lageado...
Bota de couro nos pés....
Prestigiado e respeitado...
Cowboy e herói....
Por trilhas marcadas...
Percorrendo estados..
Em terras panteneiras...
Estilo campeiro....
Ameaçado por coices da vida...
Vou me livrando do perigos...
Apoiado pelos céus...
Raspando e rasgando...
O cortinados e véus....
Na face uma luta...
Embarcando saudades...
Estradas empoeiradas...
Demarcando o sertão....
Rio, corregos e lagoas...
Chuva fria e verão....
Boiadeiro desbravado...
Poeta e rêdias na mão...
Duas décadas vividas...
Numa vida caipira assistida....


Autor Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .

⁠Um belo dia...

⁠Um belo dia...
Há alguns tempos atrás....
Já faz quase 20 anos...
Uma semente foi plantada...
Dois corpos se estremeceu
Os passarinhos...
Faziam parte da orquestra...
Gorjearam com alegria...
Anunciava ali...
Um amor de vendaval...
Após o mês de Carnaval...
O ato aconteceu
As nuvens se armaram nos céus...
Cobria o telhado de um encontro...
O céu se abriu....
Os pássaros cantavam na colina...
No geral....
Ninguém nessa época sofreu....
O sol que cobria de amor....
O nosso passado morreu
Ainda me recordo....
Daquela grande decisão....
Eu não queria mais ser....
O Mestre da ilusão....
Ser chefe pra mim....
É ancorar nos braços da minha amada...
Mas o que faltou....
Algo me desiludiu....
Os anos se passaram....
Deus me chamava...
"Vem cumprir sua missão"...
Foi por vontade própria....
Deixei a morte de lado....
Me fiz de homem da paz...
E esqueci toda perturbação...
Com essa atitude....
As trevas ficou abalada....
Todo lamento esqueci....
Agora...
Me vejo no destino certo...
Por ser assim....
Não roubei meu tempo perdido....
Sou de fato brasileiro....
Saudades foi um tom...
Colorido e em minha alma hospitaleira...
Não sei se meu nome ficará na história...
Se ficar...
Que seja então uma recordação
Seu sorriso me cativou....
Essa vitória não é só sua....
Ela é também minha...
Aos teus beijos me entreguei....
Não paguei aluguel....
E muito menos deixei um calção...
Com sabedoria estamos aqui...
Seremos agora a revolução...
Depois disso tudo...
Somos a própria dominação....
Pegue também aqui...
Segure firme em minhas mãos....
O teu doutor voltou....
Dois corações unidos....
Deus por sua caridade...
Amparou esse casal....
Somos nós...
Eu e tu....
Nossos braços são fortes...
Vamos viver em paz...
E pra toda nossa eternidade


Autor Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠Meus versos pra ti.



Na realeza de um escrevinhar meu...
Pra ti...
Dedilhei um acorde...
No verso declamado...
Chorei e senti...
Dediquei as flores...
Dediquei todos os meus amores...
O ponteiro marcava horas..
Meus gritos eram de profundo silêncio...
Rabisquei os quadros...
As folhas se emergiram...
Deixei tudo em alto relevo...
Do azul ao marfim...
Cor de rosa e odores de jasmim...
Na parte em branco...
Fiz seu rosto reluzir....
Torturei meus sentimentos...
Tive afago...
Não fui em busca do gole e do trago...
Vasculhei nas lacunas...
Fui buscando as melhores palavras...
Para ti dedicar e compor essa poesia...
Invadi o meus tímpanos....
Ouvi sua voz me aclamar...
Catei o pôr do sol...
Fui no oeste do seu calor...
Contei ao mundo...
Oeanos e rios...
E da altura que eu estava...
Me joguei do penhasco litorâneo...
Me oferecendo pra ti...
Tu...
Oh mulher...
Mãe e companheira...
Adestrei meu verso mal criado...
Acalmei os ventos...
Silênciei a garoa...
Calei a voz do vulcão ativo...
Desativei minha escrita mal elaborada...
Oh vida..
Uma vida de gratidão...
Sem sogregador...
Com temor...
O semáforo abriu...
Passei por vales e campinas...
No alto da serra...
Senti a neblina...
O orvalho que caiu...
Regou nossa paz...
E de ti...
E de mim...
Expulsei...
Nossa terna e dolorosa solidão...


Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠Rabiscos e borrões.



Uma lágrima calada...
Uma lágrima derramada...
Um ruído na alma...
Uma murmura exagerada....
O até que seja a mínima...
De uma aventura qualquer...
Eu...
Se algum dia estiver longe de tudo..
Procurem lembrar dessa mensagem...
Ela...
Os falará...
Ela ficará registrada...
Se eu tive a faca que um dia cortou...
Se eu mesmo á amolei pra me ferir...
Se eu mesmo á amolei pra ferir alguém..
Se eu mesmo massacrei e me decapitei...
Então...
Me dêem licença....
Deixe-me costurar....
O que eu fiz...
Não foi por mal...
Alguém aí...?
Não sei se haverá alguém pra contar...
Ainda que eu esteja vivo...
Ainda que eu esteja longe de mim...
Ainda que eu não exista mais em vida...
Talvez...
Haverá em mim....
Um ultimo suspiro de vida...
Um último momento de paz...
Amigo ou inimigo...
Compactuei sem saber que estava compactuando...
Exprimo esse poema...
Com minhas inúmeras alegrias...
As minhas dores...
As minhas ruínas....
As minhas feridas...
As minhas vitórias...
Aguentei também coisas que não deveria aguentar....
Mas suportei...
E de tudo que eu vi...
Assisti...
Vivi e participei....
Oh Deus do universo eu te peço...
Se foi ou não foi...
Se é ou não é....
Se ainda não foi e será....
Quando chegar minha hora...
Por favor oh Criador...
Por favor oh Pai Celestial...
Não me deixe só nessa hora...
Em cada olhar que fitei...
Em cada palavra minha citada...
Seja lá ela qual for...
Não me condene oh Pai...
E em cada mensagem ou poema escrito...
Que seja um pedaço de minh'alma aqui marcada...
Na tábua da vida....
Escrevi e fui sincero...
Escrevi na certeza que eu estava certo...
Escrevi na certeza que estava no caminho da luz...
Se não deixei parar...
É porque eu quis continuar...
Se deixei de orar...
É porque eu me esquecei...
Ou foi fraquesa...
Ou foi esquecimento...
Te peço também oh Senhor...
Em minhas noites futuras...
Conserve-me como a menina dos teus olhos...
Oh Rei...
Magestade Santa....
Que essa nossa amizade nunca acabe...
Quando um dia eu estiver contigo...
Em teu reino...
Pegarei em suas mãos...
Receberei sua graça...
E esse poema ja terá ficado aqui na terra....
E ele...
Não fará mais falta...
O que é de costume eu escrever...
Tudo terá acabado...
Envie teus anjos...
Se caso esse poema chegar aí em cima oh Pai...
Em forma de SMS...
Em forma de e-mail...
Em forma de fé....
Se não é te pedir demais...
Meu nome....
Não esqueça dele não...
Inclua ele na sua lista, oh Deus....
Inclua minha família...
Inclua as pessoas que amei...
Inclua as que um dia me feriu...
Inclua os meus amigos...
Inclua as que um dia eu machuquei...
Mesmo aquelas que eu não conheço...
Na lembrança...
Não ficará mais apagada
Escrever tudo que quero..
Infelizmente não dá...
Em especial...
Deixo aqui minhas sinceras desculpas...
E por toda essa minha vida...
Levarei algo importante contigo...
A luta é essa...
A vida é essa...
Resumo o assunto...
Resumo esse verso poético...
Lembrem-se...
Um dia estaremos diante do Criador...
Solitárias noites...
Solitários dias...
Vagarei com minha alma por um Jardim da vida qualquer...
Na procura do meu próprio afago...
Na esperança de sorrir mais...
Na esperanças de amar mais...
Na esperança de viver mais...
Pois eu...
Ainda estou aqui...
O que me resta...
É apenas improvisar um verso...
Ou grafar linhas...
Rabiscos e borrões...
Com ou sem opiniões...
A mensagem que fica...
É a mesma que levo...
Fé...
Acreditar em dias melhores...
Acreditar que sempre haverá uma saída...
Em cada linha desse poema...
Uma gota de lágrima fica...
Uma gota de sangue manchada na página da estrada...
Escrever tudo que escrevi até o momento...
Ainda não tive respostas...
Responderei eu amanhã...
Se fui o primeiro ou último...
Se fui inconveniente...
Darei outro passo adiante...
Me retiro....
Com o peito aberto....
Por outro lado...
Com o peito fechado...
Claro...
E também objetivo....
Termino esse poema...
Lavando minh'alma de Poeta...
Até um dia sei lá...
Até outra vez se é terá...


Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

A falta

Por ti...
Po mim...
Assim...
Esqueci de mim...
Esqueci de você...
Mas, tanto chorei....
Mas, tanto também errei...
Esperei...
Foi falta de Deus...
Foi falta do Espírito Santo...
Foi falta de busca...
Entre os momentos...
Fui delinquente...
Fui indecente...
Fui uma mera gente...
Mas, o vapor consumiu...
As gotículas serenas secaram...
Oh Pai...
Oh paz...
Saudade da minha alma de criança...
Pernoitei nos dias...
Vivenciei nas noites...
Mudando o que não via...
Balbuciei....
Ei...!
Onde...
Sei...
A tua coragem...
A tua miragem...
Fez hoje refletir...
E no refletor...
A Luz de neon doeu em meus olhos...
O refletor se ausentou...
De repente...
Um retrovisor....
Aqui...
Dentro de mim não há...
Ou há...?
Chama-se...
Apaga- se...
A frase não cala....
O caminho é longo...
A flexa crava...
A ponta agúda sangra...
Ela rasga...
Ela consome...
Aperto- me no labirinto...
Estreito e nebuloso...
Crédito pra quem tem...
Grafite de ponta grossa...
Desliza e não arrebata...
Oh paz...
E...
Devo e trago...
Desconsolo total...
Colosso é o mocotó...
Quando...?
E aí...?
Sigo em frente...?
Na incerteza de um jardim...
Mas...!
Ah mesmo aqui esse jardim...?
Existe...?
Certeza graduada...
Certeza guardada...
Devaneios de uma alma...
Tarimba no camarote...
Tarimba no gabarito...
Onde está a pista...?
Está na avenida...?
Na rua deserta...?
Na rua escura...?
Na rua sem saída...?
Ou numa estrada sem fim...?
Temor a Deus...
Preciso disso...
Sem isso..
Nada feito...
Oh criador...
Oh gladiador de luz...
Oh gladiador que combate as trevas...
Dizer o que é...
Impossível....
Do amor que guardei...
Das juras que fiz...
Contrapartida de uma ira...
Sobressaem em toda fúria...
De uma despedida....
O vazio ficará....
O ego talvez se predominará....
Porém....
Os valores se vão...
Os valores se vai...
Os barulhos da alma clama...
Inflama....
Ardência na carência...
Das crenças...
Somente uma só....
O abraço é isso...
O desleixo muito mais...
Se é uma nave...
Ela voará...
As asas estão abertas...
Oh mundo...
O verde se faz...
Natureza...
Como é perfeita a natureza...
Não ha fantasia...
O que há de fato...
É origem daquilo vivido...
Sofrido...
Longe da luz...
Longe de uma palavra...
Não sei...
O verso é esse...
Torto mas é...
O no retorço da fama...
Não há ninguém que não inflama...
Falei...
De um amor quê...
Não sei se eu mesmo deixei...
Ou guardei por anos...
E pelo tempo...
Teve seus danos...
Amei...
Ao meu modo...
Mas amei...


Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7



De asas abatidas...
Me sentindo capaz...
Levantei um dia um vôo...
Caí e me feri...
Oh queda...
Apenas rastros ficaram....
E minhas escritas...
Mancharam-se...
As poesias que um dia eu fiz...
Sagraram nos campos...
Fazendo de meu voar...
Um destino sem rumo...
Uma ave no ar...
Uma Águia no céu azul...
Tocou-me...
Uma inspiração me abalou...
Soltei as asas da imaginação....
Cheguei ao chão e caminhei....
E fui dando vida as minhas asas...
E pelo vento fui levado...
Fui renovando um solo desnutrido...
Joguei adubo....
Voei baixinho semeando sementes
Desenrolando em mim...
As cordas que me amarraram...
Um Porto Seguro...
Estava em minha busca...
Quem...?
Minha digníssima Rainha...
Esposa...
Mesmo ferida....
Ela teve forças para continuar...
O que era pra ser...
O que era pra vir...
Veio como vulcão....
Oh identidade....
De pura santidade..
Consome-me com tua luz...
Uma direção oh Pai...
Tempos de sonho...
Econtra-me oh Santo com tua santidade...
Minha alma chora...
Minha alma clama....
Resolva o meu eternizar...
Irreal mundo...
Torna-me Real...
Meus rabiscos....
Estão manchados...
Poluídos pelo tempo...
Poluídos pelas falhas...
Poluído pela natureza...
Quero eu ainda...
Levar um Poema...
Cantar a linda canção...
Não sei onde...
Não sei como...
Não sei...
De fato eu realmente não sei....
Mas ambas as almas...
Do curió...
Ao sabiá...
O Japiim...
Ainda ouvirei...
O cântico na selva....
O albatroz....
A gaivota voando baixinho no Mar...
Leve-me oh vento...
Pra onde quiser...
E quem sabe outro dia...
Pra onde eu vou...
Um Reino...
Um céu....
Um véu....
Ate sei lá....
Tudo em mim...
Falará....

Autor:
Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠Fui te buscar mergulhando...
Submerso...
E inerte
Nesse mar, onde a beleza da Poesia cantou...
Aí...
A poesia em ti falou...
Mergulhada em emoções puras...
Sua existência acordou...
Eu...
Morto por dentro...
Cego por fora...
Perdido na escuridão...
Sem o raio do Sol...
Sem o raio da luz...
O que havia em mim...
Era apenas estradas tortuosas...
Pois a cegueira era tanta...
Que mal eu não conseguia enxergar a luz...
Desumano....
E quase que sem alma...
Não me existia mais...
Adormecido e sem vida
Até mesmo a minha alma já havia fugido de mim...
E como um conto de fadas...
Adormecida mas ativa...
E mergulhada nas certezas...
Nesse mundo sem chão...
Sua ação...
Foi mais que uma valentia...
Te beijei em longa distância...
Senti teus lábios nos meus...
Tocando um som que apenas seu coração ouvia....
Em meu coração tocou...
Despertaste a minha alma morta...
O que era inerte...
Apareceu...
Por ti, por mim e pela Poesia ...
Porque o dia hoje...
Eu posso dizer.....
O que há...
Requer felicidade
E ser feliz por ti...
E por nós...
E mais que primordial
Então....
Vamos lá...?


Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7


Se pela vida eu clamo...
E sobrevoo pela arte...
Se pela arte eu me dedico...
A poesia me acompanha...
Se ela está comigo...
Eu componho...
Rejuvenescer é isso...
O meu buscar...
Não existe paradeiro...
No meu ninho...
Toda vez...
Eu com minhas inspirações...
Outras vezes...
Adormeço...
Nem eu mesmo me sinto...
De uma hora e outra...
A arte faz parte...
Vou assim...
Revirando e sonhando...
Acordo e nem me lembro mais...
Voando...
Caminhando...
Cantando e sorrindo...
Mas nem sempre é assim...
Não sou de ferro...
Tenho também tristezas...
Trago comigo algo oculto...
Estou em buscas para desvendar...
Vôo em busca de minh'alma...
Vôo pela colinas...
Vôo pelas montanhas...
Semeando sementes...
Eu amo o que faço...
Faço e me reviro de cabeça para baixo...
Eu aspiro o alfabeto...
Eu regurgito letras...
Eu monto palavras...
E monto frases...
E as palavras...
São salteadas...
Minhas lágrimas...
Uso elas para regar...
Um poema aqui...
Outro ali...
E assim...
A minha biografia segue...
Nos temas...
Sou eu...
Entre os dilemas...
Bem acima das nuvens...
Energizo-me com minhas grafias...
E é disso....
Que me faz voar ainda mais...
Escrever mais não descrever...
Pois...
Um dia eu descobri o real prazer de ser Poeta....
E esse prazer...
Não é tão simples...
É grande...
É totalmente inabitável aos olhos de muitos...
Que no qual...
Está cravado em minhas asas...
E elas...
Fazem parte de toda minha inspiração...





Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠Ao Pó

Em algum lugar...
Não sei onde...
Mas sei...
E como sei...
Pode ser aqui...
Pode ser ali...
Pode ser longe...
Ou tão perto que nem sei...
Esse mundo...
De certo modo...
Tem seu modo cortez...
Tem seu modo malcriado...
Ou super educado...
Existe uma luz...
Não é possível...
Pela essência da natureza...
Pela flor que brota...
Pela flor que coloca sua cara nova todos os dias...
Não existem motivos pra..???!!!
Num esquadro qualquer...
A quina se faz tortuosa...
A linha está fora da mira...
A personalidade fugás....
Ela é minha...
E cada um com a sua...
Finalmente...
Ou até que seja incacabada...
Somos raças imaturas...
Uma mistura...
Uma parte é dor...
Uma parte é riso...
Outra parte é lagrimas...
Outras são fáceis de lidar...
Outras difíceis de compreender....
Eu compro...
Eu vendo...
Eu almejo...
Eu como...
Eu me...!
Sabe lá...?
Um dia eu fiz parte da infância...
Interessará será um dia eu votar na urna...
Por uma fonte de água...
Por um oceano....
Ou um espelho no Rio claro...
A miragem....!
É um desperdício..?
Erro meu...
Somente meu...
Único...
Individual...
É claro que é erro....
O que é Divino...
É perfeito...
Mais que perfeito...
Afinal...
Quem sou eu...
Distraí...
Chorei em solidão...
Achando...
Procurando...
E errando....
Árdua é a vida...
O açúcar é por conta de cada dose...
Cristalino é o cristal...
O vidro jogado se quebra fácil...
O minério é explorado...
Sua dureza é absoluta...
Baseado na força da natureza...
O ouro brilha...
O diamante é extremamente duro...
O bloquinho arcaico perdeu sua cor...
Resista alma errante...
Teu olhar é teu olhar...
O que é amor é amor...
A verdade ofusca...
Afugenta...
Ela queima.
Eita teatro de cortinas longas...
Sustentado por uma fúria...
Sem controvérsias...
Quem decide...?
Essa trajetória é louca...
E com todo respeito se empina...
Recolhimento ou acolhimento..., Encantamento ou avarento...
O que desalmou...
Também se desarmou...
Onde...?
E pra quê tantos julgamentos...?
Por onde eu vou...?
Pra onde eu vou...?
Por onde eu passo...?
Por onde eu fui...?
Até onde irei....?
Cravamos o arrebite...
E queremos tirar mas não é fácil...
Voamos...
Paramos...
Andamos...
Passamos...
E nos dedicamos...
É...?
E agora...?
Para onde estamos indo....?
Espero eu...
Ah como espero...
Que o outrora nunca mais volte...
E se voltar...
Quero eu...
Dissipar...
Pois sou feito do pó...
E é como pó...
Que terminarei....
Essa trajetória...
Com minha história...


Autor:Ricardo Melo
O Poeta que Voa

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

Oh professor



Ah querido professor..
Em tuas mãos ja passou...
O próprio professor...
Ja passou o engenheiro...
O arquiteto...
A Medicina por completa...
O cirurgião e o lampião...
O confeiteiro e o padeiro....
A automação e a computação....
O industriário e o empresário...
O boiadeiro e o fazendeiro....
O gari e a doméstica...
O próprio ministro da educação...
Juízes e desembargadores...
Advogados e outros doutorados....
E todos parlamentares...
Tu...
Oh professor....
És a raiz do princípio....
Na matemática ao português...
Inglês e ciências....
Física e histórias...
És de um tudo...
Um tremendo modificador...
Edifica sua aula...
Codifica com um emaranhado....
E quando chega em casa....
Ainda dá aula aos seus filhos...
Uma revista e um jornal...
Um livro de um educador....
Apenas você sabe...
O sentimento que carrega...
Seu magistério....
Não é apenas um privilégio....
Es mais que um inteiro colégio....
No quadro....
És um artista....
Equívocos acontecem....
Equilibrista no alambrado....
Na teia e no telhado....
Percorre escolas....
Levando seu aprendizado....
No Jardim da infância...
Ate chora nos desfolhados...
Nem tu....
Oh professor....
Sabe ao menos explicar...
Faz tudo isso por gostar...
Movido por uma magia dos céus...
Vai lecionando rasgando véus....
Orientado por outros professores...
Agora és o mestre dos doutores....
Levando a cada aluno....
Tudo que aprendeu....
Se tu fazes és vida para ti...
E o que tu fazes é com amor....
Do amargo ao achocolatado...
Dos sabores que levas....
Decifrar é difícil....
Teu conhecimento...
Está acima de si mesmo...
Segue lá Professor....
Um dia talvez....
Seu reconhecimento vem emergir...
Uma rosa em seu jardim....
Pois...
Se lecionar é seu prazer....
Ensina-me então...
Com teu infinito saber....
E eu...
Sou apenas um Poeta....
Que nem sei ao menos....
Direito escrever.....
Sou apenas mais uma ave no ar á voar....
Um dia eu também fui aluno....
Um dia eu também fui criança...
Um dia eu tive tanta vontade....
De cada vez mais...
Somente aprender....


Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠Perdão.


Perdão oh Deus...
Perdão por não te buscar...
Perdão por não amar...
Perdão por falar o que não devia...
Perdão por amar contra tua lei...
Perdão por caminhar em campos floridos sem notar sua beleza...
Perdão por dominar aquilo que não era pra ser dominado....
Perdão por laçar o touro na invernada...
Perdão por andar a cavalo sem notar seu lindo troteado...
Perdão por jogar o anzol no lago...
E não saber esperar vir o peixe pra me alimentar...
Perdão por enfatizar o que estava errado...
Perdão por não buscar teu consolo....
Perdão pelos meus sentimentos ruins...
Perdão...
Perdão pelos apertos...
Pelas vitórias não agradecidas de forma correta...
Contrariando tua vontade...
Perdão oh Criador....
Perdão por não ajoelhar nas horas certas....
Perdão oh Pai...
Perdão pelo desamor....
Perdão por complicar...
Perdão pelo laço atado com inimigo...
Perdão por deixar brotar em mim...
A semente que não era pra germinar...
Perdão pela minha mente...
Pelo meu corpo...
Pela minha inexistência...
Perdão pelo meu particular...
Perdão pela minha cegueira...
Perdão até pela minha chuteira...
Calcei e não coloquei o cadarço...
Ela caiu de meus pés e não percebi...
Perdão pela minha sujeira....
Perdão pelo que olhei....
Diante de mim...
Tudo era possivel....
E por minhas falhas se tornou impossível...
Mas percebi....
Que rimos e choramos por tudo...
Por qualquer coisa....
Por qualquer copo d'água...
Mas a água de sua fonte...
Nós bebemos e nos fartamos...
E como um rio que desce para o mar...
Alimenta seres vivos e não percebemos...
É como ave que voa sem destino..
As brisas seguem com seu encanto...
É como não existir...
Ou emergir sem ao menos saber....
Perdão então oh Pai...
Por querer respirar...
E não respeitar tua natureza....
Aspirei de tua fonte...
Aspirei tudo de tua grandeza....
E adormeci....
O que é de fato....
A respiração é minha...
Mas o ar é seu....
Ele é puro ouro....
Teu vento não tem agruras...
Este meu inspirar...
É de tamanha gratidão....
Enche-nos oh Criador....
Com tua santidade...
Se há tempo pra tudo...
Quero eu caminha na tua verdade...
Na tua vontade...
Na tua bondade....
Quem não pode...?
Todos podemos....
Desata oh Deus...
As amarras do inimigo....
E quero pra sempre....
Que sejas meu amigo..
Este sentir meu...
Entrego-te na palma de tuas mãos...
E nos acalma....
Com todas as tuas bênçãos....


Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

Solitário Poeta.


⁠Solitário Poeta...
Solitário escritor...
Solitário sonhador....
Perdi o varejo...
Dei de cara com o atacado...
Quis eu...
Chegar rápido...
Quis eu...
Encarar o mundo de uma só vez....
Opostas proprostas...
Óperas em grande sinfonia..
Fui aquele no palco....
Com o violino quebrado...
Reformei...
Troquei as cordas que estavam enferrujadas...
Encantei plateias....
Grandes idéias....
Foi um tempo...
O sol mostrou sua cara....
A garoa caiu...
O orvalho regou...
O sereno cultivou....
O deserto que era seco....
Em mim floresceu....
No vago da noite...
No encanto da lua....
Nas profundezas do mar azul....
Oh Criador!....
Talento de Sol....
Gladiador de raio quente...
Que combate as trevas...
Oh vida!...
Oh serenata!....
Encantam-me com os anjos da paz....
Perdidas estrelas no espaço infinito....
Tanto talento....
Se move sem ventos....
Cambaleia no horizonte...
Se move na hora quando pode....
Nos achados e perdidos....
Sempre há uma lamparina a frente....
Quero a fruta doce do pomar....
Hortaliças verdes e frescas...
O trigo para fazer o pão....
O arroz e o feijão....
O milho para o fubá...
E mais e mais....
Sinto-me comigo....
Sinto-me em outro lugar....
Sonhador escritor....
Sonhar não é pecado...
Sonhar faz bem....
E é bom um bocado....
Águas...
Águas cristalinas....
Que nascem nas montanhas...
Jorram sempre sem parar....
Oh fase!....
Arvoredos nas avenidas...
Arvoredos nos campos....
Do seco ao verde...
Que nunca nos falte...
O encanto....


Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠Náufrago.

Dedicado ao filme Náufrago


Uma profissão...
Uma história para contar...
Observando sempre a vida...
Obcecado...
Sedento...
Admirador dos ventos...
Tentando sempre controlar o tempo...
O relógio...
Como de fato nunca parou...
Os ponteiros...
Sempre foram iguais aos outros...
O tic-tac silencioso...
Acompanhado pelo sol...
Uma aeronave na pista...
Uma decolagem perfeita...
Um amor jovem...
Naquele momento...
Foi deixado para trás...
Uma pani no Ar...
Mas em pleno Ar...
Algo aconteceu...
A aeronave em um declive louco...
Extra acentuado...
Naquele capítulo da vida...
Parece que tudo ficou encerrado...
Para sobreviver aquela queda...
Nem me lembro como tudo aconteceu...
Mas quando eu abri os olhos da alma...
Em uma ilha deserta eu ja estava...
Pequenos destroços...
Comigo acompanhou...
Ali ficou eu...
Alguns pertences...
Uns meus...
Outros desconhecidos...
Tudo que eu tinha passado até alí...
Nada se compara...
Aos quatro anos que vinha na frente...
Mas como eu ia adivinhar...?
Uma jornada...
Uma nova história...
Uma nova vida...
Fiz amarras...
Queria eu me enforcar...
Testei o laço feito...
Mas de fato...
Não tinha chegado a minha hora de ir...
Foram anos...
Comendo e bebendo água de coco...
Frutos do mar...
Mas deu pra sobreviver....
Dente inflamado...
Uma bola de vôlei para me acompanhar...
Apenas queria um companheiro...
Para eu desabafar....
Com as feridas da carne...
Desenhei o Wilson...
Era com ele que eu chorava...
Era com ele...
Que tudo eu falava....
Foram momentos tiranos...
Foram dias e meses...
Foram invernos e primaveras...
A barba cresceu...
Os cabelos se alongaram...
Um estilo de sobrevivência diferente...
De tudo que eu tinha vivido...
Insano...
Louco...
Falei com o Wilsom...
Falei com o fogo...
Falei com os ventos...
Falei com as estrelas...
Falei até com o mar...
Oh vida...
Será se um dia...
Eu ainda irei voltar....?
O coração se apaixonou rápido...
E eu aqui...
Estou aqui...
Em algum ponto do oceano....
Encalhado e isolado de tudo...
Isolado da sociedade...
Isolado das pessoas...
Ah Wilson...
Feliz estou por ter te criado..
Embora és uma simples bola murcha...
Mas redesenhada...
Não é para menos...
Não é para mais...
Aqui...
Alem de você...
Resta-me um retrato...
De minha amada...
Amanhã será outro dia...
Quem sabe o tempo...
E os ventos nos ajudem...
A sair dessa ilha isolada....
Encalhamos juntos...
E se é que juntos chegamos aqui...
Sairemos juntos...
Em alguma jangada...
Tão longe...
E oculto dos olhos humanos...
Estamos....
De onde estávamos ontem...
Olha só....
Um navio cargueiro....
Socorro de imediato...
Acima de mil e quinhentos dias naquela ilha...
Sabe lá onde é...
Arrisquei a vida...
Rabisquei nas pedras...
Um dia talvez...
Alguém possa ler...
Saberão que passou ali um homem...
Mas jamais decifrarão...
Os dias de glória...
E os dias amargos...
Encontrado no meio do oceano...
Encontrado no meio do nada...
Cheguei novamente ao meu lar...
Mas....
Tudo está mudado...
Ja tinham me dado como morto...
Desaparecido...
Engolido por grandes feras marinhas...
E minha amada...
Nos braços de outro alguém...
O que me resta...
É seguir...
Caminhar....
Viver...
Náufrago por náufrago...
Ja estou afundado....
Deixar tudo que vivi...
É impossível....
Mas de um certo modo...
Vou tentar salvar algo que ainda me resta....
Antes daquele vôo eu era um...
Naquela ilha...
Eu fui outro...
Eu sou agora...
O mesmo náufrago...
Em um oceano diferente...
Em uma ilha conhecida....
Em uma sociedade arrumada...
E sei eu...
Ah como sei....
Só preciso continuar...
Só preciso me manter vivo....
Porque quem sabe o futuro...
Me proporciona algo de bom...
E dessa história que eu levo...
Vou tentar ativar o meu lado catalizador...
Criar um tipo de energia...
Um tipo de química...
E tentar rejuvenescer....
E viver mais....
Vou em busca de mobilizar sonhos...
Andar com sonhos...
Viver com sonhos....
De tudo que eu vivi...
Nem sei se mereço aplausos....
Foi pesadelo....
Foi ou está sendo fantasia e poesia....
Aspirando eu vou...
Respirando eu volto....
Somente sei...
Que fui movido por algo....
Mas não sei....
Se preciso de um terapeuta....
Sei lá...
Talvez....
Mas uma palavra final eu quero deixar....
Os dias que vivi naquela ilha....
Jamais desejo....
Nem para o pior inimigo meu....
E querem mesmo saber...?
Acho que o melhor dos sonhos....
Está mesmo é nas prateleiras de alguma panificadora da vida...
E por final....
Eu sei que preciso....
Ser no mínimo....
Melhor que ja fui.....
Até hoje....




Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠carisma


Reiventando um Poema mal elaborado...
Reformulei a cláusula do erro absurdo que cometi....
E de outras formas....
Utópicas imaginaçôes...
Eram palavras...
Mal posicionadas....
Algo opressor...
Invadia a minha imaginação....
Oh Glória....
Achei o erro e consertei...
Aberto ao mundo....
Aberto a novas ideias....
Completei com adjetivo...
Esse meu verso inspirado....
Tudo novo...
Tudo bem arquitetado....
Coluna de aço....
Revestido e pintado....
Aguardei a chave mestra....
A ser confeccionada....
Abri as cortinas....
Rumo ao norte...
Leste e oeste...
Caminhei ao sul....
Oh conforto bem esperado....
Ousado....
Outras formas de escrever...
Me veio a mente....
Defendi na subtração....
Apoiei a soma....
Calculei com uma extra divisão....
E multipliquei o pequeno refrão....
Não posso duvidar de mim....
Sou imagem da criação....
Espírito louco...
Possuído por um par de mãos...
Mãos do Criador....
Que fomenta todo o meu ser....
Não é um jogo....
Muito menos um ego....
Minha arrogância eu deixei....
Toda igorância se dissipou....
Aqui não existe superioridade....
O quê é bom....
Ainda está para acontecer....
Tudo isso aqui....
É passageiro e não viverá para sempre....
Levo comigo paz....
Levo comigo pecados....
Levo comigo risos....
Tudo que eu sou...
Nem me interessa saber....
Nessas palavras poéticas....
Esbanjo risos de mim...
Esbanjo lágrimas de minh'alma....
Se ofendi o meu próprio ser....
Defendo então...
Esse pequeno refrão....
Xô obstáculos....
Sai de mim e do meu chão...
Venci esse poema....
Através da minha imaginação...
Na minha mesa...
Há bastante vinho e pão....
Isso é uma beleza....
E ela...
Foi dada a mim....
Com toda gentileza....
Mas sei....
Um dia eu violei a lei sem saber....
Flores de Hortências....
Cultura para quem crê....
Isso não é um talento....
É carisma em meu jeito de escrever...
Os versos são meus....
E essa poesia é pra agradecer....
E digo de boca cheia....
Grande e talentoso mesmo...
É o nosso Deus.....



Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠Equilíbrio.


Desenhei uma estrela no céu...
A perdi na imensidão...
A voz ecoava além da via lactea...
Reunidas cores no infinito me ajudavam...
Na escola...
Inquieto eu estudava....
Silenciosos momentos meus...
Com toda minha dedicação...
Edifícios eu levantava...
O azul oceano...
Refletia na minha imaginação....
O meu lado criança...
Ativava o meu lado de artista...
Fui equilibrista no palco...
Cambaleei nas cordas bambas...
Infantil...
Errante...
Forte como um leão....
Oh brasileiro perturbado....
Goleiro por fascinação....
Cem conto de réis....
Não é valores que eu falo não....
É algo muito além do infinito....
E disso eu não abro mão....
Defender isso de ponto à ponto....
Não é pra qualquer um não...


Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠Brincando com a poesia.


Ah poeta...!
Quem és tu...?
És a folha verde que suspira...
És o rio que desce correnteza abaixo...
És a cachoeira cristalina que busca tua miragem...
És a melodia dos pássaros que cantam na savana rasteira....
És o golfinho que salteia no mar azul...
És a águia Real que vigia sua cria...
És Poeta...?
Ou és a fera que rugi na virgem mata...
Es tu que...
Ouve o inhambu chororó.....
Ou escreve o arco íris que avisa a chuva que se foi no horizonte....
Es a paixão de um Poema...
És a paixão de uma melodia...
És amor...
És a canção no ouvido de sua amada rainha....
Oh saudade...
Nos prantos de sua alma...
Jorra lágrimas de uma verdade...
Sorria Poeta...
Sorria...
Traga a frase...
Vai cascavilhando o alfabeto...
Costura tua rima...
És um escritor...
És um trovador....
Se perde na imensidão....
Vai fundo por esse mundão....
Sem demissão...
Afoita o que te convém...
Sem desilusão...
Afeta tua exploração...
Sem explicação....
Magoa um verso improvisado....
Em fendas profundas...
Vai até o âmago de sua imaginação....
Seus ideais...
Não sabe nem como faz...
Mas sabe tu...
Que nada aqui é eterno...
Versejador e rimador....
Ahooooo chão silvestre...
Pisa no solo...
Folha seca estala na selva...
Andarilho não...
Poeta de auto contraste....
Vai tu oh Poeta....
Vivendo e sonhando...
Rasga teu céu....
Estampa a tua imaginação....
Tua escrita....
Não é nada mais do que um simples refrão...
És a enxada amolada...
Corta rasteiro no cafezal...
Do trigo ao algodão....
Pomar carregado de melão....
É pera...
É maçã....
Uma hortaliça na palma da mão...
Quando erra....
Rega com amor a sua correção....
Usa tempero em seu rimar....
És a própria inspiração....
Ave voadora....
Que pousa no rochedo...
Faz seu ninho nos penhascos....
Desce ligeiro até chegar no arvoredo..
Oh Pássaro azul....
Arara colorida...
Mora bem distante....
De onde se vive...
O Grande tubarão....



Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠Feliz aniversário YOYO.

Yoyo....
Ohooo yoyo....
Desejo a você...
Filha de José e Maria...
A mãe é chamada de cintya...
O pai é Ricardo...
Uma irmã que leva o nome de Letícia...
Um cunhado por nome Paulo...
O bofinho...
Pseudônimo de Gugu...
Do ventre de sua mãe...
Chegaste ao mundo...
Fruto da paz...
Cheiro da flor...
Namorinho fora do portão...
Leva uma vida de rainha...
Vida boa pra quem pode...
Seus dias estão passando...
E em breve...
Tu acorda e se sacode
Segunda feira dia do seu niver....
O bom humor não é só hoje...
Tem que ser Especial...
Como qualquer dia...
Você...
É você....
Novas amizades...
Vão lhe acontecer....
Jamais diga adeus a ninguém...
O mundo gira...
E isso ja lhe falei....
Seja sempre a criança...
Seja sempre a esperança...
Esse poema...
É teu...
E o amor nunca morreu....
Rasgado ele é...
E não foi escrito no papel...
Seja canção...
Seja coração...
Seja você...
E não pare em qualquer estação....
Come tucumã com pão...
Leite integral com Nescau...
Hoje é festa...
Hoje é seu dia...
Use sandália ou sapatilha...
Viva sua idade...
Fale a vontade...
Seja mais preciosidade...
Aqui tem um violão...
Toco nas cordas...
E pra ti invento um refrão...
Segue ele com muita alegria...
No telhado não tem gato...
Não tome álcool que faz mal...
Tome chá que faz bem...
Essa poesia é que te convém...
E ela...
Tem um pouco de rima...
Fiz ssim....
Somente por um motivo...
Passará anos e anos...
Mas tu...
Sempre serás....
Nossa menina...


Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠Pedras preciosas

Pronto...
Tudo aperfeiçoado...
Pedras enxutas e lapidadas....
Brilham na escuridão....
Exalam faíscas e geram luz....
No espelho....
Uma relação....
A rocha bruta e dura...
Em Metros de profundidade foram exploradas...
Picareta na mão...
Túneis foram cavados...
Famosas pedras preciosas....
Conheço pouquinho....
Desse imenso mundão...
Mas cada uma delas...
Tem seu valor....
Agata , citrino...
Granada , malaquita...
Opala , pirita....
Quatzo e ametista...
Diamante brilhante...
Tão duro...
Somente outro para lapidar...
Ouro e Nácar...
Topázio,turquesa..
Exibem beleza...
Pérola , Zafira...
Esmeralda, Rubi...
Do Branco ao marrom...
Laranja e violeta...
Cores nobres...
Digo isso com franqueza...
Glamour em requintes de fineza...
Pairam no ar...
Por fazer parte de uma realeza....
Aurora senhora...
Cada pedra com sua glória....
Aqui...
Não falo de uma talismã...
Falo da alma...
Somos feito em detalhes....
Somos fruto do vale...
Vale da vida...
E nessa expressa inspiração...
Somos vidas...
Somos aqui...
O tema desse poema...


Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠Inspiração única


Uma incomparável poesia...
De autoria única...
Sem buscar palavras no dicionário...
Minha Infinita imaginação foi buscar..
Minha infinita inspiração trouxe esse escrevinhar...
Uma poesia menina...
Jovem...
Ainda no berço...
Ainda pequenina...
Meiga e robusta....
Especial ao escreve-la...
Estrela guia...
Me leve ao desconhecido...
Me leve onde eu ainda não passei...
Continue assim....
incomparável e insubstituível....
Torna-me o que sempre sonhei...
Traga a mim....
O que sempre almejei...
Vá poesia...
Segue ao horizonte....
Sou seu confidente....
Sou seu amante...
Conheço-te como ninguém....
És gloriosa....
Trás-me o que sempre cobicei...
Querida poesia de inspiração única...
Por tudo que és...
Obrigado pela paz e luz...
Obrigado por me avisar....
Minha vida...
É gostar em te escrever...
Éssa escrita é tua...
Alucina-me também por outros dias...
Obrigado...
Apenas obrigado....
Por existir...
Aqui...
Em mim....


Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠Portátil


Sou portátil...
Robusto e fragil...
Pequeno diante do mundo...
Grande naquilo que sou...
Sou poeta sim...
Sou dessa gente...
Sou gente diferente...
Sou íntimo com meus prantos...
Sou faceiro no que canto...
Sou a essência que exala da flor...
Sou a face daquele que me criou...
Tenho leveza nas mãos...
Vejo a imensa dimensão...
Tenho também...
Uma cabeça cheia de imaginação...
E através do meu olhar...
Vai surgindo inspiração...
A raiz é....
A fantasia que espraia...
Sem saia e mini saia....
Faço alguns exageros sem candaias...
Não me exponho...
Tive um sono e acordei...
Sou jovem como a lei...
Aos poucos...
Crio emendas e crio cláusulas...
Se não deu certo....
Rasgo as folhas do caderno...
Mas de uma coisa eu sei...
Detesto o artificial...
Aprecio o natural....
Me emociono como criança....
Meu choro é a esperança....
De um sonho ainda na infância....
Que sem saber nada da vida....
Pelo ralo...
Escapou e eu deixei....


Autor:Ricardo Melo
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠Filosofando.


Desigualdade humana...
Na emana filosofia...
Nem sei se vivo no mundo antigo...
Ou moderno...
Acho mesmo que isso tudo aqui na terra...
É apenas uma ilusão...
Vivemos e morremos...
Nascemos chorando...
Crescemos amando...
Sem pensar em um insano demasiado labirinto...
Aos poucos...
Vamos nos aperfeiçoando...
Entre risos e alegrias...
Filtramos os bons momentos....
Vou eu como escritor...
Vou com algumas filosofias...
Embora não sendo um filósofo...
Dou meus arremates....
Não penso em Vitória...
Não penso em empate...
Por enquanto...
Só peço que não me batam...
Vou tirando aos poucos...
As ferpas que me atiram...
Apenas quero eu...
Beber das gotas de orvalho...
E assim vou criando meus atalhos...
Sobrevivência...
É tudo...
E isso...
Me faz...
Viver o presente...
E nem esquentar com o futuro....


Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠Um segredo trancafiado.


Tentando não me inebriar...
Sacio minha sede na fonte...
E vou controlando as insanas curvas...
Onde não há caso e nem limite...
Águas correntes...
Nascem na serra...
E deságuam no mar...
Rios de águas puras...
Umas verdes...
Outras escuras...
E ao chegar na mar...
Ficam azuis da cor do céu....
Oh terra!....
Natureza perfeita....
Oh mar!....
Animais aquáticos em ti...
Vem se alimentar...
Queria eu...
Poder tocar o Sol...
Queria eu...
Poder tocar as nuvens....
Sentir e delirar....
Apreciar o melhor...
Apreciar a perfeição....
Sol...
Tão perto....
E ao mesmo tempo...
Tão longe....
Semblante de fogo...
És radiante....
A grafite...
Desliza junto á inspiração...
Aroma da terra...
Aroma da selva....
Verde até no aspirar....
Inebriante e possante....
Em uns causa uma imensa solidão...
Em outros...
Causa uma gloriosa sensação....
Ao mesmo tempo....
Um estado de tamanha satisfação.
Sozinho...
Me contemplo ao perceber...
Corro atrás de respostas...
E mais longe ficas sem eu te ver...
Imenso universo...
Minhas lágrimas são poucas para te dizer....
Teu controle é absoluto....
Infelizes são aqueles que não te tem....
Mas só o Criador tem a raiz de tudo...
Em minh'alma....
Tem um guardado trancafiado....
São segredos que nem sei se um dia terei o prazer de revelar....
A ti...
Oh!...
Universo perfeito...
Impossível é te esquecer...
Um dia sei lá...
Aqui ou acolá....
Gritarei alto...
Falarei alto....
Quero apenas fazer meu grito ecoar....
Unir ou separar....
Mas...
Poderá eu...?
Posso eu....?
Não sei...
Mas guardado aqui...
Ficará....


Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠Vagando na órbita

Um aperto na alma..
Uma lacuna aberta...
Nem sei se explicarei essa inspiração...
Ao morrer por dentro...
Fiquei acordado por fora..
No mar ou na terra....
Um barquinho que navegava...
Um verso depositado na caixinha...
Uma vida que surpreendentemente
acabou a minha convulsão...
Um suspense no ar...
Dramático e cauteloso...
Pisando firme e quase fora do chão...
Sem dor...
Sem pavor....
Enfrentei um estado de coma perverso...
Apaguei a luz....
Por anos...
Não apertei o botão....
Aflito...
Ja em estado de decomposição...
Reli uma carta escrita...
Ao terminar de ler...
Percebi que o botão estava com oxidação...
Nessa hora...
Tive uma louca sensação...
Quase morto....
E vagando na órbita da minha imaginação...
Ouvi uma voz me dizer...
Morrer...?
Pra quê...?
Se tu podes ainda ser a solução...


Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7

⁠Acima de qualquer nome

Oh versos que pulsam nas veias...
Delatam as linhas que fazem ecoar....
Oh luar prateado e acinzentado junto ao estrelar...
Tu mínguas aos poucos....
Que olhos venham chorar...
Plena e absoluta....
Os teus amantes debaixo de ti....
Ficam a enamorar...
Espaço não precisas...
Já és grande no teu encantar....
Viajante inspiração....
Acordo à meia noite...
Da janela meus olhos ficam à marejar....
Teu eclipse é vermelho como bola de fogo...
Uma imensa luz reflete no teu caminhar...
É sonho..
É imaginação...
É ilusão....
Não!...
É o poema que se junta na linha...
E as palavras vem me dizer...
Sou eu...
Uma poesia perdida no vago espaço...
A meia noite sou uma...
A outra...
Sou paixão....
Na promessa que me foi dada....
Sou a frase encantada....
Sou manso por natureza...
Sou da flor...
Sou da relva...
Vim de uma semente que não é pulverizada...
Sou natural...
Levo a vida em alto astral....
Por trás disso tudo...
Tenho um nome que já diz tudo...
Meu nome é Jesus....
Todo poder me dado...
Sou filho do dono do mundo...
Sou o Cristo Nazareno...
Sou poderoso e não sou pequeno....
Sou o rei da Glória...
E pra finalizar essa história...
Meu nome está acima...
De qualquer outro nome...
Ou sobrenome...


Autor:Ricardo Melo.
O Poeta que Voa.

Ricardo Melo .
Inserida por JoseRicardo7